Coletiva-Anúncio de Obras em Jaú-20120402

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva de Anúncio de Obras em Jaú

Local: Jaú - Data: 04/02/2012

REPÓRTER: Governador, tem sido comum nos últimos dias manifestações em suas aparições referentes ao Pinheirinho. Como é que o senhor tem levado essa situação?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, deixa eu dar uma palavrinha antes. Dá uma abaixadinha. Primeiro dizer da alegria de vir a Jaú. Nós estamos entregando aqui na região 26 viaturas da Polícia Militar, os indicadores de Jau e Arealva, para onde estou indo, também de Bauru, de homicídios, todos caíram. Então quero aqui cumprimentar a ação da polícia que tem trabalhado, tem feito um esforço grande e os crimes contra à vida tanto latrocínio quanto homicídio uma queda importante. Depois aqui também em Jau autorizamos obras da região: SP-304 de Jau para Mineiros do Tietê, de Jau para Ibitinga, então obras importantes aqui para a região; e a SP-321 que nós vamos duplicar de Bauru até Arealva e ela vai ser recuperada, ampliada, modernizada até o Rio Tietê e Ibitinga, então obras estruturantes para a região. Jau foi muito atingida pelas chuvas, nós estamos autorizando uma ponte no bairro do Banheirão que é uma ponte rural e uma ponte aqui na cidade de R$ 1 milhão que é para Vila São José. Então duas obras importantes. Vamos manter aqui o sistema de draga do DAE para desassorear o Rio Jau e temos aqui 480 unidades habitacionais da CDHU. As primeiras deverão ser entregues agora em abril, no máximo em maio e são casas para quem ganha um salário mínimo, dois salários mínimos... o Estado de São Paulo é o único estado brasileiro que quem ganha um salário tem acesso à casa própria, porque a prestação não passa de R$ 93,00. Então uma conquista importante aqui para a região. Autorizamos também os recursos para a Santa Casa mais R$ 200 mil para ampliar o Pronto Socorro e vamos estudar, eu já tinha reduzido o ICMS do sapato de 18 para 12% para a indústria calçadista e nós vamos estudar reduzir para 7%, que a indústria de sapatos sofre hoje uma concorrência muito desleal com relação à China e, ao mesmo tempo, é um setor de muito emprego, muita mão de obra intensiva.


REPÓRTER: Quando é que vem essa redução, Governador?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Isso nós estamos estudando com os três polos calçadistas: Jau, Birigui e Franca, então nós tivemos agora há poucos dias uma reunião importante da CouroModas em São Paulo e nós estamos estudando a redução.


REPÓRTER : Governador, deixa eu fazer uma pergunta importante para o senhor. No ano passado, em abril o senhor me disse que, em três meses, o senhor resolveria a situação do Hospital de Base de Bauru, o Hospital está se afundando em crises, R$ 200 milhões de dívidas e até agora a associação hospitalar está lá e não sabe o que fazer. O que o senhor vai fazer para resolver essa situação.


REPÓRTER: [ininteligível].


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, a maternidade e o hospital são privados. A associação hospitalar não é do Governo.


REPÓRTER: Mas o hospital é.


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Tanto o Hospital Santa Isabel quanto a maternidade a associação é uma associação privada. O Governo está colocando R$ 1,5 milhão por mês para ajudar a manter o custeio. Nós vamos transferir para o Estado. Primeiro será a maternidade. Então a maternidade que tem questões jurídicas porque são funcionários da maternidade e quem vai assumir a Maternidade de Santa Isabel é a Fundação da Famesp. A Fundação da Faculdade de Medicina da UNESP. Ela será a primeira e está praticamente decidido, o Governo vai assumir 100% e depois o hospital. E o Governo está mantendo só está funcionando porque nós estamos pondo R$ 1,5 milhão por mês. Passa primeiro a maternidade e já saiu o edital, eu posso te dar aqui... Saiu ontem publicado o edital de convocação da OS e deve ser a Famesp, assinaremos o contrato com a Famesp, o Contrato de Gestão, e já assume a maternidade. E em seguida, o hospital.


REPÓRTER : Governador tem alguma estratégia para a operação do Pinheirinho?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, a decisão judicial se cumpre. Quer dizer, não é possível, não é? Se nós vivemos...


REPÓRTER: [ininteligível].


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Eu acho que está havendo uma antecipação do calendário eleitoral aí. É isso que está acontecendo.


REPÓRTER: E os delegados da região de São Carlos [ininteligível].


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não. Toda a nossa movimentação é de transparência absoluta. Passar informação, esclarecer à opinião pública. Aliás, o Estado de São Paulo é o único estado que publica mensalmente todos os indicadores de criminalidade. Todos.


REPÓRTER: Os delegados podem se negar a dar entrevista?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não. Eles estão orientados a sempre que for necessário falarem com a imprensa. E todos os nossos indicadores estão na internet. Nós somos o único estado brasileiro que publica mensalmente todo dia 25 a gente publica os indicadores criminais do mês anterior. Não tem nenhum estado que faça isso. E hoje...


REPÓRTER: [ininteligível] Frei Galvão. Será lançado hoje?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Vou verificar. Não. Hoje não. Mas nós vamos verificar. Nós recuperamos aqui na região 280 quilômetros de estradas vicinais. Só aqui na região. Essa é uma vicinal que precisa ser feita. Ela é de terra e precisa ser asfaltada. Nós vamos fazer o orçamento. O que nós estamos lançando hoje são as SPs.


REPÓRTER: Governador, e a questão aqui do fórum? Bem aqui na nossa frente a gente tem um fórum. Quando vai ser retomada a obra já que elas foram paradas, com a verba, e aí?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: ...Da Prefeitura Municipal. Nós fizemos um convênio com a Prefeitura. Repassamos o dinheiro para a Prefeitura e ela licita e executa. Houve um problema com a construtora, foi reincidido o contrato, a Prefeitura vai relicitar a obra e vai terminar. Mas aí a Prefeitura pode dar o prazo, porque não é uma obra do Estado. O dinheiro é do Estado, mas a contratação é do município.


REPÓRTER: Governador, [ininteligível] estradas como essa que o senhor está recuperando, Jau até Dois Córregos com a qualidade, por exemplo, que a gente vê nas pedagiadas, nas terceirizadas.


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não, mas a qualidade será essa. Recapeamento completo, pavimentação dos acostamentos, dispositivo como em Mineiros do Tietê, onde houver necessidade, terceira faixa, absoluta qualidade. Está bom?


REPÓRTER: [ininteligível] distrito de [ininteligível] está em uma comissão de emancipação [ininteligível].


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Comissão de?


REPÓRTER: [ininteligível]


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não. Esse é um tema local.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Muito obrigado, gente. Obrigado.


REPÓRTER: Governador, há tempos a sua visita era esperada aqui em Jau e o senhor veio, surpreendeu a todos e anunciou um pacote de obras, não é?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, é uma alegria voltar a Jau, visitar aqui a Nossa Santa Casa, uma das grandes Santas Casas do Estado de São Paulo atendendo o SUS, atendendo de graça, atendendo a população que precisa, nós estamos liberando R$ 200 mil para a ampliação do prédio aqui do Pronto Socorro, do Pronto Atendimento. Cumprimentar aqui a mesa provedora, o corpo clínico, o Dr. Oswaldo, o nosso prefeito, pelo trabalho aqui. Alias, temos dois grandes hospitais: a Santa Casa de Misericórdia com quase 300 leitos e o hospital Amaral Carvalho. E vamos trazer para cá... Já tem a Lucy Montoro nós vamos ampliar. Vai ter aqui um complexo voltado à reabilitação. Então Jau vai se consolidando com um grande polo de saúde pública para atender pelo SUS e de graça à população.


REPÓRTER: É essa a intenção? Transformar Jau em um Polo de Saúde.


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Exatamente. Jau é uma cidade com boa qualidade de vida, com muito emprego, setor do agronegócio, setor sucroalcooleiro, indústria do calçado, metal mecânica, turismo com o Rio Tietê agora com a Frei Galvão e um grande pólo prestador de serviços na área da Saúde, da Educação, do Comércio, de serviços que hoje geram muitos empregos para a população.


REPÓRTER: Está certo. Essa sua proximidade com a cidade, afinal de contas o senhor é sempre bem votado aqui, pode garantir uma volta ainda esse ano do senhor para a cidade?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Ah, mas com alegria. Aqui é o melhor café de São Paulo. Então pode pôr o café no bule aí.


REPÓRTER: Governador, só para encerrar, mande uma mensagem para o pessoal. A partir de 2 de março a gente vai estar com o sinal aberto e digital, uma das primeiras TVs Câmaras com sinal aberto do país.


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Eu acho muito importante a participação da sociedade. Então, que a TV Câmara seja um diálogo com a comunidade, uma prestação de contas à população, um serviço à comunidade. Um abração.


REPÓRTER: Obrigado.