Coletiva-Assinatura de Encaminhamento de Projeto de Lei Complementar visando repasse de recursos para implantação de 11 novos cursos de graduação da UNESP-20121303

De Infogov São Paulo
Revisão de 10h19min de 15 de março de 2012 por Biacotrim (discussão | contribs) (Criou página com ''''Transcrição da coletiva da Assinatura de Encaminhamento de Projeto de Lei Complementar visando repasse de recursos para implantação de 11 novos cursos de graduação da UN…')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Assinatura de Encaminhamento de Projeto de Lei Complementar visando repasse de recursos para implantação de 11 novos cursos de graduação da UNESP

Local: Capital - Data: 13/03/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu queria dizer que nós estamos encaminhando hoje um projeto de lei pra Assembleia Legislativa, muito importante, porque ele permite a Unesp a transferência de recurso em torno de R$ 42 milhões. E que fará com a Unesp possa criar 11 novos cursos, todos eles de engenharia. Engenharia de Biossistema, Engenharia de Bioprocessos, Engenharia de Pesca, Engenharia Agronômica, Engenharia de Materiais, Engenharia Eletrotécnica. As várias engenharias, Engenharia Ambiental. Então, muito importante 11 cursos de engenharia, universidade pública, gratuita, excelência como é a Unesp, 440 vagas no vestibular, ao longo de cinco anos 2.200 novos alunos de engenharia. E distribuídos pelo interior de São Paulo em 11 municípios. Onze cursos em nove municípios do nosso estado. Presente lá nas barrancas do Rio Paraná, com Rosana, com Dracena, com o Tupã. Lá no sudoeste do estado, com Itapeva, no Vale do Ribeira, com Registro. No centro de São Paulo, com Araraquara, com Botucatu. No Vale do Paraíba, com São José dos Campos, enfim... São João da Boa Vista, na região mais ao norte. Presente em todo o estado de São Paulo. Então, uma grande conquista, 11 cursos novos de engenharia para o desenvolvimento, para a tecnologia, para a competitividade, que vai ajudar muito São Paulo e o Brasil. Eu queria aqui agradecer ao Conselho Universitário da Unesp, e através desse projeto de lei nós transferimos os recurso para a universidade.


REPÓRTER: Governador, apesar da criação desses cursos, os custos e o projeto pedagógico de cada um ainda não foram definidos. Qual que é o critério para a definição disso e quanto tempo vai levar? Até porque são cursos que tem um custo grande, por serem cursos de engenharia.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, nós estamos transferindo os recursos para a Unesp, exatamente para ajudar no financiamento. Os cursos todos foram muitos preparados. Engenharia Química, Farmacêutica, enfim, cursos de ponta. O vestibular já começa este ano. Os primeiros cursos, três, já vestibular esse ano, cinco o ano que vem, os demais em 2014. Então, é uma grande conquista, muito importante. O Brasil, dos alunos que se formam em nível superior, apenas 5% é das Engenharias. O México, o nosso irmão latino-americano, é 14%, a Coréia é 25%, a China é 35%. A China forma 650 mil engenheiros por ano e o Brasil menos de 40 mil. Então, é um esforço que o Governo está fazendo. A USP levou Engenharia de Petróleo e Gás para a Baixada Santista, para a Santos. Nós cedemos lá todas as instalações e uma forte ampliação do Polo Químico e Petroquímico de Lorena.


REPÓRTER: O vestibular é esse ano para as aulas começarem no ano que vem?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. O vestibular é em novembro para as aulas em fevereiro do ano que vem. Não de todos. Uma parte começa em 2013, outra parte em 2014.


REPÓRTER: Em São João da Boa Vista o vestibular é de 2013?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: São João da Boa Vista, só um minutinho aqui, vem detalhado. Lá tem dois cursos. Tem Engenharia Eletrotécnica e Material. Um começa o ano que vem e o outro no ano seguinte. Eu tenho a impressão que é isso, mas o reitor confirma para você.


REPÓRTER: Qual o investimento total da construção do novo campus? E, nesse caso, funcionando uma engenharia onde vai funcionar?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O que nós estamos repassando para a Unesp são R$ 42 milhões. Aliás, um repasse permanente, porque como nós assumimos o Hospital das Clínicas de Botucatu, então a Unesp nos passava o dinheiro do custeio. Todo ano R$ 42 milhões, 2,4% da sua receita. Ela vai reduzindo esse valor até zerar. Então, ela incorpora esses 2,4% na sua receita permanentemente. O único campus novo é São João da Boa Vista. Deve ficar em torno de 14, R$ 15 milhões. É o maior valor. Depois você tem outras cidades que só tinham um curso e que vai ter o segundo curso. Consolida o campus. Caso em: Dracena, Tupã, Rosana, Itapeva, Registro. E outros: Botucatu, Araraquara, Sinergia. Você tem, por exemplo, em Botucatu em grande polo de Medicina, de Agronomia, áreas de farmácia, e Engenharia de Bioprocessos unifica todo esse trabalho, você já tem a base para esse trabalho.


REPÓRTER: Governador, ontem, o senhor recebeu representantes do DEM aqui no Palácio, e que também pleiteiam o posto de vice na chapa do PSDB. Há alguma preferência, algum aliado mais natural entre ele e o PSD para ocupar esse posto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós ficamos felizes com a disposição dos Democratas de apoiar o candidato do PSDB, cuja a escolha deve ser no dia 25. Essa questão de vice é uma discussão bem mais á frente, que caberá ao candidato e ao partido conduzi-la. Mas ficamos otimistas com essa possibilidade de aliança. Aliás, não só aqui em São Paulo, mas em outras capitais do Brasil.


REPÓRTER: Falando sobre as prévias agora, hoje à noite, há um ato do Tripoli e do Aníbal em favor dos debates antes das prévias do PSDB. O Serra parece se opor um pouco a isso. O senhor acha que é melhor para o Serra que não haja esse debate antes das prévias?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esse é um assunto do partido. Eu acho que esse debate já está acontecendo, na medida em que os candidatos estão indo aos diretórios, estão ouvindo, discutindo as questões da cidade.


REPÓRTER: Governador, o José Serra fez uma crítica muito forte ao PSDB, cobrando mais a ação de militância, até na divulgação das realizações de Prefeitura e Governo. O senhor acha que a militância do PSDB está devendo nesse sentido?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Nós, tucanos, ficamos a desejar em matéria de comunicação, nem matéria de... Nós não fazemos muita publicidade, enfim. Somos comedidos nos gastos de publicidade. Então, é muito bom que as pessoas, espontaneamente, no boca a boca, falem, orientem. Acho que isso é importante, quer dizer, a informação é um direito da cidadania.


REPÓRTER: A reinvindicação de São João da Boa Vista atende, mais uma vez, os prefeitos da região, cidades da região de São João da Boa Vista, com campus?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não há dúvida. Esses novos campi, ou novos cursos da Unesp, beneficiam toda uma região. Aliás, virão alunos até de outros estados. Beneficia o Brasil, não é? Uma universidade que está listada por um dos critérios de ranqueamento em 122ª no mundo, e das melhores do Brasil, claro que atrai muito estudante. Qualidade e excelência. E criando novos polos de desenvolvimento para São Paulo, desconcentrando o desenvolvimento do estado.


REPÓRTER: Governador, hoje, na Rádio Bandeirantes, nós levamos ao ar uma reportagem sobre o descarte de 400 kg, quilos mesmo, de livros didáticos, ainda fechados, que estavam em uma escola da zona norte, e foram descartados e vendidos por R$ 62,00 para um ferro-velho. O senhor tem conhecimento disso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu vou pedir para o Dr. Hermann, que é o secretário da Educação, que tem a informação mais detalhada, que possa responder. E o reitor Durigan pode detalhar melhor para vocês essa grande expansão das engenharias da Unesp para São Paulo.