Coletiva-Assinatura do decreto que transfere o Cedatt da Secretaria de Transportes para a de Desenvolvimento Metropolitano-20122103

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Assinatura do decreto que transfere o Cedatt sa Secretaria de Transportes para a de Desenvolvimento Metropolitano

Local: Capital - Data: 21/03/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, destacar a importância do Cedatt – Conselho Estadual para Diminuição dos Acidentes de Trânsito -, hoje no mundo moderno, a terceira causa de morbimortalidade não é doença, é causa externa; primeira é coração e grandes vasos, a segunda é câncer e a terceira é causa externa, é acidente. Era, até uns anos atrás, a maior causa homicídio, das causas externas, arma de fogo, principalmente; isso reduziu de 12.800 para onze mil, dez mil, nove mil, oito mil, sete mil, seis mil, cinco mil, hoje é quatro mil e 300. Graças a Deus homicídio caíram 70% em São Paulo, e a maior causa hoje de acidente é trânsito, só motocicleta morreram ano passado, 500 motociclistas na cidade de São Paulo. Então, nós vamos fazer um grande trabalho junto ao Cedatt; o Cedatt passou para a secretaria de Desenvolvimento Metropolitano, para poder articular todas as secretarias nesse trabalho, no sentido de se evitar. São muitos jovens, especialmente nos finais de semana, de razões múltiplas e acidente de trânsito. Metas a cumprir, rodovias, transporte metropolitano, motocicletas, identificação dos problemas, caminhões, enfim, um trabalho envolvendo saúde pública, medicina do tráfico, engenharia, segurança pública, multisetorial.


REPÓRTER: Governador, sistema Ponto a Ponto, também vai poder multar quem excede velocidade, é isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, o que eu coloquei foi o seguinte: que quando tiver totalmente implantado o sistema Ponto a Ponto, você tem média de velocidade, entre os pedágios eletrônicos, então você tem a média. Porque hoje o que acontece? Às vezes a pessoa excede muito a velocidade quando chega perto do radar da uma freada brusca, para poder passar no radar com velocidade menor. O que se deseja? O que se deseja é segurança, é evitar acidente; então que a pessoa não tenha velocidade acima do limite, nem tenha freada brusca em razão de radar. Você tenha é segurança para a população.


REPÓRTER: Governador, por favor, falando em ano de Copa do Mundo, como é que o estado, como é que o senhor vai se posicionar em relação à venda de bebida alcoólica nos estádios, durante a Copa do Mundo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu já me referi hoje pela manhã, e nós vamos aguardar a decisão do Congresso Nacional, para em seguida nos manifestarmos.


REPÓRTER: Mas o senhor falou em omissão, de manhã, não é, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Falei.


REPÓRTER: Omissão de quem?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Omissão da área federal, porque nós deveremos ter um tratamento, uma harmonia própria. Você não vai ter jogo em uma cidade, em um estado só. Você vai ter em todas as regiões do Brasil, inúmeras capitais, devemos ter uma atitude uniforme, harmoniosa, entre todos. Tendo em vista esta omissão federal, São Paulo vai tomar sua posição.


REPÓRTER: Posição do governo federal, é isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Do governo do estado. Essa posição nós vamos divulgar depois de termos a legislação aprovada na área federal.


REPÓRTER: Governador, mais no caso de haver uma legislação, o estado de São Paulo que vetar a venda de bebida alcoólica. A lei federal ela é um pouco vaga. O estado vai continuar com essa restrição adotada? A lei federal permite ou não, depende do estado. A lei estadual, como é que fica, mantém?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós vamos aguardar a legislação federal, a decisão de hoje, ai vamos nos pronunciar. Deixa eu dar uma boa notícia. Que é o seguinte: acabou de ser aprovada a licença de instalação da Linha 17 do metrô, que é muito importante, inclusive, para a Copa do Mundo. Porque é a linha do aeroporto de Congonhas. Então, nós começaremos imediatamente a obra. A Obra está licitada, contratada, vamos dar a ordem de serviço e inicia-la. E o primeiro trecho vai ser do aeroporto de Congonhas até a estação da CPTM, aqui no Morumbi, na Marginal do Rio Pinheiros. Então, nós vamos integrar o aeroporto com o trem, com a Linha 9 da CPTM. E a Linha 9 é integrada com a Linha 4. Então, integra aeroporto, trem e metrô; integrado aeroporto com o sistema metroferoviário. Nesse trecho, nós vamos trabalhar para entregar antes de 2014.


REPÓRTER: No primeiro semestre de 2014, é isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vamos trabalhar para isso. Demorou a questão da licença para instalação, mas agora tentar tirar o atraso.


REPÓRTER: Mas essa integração com a Linha 9, o fato dessa...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Mas essa Linha 17, ela é uma linha integradora. Ela vai interligar com a Linha Norte/Sul, que é a 1, lá em Jabaquara. Ela interliga com a Linha 5, que sai de Santo Amaro e vai até Chácara Klabin. Então, ela interliga e integra com a Linha 5, de Santo Amaro da zona sul. Ela interliga com o trem na Marginal do Rio Pinheiros, que é a Linha 9 da CPTM. Ela passa sobre o rio e atende Paraisópolis e o estádio do Morumbi, e integra com a Linha 4, que é a Linha Amarela. Então ela vai integrar, Linha 1, Linha 5, Linha 9 da CPTM, Linha 4. Ela completa vai integrar quatro linhas. Agora o primeiro trecho será com o trem, por que? Porque para ir para Jabaquara, é preciso aquela desapropriação na continuidade da Avenida Águas Espraiadas. Então, nós dependemos ai da prefeitura.


REPÓRTER: O senhor tem ideia do tamanho dessa desapropriação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu posso passar para você depois dados mais detalhados.

REPÓRTER: O senhor procurou, pretende procurar os outros governadores que sediaram jogos para tentar um consenso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu acho que é bom, eu acho que é bom ter uma medida conjunta dos estados.


REPÓRTER: E se não tiver essa medida conjunta?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Se não tiver São Paulo vai tomar sua medida.


REPÓRTER: Pessoalmente, o senhor é favor.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Se eu não falar... Depois é aprovado.


REPÓRTER: O ministro Aldo Rebelo disse que foi procurado pelo governador da Bahia, Jaques Wagner, segundo ele o único governador que o procurou até agora. O senhor pretende conversar com o ministro a respeito desse assunto para tentar negociar também?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu sempre converso com Aldo Rebelo, aliás, ele está até para vir aqui a São Paulo. Nos próximos dias nós vamos conversar, está bom?


REPÓRTER: Uma opinião pessoal, governador!


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós vamos nos pronunciar depois da lei. Vamos aguardar a votação.