Coletiva-Entrega da Reforma dos Centros de Reprodução Humana e de Diagnótico em Mama do Hospital Pérola Byington-20120803

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Entrega da Reforma dos Centros de Reprodução Humana e de Diagnóstico em Mama do Hospital Pérola Byington

Local: Capital - Data: 08/03/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, hoje no Dia Internacional da Mulher, duas conquistas importantes para a saúde das mulheres: a ampliação de todo o serviço de mama, nós temos aqui o maior serviço de mamografia do Brasil, são 30 mil mamografias por ano. Praticamente acabou a fila para a mamografia, o resultado sai no mesmo dia, há uma central de pareceres, então os exames, são feitos, são encaminhados para essa central e no mesmo dia tem o resultado, e se houver a necessidade já é encaminhado para o tratamento. Esse é um centro de excelência que vai ajudar o Brasil a formar especialista, formar profissionais para biópsia e para toda a questão de mama, que é o principal câncer das mulheres, que as mulheres têm, e que é uma doença perfeitamente curável quando diagnosticada e tratada rapidamente. Então cresce 25% aqui a ampliação, foi quatro milhões investido aqui em reforma, adequação física, equipamentos e profissionais. E de outro lado dobra o centro de reprodução humana, ou seja, mulheres que não conseguem ter filhos, casais que não conseguem ter filhos é feito a fertilização in vitro. Não é um procedimento barato, custa quatro/cinco mil reais, mas é muito importante, já nasceram fruto desse trabalho nos últimos anos, mais de 200 crianças de casais que não poderiam ter filhos, ou o homem por oligosperma, que é uma das causas principais, baixa produção de esperma, de sêmen, ou a mulher, seja por endometriose, problema do útero ou obstrução tubária, enfim, por várias razões. Então um trabalho de grandes alcances no ponto de vista social, possibilitando gratuitamente às famílias poderem ter todo o apoio para ser feita a fertilização in vitro, e depois implantado no útero a célula ovo dois dias depois da concepção, importante do ponto de vista de saúde pública, mais um avanço da ciência para a população, e o centro de escola, hoje o Pérola Byington é um centro de excelência reconhecido como Hospital Escola. E nós estamos propondo ao Governo Federal fazer a vacina do HPV, que vai evitar o câncer de colo de útero. É uma proposta que foi feita pelo secretário Giovanni Cerri e pelo Instituto Butantã, ao Ministério da Saúde, e produzimos aqui em São Paulo a vacina do HPV. E aqui também tem o programa “Bem Me Quer” para atender as mulheres vítimas de violência sexual, e nós autorizamos hoje a abertura de dois CRAVI’s, Centro de Proteção às Vítimas, Campinas e Santos, mais dois CRAVI’s.


REPÓRTER: O senhor acha que a vacina está à disposição, já?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A vacina, o professor Giovanni pode... Nós apresentamos ao Governo Federal, ao Ministério da Saúde a proposta através do Instituto Butantã que é O maior instituto soro terapêutico da América Latina para nós fabricarmos aqui em São Paulo, há possibilidade de um entendimento, um protocolo com uma entidade também internacional, e está bem encaminhado. Então, eu destacaria a questão da mama que é o principal câncer das mulheres, zeramos aqui mamografia, o maior centro de diagnóstico de mama e de mamografia, 30.000 exames por ano, e uma grande ampliação de serviço e o diagnóstico no mesmo dia, não fica um mês naquela ansiedade, ela já tem no mesmo dia o resultado do exame feito. E a outra, a reprodução assistida, que nas clínicas particulares é muito cara, é muito cara, e nós oferecemos gratuitamente esse trabalho, há uma fila, então por isso nós estamos dobrando a capacidade de atendimento, que passa de 300 para 600 atendimentos.


REPÓRTER: Vai atender a fila, governador, ou ainda vai continuar tendo fila? Já é o suficiente para atender essa demanda?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Por que que... Por que que você sempre vai... É difícil você acabar com a fila, porque você geralmente faz quatro tentativas para um sucesso, dependendo um pouco da idade da paciente, mais velha, ficam mais tentativas, mais jovens, menos. Então, se você incluir aquelas que já fizeram e, que não teve sucesso, aí você, a fila é grande! Mas, a ideia é andar com a fila para aquelas que estão na fila que não tiveram ainda nenhuma tentativa, você dobra o atendimento, e nós atendemos o Brasil inteiro, tem paciente aqui de todos os demais estados brasileiros.


REPÓRTER: Governador, em relação aos postos de combustíveis, o senhor tem uma reunião importante agora à tarde. O senhor pode adiantar o que vai ser tratado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a reunião é com o Sindicato das Empresas de Distribuição de Combustível, o SINDICOM, e todo o apoio já está sendo dado, nós vamos melhorar ainda mais a logística para rapidamente os postos estarem todos abastecidos. Isso já vem sendo feito, uma escolta policial importante, a madrugada inteirinha, e nós vamos avançar ainda mais para ver se normaliza isso em 24/48 horas. De outro lado o PROCON, não pode ter preço abusivo. Então o telefone é 151, e onde houver preço abusivo deve ser avisado ao PROCON.


REPÓRTER: Governador, nós do SBT estamos fazendo uma reportagem referente a rondas que são feitas em agências bancárias, essas rondas preventivas contra assalto. O senhor tem ciência dessa informação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, um trabalho muito importante. O crime ele vai variando. Então tem sequestro, aí você age, age, age, reduz assim, drasticamente. Depois roubo de cargas, você age, age, age, reduz drasticamente. O que que nós estávamos tendo e com um grave risco para as pessoas? As “saidinhas de banco”. Então as pessoas iam lá tirar o dinheiro e eram assaltadas na “saidinha de banco”. Então a polícia, ela trabalha permanentemente, sem descanso.


REPÓRTER: Por isso que eles vão até as agências e recolhem as assinaturas dos gerentes?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Então qual foi o resultado desse trabalho? 82% de redução do crime da “saidinha de banco”, para evitar morte, evitar assalto, evitar homicídio, então, é um dever da polícia, não é? Quer dizer, houve uma redução do assalto ao banco, mais “a saidinha de banco”, então passamos a ter uma ação específica nesse trabalho.


REPÓRTER: O que que essa questão no STF em relação aos terrenos, o valor venal?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Deixa eu verificar melhor, pode ser? Aí a gente fala lá sobre isso.


REPÓRTER: Sim, uma outra questão, na educação, [ininteligível] professores da rede pública que dão aula com diplomas falsos. A Prefeitura já expulsou 50 casos de professores e alguns dão aula no Estado até agora. O Estado não tem uma comissão específica, isso preocupa o senhor, [ininteligível] essa situação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós temos 240 mil professores. Foram detectados oito casos, dois estão dando aula e está sendo concluído já, e serão imediatamente demitidos, é só comprovar. Então isso é questão de horas e está resolvido, mas hoje são dois casos.


REPÓRTER: O senhor acha que uma fiscalização maior não aumentaria os casos? Porque a rede municipal tem muito menos professores e tem 60 casos.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É, nós temos bem menos, não é? Nós temos muito mais professores, nós temos 240 mil professores; teve oito casos, hoje apenas dois casos e que vão ser demitidos. Isso é falsidade ideológica, quer dizer, é diploma falso, é falsificação. Vai se checar, não tem crime perfeito, isso vai ser descoberto e vai haver punição. Está bom?


REPÓRTER: Obrigado.