Coletiva-Entrega de 784 unidades habitacionais do Programa Serra do Mar-20120601

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Entrega de 784 Unidades Habitacionais do Programa Serra do Mar

Local: Cubatão - Data: 06/01/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós estamos entregando hoje aqui em Cubatão 784 unidades habitacionais, novinhas, apartamentos, casas ou sobrado. Dois dormitórios, três dormitórios, todas com aquecedor solar, algumas também têm área de comércio e dentro do programa... Um dos maiores do país que é o programa da Serra do Mar.


REPÓRTER: E o investimento governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu vou lhe dar. Nós já entregamos 1541 unidades. Estamos em obras, 1733 e vamos começar, vamos fazer ainda, mais 1300. O programa todo, ele é em torno de R$ 1 bilhão, financiamento do BID, do Banco Interamericano do Desenvolvimento e recursos do Estado de São Paulo. E das 7760 famílias, continuarão 2410; aí não estão em área de risco e há áreas menores e que serão urbanizadas e outras áreas, elas desaparecem, quer dizer, não vai ter mais nenhuma família em área de risco. A gente verifica agora nessa época do verão, no mundo inteiro problemas, situações trágicas, mortes, Brasil graças a Deus não tem tsunami, não tem terremoto, mas nós temos o problema do verão, e os casos mais graves de morte geralmente é serra, é morro, é soterramento. Então essa é a razão de todo esse programa, aqui os bairros aqui tem agua, luz, asfalto, área de uso comum nos prédios, aquecedor solar, iluminação pública, escolas, tem uma do lado aqui que o Governo fez, outra no Bolsão 9, outra vai ser feita no Bolsão 7, vamos duplicar na primeira semana de fevereiro, já está licitado pelo DER a duplicação do Viaduto Rubens Paiva, antigo 31 de março, que é o acesso importante para todos esses bairros aqui da região. Então investimentos relevantes.


REPÓRTER: Queria que o senhor falasse a respeito do que saiu na Folha de São Paulo que há uma semana em Ribeirão Preto eu tenho visto algumas casas, as pessoas dizendo que existem infiltrações, problemas e mais de 400 casas também em Jaboticabal, Caraguatatuba e não foram ocupadas ainda. O que o Governo tem a dizer sobre essa informação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, em Caraguatatuba são 20 unidades, 20 casas da Vila Dignidade, prontinhas, tudo pronto. Aí a Prefeitura é que quem vai administrar o conjunto estabelece a mudança. Eu perguntei ali na entrega da chave para as pessoas: Quando é que você vai mudar? Uma me falou: Dia 16. A outra me falou: Dia 19. A outra: Depois do dia 2. As pessoas se programam para mudar, então é obvio, você está entregando a chave hoje, se for lá amanhã não mudaram ainda, as pessoas tem uma programação, uma quer mudar a semana na que vem, a outra daqui 15 dias, mas as casas estão todas, todas prontas. Você entrega 700 apartamentos, vamos dizer que um apartamento deu lá um problema na torneira, vai ser corrigido, e para a construtora ela fica 90 dias no canteiro, ela permanece e ela faz o reparo que precisa fazer, sem nenhuma despesa, nem para o mutuário nem pro Governo. Isso faz parte da responsabilidade da construtora.


REPÓRTER: E essas infiltrações em Ribeirão Preto [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Se tiver alguma infiltrada, o que houve lá? Houve roubo de fio de cobre de um aquecedor solar, estragou o telhado, choveu, a agua foi para a laje, infiltrou, vai ser corrigido. Agora, por que ocorreu, o caso, por que ocorreu? Porque houve roubo de fio de cobre. Então são conjuntos grandes.


REPÓRTER: [ininteligível] e já tinha gente com infiltração [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Será corrigido, sem nenhuma despesa para as pessoas e nem para o Governo.


REPÓRTER: Governador e dessas 784 nem todas vão estar disponíveis logo agora, já é programação do Governo mesmo que seja mais para frente. Não há algum constrangimento de entregar casas que vocês mesmos sabem que não estão prontas?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não! A casa está pronta, ela está pronta e ela está entregue. A família pode mudar segunda-feira, pode mudar na outra semana, as famílias se programam para fazer sua mudança.


REPÓRTER: Já há uma programação sobre entregar algumas casas em março, alguns desses conjuntos que vocês anunciaram agora e três...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não não não. Os 784 estão entregues.


REPÓRTER: Estão entregues [ininteligível] pronto para eles?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Estão entregues. Pode! Estão prontos. A chave está entregue. Não tem nada para março, nada, nada. Março... É, as pessoas vão mudando a hora que elas quiserem, se quiserem a partir de segunda-feira todas mudarem. É que geralmente a Prefeitura faz uma programação porque ela ajuda na mudança, providencia caminhão, então faz uma programação.


REPÓRTER: Governador, com essa licitação do Rubens Paiva, qual o prazo para ficar pronta a obra já que [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Se não tiver nenhum problema jurídico, vamos calcular: primeira semana de fevereiro licitou a obra, não é projeto, é a obra, em abril está a pleno vapor, quanto tempo leva para fazer um complexo daquele? Oito meses, doze meses? Mas não vai passar de um ano a obra.


REPÓRTER: Governador, em relação aos investimentos de infraestrutura aqui no bairro. São 1800 famílias, quase cinco mil pessoas, ainda faltam algumas coisas na área da saúde, da educação e também na logística de transporte. Como vai ficar?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, primeiro: o apartamento é entregue com água, esgoto, energia elétrica, iluminação pública, galeria de águas pluviais, asfalto, toda a infraestrutura, tudo, tudo, tudo completinho. Escola já está pronta, o Governo está construindo através da FDE. No caso do Casqueiro, a duplicação do viaduto de acesso e aí o restante nós fazemos, ajudamos, a Prefeitura faz, é um birro, como os demais bairros que você vai em parceira ajudando


REPÓRTER: Governador, a Artesp mudou o índice de correção dos pedágios do IGPM para IPCA. Por que essa mudança, tendo em vista que o IPCA foi mais alto que o GPM no passado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Se você pegar uma séria histórica, pegar uma série histórica sempre o IGPM tem dado acima do IPCA. Vou até vou lhe dá aquele gráfico, onde está? Então se você pegar... A nossa tarefa, através da Artesp é sempre defender o nosso contribuinte, sempre defender a nossa população. Então, os contratos antigos da década de 90 eram todos em GP. Se você pegar a dívida do estado, como é que é corrigida a dívida do estado? Em GPDI. Como é que é corrigido o pedágio? Em GPM. Tudo em GP naquela época. Nós... Contratos longos, nós estamos mudando. Se você for observar, tira aqui o primeiro item, porque só esse ano, você vai verificar que o IPCA é muito mais baixo que o IGP. Isso é muito mais baixo. Verificar a série histórica. Eu posso lhe dá se você me o telefone. Os últimos dez anos quanto foi o IGP e quanto foi IPCA. Então, para defender o consumidor, nós estamos mudando de IGP para... Isso é seu... Para IPCA. Não dá para saber futurologia. Quanto vai ser em julho do ano que vem o índice, eles sempre ficam próximos, mas se você pegar durante 20 anos o IGP deu maior que o IPCA. E o IPCA retrata a nossa inflação, e o IGP é dólar. Então, oscilações de câmbio ele dispara, ele acaba disparando.


REPÓRTER: É sobre a Cracolânida. Formação conjunta, estado e governo, perdão! Governo estadual e prefeitura, e porque da ação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, uma ação conjunta governo do estado e prefeitura municipal, e nós queremos também a participação do governo federal. Muito importante todo mundo está unido nesse trabalho. Primeira questão é proteger a saúde das pessoas. O crack em especial é uma droga gravíssima e leva as pessoas em pouco tempo a gravidade da sua saúde mental e física, e se não tratada leva a morte. Problemas de tráfico, traficantes. Então, a ação... Ajudar as pessoas que são dependentes químicos. Equipes multiprofissionais, através dos CAPS, dos Centros de Atendimento Psicossocial, e o caso que precisar internação. Nós estamos disponibilizando perto de 20 leitos nos hospitais do governo e nas clínicas do governo. Então, perto de 200 leitos para internação. Apoio social para as famílias e polícia. Prender os traficantes. Investigar onde estão os laboratórios, porque o crack é borra de cocaína, onde é fabricado? Onde é que estão esses laboratórios? Investigação para identificar as fábricas os laboratórios de fabricação de crack. Prisão de quem ganha dinheiro para fazer o negócio com droga, traficantes, e tratamento dos doentes.


REPÓRTER:... Serra do Mar, ou só os bairros em áreas de risco. Toda Serra do Mar o programa abrange?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Prioridade para área de risco, prioridade para área de risco. Agora, você tem área de risco alta, que são os primeiros que saíram, e tem a área de risco menor. Mas toda a área de Serra é área de risco.


REPÓRTER: A prioridade no momento é a área de risco?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente.


REPÓRTER: Qual o investimento total dos três [ininteligível], tem?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Tem, dos três aqui. Dá R$ 114, 213 milhões, 784 unidades, ai incluído tudo: Terreno, prédio, infraestrutura, logística, área social.


REPÓRTER: Governador. Aproveitando a sua visita a nossa região metropolitana. Os proprietários de vans estão tentando falar com o senhor, para tentar resolver o problema com relação a fiscalização da Artesp na rodovia dos Imigrantes, não só na rodovia dos Imigrantes como em toda rodovia do estado de São Paulo. O senhor tem o conhecimento disso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu estou a inteira disposição. Agora, a Artesp, ela pode receber todos eles, ouvir ponderações, sugestões...


REPÓRTER: Mas já foram na Artesp. O diretor da Artesp pediu para que eles... Só o senhor poderia resolver.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não é verdade. Existe um regramento. Quando quer falar com o governador, algum problema tem, porque senão já estava resolvido. Se for possível a Artesp irá resolver, se for ilegal não vai ter exceção. Posso receber, mas não... Lei é lei e é para todos e é por quê? Porque você está protegendo as pessoas que usam transporte intermunicipal, que precisam ter segurança, precisa ter viaturas aprovadas, precisa segurança pública, precisa ter licitação. Hoje morre mais gente de desastre de automóveis que de homicídio. É importante segurança nas estradas. Então, a Artesp tem todo uma regulação. Mas posso receber, nenhum problema. Pode pedir para manter contato com o Major Sardi.


REPÓRTER: Existe previsão governador, para o Roda São Paulo que é um projeto novo, de ter mais ônibus em Guarujá. E nós recentemente, da Tribuna, que é filiada da Globo, fizemos uma matéria com [ininteligível] que reclamaram de demora, depois houve uma grande...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, houve uma grande procura. Primeiro porque, graças a Deus está lotada aqui o verão, a Baixada é um sucesso, uma maravilha aqui o verão. Segundo, é um sucesso também, o programa Roda São Paulo, porque você permite as pessoas dois dias poderem fazer um tour no circuito turístico, então houve uma procura maior. Então o secretário Márcio França já mandou mais quatro ônibus, passou de 14 para 18 ônibus aqui para a Baixada Santista.


REPÓRTER: O senhor só podia explicar, por gentileza, o apoio [ininteligível] governo e prefeitura São Paulo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Governo do Estado, prefeitura e queremos também o governo federal. Quer dizer, todo mundo participando.


REPÓRTER: Esse [ininteligível] apoio do governo federal?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Claro! Todo mundo junto. Então primeiro a ação social, saúde, estamos com 200 leitos reservados para esse trabalho, seja nos hospitais, seja nas clínicas, atendimento ambulatorial, tem casos que não há de internação e ação de segurança; investigar os laboratórios, as fábricas de crack, que é a borra de cocaína e prender traficante e tratar as pessoas que tem dependência química. Porque dependência química é doença, como é apendicite, é uma doença e precisa tratamento médico.


REPÓRTER: Como vai ser o apoio do governo federal?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O governo federal participa, o governo federal não tem uma ação direta, mas uma ação institucional, recursos financeiros como também o apoio do Poder Judiciário e do Ministério Público.


REPÓRTER: Governador, e esses [ininteligível] situação do governo federal?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não tem nenhuma antecipação. Esse trabalho já foi feito há dois anos atrás e o governo não pode ignorar uma verdadeira chaga social que nós temos e tem o dever de trabalhar para ajudar as famílias. Tratamento médico, apoio social, nesse momento está reunido lá em São Paulo o secretário da Saúde, o secretário da Assistência e Desenvolvimento Social, Justiça, Segurança, para fazer esse trabalho.