Coletiva-Inauguração do Bom Prato Paraisópolis-20120503

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Inauguração do Bom Prato Paraisópolis

Local: Capital - Data: 05/03/2012

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Olha, esse é o 34º restaurante Bom Prato; 86 milhões de refeições já distribuídas desde o seu início, e é um sucesso. Primeiro pela qualidade; alimento quente, bem feito, controle de qualidade do ITAL, Instituto de Tecnologia de Alimentos, e alimentação balanceada, equilibrada. Carboidratos, lipídios, proteínas, vitaminas, enfim, alimentação, a mais correta possível. E segundo o preço, né? R$ 1,00 a refeição; e o café da manhã: café, leite, achocolatado, pão, manteiga, requeijão, frios, fruta, R$ 0,50. 34º restaurante, e nós agregamos ao Bom Prato o café da manhã, já começa aqui em Paraisópolis amanhã, já a distribuição do café da manhã aqui, servir no restaurante. O Acessa São Paulo; internet gratuita, inclusive ensinar as pessoas a computação, e o Via Rápida para o Emprego. Uma escola formando confeiteiros, padeiros, cozinheiros, garçom, chapeiros, enfim, pizzaiolos, profissionais pra área de serviço, que hoje falta muita mão-de-obra. Então, localizado aqui dentro da comunidade de Paraisópolis, e eu já solicitei ao Secretário Rodrigo Garcia... Hoje há uma crítica num dos órgãos de imprensa de que no Terminal Rodoviário do Tietê é muito caro tudo; uma garrafinha R$ 3,50, coxinha R$ 4,20. Nós vamos verificar a possibilidade de fazer um café, pão, manteiga, nesses moldes, também para quem está em viagem, chegando de viagens mais longas, partindo para viagens mais longas, poder ter acesso a alimento de qualidade e por um preço factível.


JORNALISTA: Seria uma espécie de Bom Prato na rodoviária, é isso, governador?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: É. Pode ser Bom Prato, ou no mínimo um café. Quer dizer, se você, por exemplo... Um aeroporto é tudo mais caro. Agora, não pode uma rodoviária, alguém querer tomar uma média, um pão com manteiga e um café, e não ter acesso. Então nós vamos fazer lá no terminal rodoviário também, a preços também bastante acessíveis para as pessoas poderem se alimentar adequadamente. Isso é saúde pública. A pessoa bem alimentada, ela vai ficar menos doente. As células do corpo, a cada quatro meses troca tudo; sangue, osso, pele, mucosa, cabelo, troca tudo, só ficam os neurônios. E como é que as células são formadas? A partir da energia dos alimentos, da energia ancestral, do papai e da mamãe, e da energia respiratória, daquilo que a gente respira, o alimento é dos principais na formação das células do corpo humano. Então é um programa de sucesso que hoje avança mais aqui na comunidade de Paraisópolis.


JORNALISTA: [ininteligível], no caso, funciona o Acesso Via Rápida [ininteligível]?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: É. Todas... O Rodrigo pode detalhar um pouquinho melhor, mas todas que têm condição física, Acessa São Paulo café da manhã... Café da manhã não tinha, é novidade. O Café da Manhã e o Via Rápida. Por exemplo, aqui começa em abril. Então, as turmas se inscrevem, formam a turma e em abril começam as aulas.


JORNALISTA: Todas as unidades estão funcionando nesse momento?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: O Rodrigo pode dizer. Nós temos, essa é a 33ª, porque a 34ª vai ser o mês que vem, Cidade Ademar. Trigésima terceira, estamos falando 34 porque já vai ter mais uma aqui engatilhada. Ele pode dizer, das 33, quantas têm café da manhã?


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: O café da manhã em todos.


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Todas. Todas têm.


JORNALISTA: Olha, eu estive hoje lá em Itapecerica da Serra, [ininteligível] população lá, eles não sabem desse serviço.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Os novos serviços. Alguns restaurantes não têm por falta de condições físicas de ter almoço. Mas todos que têm condição já [ininteligível] instalado.


JORNALISTA: [ininteligível] entregar 50 unidades do Bom Prato, não é?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Vamos chegar lá.


JORNALISTA: Vocês vão chegar lá?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Vamos. Olha, aqui é a 33ª, o mês que vem, a 34ª. Estamos escolhendo os bairros que precisam mais. Locais de passagem, por exemplo, rodoviária, estamos estudando o Hospital das Clínicas, locais que as pessoas estão de passagem ou de viagem, ou de atendimento médico. Cidades grandes; Itaquaquecetuba tem quase 400 mil habitantes, região metropolitana. Então, a gente procura sempre atender quem mais precisa.


JORNALISTA: E a segurança aqui no bairro...


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Segurança até no final do mês, a região do Morumbi receberá 11 base comunitárias novinhas, sendo que moveis, sendo que duas ficarão direto dentro da comunidade de Paraisópolis.


JORNALISTA: E o Ladeirão [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O Ladeirão são partes das 11, duas são só aqui dentro, só aqui dentro, e mais 9 na região.


JORNALISTA: Governador, quantos Bom Prato senhor pretende aqui na capital, só na capital?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Nós vamos ter no Estado de São Paulo 50, Restaurante Bom Prato, a capital é mais da metade.


JORNALISTA: [ininteligível] nós temos um pedido lá desde 2006, tem um terminal lá que foi inaugurado...


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: De ônibus...


JORNALISTA: De ônibus que passa 65 mil pessoas por dia lá, e nós temos esse pedido lá [ininteligível] eu sou do jornal a gente tem noticiado a necessidade da implantação desse Bom Prato lá, [ininteligível].


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Então, nós vamos... Nós temos 33; 20 em São Paulo, nós temos 2/3 praticamente em São Paulo.


JORNALISTA: Mas pra São Paulo quantos, quantos...?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Se nós tivemos a proporção de 50 vai da mais de 30 em São Paulo.


JORNALISTA: Governador, o senhor tem reunião...


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Não, não.


JORNALISTA: Governador, vocês aumentarem o orçamento da Secretaria de Desenvolvimento Social para 614%. O senhor falou que, no caso, as pessoas e programas são como células. Você acha que o PSDB também é uma célula? Quer dizer, ele está se transformando ao longo do tempo? Ele está investindo mais em programas sociais? Está querendo se aproximar do propósito popular, que é o PT, que é o Bolsa Família?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Não. Esse é o compromisso nosso antigo, não é novidade. Nós estamos avançando e agregando, procurando aproveitar melhor. Então, o prédio que só tinha o Bom Prato, que é antigo, é desde o Mário Covas, nós introduzimos o café da manhã, depois o Acessa São Paulo e agora o Via Rápida. Então, estamos agregando novos valores. O Renda Cidadã é do meu tempo de governador, agora estamos integrando com o Bolsa Família. Não tem nem disputa política, é um cartão só para os dois programas juntos. Está bom?


JORNALISTA: Governador, o senhor pode comentar, por favor, a pesca Datafolha que apontou que o José Serra lidera em todos os cenários, em alguns ele chega a 49% da preferência do eleitorado. O senhor pode comentar?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Primeiro dizer que nós temos o calendário, que primeiro são as prévias, o arco de alianças e a campanha propriamente dita. Então, vamos respeitar aí esse cronograma. Mas a pesquisa é ótima, muito positiva, muito boa. É claro que ela é o retrato, é a fotografia de um momento, mas muito positiva. Acho que é trabalhar. Está bom?


JORNALISTA: E o PSD, governador?