Coletiva-Inauguração do Complexo Prates-20122703

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Inauguração do Complexo Prates

Local: Capital - Data: 27/03/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, destacar a importância do Complexo Prates, um complexo que une aqui a parte social, os abrigos para crianças, os abrigos para idosos, a tenda, o tele centro, a parte de saúde: CAPS, UBS, AMA então uma grande conquista para São Paulo, tanto na área da assistência social, quanto da saúde. E dizer que a Operação Centro Legal, ela está indo muito bem, quer dizer, os esforços que foram feitos na região da Nova Luz, elas trouxeram muitos benefícios, nós já tivemos 365 pacientes internados e mais de 2.000 em atendimentos nos CAPS nos ambulatórios da prefeitura, então abrigamento para pessoas que estavam desabrigadas, atendimento em equipes multiprofissionais, os ambulatórios da prefeitura e do estado, e internação para aqueles casos mais graves. Há um preconceito em relação à saúde mental, mas é doença como é apendicite, como é tuberculose, em muitos casos de dependência química são internações e até internações longas! Quem tem melhor resultado, que é Frei Hans na Fazenda Nova Esperança, há casos que a pessoa fica 1 ano lá com ele na Fazenda Nova Esperança pra pode ter a sua recuperação completa.


REPÓRTER: Governador, por que é tão difícil retirar de vez usuários de crack ou de qualquer outra droga definitivamente da região da Cracolândia, por que a gente ainda percebe a presença dessas pessoas?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É já... Já diminuiu muito, nós tínhamos perto de 1.000 pessoas, hoje você tem 70, 80, então, diminuiu muito. E as 385 internações, não teve nenhuma compulsória foram todas, todas, internações voluntarias. A prefeitura tem CAPS 24hs, o estado tem o Cratod 24hs, então às vezes eu passo aí de madrugada, e o que fala os médicos, a enfermagem? Eles dizem, ‘olha, conversamos com dois pacientes, eles ficaram de voltar amanhã’, é um trabalho de convencimento, então há casos que você trata ambulatoriamente e há casos que você precisa internar para poder pessoa realmente sai da dependência química. E há casos também, Alda Marco Antônio colocou muito bem de pessoas doentes mentais que precisam ter tratamento, estão na rua, mas têm problema de doença mental.


REPÓRTER: Por que antiga Cracolândia governador? Acabou a Cracolândia?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Antiga porque nós estamos vivendo um outro momento, que é a Nova Luz, com investimentos importantes da prefeitura, com ações sociais, ações de saúde, nós tínhamos na rua Helvécia, na rua Dino Bueno, as ruas nem passava mais ninguém, as ruas estavam fechadas, até para o tráfego, e hoje você verifica uma outra realidade na região.


REPÓRTER: A Cracolândia acabou, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esse é um trabalho de enfrentamento da dependência química é permanente, tem que perseverar, esse trabalho é permanente, mas mudou muito e melhorou muito.


REPÓRTER: Governador, se a ação era integrada, por que não se aguardou a inauguração desse complexo para deflagrar a ação na Cracolândia? Só para a gente entender um pouquinho.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O estado está trabalhando com a prefeitura desde o primeiro dia, desde o primeiro dia trabalhando juntos. A prefeitura tem uma rede de abrigos enorme, uma rede enorme, uma rede também de assistência básica muito grande, esse é um complexo que vai ajudar muito mais.


REPÓRTER: Governador, sobre briga de torcida: a PM, ela já sabia daquele ponto de encontro da torcida da Gaviões da Fiel e da torcida do Palmeiras, isso já havia sido identificado pela inteligência da polícia; houve alguma falha da polícia ali naquela operação, e aqui em São Paulo vocês pretendem copiar o que acontece em Campinas, por exemplo, e vão tratar o torcedor como um [ininteligível] inglês, na hora do jogo o cara fica na delegacia?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Primeiro, não houve nenhuma solicitação de comboio, nenhuma solicitação para polícia em relação a questão de torcedores; isso foi às dez horas da manhã, foi muito cedo, bem antes do jogo, muito longe do Pacaembu, muito longe do estádio; quando a polícia local, ela verificou que havia um grupo de torcedores ela foi para poder dar proteção e pra poder acompanhar esses torcedores, senão poderia ter sido mais grave ainda o confronto entre as torcidas. A Federação Paulista de Futebol, corretamente proibiu a presença de torcidas organizadas nos estádios, já foi feito ontem já, nós já tínhamos dois presos e agora mais seis pessoas foram presas suspeitas desse crime; isso é crime, essas pessoas vão ser identificadas e rigor absoluto na apuração e vão ser presas e responder pelo crime.


REPÓRTER: Governador, esse torcedor de organizada agora não vai poder entrar com a camisa do time ou da torcida organizada, entra com uma roupa comum, resolve?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, os estádios devem fazer o cadastro de todos os seus torcedores, frequentadores, e ter um controle desse trabalho, tá bom?


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Senhores, obrigado. Obrigado, senhores.