Coletiva-Inauguração da Sala Híbrida do Instituto Dante Pazzanese-20121503

De Infogov São Paulo
Revisão de 14h51min de 19 de março de 2012 por Biacotrim (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Inauguração da Sala Híbrida do Instituto Dante Pazzanese

Local: Capital - Data: 15/03/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha! Hoje é o... Ontem e hoje tivemos um dia aqui de saúde muito importante! Ontem à noite estivemos no CRATOD lá na... No Bom Retiro na Rua Prates, e o CRATOD funcionando 24hs por dia com psiquiatra, psicólogo, enfermagem, auxiliares de enfermagem, enfim, equipes multidisciplinares para atendimento ambulatorial de dependentes químicos, de álcool ou de droga, tabaco, e depois que passou a funcionar 24hs houve um aumento de 50% da procura lá no CRATOD, e nove leitos de observação, então, têm atendimento ambulatorial e tem atendimento, também, de internação. E uma outra novidade: criamos 11 leitos no Lacan, em São Bernardo do Campo, só para mulheres grávidas, então mulheres grávidas dependentes químicas com atendimento especializado visando o seu pré-natal, os cuidados com a criança e ao mesmo tempo ginecologista, obstetra e ao mesmo tempo tratamento da dependência química. Hoje, nós temos, infelizmente, às vezes meninas, não é? Muito jovens grávidas viciadas em crack ou outras drogas, então um tratamento especializado. E 11 leitos mais no Lacan de São Bernardo só para mulheres grávidas em tratamento de dependência química, até porque muitos medicamentos têm interferência com o feto. De outro lado, aqui hoje ficamos muito felizes, aqui no Dante Pazzanese quando inaugurada a primeira sala híbrida, uma das primeiras certamente do país! Você tinha a intervenção percutânea, os cateterismos, não é? O cateterismo para poder obstruir uma coronária, para poder fazer uma coronariográfica, o exame, e tinha a cirurgia aberta, não é? Para abrir o tórax e fazer a cirurgia aberta. Agora à sala híbrida permiti unir às duas coisas, a atividade percutânea intervencionista, as intervenções menos invasivas e de outro lado, a cirurgia aberta, com u, robô, à sala... Esse conjunto de equipamentos pesa 3,5 toneladas, esse robô permite uma precisão, ele tem oito movimentos importantes, e o doente vai ganhar muito, porque você terá as duas equipes: a equipe cirúrgica, a equipe da hemodinâmica, da percutânea ou da intervenção, do cateterismo, e pode fazer um, pode fazer o outro e pode fazer os dois, por isso chama sala híbrida. O Dante Pazzanese é uma grande escola de cardiologia, hoje tem 400 médicos, doutorados, residência, especializações aqui na casa de ensino. Atendimento ao SUS totalmente gratuito, e ao mesmo tempo um avanço na ciência. Aqui foi na década de 60, feita a primeira coronariografia, pelo professor Eduardo; já mais a frente à primeira colocação de stent, depois o stent farmacológico, os chamados stents tratados, o primeiro do mundo; primeira ponte de safena do Brasil, no final da década de 70, pelo professor Adib Jatene. Enfim, uma casa que orgulha muito os brasileiros de São Paulo, servindo a ciência e servindo as pessoas, reduzindo o sofrimento, prolongando a sua vida, colocando a ciência a serviço da qualidade de vida da nossa população. E tudo custeado pelo contribuinte paulista.

REPÓRTER: Governador, ontem o Governo Federal abriu mão da venda de bebida alcóolica nos estádios durante a Copa do Mundo, e isso abriu uma brecha para que a decisão da FIFA seja negociada estado por estado. Qual vai ser a posição do senhor em relação à venda de bebida alcóolica na Copa?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós sempre entendemos que essas decisões devem ser nacionais, quer dizer, isso é uma postura que você terá que ter de maneira uniforme. Claro que tudo o que nós pudermos fazer para evitar a questão da bebida alcóolica, nós já proibimos para menor de 18 anos, venda, consumo, totalmente proibido, temos uma equipe fazendo esse trabalho permanentemente. Isolamos bebida alcóolica de outras bebidas no self-service, todos os cuidados estão sendo tomados. Nós vamos avaliar isso com mais cuidado, e entendemos que deva sempre se ter, nós temos 12 locais de jogos da Copa do Mundo que deve se ter uma decisão uniforme.

REPÓRTER: Governador, em relação aos problemas ontem nos trens da CPTM e também do Metrô, a gente tem acompanhado sempre as suas agendas o senhor fala em investimentos, principalmente na CPTM, e o que a gente vê são falhas contínuas nos trens. Eu queria que o senhor pudesse dizer o que pode ser feito para poder evitar, não os acidentes, mas as falhas que atrapalham a vida do usuário.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, primeiro uma informação importante mostrando o enorme crescimento de passageiros do transporte metro-ferroviário de São Paulo, que responde por 70% do Brasil. Se pegar o Brasil inteiro, do Oiapoque ao Chuí é 30%, São Paulo sozinho 70%. De 1º de janeiro a 12 de março, do ano passado, de 2011, o Metrô transportou 3,6 milhões de usuários transportados, em 72 dias o ano passado. Este ano, nos mesmos 72 dias, 3,9 milhões de usuários transportados, um aumento de 8,6%. CPTM, janeiro a março – 2,2 milhões de usuários transportados; este ano - 2,65 milhões. Aumentou mais de 20% na CPTM o número de passageiros transportados. Nós queremos aumentar essa capacidade, estão chegando mais trens, trens novos, zero km, tecnologia de ponta. Hoje quatro linhas de metrô simultâneas em obras ao mesmo tempo, Linha 2, Linha 4, Linha 5, Linha 17, outras licitações estão sendo preparadas. Todas as estações reformadas, a parte elétrica, parte aérea. E ontem mesmo... Estamos investindo esse ano R$ 6 bilhões, transporte metro-ferroviário de São Paulo, Metrô e CPTM. E ontem mesmo eu fiz uma reunião, chamei o presidente da CPTM, o presidente do Metrô, as equipes técnicas; ficamos até tarde lá da noite avaliando caso a caso, todas as medidas preventivas, corretivas. Então, as equipes estão todas mobilizadas para evitar este tipo de problema. E estamos investindo para melhorar.

REPÓRTER: Foi coincidência governador? Pode ter sido sabotagem, por exemplo?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, tudo está sendo investigado. Mas nós não vamos nos pronunciar enquanto a gente não tiver as coisas bem claras.

REPÓRTER: Governador, o Metrô disse que é problema pontual. Mas o usuário não está muito interessado em uma justificativa como essa. O senhor concorda?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Claro, óbvio que isso prejudica a população e não pode acontecer. Eu vou te dar um outro dado que é importante, que é o seguinte, nós tivemos somando Metrô e CPTM, considerando, esse é o número... Nesse mesmo período, de 1° de janeiro a 12 de março, nós transportamos na rede metro-ferroviária, 355 milhões de usuários, nesses 72 dias, somando os usuários no período. 422.000 viagens. Então, nós tivemos uma ocorrência, ocorrência de mais de cinco minutos. Uma ocorrência para 16 milhões de passageiros transportados e uma ocorrência para 19.000 viagens realizadas. Claro que o ideal é zero. Então, nós estamos verificando os problemas e atuando firmemente. Por exemplo, nós sabemos que na Linha 9, a Linha 9 ela tem um problema de carga aérea que precisa ser modernizada e ter um investimento. Acontece que o Metrô funciona até meia noite, meia noite e meia, então, as equipes só conseguem entrar 1h da madrugada. Ás quatro da manhã já começa a se preparar porque o trem vai andar. Então, você só consegue trabalhar três por noite, para poder fazer esse trabalho. Então, nós já combinamos assim, que a população entende, se a gente explicar que algum domingo. E explicar com antecedência, com antecedência, que algum domingo nós vamos ter que parar, porque não pode fazer esse trabalho com o trem rodando. E aí, nós vamos ter ao invés de três horas, ter 30 horas de trabalho, nós vamos multiplicar por dez. Então, além de fazer toda a madrugada, fazendo em algum domingo nós vamos poder trabalhar 30 horas a mais na modernização da questão da carga elétrica.

REPÓRTER: Isso foi decidido então na reunião de ontem, que haverá trabalho de manutenção aos domingos no Metrô e na CTPM, é isso?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É. Alguns domingos, mais na CTPM e mais na linha nova.

REPÓRTER: Que é a Esmeralda?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Mais na linha nova. Isso. Alguns domingos, eu acho que a população vai entender, se nós tivermos que parar isso. No mundo inteiro é assim, tivermos que parar para poder aproveitar 30 horas de trabalho. Dá para fazer um trabalho muito mais rápido e mais eficiente.

REPÓRTER: O primeiro já está definido para este domingo? GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Como? REPÓRTER: O primeiro já está definido?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Aí a CTPM vai informar, não vai ser esse domingo. Vai informar com antecedência a população. A população entende se é para melhorar, se é para melhorar, sacrificar, você poder parar um domingo para poder ganhar 30 horas de trabalho ao invés de fazer três horas por madrugada, como está fazendo hoje.

REPÓRTER: Isso vai ser constante assim?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Não todo o domingo.

REPÓRTER: Não é todo? GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, mais CTPM. Mais CTPM. Está bom? REPÓRTER: O senhor que decidiu isso ontem? Já poderia ter decidido isso ontem antes? GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Essas decisões são decisões técnicas das empresas, está bom?

REPÓRTER: Governador, quando que vai sair o IDESP para os professores conseguirem calcular o bônus?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ainda este mês. Eu posso lhe dar depois os dados específicos, Está bom?

REPÓRTER: E vai ser colocado um plano de contingência de ônibus para...

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ah, sim. Claro, claro. Isso é óbvio.

REPÓRTER: Vai ser totalmente interrompido, não é governador?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Uma linha.

REPÓRTER: Uma linha?

REPÓRTER: A Linha 9 – Esmeralda?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, também, talvez não precise ser toda. Se você vai fazer um trecho, então você pode interromper um trecho. Não precisará obrigatoriamente ser a linha inteira. Você pode ir fazendo por etapas esse trabalho.

REPÓRTER: Domingo o dia inteiro ou alguns domingos só?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, aí para no sábado de noite e volta na segunda de manhã.

REPÓRTER: Após essa experiência pode ser então utilizada em outras linhas também?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não. A Linha 9 é a mais, que precisa mais desse investimento forte na questão de rede elétrica e investimentos, não é só manutenção.

REPÓRTER: Como é que vai ser definido qual que vai ser esse domingo?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, aí a CTPM vai informar direitinho, com muita antecedência, explicar para a população. Talvez não precise ser a linha inteira, pode fazer por etapas. É uma questão técnica.