Coletiva-Integração tarifária com as linhas da EMTU, trens da CPTM e SPTrans-20120701

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Integração Tarifária com as linhas da EMTU, trens da CPTM e SPTRANS

Local: Capital - Data: 07/01/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, hoje nós estamos dando um passo importante para a implantação do Bilhete Metropolitano. Beneficiando aqui a região sul, sudoeste da Região metropolitana de São Paulo. Então, todo esse eixo de Parelheiros, esse eixo da Teotônio Vilela, Embu-Guaçu, está aqui até o prefeito de Embu-Guaçu, São Lourenço da Serra, toda essa região vai ser beneficiada e são dois benefícios, o primeiro o cartão eletrônico, evita dinheiro, o mesmo cartão serve para as todas as modalidades, EMTU, SPTrans, quer dizer o ônibus intermunicipal, o ônibus da cidade, CPTM, Metrô, sobre trilhos e o segundo é a economia, então eu vou dar dois exemplos aqui, no caso de alguém que por exemplo sai lá do Embu, ele pega um ônibus da EMTU e ele depois pega o trem por exemplo da CPTM, ele gasta R$ 5,85, ida e volta R$ 11,70, no novo sistema ele vai gastar os R$ 2,90 da EMTU, mais R$ 1,59, ele vai gastar R$ 4,49, ou seja ele vai fazer uma economia de R$ 2,72 por dia, se ele usar esse sistema 25 dias ele economiza R$ 68,00 por mês. Vou dar um segundo exemplo, quem pega EMTU e SPTrans, então pegou o ônibus lá, por exemplo, lá em Embu, R$ 2,95, Pegou o ônibus em São Paulo R$ 3,00, ele gastou R$ 5,95, ida e volta R$ 11,90, ele vai gastar não R$ 2,95, mais R$ 2,90 do nosso EMTU, zero, não tem mais nenhum outro pagamento, então ele vai ter ao todo uma despesa... Aliás, ele vai gastar na volta, ele pode gastar na volta, imagine que ele pegue o ônibus R$ 3,00, então daria R$ 5,90, ele economiza R$ 6,00 por dia, em 25 dias dá R$ 150,00 de economia/mês por pessoa. Então eu diria que o Bilhete Metropolitano, ele melhora a integração do sistema, as pessoas chegando aqui no Grajaú já entram no sistema metro ferroviário, porque já entra aqui no trem e já esta no sistema de metrô, então integra um sistema de pneu e de trilhos, depois o eletrônico, não tem mais dinheiro, no caso da EMTU pode carregar no próprio ônibus, não tem fila nada, e economia, então a economia varia desde R$ 50,00 por mês até R$ 150,00 por mês nos casos maiores. Então, um grande beneficio para a população, uma grande ajuda para quem usa o transporte coletivo, e uma permanente melhora no sistema.


REPÓRTER: Quantas pessoas beneficiadas?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: 7500 pessoas só aqui, por dia. Só completando, nós começamos lá na Barra Funda, essa integração, hoje aqui no Grajaú, que é um centro importante aqui no sul e a próxima: Sacomã, que vai integrar com todo ABC, já integra com todo o ABC.


REPÓRTER: Quando? Previsão quando?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: 60 dias. Nós estamos em janeiro, então até março o sistema está integrado, o Bilhete Metropolitano, Sacomã integrando com os munícios do ABC.


REPÓRTER: Governador, a extensão dos trens da CPTM? [ininteligível] no Grajaú.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, o trem ele estava parado... Isso. Não, ele vai continuar. Ele estava parado lá em... Era Osasco Jurubatuba, ele estava parado em Jurubatuba, aí da outra vez fomos com o governador nós projetamos três estações, Estação Autódromo, Interlagos e Grajaú. Começamos, o Serra entregou. Então estamos aqui em Grajaú, que já é uma estação nova. Vamos licitar agora o projeto executivo, então nós teremos mais duas estações, Mendes e Varginha e depois Parelheiros, então nós vamos levar o trem... Vamos ter mais quantos quilômetros em ferrovia?


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Até aqui em Varginha mais 4,5 km, depois até Parelheiros nós estamos fazendo projeto.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, até Varginha que é a primeira etapa, nós teremos 4,5 km de ferrovia nova e duas estações novas, Mendes e Varginha e quem entra no trem já integra com o sistema de metrô. Porque essa linha aqui que é a Linha 9 da CPTM, ela integra varias vezes com o Metro, ela tem varias integrações com o Metro.


REPÓRTER: Governador, todas as da região metropolitana vão ter essa integração com o bilhete BOM?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O objetivo é integrar os 39 municípios, mas isso vai sendo feito gradualmente.


REPÓRTER: Então por enquanto já temos quantos?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Por enquanto temos os aqui do sul. E a Barra Funda que é uma integração importante.


REPÓRTER: Governador podia mudar de assunto um pouquinho...


REPÓRTER: O inicio das obras do Varginha...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A CPTM nós temos licitando o projeto executivo, o projeto fica pronto em julho, aí nos licitamos a obra, vamos imaginar 90 dias, outubro nós podemos estar começando já obra propriamente dita. Não é uma obra grande, são 4,5 km, duas estações, vamos correr para ficar pronto o mais rápido possível. A CPTM já está chegando a 2,7 milhões de passageiros/dia. E uma outra boa noticia: nós viemos do trem agora, são trens novos, não é trem reformado, é trem zero quilometro, com ar condicionado, melhor torque, melhor sistema de frenagem, melhor motorização, câmeras de vídeo. E nós vamos entregar neste ano agora 42 trens novos, este novo de 2012, cada trem são oito carros, então a gente multiplicando oito por 42, vai dar 352 carros.


REPÓRTER: Para as diversas linhas?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Para as cinco linhas, é Linha 7 que vai para Jundiaí, 8 vai para Osasco, 9 vem aqui para Grajaú, 10 vai para o ABC, 11 vai para a zona leste, Itaquera, e a 12 também para a zona leste, ali para USP Leste. Então 7, 8, 9, 10, 11 e 12, seis linhas, são para essas seis linhas e vamos ter essa que vai ser prolongada e também em julho nós teremos a licitação para o Expresso Aeroporto, o Expresso Guarulhos que será uma linha nova da CPTM, ela vai atender o Conjunto Zezinho Magalhães na CECAP e vai até o aeroporto, Expresso Guarulhos.


REPÓRTER: Governador a gente pode mudar um pouquinho de assunto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pode!


REPÓRTER: Tem uma repercussão hoje na imprensa de que a ação da Polícia Militar, ela se antecipou ao que estava acordado entre Governo e munícipio de São Paulo com relação à desocupação ali na área da Cracolândia. O que aconteceu?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, primeiro destacar a importância desse trabalho. Nós tivemos em dezembro varias reuniões, do Governo do Estado, com a presença do secretário do Desenvolvimento Social, da Saúde, da Justiça, da Segurança Pública e da Casa Civil, eu mesmo coordenei três reuniões. Depois reuniões com a Prefeitura de São Paulo, com a Alda Marco Antônio que estava no Governo; esperamos o prefeito voltar de viagem, com o próprio prefeito e todas as medidas foram elencadas e se aguardou a virada do ano para poder iniciar esse trabalho. Então o trabalho teve inicio, nós já temos 20 fugitivos da Polícia recapturados, tivemos 15 traficantes presos, 1258 abordagens, cinco pacientes internados em hospitais; queria também destacar que nós disponibilizamos como retaguarda para Prefeitura 280 vagas sociais de atendimento social, vaga não é hospital, mas são clinicas na área social e 200 vagas medicas para hospital na área de dependência química. 15 toneladas de lixo foram tiradas daquelas ruas, Senador Dino Bueno, ali naquela região, e esse trabalho continua. Então, o primeiro objetivo ele é social, aparar as pessoas, o crack é uma doença grave que consome a pessoa, acaba levando a morte, então trazer as famílias, amparar essas pessoas, aumentou muito a procura para os abrigos, aumentou a procura pelas tendas, aumentou pessoas que voltaram para seus familiares. O segundo trabalho é médico, o tratamento ambulatorial através dos CAPS ou a internação nos casos mais graves. E o terceiro é policial, é prender traficante e investigação, o crack é borra de cocaína, é resíduo de cocaína, então identificar os laboratórios que estão produzindo o crack a partir de borra de cocaína. Então um trabalho envolvendo todos os setores, que vai ser longo, é trabalhoso, muito integrados com a Prefeitura de São Paulo, quero aqui agradecer a Prefeitura de São Paulo e o Governo nessa retaguarda da área social.


REPÓRTER: Não houve atropelamento então governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, isso já vem sendo trabalhado desde dezembro e nós deixamos que a coordenação fosse da Secretaria da Justiça, Secretaria da Justiça tem um especialista, um médico, o expert nisso, que é professor, que é o doutor Laco. E o trabalho policial pelo comando da Polícia Militar.


REPÓRTER: E isso foi feito com o acordo com o município? Eles sabiam?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente! Aliás, nós fizemos três reuniões com a Prefeitura, inclusive com a presença do prefeito, e a Prefeitura tem dado uma importante... Tem tido uma participação muito importante e esse é um trabalho que precisa estar todo mundo integrado, não é um trabalho fácil, ele é necessário, o Governo não pode ignorar essa achada social e um trabalho permanente, não é “um 15 dias” e acabou então isso é um trabalho que vai ter que continuar por muito tempo. Está bom?


REPÓRTER: Obrigado.