Coletiva-Lançamento do Centro Tecnológico - Data Center Itaú-20122701

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva de Lançamento do Centro Tecnológico - Data Center Itaú

Local: Mogi Mirim - Data: 27/01/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Boa tarde. Boa tarde.


REPÓRTER: Governador, vamos começar a falar sobre a violência nas cidades menores a nossa área de cobertura 46 municípios, sendo que 16.....


MESTRE DE CERIMÔNIA: Espera aí... Só um minutinho...


REPÓRTER: ... Está bem.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Só uma palavrinha antes sobre o evento. Olha, dizer da importância da definição do Itaú Unibanco em construir no Estado de São Paulo e aqui em Mogi Mirim o seu novo centro tecnológico. Um investimento de R$ 807 milhões e que é histórico, porque isso significa que será definitivo. Daqui dês anos ele dobra de tamanho e depois triplica dentro de 20 anos. Será o centro para todas as operações bancárias do Brasil, será o Datacenter aqui em Mogi Mirim. Isso gera perto de 700 empregos, alta tecnologia, R$ 800 milhões de investimento, importante para toda região e para o Estado de São Paulo, uma boa conquista, importante conquista que já deverá ser inaugurada em menos de três anos.


REPÓRTER: Então, o que eu estava falando sobre a violência, que ela tem migrado das cidades menores. Pelo menos 16 municípios da nossa área de cobertura têm menos de 16 mil habitantes e alguns até os policiais dizem que traçam prioridades para ver os casos mais graves por falta de efetivo. Existe algum plano de Governo de ampliar o efetivo nessas cidades menores?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, existe. Nós teremos, nós já tivemos nesse ano que passou 6 mil policiais militares a mais. Então eu diria que o contingente da Polícia Militar ele é hoje importante. Se a gente incluir os soldados temporários, nós estamos chegando a 98 mil policiais militares. Aliás, quase 300 municípios do Estado de São Paulo, dos menores, o ano passado, não tiveram nenhum homicídio, foi zero o homicídio, metade quase do Estado de São Paulo. Que são exatamente os municípios menores. A região de Campinas, o DEINTER de Campinas, o número de homicídios caiu de 308 para 280, foi 9% a redução no ano passado e já vinha em uma queda importante. Nós teremos, nós já nomeamos perto de mil investigadores e escrivãs de polícia porque a falta maior de policiais é na Polícia Civil e eles já estão fazendo a escola que é obrigatória, a Academia de Polícia. Então, agora em maio eles já vão ser distribuídos. Então as cidades que estão com claros, que estão em falta, são aquelas que vão receber os escrivães e os investigadores. E já abrimos o concurso para 140 delegados de polícia. Nós vamos ter a Polícia Civil mais fortalecida. E com a passagem, a retirada do DETRAN da Polícia para a Secretaria de Gestão, o Poupa Tempo, nós vamos liberar também um grande número de delegados e de policiais civis para a sua atividade de segurança pública, sua atividade e fim.


REPÓRTER: ... De Mogi Guaçu.


REPÓRTER: Há possibilidade de transferir para outro município ou para uma região distante do distrito industrial?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, duas observações. A primeira sempre a gente procura unidade prisional colocar mais distante de área urbana, de moradias e tudo isso. Então a localização é sempre possível discutir, conversar, buscar a melhor solução. A outra é um CDP feminino. Eles são absolutamente tranquilos. Primeiro o número de presas é muito menor, hoje nós temos 7% só da população carcerária de mulheres e elas são mais tranquilas. A gente nunca tem problemas, raramente tem problema em CDP feminino, mas eu vou pedir ao Secretário da Administração Penitenciária para que verifique sim essa questão da localização.


REPÓRTER: Governador...


REPÓRTER: A concessão da rodovia sobre o contrato de desmembrar o pedágio de Jaguariúna e o pedágio de Mogi Mirim.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, nós já começamos pela Rodovia Santos Dumont. Então já estão sendo instalados os arcos, as antenas e a gente imagina em 30, 40 dias já estar começando o pedágio ponto a ponto na Rodovia Santos Dumont. É isso que nós pretendemos fazer na São Paulo-340. Aí não precisa fazer outro pedágio, outro prédio, aquelas construções enormes de concreto é só pôr os arcos e você ter o chip eletrônico e gratuito para a população, sem cobrar nada. Isso está caminhando. A primeira rodovia vai ser a Santos Dumont e a segunda vai ser a São Paulo-340. Nós entramos na Justiça, fizemos uma ação administrativa porque entendemos que houve um descumprimento do Edital, mas pode haver um entendimento no sentido de buscar uma boa solução. Aguardar um pouquinho que a ARTESP vai se manifestar sobre isso.



REPÓRTER 1: Governador, de um novo pedágio em Mogi Mirim para poder reduzir um pouco valor para que lá em Campinas...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Terá. Terá. É que não precisará fazer um novo prédio se você puser ali um arco eletrônico e todo mundo tiver o chip você já dividiu o pedágio. Será mais do que ter dois pedágios, será ponto a ponto. Quem utiliza menos, vai pagar menos a rodovia.


REPÓRTER: Governador, ainda em relação ao Presídio de Mogi Guaçu, é uma decisão irreversível?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, você tem uma questão: nós estamos chegando a 182 mil presos. Aumentou três mil presos em 60 dias, praticamente. Então nós temos que ter responsabilidade. O que é que a gente procura fazer? As unidades prisionais ficarem mais distantes de área residencial e, no caso de Mogi Guaçu, como ela é feminina ela, praticamente, não cria maiores problemas. E sempre procurar estabelecer um diálogo com a comunidade.


REPÓRTER: O senhor falou sobre o policiamento civil, mas e com relação ao policiamento militar e os moradores dessas cidades menores reclama da falta das rondas mesmo dos militares por falta de efetivo.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, nós teremos mais uma formatura agora em março ou abril da Polícia Militar. Agora se a gente for verificar a designação de policiais não é política no sentido... Ela é técnica, quer dizer, a polícia tem um contingente e ela procura direcionar esse contingente para onde há mais necessidade de presença policia. Aonde que a situação de segurança é sempre mais estressante? São as regiões metropolitanas, periferia das regiões metropolitanas, então a gente procura reforçar a polícia nesses locais. Mas não nos descuidando das cidades menores. Tanto é que quase 300 municípios não teve no ano passado, nós encerramos agora 2011, nenhum caso de homicídio.



REPÓRTER: ... Contempladas com policiais militares que são as cidades que apresentaram bastante problema nos últimos tempos.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu posso depois... São Pedro e Charqueado. Eu posso depois lhe passar PM e Civil. Eu peço para o nosso assessor e ele lhe passa porque eu não tenho de cabeça cidade por cidade.


REPÓRTER: Agora sobre déficit habitacional também em Sumaré, Campinas a região tem déficit habitacional...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, boa notícia...


REPÓRTER: Em relação à CDHU...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Deixa eu dar uma boa notícia. Nós precisamos ganhar tempo e a maneira de ganhar tempo é fazer com iniciativa privada. Ela é mais rápida, não precisa fazer licitações, ela é mais ágil. Qual que é o grande problema? O “Minha Casa, Minha Vida” que usa dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para poder financiar o sistema financeiro de habitação ele é limitado a R$ 65 mil. E nas cidades pequenas você consegue fazer uma casa ou um apartamento com R$ 65 mil. Mas nas grandes cidades como Campinas, São Paulo, as regiões metropolitanas, é difícil você fazer um apartamento pagando terreno, infraestrutura, o prédio, entregar com a chave na mão por R$ 65 mil. Então nós assinamos com a Presidenta Dilma, nós nos responsabilizando por mais R$ 20 mil a fundo perdido para a população de menor renda, um salário mínimo, dois salários, três salários. Então são 100 mil unidades que nós vamos fazer; “Minha Casa, Minha Vida” o Governo colocando R$ 20 mil por unidade; R$ 2 bilhões e priorizando regiões metropolitanas. Então agora a iniciativa privada sai indo atrás de terreno. Nós já estamos viabilizando terrenos nossos para 12 mil unidades iniciais. E a meta é fazer 100 mil só com o “Minha Casa, Minha Vida” fora o que a CDHU vai ela própria fazer sozinha. Nós já temos 50 mil em construção. Agora, como nós vamos ter o setor privado construindo isso vai dar mais agilidade ao programa e priorizar quem não tem casa e famílias de menor renda.


REPÓRTER: ... Em torno de Campinas foram contempladas como Valinhos e Sumaré, Hortolândia...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não só serão contempladas como serão prioritárias. Por isso que nós pusemos R$ 20 mil a mais. Porque senão só iria fazer casa ou apartamento em cidade onde o terreno é baratinho. E aí onde você mais precisa não iria ter. Então nós colocamos exatamente para chegar ao teto de R$ 85 mil por unidade para viabilizar nas regiões metropolitanas onde o terreno é mais caro e precisa mais.

REPÓRTER: Isso a partir de quando, Governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A partir de ontem. Nós já assinamos há 20 dias com a presidente Dilma, o convênio já está publicado e o setor privado já está indo atrás dos terrenos. E onde nós temos terreno nós estamos oferecendo.


REPÓRTER: Obrigado.


REPÓRTER: Obrigada, viu?