Coletiva-Reunião com o ministro dos Transportes, Paulo Passos, e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho-20120402

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Reunião com o ministro dos Transportes, Paulo Passos, e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho

Local: Capital - Data: 03/02/2012

REPÓRTER: Governador, o que foi discutido, exatamente, sobre o trem bala, e a posição de São Paulo em relação a esse projeto. Senhor poderia dar detalhes sobre isso, dessa conversa?


GOVERANDOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a posição de São Paulo, é totalmente favorável ao TAV, ao Trem de Alta Velocidade, que é um projeto estruturante, organizador da macro metrópole, Campinas, São Paulo, Rio de Janeiro, Vale do Paraíba, Paulista e Fluminense; então um projeto estruturante, organizador da macro metrópole, integrando modais. Modal ferroviário de qualidade, de excelência, de passageiros com os aeroportos, os principais aeroportos da região sudeste. Nós vamos trabalhar juntos através da Emplasa, também, na requalificação urbana das regiões metropolitanas: Campinas, São Paulo, São José dos Campos, no trecho, aqui, de São Paulo. Acessibilidade, as pessoas querem ganhar tempo. Então, acesso: metrô, sistema viário, enfim, de forma bastante integrada. Então foi uma reunião de trabalho muito positiva. Quero aqui agradecer ao ministro Paulo Passos; o presidente do BNDS, Luciano Coutinho; presidente da ANTT, doutor Bernardo. E os nossos secretários, todos participaram, para a gente ter uma ação bastante integrada, complementando as ações do estado e as ações do governo federal.


REPÓRTER: O estado tem uns projetos de ligação com Sorocaba, Campinas e São José. Esses projetos [ininteligível].



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não... Nós não queremos nenhum projeto concorrente. Então, Sorocaba está fora do TAV, São José dos Campos nos não vamos fazer. São José é o TAV. Nós vamos fazer o nosso trem da CPTM, para Guarulhos que não concorrem do TAV e fazer também Jundiaí, porque nós já temos trem em Jundiaí. É uma demanda diferente. Então, Campinas não. Então, eles não... Eles se complementam. Eles não concorrem, são projetos complementares e importantes.



REPÓRTER: Qual que é a participação do estado com infraestrutura?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O estado, nós vamos... O TAV é um investimento federal e privado, federal e privado. O governo do estado vai participar com a qualificação urbana; metropolitana; acessos, você precisa chegar nas estações; questão metro ferroviária do metrô, enfim, as questões ambientais. Tudo que nós pudermos colaborar nós vamos colaborar. É um projeto muito importante na organização da Macro Metrópole. O mundo moderno é um mundo urbano e metropolitano. Então, nós temos que nos antecipar a isso para ordenar à macro metrópole, organizá-la, não é? Organizar a macro metrópole Rio/São Paulo e aqui junto também, Campinas.



REPÓRTER: Governador, a ligação do Brás com o Aeroporto de Cumbica também não concorre...



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Não concorrer, está mantida. Ela vai atender Cecape, que é uma região muito importante de Guarulhos. Vai atender o Aeroporto e vai depois para o bairros dos Pimentas, Vila São João. É outro tipo de usuário.


REPÓRTER: Governador, São Paulo tem algum pleito em relação à posição das estações do trem de alta velocidade, ou não?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Essa é uma discussão técnica, não é? Que os nossos secretários vão discutindo junto com o Governo Federal.


REPÓRTER: Houve alguma atualização dos prazos nessa reunião de hoje, ou não?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu vou pedir aqui para o ministro, o Luciano, pode dar uma palavrinha. |