Coletiva-Visita às obras da futura ETEC de Esportes-20122302

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da EVisita às obras da futura ETEC de Esportes

Local: Capital - Data: 23/02/2012

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Olha, essa é a primeira ETEC, talvez do Brasil, chamada ETEC de Esportes. Então nós vamos formar aqui na ETEC, técnicos na área esportiva e na atividade física. Fizemos um convênio com a Fundação de Letras. Já começamos com 30 alunos, um projeto piloto, que estão estudando no Parque da Juventude, na ETEC das Artes, lá no Parque da Juventude, curso técnico de um ano e meio enquanto o prédio não fica pronto aqui, o prédio. É um projeto belíssimo, do arquiteto Ruy Ohtake, que prevê aqui, biblioteca especializada, quadras poliesportivas, vôlei, basquete, futebol de salão, futebol society, ginásio poliesportivo, laboratórios para judô e mais atividades esportivas, quadra de tênis também. Enfim, os esportes radicais. Então, o nosso aluno da ETEC do Esporte vai poder trabalhar em clubes, academias, ONGs, hotéis, acampamentos, navios, Prefeituras, Governo do Estado, setor privado... O profissional do esporte gera muito emprego, muita oportunidade de trabalho e de renda, e vão sair muito bem treinados. Aliás, a Fundação Gol de Letra está financiando uma coordenadora nossa, para ir para a França, porque a França tem um modelo semelhante a esse. Muito verde aqui na área, ciclovia e todo o tipo de atividade esportiva. E um centro de integração voltado para a comunidade aqui da Vila Maria. Então é uma escola, é uma ETEC do esporte e é aberto à comunidade. O curso técnico de um ano e meio e cursos livres. Então você faz um curso de judô, faz um curso de outras atividades, tênis de mesa, lutas, você faz esportes radicais, você faz além do curso técnico de um ano e meio, você faz também cursos livres. 72 mil metros quadrados de área, aqui nesta região, com bastante verde e voltado ao esporte. Já São Paulo se preparando para a Copa do Mundo e para as Olimpíadas e integrado também à comunidade aqui do bairro. Nós, a ETEC, já abriu a primeira turma lá na ETEC das Artes, no Parque da Juventude, para já ir tendo um projeto piloto para poder modelar bem o currículo do curso. E, em fevereiro, começa a funcionar aqui neste prédio. Mas nós esperamos estar com todo essa ETEC do esporte pronta até setembro, outubro. Então, já começa a abrir para comunidade no fim do ano e, no ano que vem, a ETEC e os cursos livres funcionando aqui na Vila Maria, aqui na Marginal do Rio Tietê. Nós poderemos ter quantos alunos lá?


ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Mil alunos em cursos técnicos e mais mil alunos...


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Então, mais de dois mil alunos. Mil alunos em cursos técnicos, que é a ETEC, pós-média, pós-médio ou concomitante, integrado, e mais de mil em cursos livres. Então, um belo projeto. São Paulo se preparando aí para a Copa, nós teremos aqui também muitos laboratórios, informática, idiomas, então é a parte esportiva, mas é voltado ao profissional do esporte, então, se ele... Segunda língua, informática e toda a parte voltada à qualidade de vida, à fisiologia e à atividade física e esportiva.


JORNALISTA: Governador, na esteira do projeto da ficha limpa, a Câmara Municipal pretende votar um projeto que proíbe a nomeação para cargos de confiança de alguns servidores, secretários na esfera municipal. Parece que o Governo do Estado também tem um decreto de que está programado para março, é isso mesmo a assinatura do projeto que proíbe esses servidores de entrarem..


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: A Procuradoria Geral do Estado, nós estávamos aguardando a decisão judicial e nós vamos agora formatar o nosso decreto estadual. Pronto, ele vai ser divulgado e vai ser publicado, mas ele vai valer daqui para frente e daqui para trás.


JORNALISTA: Então é retroativo?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Exatamente, então ele vale para o futuro e vale também... Não é só para os novos funcionários, é para todos.


JORNALISTA: Nas condenações já passadas então também valem?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Valem, valem.


JORNALISTA: Esses funcionários vão ser exonerados? É isso?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Claro, claro. Quer dizer, não é uma lei dizendo: “Olha, nós vamos aplicar a regra daqui para frente”, nós vamos aplicar regra, ela vale para todos. Daqui para frente e para trás. Eu acho que mais um mês, mais ou menos, já deve estar fechado.


JORNALISTA: Bom dia, tudo bem? Mudando um pouquinho de assunto. Vamos falar sobre a superlotação de presídios? O Senhor acredita que as apenas alternativas são a solução, para resolver esse problema?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Eu vejo três medidas importantes. A primeira delas é ampliar o sistema penitenciário. Nós estamos hoje, com 15 unidades em construção simultânea e, uma grande dificuldade na localização, porque em toda cidade há uma recusa. Então você tem muita dificuldade jurídica, mas já superamos essas dificuldades e temos 15 simultâneas em construção e mais 12 em projeto. A segunda é a liberdade assistida, ou seja, é a semiliberdade. O preso, ele só dorme na penitenciária, mas ele pode trabalhar. E a terceira são penas alternativas. Quando você analisa 184 mil presos, que é o que São Paulo tem hoje, nós temos 22% da população brasileira e 37% da população carcerária... Vê que há desiquilíbrio. Então eu entendo para que muitos casos, o Poder Judiciário poderia propor as penas alternativas. Eu acho que é um bom caminho para a recuperação. E hoje, nós acabamos de autorizar 305 médicos, abrimos um concurso público para 305 novos médicos no sistema penitenciário e pretendemos, agora em março, apresentar o nosso projeto do novo plano de carreira dos médicos. Hoje há uma falta de médico generalizada; Município. Estado e União. Então, nós estamos propondo um novo plano de carreira para o médico, para poder não ter falta de médico no sistema de saúde e vale também, para o sistema penitenciário.


JORNALISTA: Governador, o PSDB diz que abriria mão de uma vice, candidato a vice em uma chapa com o PSDB aqui em São Paulo. O DEM agora indicou também que abriria mão se o candidato for o Serra. Essa [ininteligível] é uma alternativa para o PSDB?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Olha, primeiro, as coisas estão caminhando bem, vamos aguardar aí o caminhar da evolução, quem conduz esse processo é o partido, não é Governo. Isso é um assunto partidário e o Júlio Semeghini já está voltando nos próximos dias e vai conduzir bem esse processo. As prévias estão marcadas para o dia quatro de março, não houve nenhuma alteração, nenhuma mudança, está tudo caminhando bem e nós vamos trabalhar... Quem for o candidato, seja quem for o candidato, ter um forte arco de alianças para vencer a eleição. Um forte arco de alianças baseado em um programa de Governo, uma proposta para a cidade de São Paulo para servir à população de São Paulo.


JORNALISTA: Quando o senhor deve conversar com o ex-governador José Serra? Estava marcado para este carnaval, mas ele foi para Buenos Aires com o Matarazzo, quando deve ser marcada uma reunião?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Não, nós conversamos sempre, tá bom? Tem um café aí.