Coletiva - Ampliação do Incor - 20121311

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Ampliação do Incor

Local: Capital - Data: 13/11/2012

GOVERNADOR DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN (PSDB): Olha, três boas notícias para a saúde, a primeira o Hospital das Clínicas, o Pronto Socorro do Instituto Central a obra já está terminando, termina agora em dezembro, isso vai permitir separar os pacientes verde, amarelo e vermelho. Ou seja, pacientes menos graves, dos intermediários, dos pacientes gravíssimos, inclusive fisicamente de ter mais rapidez e humanização nesse atendimento. Então um grande investimento no Instituto Central do Hospital das Clínicas, que aliás aonde chegam os helicópteros Águia com os casos de trauma e casos cirúrgicos. Então a obra já ficando pronta agora em dezembro, e a última etapa nós entregaremos no primeiro semestre do ano que vem. Aqui no Incor o estrangulamento é o pronto-socorro também, a emergência, então nós vamos construir o bloco 3. O bloco 1 é de 1997, o bloco 2 é do ano 2000, e o bloco 3 começa agora. Um investimento de R$ 32 milhões, e teremos aí toda a parte de humanização, maior atendimento de emergência, hemodinâmica, Hospital Dia, então uma grande conquista na área da cardiologia. Também autorizamos recursos para quase dobrar UTI pediátrica para as crianças aqui também do Instituto do Coração. Só mais uma palavrinha sobre saneamento.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: O senhor falar, governador, a respeito da importância de se contribuir para se ter o saneamento e também a respeito do programa Se Liga na Rede, que está incentivando, subsidiando as obras para que as pessoas possam se ligar a rede de saneamento básico.


GOVERNADOR DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN (PSDB): Saneamento é saúde nós precisamos aumentar a coleta e tratamento do esgoto, além de garantir água de qualidade. Então o que é que nós observávamos? Grandes investimentos no projeto Tietê, o projeto Tietê 3, adutoras, redes de esgoto, emissários, estações de tratamento de esgoto, mas a pessoa não ligava a sua casa na rede por falta de R$ 1.800,00 pra pagar o pedreiro, pra comprar o material pra fazer a ligação. Então nós criamos um programa chamado Se Liga na Rede, então as famílias até três salários-mínimos, o governo vai pagar a ligação. Então as equipes da Sabesp vão casa por casa, põe lá um corante no vaso sanitário, checam se o esgoto está indo realmente para a rede, se não estiver e a família ganhar menos de três salários imediatamente é feita, já tem uma empresa contratada, é feita a ligação. Senão não adianta investir um bilhão, R$ 1,5 bilhão e o esgoto continuar indo para o rio, continuar indo para as nossas várzeas. Então é um programa importantíssimo que está em pleno andamento aqui na região metropolitana de São Paulo.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: o que o senhor espera a partir de segunda-feira, governador, com o acordo [ininteligível], o que é que a população vai sentir já de mudança?


GOVERNADOR DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN (PSDB): Nós temos cinco medidas já em andamento, a primeira que é a transferência de presos, ela já ocorreu e agora vai ser implementada ainda mais, mas já está acontecendo. Não se divulga por questão de segurança nome nem data de transferência. A segunda é o centro de controle e comando que o governo está investindo R$ 60 milhões, ele ficará pronto antes da Copa do Mundo, e o governo federal também vai liberar recursos pra esse trabalho conjunto. O terceiro a Agência Atuação Integrada na área de inteligência, que é informação, seja da Polícia Federal, seja das forças armadas, enfim, com as nossas informações de inteligência. A quarta é a contenção, que é o que começará dentro de alguns dias. Ou seja, é bloqueio nos pontos estratégicos pra evitar a entrada de droga e entrada de armas no estado. Então é a contenção, que vai trabalhar junto Polícia Rodoviária Federal, Rodoviária estadual, Polícia Civil de São Paulo, Polícia Federal, Receita Federal, Receita Estadual, todo mundo junto nesse trabalho. E finalmente o Instituto Criminalística, nós temos o melhor instituto criminalista do país e vamos fazer um núcleo especializado no DNA da droga pra identificar a origem da droga , é da Bolívia, do Paraguai, do Peru, de onde está vindo. Então verificar o DNA da droga e o Sisbala, que é a possibilidade de você identificar pelo projétil a arma de que saiu, então você identifica quem atirou, de quem é a arma e o tipo de arma. Enfim, são ações importantes que já estão sendo implementadas, e essa da contenção é a que deve começar dentro de mais uma semana.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Obrigado, governador.