Coletiva - Anúncio da Abertura das Inscrições para projetos da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte 2012 - 20120208

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva no Anúncio da Abertura das Inscrições para projetos da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte 2012

Local: Capital - Data: 02/08/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Primeiro dizer da alegria de termos tido aqui conosco um gênio da área, o maior ataque da história do peixe, do Santos, Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe, e o Coutinho era tabelinha com o Pelé, foi o gênio da área, não é? Ganhei aqui do Coutinho, que teve aqui presente, está presente aqui conosco, aqui em Paraisópolis, esse belo livro aqui para gente lembrar dessa genialidade desses craques do futebol. Ontem tivemos a boa notícia dos 20 centros de treinamentos de São Paulo, dos 54 já listados pelo catálogo para centro de treinamento do comitê local do COL. Nós acreditamos que nós vamos passar de 20 para 30, porque não fechou ainda a entrada no catálogo, acho que nós vamos... Nossa meta é chegar a trinta centros de treinamento para que as seleções do mundo escolham os seus centros de treinamento no Brasil. Depois, hoje aqui, a abertura da inscrição para lei de incentivo ao esporte, amanhã começa a inscrição, 3 de agosto, será publicada no Diário Oficial, assinamos hoje, e vai até 5 de setembro. São sessenta milhões de reais, quem pode pleitear a lei de incentivo são as entidades privadas sem fins lucrativos: fundações, institutos, organizações não governamentais. Aqui, por exemplo, nós temos setecentos jovens aqui em Paraisópolis, no futebol, no judô e no rugby. Então, as entidades entram com os projetos, apresentam os projetos, o máximo é um milhão e cem, 60mil o Vésper, se for ligado a Copa do Mundo, poderá chegar a 120 mil o Vésper, 2,2 milhões, ou entidades públicas tipo prefeitura. E com isso nós temos uma bela oportunidade de contra turno, de escolas de esporte, melhora a educação, melhora a saúde, diminui a violência, melhora a autoestima do jovem, enfim, é tudo de bom, e com boas parcerias, e através da lei de incentivo. Então as empresas ao invés de pagar o ICMS, elas podem uma parte desse dinheiro financiar esses bons projetos, custo zero para empresa e paga as entidades para poder desenvolver atividades esportivas, especialmente em comunidades carentes. E aqui em Paraisópolis, com a Associação Palmeirinha, onde nós estamos aqui nesse belo campo, nós autorizamos o esporte social, então seis jovens passam a fazer parte também do esporte social, financiado pelo governo, que é o chamado contra turno: estuda num período e no outro período pratica atividade esportiva.


REPÓRTER: É anual, governador, para saber, é anual?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Anual.


REPÓRTER: Governador, aproveitar que o senhor está aqui em Paraisópolis, gostaria de saber se o Monotrilho está garantido, aqui?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Está garantido.


REPÓRTER: Está garantindo!


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A Linha-17 do metrô a primeira fase é de Congonhas até a Estação Pinheiros da Linha-9 da CPTM, então essa é a primeira etapa já está em obra.


REPÓRTER: Então está garantida, palavra do governador!


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Está garantida, está garantida! Então a primeira fase sai de Aeroporto de Congonhas e vem para Estação de Pinheiros, então nós vamos integrar o Aeroporto de Congonhas com o trem com a Linha-9 da CPTM, e no meio integra com a Linha-5 do metrô que é a linha que sai de Santo Amaro e vai para Chácara Klabin, lá na Água Espraiada. Então, nós vamos ter o Aeroporto de Congonhas com o monotrilho ligado ao metrô a Linha-5 e ligado a CPTM a Linha-9, aí ele cruza o Rio Pinheiros e vem para Paraisópolis, e de Paraisópolis, ele vai para Linha-4 do metrô e lá na Estação São Paulo... Morumbi-São Paulo, então ele tem três integrações importantes: ele integra com a Linha-5 que está em obra, com a Linha-9 da CPTM que é a Marginal do Rio Pinheiros uma das mais importantes, cruza o Rio Pinheiros e integra com a Linha-4, cuja estação de metrô deve ser inaugurada em 18 meses que é a estação que vai atender o Estádio do Morumbi, a Estação Morumbi-São Paulo.


REPÓRTER: Governador, outra questão aqui em Paraisópolis levantada pelo [ininteligível] Santos, foi à questão do hospital, vez que nós temos 100 mil habitantes aqui nessa comunidade. Como é que o senhor vai se posicionar em cima dessa demanda?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós já temos um hospital estadual aqui ao lado, que é o Hospital Darci Vargas. Esse é do estado, o estado mantém. Até quando fizemos uma grande reforma no Hospital Darci Vargas, uma modernização. Agora, nós estamos estudando junto com o município toda questão de leitos, porque precisa ter boa resolutividade às Unidades Básicas de Saúde, o atendimento primário. Depois os AMEs, nós pretendemos ampliar os AMEs aqui em São Paulo, fazer uma forte ampliação do atendimento ambulatorial. E aí, os hospitais, o leito de retaguarda. Então, é preciso verificar quais as áreas onde a demanda é maior. Não está excluído, não.


REPÓRTER: Governador, ontem, um comandante da reserva da PM, ele sofreu uma tentativa de assalto em frente à residência. Aí, eu gostaria que o senhor comentasse, tanto que a ROTA acabou matando os três bandidos, essa perseguição ainda aos policiais e a questão da segurança.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, é preciso avaliar se você tem casos que podem ter sido exclusivamente para atacar a polícia, eu acho que tivemos alguns casos há um mês atrás, e tem caso de tentativa de roubo. E quando há caso de tentativa de roubo, o militar geralmente ele está armado, e acaba reagindo, porque à vezes ele também pode ser... Se o criminoso souber que ele é militar, às vezes mata. Então, acabam sendo casos mais graves. Mas é preciso aguardar o trabalho do DHPP e o trabalho de investigação para verificar qual foi a causa. Talvez tenha sido uma tentativa de roubo. E acaba terminando em confronto, porque aí percebe que era um policial. Então nós temos tido alguns casos que a pessoa tenta roubar, e o policial reage.


REPÓRTER: Governador, aqueles policiais que mataram aquele rapaz da Zona Oeste, eles chegaram a simular que o menino tinha entrado em confronto com eles, eles podem ser expulsos, dependendo da [ininteligível] da Corregedoria?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, se for comprovado o procedimento, eles serão expulsos da Polícia Militar, continuaram presos e responderão a processo civil e criminal. Então, é inaceitável. Aliás, a Corregedoria da Polícia, ela é muito firme. E hoje, todo caso desse tipo, quem faz o trabalho é o DHPP, é o Departamento de Homicídios da Polícia Civil. Então é tolerância zero com qualquer tipo de abuso.


REPÓRTER: Aqui em Paraisópolis nós temos a ETEC, só que a ETEC, ela tem uma demanda para outros cursos, seriam cursos mais voltados para áudio, rádio e TV, enfim. Eu gostaria de saber assim, e também a questão de professores também, que nas ETECs aqui e Paraisópolis nem sempre o quadro é completo, então...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos aqui na ETEC Abdias do Nascimento... Nós temos aqui o curso de segurança do trabalho e temos o curso de contabilidade. E podemos ampliar o número de cursos. E temos aqui do lado, na ETEC Roberto Marinho, o curso de multimídia e áudio e vídeo, inclusive com todos os equipamentos, laboratórios [falha no áudio] toda região e distribuindo os cursos. Um aluno quer um curso, tem uma opção aqui, o outro quer outro curso, tem outra opção lá. Então nós temos multimídia e áudio e vídeo na ETEC Roberto Marinho, ali na Água Espraiada, e temos aqui na ETEC Abdias do Nascimento, em Paraisópolis contabilidade e segurança do trabalho. Mas podemos ampliar.


REPÓRTER: Então, por exemplo, o curso de enfermagem, por exemplo.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esse é um curso que tem muita demanda. Podemos sim.


REPÓRTER: Então, é uma demanda da comunidade, governador. Essa é uma demanda. E outra demanda a questão da quantidade de...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Enfermagem...


REPÓRTER: Uma outra demanda, poderíamos pensar... Temos 100 mil habitantes, poderia ser, por exemplo, ao invés de ser uma ETEC, uma FATEC, pensando na questão do nível superior. Não só o técnico.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A gente sempre procura ir distribuindo as faculdades na cidade. Então, Zona Leste, tem a FATEC lá de A.E. Carvalho, hoje tem já uma segunda FATEC; na Zona Norte, nós temos também; na Zona Sul, aqui no Jardim São Luiz. Então a gente vai distribuindo para que a cidade toda fique coberta. Nós vamos verificar o número de FATECs e a proximidade aqui da região. E já anotei a questão da enfermagem, porque enfermagem hoje tem muita demanda, tem muito emprego na área de saúde. O setor de serviços é o que mais hoje abre postos de trabalho. Então muita demanda na área de enfermagem.


REPÓRTER: Graças a lei paulista de incentivo ao esporte... Primeiramente, [ininteligível], governador, essa lei tão importante que nos ajudou bastante a ampliar nossas atividades.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, uma alegria saudar a todos os amigos, dizer que nós estamos lançando hoje a lei de incentivo aos esporte 2012. As inscrições começam amanhã, começarão no dia 3 de agosto e vão até 5 de setembro. Serão R$ 600 milhões para os melhores projetos, projetos que incentivem o esporte para melhorar a educação, contra turno escolar como você citou aqui o trabalho da Ane. O esporte melhora a saúde, melhora a disciplina, combate a violência, só trás coisa boa, não é? Melhora a autoestima do jovem, a gente vê, é entretenimento, é lazer. Eu assisti aqui em Paraisópolis uma demonstração de judô, um pessoal muito bom! Tem meninas também, ótimas! Futebol, que é a paixão nacional e rugby, o pessoal craque aqui também de rugby. Acabei de ver aqui na Associação de Moradores aqui de Paraisópolis um belo projeto do balé, aí incentivado pelo Proac pela lei da cultura e também a orquestra sinfônica. Então eu diria que a cultura e o esporte são os melhores caminhos que nós temos para poder levar uma atividade de lazer e de educação para a juventude.


REPÓRTER: Um dado importante sobre essa lei paulista de incentivo ao esporte pelo ICMS no nosso entendimento ela prestigia as ONGs sérias que tem capacidade de gerenciamento desses recursos, são recursos públicos afinal de contas, não é? Eu gostaria que o senhor falasse para gente da necessidade da profissionalização dos profissionais envolvidos em todo esse processo.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu vejo que uma boa notícia do nosso tempo é a organização da sociedade civil, quer dizer, a sociedade civil organizada. E aí vem o chamado terceiro setor, quer dizer, institutos, fundações, associações, ONGs que não tem fim lucrativo e que são grandes parceiras dos governos municipal, estadual e federal para poder levar boas políticas públicas à comunidade, comunidades carentes, quem mais precisa melhoras a qualidade de vida da população. E você colocou bem, como se tratam de recursos públicos eles precisam ser muito bem aplicados, e o segredo dessa parceria é a seriedade desse trabalho e nós termos boas entidades da sociedade civil para poder executar esse trabalho em benefício da população.


REPÓRTER: Governador, muito obrigado! Fica esse agradecimento público ao Governo do Estado por essa ferramenta tão interessante, nosso agradecimento público também ao secretário Benedito Fernandes que nos auxilia muito e toda a equipe da Secretaria, muito obrigado!


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Muito obrigado, um grande abraço a todos!