Coletiva - Anúncio da Ampliação do Programa Creche Escola na Capital - 20121107

De Infogov São Paulo
Revisão de 09h07min de 12 de julho de 2012 por Biacotrim (discussão | contribs) (Criou página com ''''Transcrição da coletiva do Anúncio da Ampliação do Programa Creche Escola na Capital''' '''Local: Capital - Data: [http://infogov.imprensaoficial.com.br/index.php?ti…')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva do Anúncio da Ampliação do Programa Creche Escola na Capital

Local: Capital - Data: 11/07/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós assinamos o segundo convênio entre o Governo do Estado e a Prefeitura de São Paulo, com o prefeito Gilberto Kassab. Nós criamos um programa chamado Creche Escola, já assinamos convênios com 491 municípios do Estado de São Paulo, ano passado, e esse ano. Já são R$ 290 milhões investidos e mais de 25 mil vagas criadas em creche. A Prefeitura entra com o terreno, e o Governo libera o dinheiro para construir a obra e o equipamento. Crianças de zero há até três anos e onze meses. E tem uma importância educacional, que as crianças já vão se sociabilizando, avançando na área cognitiva, e, de outro lado, social, cuidar das crianças menorzinhas, que precisam de alimentação adequada, higiene, segurança e as mamães precisam trabalhar, e às vezes não tem com quem deixar os filhos. Já tínhamos assinado o convênio, e assinamos outro agora de R$ 40 milhões, para construção de 20 creches na cidade de São Paulo. No Estado todo, 491 municípios estão no nosso programa, no Estado de São Paulo.



REPÓRTER: Governador, dessas mil creches, até 2014 quantas vão ser efetivamente [ininteligível] na cidade de São Paulo?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A gente procura do dinheiro reservar 1/4 para cidade de São Paulo. Então, por exemplo, nós já investimentos um pouquinho mais, nós investimento até agora R$ 300 milhões, R$ 82 milhões para a cidade de São Paulo. Foram R$ 40 milhões ano passado, e R$ 40 milhões esse ano. Nós imaginamos nos aproximarmos de um bilhão de reais, só para creche-escola. Tem cidade que é dinheiro para creche e cidade que é para EMEI. E criança de zero até cinco anos de idade.



REPÓRTER: Governador, esse ano nós temos três, pelo menos três candidatos e um vice com trajetórias ligadas à educação e esse tema vai tomar conta da eleição desse ano. E esse projeto tem haver com isso? Como o senhor enxerga essa pauta da educação?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, não tem haver com eleição. Eu acho que São Paulo é um exemplo para o Brasil. Porque tanto o Governo...A Constituição brasileira fala que tem que investir em educação 25% da receita líquida. Tanto o Governo do Estado, quanto a Prefeitura investem mais de 30% em educação. Tanto o Governo do Estado de São Paulo, quanto a Prefeitura de São Paulo. Aqui nós temos priorizado. O Governo do Estado normalmente investia no ensino fundamental, médio, técnico, tecnológico e universitário. Nós incluímos no programa de Governo o ensino infantil, que é creche e pré‑escola. Embora seja de responsabilidade da Prefeitura, a gente passa o dinheiro para as prefeituras e dá um apoio para as prefeituras. Então, elas entram com o terreno, nós damos o dinheiro para o prédio, equipamento mobiliário, e a Prefeitura opera, que aliás é o mais caro, é o custeio, a manutenção das creches, mas não há questão eleitoral.



REPÓRTER: Governador eu tive um problema no meu áudio, desculpa, o senhor pode, por favor, pode falar sobre investimento na creche escola e também é importância para as crianças dessa idade?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Creche Escola é um programa que vai de zero a cinco anos e onze meses. Incluiu a creche e o ensino infantil. As prefeituras escolhem. Algumas prefeituras fazem as duas. Em uma parte do prédio é creche e a outra parte do prédio é o ensino infantil, antiga pré‑escola. O Governo do Estado investia normalmente do ensino fundamental para cima. De seis anos para cima. E aí nós criamos um programa, Creche Escola, e beneficiando o ensino infantil, a CEI e a EMEI. Já assinamos convênio com 491 cidades e aqui na cidade de São Paulo é o segundo convênio. Somando ano passado esse ano dá R$ 82 milhões, e 40 creches. O que pode passar de oito mil vagas. Assinamos com o prefeito Gilberto Kassab o segundo convênio esse ano. A importância educacional, que as crianças já vão aprendendo, no ensino infantil elas quase com são alfabetizadas. Tem um ganho cognitivo e social. E cuidar de criança pequena, que tem muito acidente com criança pequena, e precisa ter higiene adequada, alimentação adequada, e cuidados, carinho e enfim, e muitas mamães precisam trabalhar. Então, a creche ela tem importância educacional e social.



REPÓRTER: Essas creches, elas estão sendo construídas...



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Direto, estão sendo construídas. Aliás, o prefeito me mostrou até, do ano passado tem uma que já está 99% a obra pronta.



REPÓRTER: Itaim paulista.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É. O prefeito pode explicar melhor. Algumas já vão ser inauguradas agora, outras estão em obra e essas 20 de hoje, dos 40 milhões vão começar. Vai... vai dar continuidade. Se a prefeitura já tiver licitada, pode usar o dinheiro.



REPÓRTER: Governador, O déficit de hoje é de 103 mil vagas no município de São Paulo. Essa demanda aumenta a cada ano. Com esse projeto, até 2014, não vamos ter problema de falta de vaga em creche?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O Brasil inteiro, qual foi à primeira meta? Universalizar o ensino fundamental. E, para isso, foi criada o Fundef. Hoje universalizou. Hoje tem mais vaga que aluno, tem mais de 100%. Você pode ter, às vezes, dificuldade de distribuição. Mas, tem vaga. E aí, o Fundef e virou Fundef virou Fundeb, que é educação básica, para incluir o ensino infantil. A Prefeitura de São Paulo vai ser uma das pioneiras na universalização da EMEI. Que é o ensino infantil, e creche é o próximo passo. Então, são metas. Primeiro, universalizou o ensino fundamental, e depois universaliza o ensino infantil, que é a antiga, o antigo pré‑escola, e finalmente universaliza a creche. Você vai avançando. Então, esse recurso nós vamos liberar para a creche.



REPÓRTER: Outro assunto, a corregedoria da polícia recomendou senhor para demitir dois delegados, o senhor tomou alguma decisão?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Se a corregedoria da polícia disser que é para demitir e a assessoria jurídica confirmar, vão ser demitidos. Não há nenhum tipo de tolerância com o abuso seja corrupção, seja violência. Então, se a polícia recomenda a demissão de delegado de polícia e a assessoria jurídica também, serão demitidos.



REPÓRTER: São casos isolados, governador?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: São. Nós temos uma corregedoria muito atuante e aprovamos duas leis. Uma lei chamada Via Rápida. E ela modificou o regime de disciplinar da Polícia Militar e modificou a Lei Orgânica de Polícia Civil. Para quê? Para não demorar. O que acontecia? Você comprovava caso de corrupção , mas o processo levava muitos anos. Agora não, é mais rápido. Ok?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: São Paulo está liberando dinheiro para creche, porque nunca o Estado tinha liberado...



REPÓRTER: É a primeira vez? Pode fazer convênio nesse período eleitoral?




GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Assinamos sexta-feira. Como eu estava no interior sexta‑feira, eles assinaram e nós fizemos a cerimônia hoje, mas já está assinado e publicado no diário oficial, último dia foi sábado. Mas o Estado nunca tinha colocado o dinheiro em creche e EMEI. Zero a três é creche e de três a cinco é EMEI. Então, nós criamos um programa chamado Creche Escola. Isso é responsabilidade da Prefeitura e o Estado começa com a criança de seis anos, que é o ensino fundamental. Nós criamos o programa, que já está universalizado, fundamental: Falta vaga, é EMEI, antiga pré‑escola, e creche. E a questão, nós temos uma mudança fantástica no mundo moderno, diria 4 mudanças impressionantes. Uma é a demográfica. Aumento de expectativa de vida da população. Eu vi lá na revolução de 32, a turma dos cem anos. A segunda é a tecnologia da informação. Então, celular, computação. E terceira é meio ambiente é meio ambiente, a gravidade do problema ambiental. E a quarta é mercado de trabalho. Aqui, as mulheres tomaram conta, das nossas [ininteligível] tinham dois, três, profissões. E então, a mulher trabalha. E como é ela compatibiliza o trabalho com a maternidade? E criança pequena, senão ficar 24 horas tomando conta, descuidou você têm problema. O acidente ou higiene e alimentação e uma movimentação. O que acontece com as famílias ricas? Nasceu já tem a babá. As abastadas têm duas. Não sai sem a babá. Família mais pobre, como é que faz? A mãe precisa trabalhar? Mas vamos aí...



REPÓRTER: Quando será aberto o concurso público para professores? Porque o secretário falou que estava conversar com senhor, e ele falou que está para conversar.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Já contratamos 27 mil, eu checo já.



REPÓRTER: Governador, quando o senhor entra de fato na eleição?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Estamos trabalhando e o Serra participou de primária que foi muito importante. E participou democraticamente com os outros candidatos e teve uma belíssima votação. Fez uma aliança também importante. São cinco partidos na aliança. E estruturou a campanha. Vi uma notinha que o Edson Aparecido é... imagina Edson já saiu do Governo há um mês atrás. Ele saiu no começo de junho . Está empenhado na campanha, e vamos participar. À noite, fim‑de‑semana, né? Se precisar televisão, o que precisar...



REPÓRTER: Essa conversa entre o senhor e Edson não existia? O senhor não pediu para ele ficar?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O que acontece? O Edson, quando se afastou, tinha uma expectativa também de vice. Está certo? Ele se afastou antes do prazo. Mas quando se afastou, nós tínhamos conversado, olha pode ser e não ser. Tinha André Matarazzo e a possibilidade de outros partidos. O Edson vai ficar, não vai voltar para o Governo, só depois que acabar à eleição. E depois que acabar para não coordenadoria de campanha exige tempo integral. Não tem como ser secretário. Então, ele não vai voltar, vai coordenar a campanha, e o Edmur Mesquita, que é o adjunto, ficará secretário até a volta dele.



REPÓRTER: Ele fez uma reclamação para o senhor de falta de espaço?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nenhuma reclamação.



REPÓRTER: Conversou com ele ontem para...



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Conversei. O Edson está sempre aí.



REPÓRTER: A secretaria do Paulo Barbosa está com adjunto também.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não vou fazer, vou fazer uma reforma de secretariado após as eleições. Então, não quero fazer a coisa assim em partes. Eu vou esperar mais 90 dias, até bom não ter quebra de continuidade porque é a mesma equipe. E aí no final do ano, depois da eleição vamos fazer uma reforma mais ampla.



REPÓRTER: Obrigado.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Obrigado. Se prepararem para a candidatura.



REPÓRTER: A nossa candidatura.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Como esse ano a execução orçamentária está mais apertada, e a economia está mais devagar, e vamos fazer aqui, e três vezes por semana, chama os secretários para acompanhar à execução orçamentária, para evitar estourar o orçamento. Então, hoje área social, fizemos educação, saúde, assistência e desenvolvimento social, direitos da pessoa com deficiência, cultura e esporte. Secretaria de planejamento e casa civil. A gente analisa item por item a execução orçamentária. Onde vai ter problema e que vai ter que ter suplementação, saúde por exemplo. E nós podemos suplementar quase um bilhão e onde você pode remanejar, ou seja, estamos avaliando. Está bom?



REPÓRTER: Obrigada.