Coletiva - Anúncio da Duplicação de Trecho da Raposo Tavares - 20122604

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva do Anúncio da Duplicação de Trecho da Raposo Tavares

Local: Maracaí - Data: 26/04/2012

REPÓRTER: Governador, o senhor falou a respeito, primeiramente, da saúde, esses casos de acidentes e a região sofre um pouco com a greve parcial de alguns funcionários por parte do hospital regional a Assis, de Lins e Promissão. O governo sinaliza com 40% já de um aumento do ano passado, enquanto o sindicato diz que não atende todo mundo esse [ininteligível] e eles pedem que um vale alimentação maior de que R$ 80,00. Como é que está essa situação, isso deve voltar à normalidade, como é que o senhor enxerga isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos 203 unidades de saúde, 80 hospital praticamente, 43 AMES, são 203 unidades, tem seis em greve, de 203; 187 não tem greve nenhuma; essas 6 ela é parcial. Por que acho que vai acabar? Porque não há razão nenhuma pra greve, só prejudica a população. Você faz greve quando não há diálogo e nós estamos abertos ao diálogo e estamos conversando com as entidades dos funcionários; tanto é que no dia 1º ,agora, eu vou anunciar o aumento do auxílio – alimentação. Nós vamos anunciar no dia 1º de maio e já valendo a partir de 1º de maio, para os funcionários, todos que recebem auxílio - alimentação quase tudo é saúde e educação, tem também na segurança, para todos eles, todo mundo que recebe o vale-alimentação vai ter um acréscimo importante, muito superior a inflação. O aumento dado ano passado não foi, obviamente, 40% pra todos, foi um programa de plano de carreira que variou de 9 a 40%, nós vamos para os médicos dentistas 20%, nós vamos ter um novo plano de carreira para médico, porque está faltando médico hoje, prefeitura tem dificuldade, Governo do Estado, iniciativa privada, nós vamos fazer uma valorização importante também na área da carreira médica e vamos anunciar agora, esse fim de semana o auxílio-alimentação, vale-alimentação, o aumento substantivo, já a partir de 1º de maio. Mas eu queria trazer uma palavra aqui sobre as rodovias. Uma rodovia duplicada, modernizada, com guard rail, com trevos, com marginais, com acostamentos, ela é também a de saúde pública, porque a terceira causa de morte no Brasil não é doença é acidente, é causa externa. Até 10 anos atrás era homicídio, era morte por tiro, arma de fogo, como reduziu de 13 mil pra 4 mil por ano, hoje é acidente rodoviário é atropelamento, motocicleta, bicicleta, carro, caminhão, ônibus, então uma rodovia duplicada ela reduz assim drasticamente as mortes, os acidentes mais graves. Nós estamos começando a duplicação de SP-270, começa aqui em Maracai e vai até Presidente Prudente, até Regente Feijó, 70 quilômetros de duplicação, R$ 178 milhões de investimento, 22 meses pra ficar pronta, até março de 2014. Mas esse primeiro e trecho aqui de 10 quilômetros pode ficar pronto em 5 meses e a medida que vai ficando pronto, nós já vamos entregando, a gente não espera, ficou pronto a população já vai utilizando já. Ao mesmo tempo a SP 225 já começou também a duplicação, de Bauru que vem para Ourinhos e o Trevão de Ourinhos começa em 30 dias, assinamos hoje aqui o a ANTT e a concessionária, R$ 17 milhões, metade federal, metade do estado, a nossa parte começa em 30 dias. O Trevão de Ourinhos vai também ser muito importante porque é cruzamento da Raposo Tavares com a SP 270 com a BR 153, a Transbrasiliana. Então duplicação da Raposo, vamos duplicar desde a Barranca do Rio Paraná divisa com Mato Grosso do Sul, até Ourinhos, o Trevão; a SP 225 também até Bauru e incluímos no programa do Bid de Ourinhos até Itapetininga, aí vão ter trechos duplicados e trechos de terceira faixa, então são investimentos importantes na região.


REPÓRTER: Governador o senhor fala sobre obras nas rodovias. Em relação aqueles contratos que o governo tem com a Delta, vai ser revisto alguma coisa o governo tomou alguma medida ou os contratos continua normais?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, se nós tivermos são cinco, seis contratos em dez mil, ela quase tem pouquíssimas obras no Estado de São Paulo, coisa mínima. Nós já fazemos auditorias permanentes, auditoria permanentemente, auditoria não é novidade, permanentemente é feita, são contratos até anteriores, de quatro, cinco anos atrás, eu acho que são cinco ou seis, não custa nada fazer mais uma revisão e a mas a auditagem aqui é rotineira e ganharam por menor preço.


REPÓRTER: Governador, sobre educação, aqui na região, a diretoria de ensino anunciou que os casos de violência com professores estão aumentando bastante. O governo existe algum plano em aumentar, digo monitores nas escolas ou professores, junto com a APOESP apresenta um número defasado de professores, diz que seria uma das causas dessa violência nessas escolas, que aqui na região sente muito.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Três boas notícias aí para a educação. A primeira é contratação de professores. Agora em maio começam nove mil professores concursados, vão ser nomeados, tomam posse, e começam o curso da Escola de Professores, já recebendo, já ganha, já são remunerados, já são professores do Estado. Terminou o curso no fim do ano, o ano que vem já estão trabalhando. Nós já fizemos isso, já nomeamos 23 mil o ano passado, mais 9 mil agora, serão 32 mil professores concursados novos na rede. Depois o Agente... Como é que é o nome? Agente de Organização Escolar. Serão 9.332. Aliás, tivemos quantos inscritos? 226 mil inscritos. Veja essa coisa de dizer que está sobrando emprego não é bem verdade, não é, porque para 9.332 vagas tivemos 226 mil inscritos para o Agente de Organização Escolar. Isso vai liberar muito o diretor de escola para ajudar no funcionamento melhor da escola. E os professores mediadores. Já são agora? 2.053, é um professor mediador, ou seja, toda escola, às vezes, tem um aluno que tem dificuldade de adaptação, tem problema aqui, às vezes meia dúzia de jovens você já tem dificuldade, imagina uma escola com 1.500 jovens. Então, nós vamos ter o Professor Mediador, mais 2.300, o Agente de Organização Escolar, 9.000, isso vai ajudar muito os diretores de escola, e mais 9 mil professores. E ontem anunciamos o aumento para Etec e Fatec, 10,2%. A inflação foi 5%. Os sindicatos lutam para ter 6%, 7% no dissídio, nós demos 10,2%, todos professores, diretores, funcionários e aposentados.


REPÓRTER : Governador, e com relação à segurança, a gente percebe que com relação à Polícia Civil há um desfalque, não está tendo nomeação, acontece que, aqui na nossa região, alguns delegados já não estão aposentando por conta que não há delegado para substituir. Existe alguma coisa, alguma melhoria para essa categoria, principalmente a Polícia Civil?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, vamos lá. Polícia Civil, já foram nomeados, já terminam em uma semana o curso na Academia de Polícia, 610 investigadores e 357 escrivães que foram aprovados em concurso público. No DEINTER-4, que é Bauru, ele vai receber 78 escrivães a mais, desses dos novos, e 50 investigadores. E no DEINTER-8, que é de Presidente Prudente, 35 investigadores e 32 escrivães. E para delegado, nós abrimos um concurso para 140. A seleção foi tão boa, a procura foi tão grande, estão tão preparados, que nós resolvemos chamar 200 para aproveitar o concurso. Então esses 200 ainda vão fazer a Academia, mas os investigadores e escrivães, em uma semana já termina o curso e já serão distribuídos. A cidade em que cada um vai aí é o regional que decide, não é política, aí é tecnicamente... Olha, aqui precisa mais, aqui precisa menos, é tecnicamente.


REPÓRTER: Governador, como é que fica o projeto do pedágio por quilômetro rodado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ele vai ser implantado em todo Estado. Nós estamos começando pela região de Campinas. O pedágio chamado Ponto A Ponto. Porque, às vezes, a pessoa mora perto de uma praça de pedágio, então ela percorre um trecho pequeno e paga o pedágio cheio. Então nós começamos pela Rodovia SP-360 entre Jundiaí e Itatiba. A próxima vai ser SP-75, Santos Dumont, Campinas, Indaiatuba até Salto, Itu, Sorocaba.


REPÓRTER: E dessa forma então o pedágio vai ficar com o preço mais saudável e mais justo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vai ficar mais justo. Por quê? Porque a pessoa paga pelo trecho percorrido. Então se ela percorreu um trecho pequeno ela vai pagar...E por que vai ser possível isso? Porque todos os carros terão o tag, nós já estamos implantando os tags lá na rodovia Jundiaí-Itatiba, e um arco na estrada, não precisa ter esse paredão de concreto. É um arco, você passa por baixo, ele já registra. Então, ele registra a hora que você entra e a hora que você sai da estrada. E o tag gratuito, não vamos cobrar nada, e nem manutenção também. É um tipo pré-pago, quer dizer, é que nem telefone, você enche e aí você percorre...


REPÓRTER: Aqui na Raposo nós vamos ter esse tipo de pedágio?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Terão mais para frente, nós estamos começando na região de Campinas.