Coletiva - Apresentação de 2.000 Policiais Militares retirados de funções administrativas para atividades fins em todo o Estado - 20123108

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na Apresentação de 2.000 Policiais Militares retirados de funções administrativas para atividades fins em todo o Estado

Local: Capital - Data: 31/08/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, hoje é um dia importante. É o primeiro resultado da reengenharia que tá sendo feita na polícia. Um compromisso que nós tínhamos, um esforço grande do secretário Ferreira Pinto, do comandante geral da PM, o coronel Roberval. 2.069 policiais militares que estavam em atividade meio, logística, parte interna da polícia vão para o policiamento de rua, policiamento preventivo, repressivo, opressivo. Operação Serviço ao Cidadão. Começou hoje, ou melhor, começou já, agora, já estão indo para os bairros mais problemáticos, mais difíceis aqui em São Paulo, na região metropolitana. A capital, mil policiais militares a mais nas ruas. Região metropolitana, 200, o interior, 800 e o litoral, 69 policiais. Vão para radiopatrulha, força tática, bases móveis, rodoviária, rota, bombeiro e ambiental, então um trabalho importante de reengenharia. Essa foi o primeiro resultado, mas nós vamos trabalhar ainda mais para tentar chegar, já foram 2.069, mais quase cinco mil. Para chegarmos aí ao final do ano com mais sete mil policiais militares e o trabalho de rua fazendo um esforço ainda maior. E eu tenho certeza que nós vamos ter bons resultados nesse trabalho.


REPÓRTER: E ocorre por conta do crescimento da violência, principalmente por conta dos casos recentes como de dois dias da morte do delegado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esse trabalho já vem já de vários meses. Nós estamos procurando fazer um esforço de informatização, automação, redução de atividade meio para ter o máximo possível de policiamento nas ruas, porque previne o crime, evita o crime, tem um trabalho importante preventivo, repressivo e prender criminosos, né? Eu acho que esse é o trabalho e a polícia tá toda empenhada.


REPÓRTER: Governador, [ininteligível] a expressão repressivo. Por que é que [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A polícia tem um trabalho preventivo, de evitar o crime, presença policial; e repressivo no sentido de prender quem comete crime. Tem que reprimir o crime.


ORADORA NÃO INDENTIFICADA: [ininteligível], por exemplo [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É, em relação a questões mais especificas, eu vou pedir ao secretário Ferreira Pinto e o comandante-geral da Polícia Militar que dê uma palavrinha para vocês. Mas destacar aqui, 2.069 policiais militares a mais nessa reengenharia e o nosso compromisso até sete policiais até o final do ano. E começaram já! Já estão na operação Serviço ao Cidadão.


REPÓRTER: Governador, em relação à política, o senhor acha que o candidato José Serra corre o risco de passar pelo o que o senhor passou em 2008 de não ir nem para o segundo turno?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, primeiro, todo o nosso apoio ao Serra, excelente candidato, é o melhor candidato, mais preparado. Faltam 35 dias para as eleições, então o processo eleitoral está se iniciando. Acho que não há ainda uma definição de voto, que há é intenção, então todo o nosso apoio e nossa confiança. Vai sim para o segundo turno e fazer uma bela campanha para ser eleito.


REPÓRTER: O que o senhor vai pedir na reunião do Secretariado hoje, governador? Tem uma preocupação econômica?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu já fiz a reunião, não é do Secretariado, fiz com alguns secretários para a gente acelerar os investimentos no Estado. Nós abrimos uma licitação, comprar 1.680 viaturas zero quilômetro. Era R$ 89 milhões, vamos comprar por R$ 77 milhões. Então começam a chegar a partir de outubro as 1.680 viaturas zero quilômetro, 1.071 motocicletas e 35.748 coletes a prova de bala. E fizemos uma economia nas licitações de R$ 17 milhões. Então, viaturas 1.680; motocicletas 1.071; colete aprova de bala 35.748.