Coletiva - Assinatura de "Autorizos" para Celebração de Convênios entre o Governo do Estado e os Municípios de São Paulo e São Caetano do Sul, para adesão à Bolsa Eletrônica de Compras - Sistema BEC/SP - 20120307

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Assinatura de "Autorizos" para Celebração de Convênios entre o Governo do Estado e os Municípios de São Paulo e São Caetano do Sul, para adesão à Bolsa Eletrônica de Compras - Sistema BEC/SP

Local: Capital - Data: 03/07/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia a todas e a todos. Nós temos uma bolsa eletrônica de compras, a BEC, na Secretaria da Fazenda, que começou em 2001, ela já tem 11 anos. Começou fazendo compras até R$ 300 mil, R$ 400 mil por ano, passou para R$ 1 milhão, R$ 10 milhões, R$ 50 milhões, R$ 1 bilhão, o ano passado foi o recorde, R$ 5 bilhões e 47 milhões de compras. Economia varia entre 20% e 35%. Então, ano passado nós tivemos uma economia de quase R$ 2 bilhões. Esse ano vai ser recorde, já estamos com mais de R$ 3 bilhões de compras pela BEC. Nós temos quase 40 mil empresas cadastradas na bolsa eletrônica de compras, sendo 48% delas micro e pequenas empresas, então tem uma importância social importante. Mais de 39 mil empresas no cadastro unificado de fornecedores, transparência absoluta. O Governo quer comprar mesa, o Governo quer comprar papel, o Governo quer comprar, enfim, automóvel, remédio, então todas as compras são colocadas em leilão, as empresas do país inteiro podem participar, vão dando lances e compram pelo menor preço. Então, total transparência, informação, tudo no site, economia de mercado a serviço do consumidor, da população e economia. Quer dizer, isso significa aí uma economia, R$ 5 bilhões de compra, de 25% a 30%, aliás, era R$ 7 bilhões e nós compramos por R$ 5 bilhões. Quer dizer, R$ 2 bilhões quase de economia. Nós estamos agora, todo o Governo do Estado compra pela BEC, mais as fundações e muitas das nossas empresas estatais. E hoje fizemos os dois primeiros convênios com a Prefeitura de São Paulo, prefeito Gilberto Kassab, e com a Prefeitura de São Caetano do Sul, prefeito Auricchio. São os dois primeiros convênios, disponibilizando todo o sistema, 40 mil fornecedores, sistema, experiência, e vamos capacitar os funcionários das prefeituras. E a ideia é levar esse modelo para outras prefeituras do Estado. Então, todos vão ganhar com expertise do Governo e com a escala, os preços do Governo. Quer dizer, você vai acabar estabelecendo um parâmetro de preços de compras. Muitos dos desvios que se verificam na administração pública são exatamente na questão de compras e as compras do Governo são muito vultosas. Uma bela economia, eficiência utilizando a tecnologia de informação, o Governo eletrônico, transparência e informação na gestão pública. Deixar para os prefeitos darem uma palavrinha! Bom, equipamentos de uso médico oncológico e hospitalar, gêneros alimentícios, combustíveis, óleos lubrificantes, leitos rodoviários, informática, mobiliários em geral, [ininteligível] artigos, materiais e equipamentos metro-ferroviários. Vai desde comprar alimento para escola até equipamento para metrô e trem. É impressionante. E, hoje, tudo por via eletrônica. 96% a 97% das contas são por via eletrônica. E essa expertise toda é feita pelos nossos funcionários, técnicos da Secretaria da Fazenda. O próprio governo elaborou todo esse trabalho, vem sendo aperfeiçoado ao longo dos últimos dez anos.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Agora nós vamos abrir... Limeira já nos procurou, quer dizer, as prefeituras que quiserem nós vamos, sim, abrir esse sistema para todos os municípios. Estamos capacitando os funcionários da prefeitura e eles vão ter acesso ao nosso sistema. Custo baixíssimo, é só a capacitação dos funcionários [ininteligível].


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, temos aqui uma notícia importante na área da Segurança Pública. Dois suspeitos de morte de um policial na zona norte, foram presos agora pela manhã, no bairro da Lapa. Então dois foram presos e agora com esses dois presos prende, praticamente, toda quadrilha. A polícia está trabalhando, o DHPP, toda parte de investigação; a gente não antecipa as investigações para não atrapalhar a investigação [ininteligível]. Mas estão identificados os criminosos, já temos 34 presos e dois acabaram de ser presos agora pela manhã.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Isso a Secretaria de Segurança Pública vai responder. E também uma outra boa notícia. Houve um roubo de paiol das Forças Armadas em Pirassununga ontem, está até no noticiário de hoje, já estão todos presos e todo armamento recuperado. Todo armamento que foi roubado, não da polícia, mas das Forças Armadas paiol de Pirassununga já recuperado e os bandidos presos.


REPÓRTER: [ininteligível].

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, é prender os criminosos. Isso aí é desespero. O quê que ganha um criminoso queimando um ônibus? Quê que é isso? É desespero. Por quê? Porque o Governo, a Polícia foi para cima do tráfico de droga, das chamadas biqueiras, que é a ponta, estão tendo dificuldade de vender, muita gente presa e quantidade de cocaína e derivados de cocaína apreendidos, começa a querer desviar a atenção fazendo esse tipo de vandalismo. O que nós temos que fazer é perseverar, trabalhar firme, o enfrentamento é grande na questão das drogas, é preciso também nas fronteiras porque nós não produzimos cocaína; nós produzimos cana, laranja, [ininteligível], milho, feijão, isso vem de fora, mas estamos trabalhando duro. E a gente percebe, nitidamente, a reação do tráfico, principalmente por essa ação na ponta que está sendo feita aqui em São Paulo.


REPÓRTER: ... Mantém que não há relação com facção criminosa?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, tem com quadrilhas. Isso é evidente. Quadrilhas de traficantes e esse trabalho está sendo feito; 34 já presos e é perseverar nesse trabalho. Periodicamente isso acontece.


REPÓRTER: E esses dois meninos que foram presos, tem ligação com o tráfico de drogas ou não?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vamos deixar que a polícia... A polícia vai apresentar os dois, vai fazer uma coletiva. Ela detalha melhor quem são as pessoas. Tá bom?


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a escolha de vice, sempre deve preponderar a opinião do candidato. É vice do titular. É evidente que a palavra deve ser sempre do titular. Então, e muito bom nome. Duas colocações. Primeiro: que sempre deve preponderar a escolha do titular; e, segundo: que é um ótimo nome. Tá bom?