Coletiva - Assinatura de PPP para construção de hospital em Sorocaba 20140209

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Assinatura de PPP para construção de hospital em Sorocaba

Local: Sorocaba - Data:Setembro 02/09/2014

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADODE SÃO PAULO: Olha, hoje é um grande um dia! Estamos realizando aqui, um sonho, a saúde é a principal prioridade da população brasileira, do Oiapoque ao Chuí, garantirmos saúde de qualidade com humanização e rápida, tirando fila para atender a população. Aqui em Sorocaba, nós estamos investindo no Complexo Hospitalar, modernizando, equipando, recuperando. Na região com uma parceria com a prefeitura, o nosso Hospital de Itapetininga. Em Itapeva, também com a Santa Casa, uma grande parceria. Aqui em Sorocaba também estamos investindo na região em todas as Santas Casas de Misericórdia com apoio de R$ 630 milhões este ano para custeio, não é para fazer o prédio, só para custeio. Fizemos aqui o AME, tem mais de vinte especialidades: ressonância magnética, pequenas cirurgias. E como o AME atende a região, então aqui, estamos na Casa de Apoio, porque a Casa de Apoio, ela dá melhor qualidade nesse trabalho. Então pessoas que vêm de longe, enquanto aguardam um exame, aguardam consulta, tem um local para descansar, ver televisão, fazer um lanche, almoçar, então na Casa de Apoio. E hoje, estamos dando mais um passo, é a primeira Parceria Público-Privada na área de hospitais. Então hoje, assinamos a PPP, o novo Hospital de Sorocaba, são três hospitais nesse Edital que foi feito, Sorocaba é sozinho, depois São José junto com São Paulo, e Sorocaba é o maior dos três, duzentos e cinquenta leitos no hospital, ele tem noventa e seis leitos de UTI. É um hospital de média e alta complexidade, hospital cirúrgico, hospital de trauma, hospital de urgência e emergência, hospital neurológico, vascular, cardiológico e de retaguarda para a região. E lá na Raposa Tavares, servindo, né, muitos municípios aqui, da região. Assinado, hoje, o contrato, até o final do mês o consórcio vencedor, o consórcio, ele tem também a SPDM que é a Escola Paulista de Medicina, a entidade da Escola Paulista de Medicina. Ele constrói o prédio, o governo paga, é uma PPP, tudo de graça, tudo SUS, 100% SUS, 100% gratuidade. Constrói o prédio, tem 30, até 30 meses, pode fazer num prazo menor, mas até 30 meses, equipa, equipamentos da mais alta tecnologia e cuida da chamada "bata cinza", tudo o que não for a parte médica será também administrado e gerido pelo consórcio. Eu diria que é um grande ganho para região, 250 leitos, 96 leitos de UTI, então vai dar muita resolutividade ao AME. O AME faz cinco mil consultas por mês, quatro mil exames por mês, e aqueles casos mais complexos nós teremos, então, mais um hospital público gratuito para uma região que é uma das que mais cresce no estado de São Paulo. Conversava com o prefeito Pannunzio e ainda lembrava esse eixo Castelo Branco, Raposo Tavares, é o grande eixo do desenvolvimento. Muitas empresas vindo para cá, muita gente vindo para cá, e a retaguarda de saúde, de qualidade humanizada é muito importante. Agradecer ao professor David Uip, ao Júlio Semeghini e a inovação de uma Parceria Público-Privada.

REPÓRTER: Governador, o senhor acha que a Parceria Público-Privada vai [Ininteligível 00:01:36] para mais investimentos para saúde?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Destacar...

REPÓRTER: Isso é uma tendência...

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: É, é uma tendência. Primeiro destacar o desconto, nós economizamos 25%, foi o desconto do consórcio que venceu a PPP, e o mundo moderno é isso, é inovação e parceria, inovação e parceria. Então é inédita em São Paulo, nunca houve uma PPP e nós estamos tirando aí do papel e fazendo as coisas acontecerem, e naquilo que a população mais precisa. Eu me lembro bem das manifestações de junho do ano passado, que era contra dinheiro público em estádio, e prioridade para a saúde. Nós não pusemos um centavo de dinheiro público no estádio lá de São Paulo, nenhum centavo, e teve a Copa do Mundo e foi muito bem; e de outro lado estamos investindo fortemente na área de saúde. E para o ano que vem a Rede Lucy Montoro também aqui em Sorocaba, então também cuidando das pessoas com deficiência. E saúde gera muito emprego, né, gera muito emprego. Um hospital emprega 1.500, emprega duas mil pessoas, é muito emprego também para região e está na ponta da ciência. Sorocaba que tem parque tecnológico, universidades, centros de pesquisas avançará ainda mais, na questão da ciência, na área da saúde.

REPÓRTER: Governador, um dos seus adversários na corrida eleitoral para governador, defende que o problema na saúde é a questão do Programa Mais Médicos. Queria que o senhor fizesse uma avaliação, o senhor consegue ver, ele está falando de até trazer mais médicos com especialidades. O que o senhor acha disso?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, é sempre bom ter mais médicos, não só médicos, mas assistentes sociais, psicólogos, dentistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, é obvio, isso é ótimo! Agora, o problema da saúde é financiamento, e principalmente custeio. Então, você fazer prédio, não é tão difícil, o problema é custeio. E o que nós verificamos nos últimos anos, foi que o governo Federal, que é primo rico, que é quem fica com dois terços dos impostos que os brasileiros pagam, foi saindo do financiamento, ele reduziu 10% à participação do financiamento da Saúde. E isso, sobrecarregou quem? As prefeituras, e os estados! E nós estamos fazendo a nossa parte, né, governar é escolher, então nós priorizamos aquilo que é fundamental para a vida das pessoas.

REPÓRTER: Governador, a Agência Nacional de Águas quer que a Sabesp reduza a retirada de água do Sistema Cantareira, e isso já a partir do final desse mês. Isso não pode colocar em risco o abastecimento na grande São Paulo?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha! Nós já reduzimos de trinta e um metros cúbicos por segundo, para dezenove no caso do Cantareira, garantindo todo o abastecimento para a Região Metropolitana de São Paulo, que tem 22 milhões de pessoas. Então, nós já reduzimos, e pretendemos reduzir mais, por quê? Porque agora em setembro, entra mais meio metro cúbico do Sistema Rio Grande. Em outubro, entra mais um metro cúbico por segundo do Sistema Guarapiranga, então, nós estamos substituindo o Sistema Cantareira que é o mais afetado pela seca por outros sistemas, né? A Sabesp é uma empresa com grande capacidade de engenharia, e capacidade de planejamento de obra. E a outra destacar também, a boa colaboração da população, quase 80% com uso racional da água diminuiu o consumo, 50% ganhou o bônus que nós fizemos, não é? Olha economize 20%, que você ganha 30% de bônus!

REPÓRTER: Governador, queria que o senhor comentasse as obras paradas, no primeiro lote da João Leme dos Santos!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Dá?

REPÓRTER: João Leme dos Santos!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ah. Infelizmente, o pessoal sempre diz: "tudo que é público tem dificuldade, tudo que é privado é uma maravilha". Nem sempre é assim, né, às vezes você tem muita empresa privada ruim! E você tem que contratar pelo menor preço, então, quando uma empresa dá problema, você tem que rescindir o contrato, e relicitar. Você não pode, às vezes demora um pouquinho, mas os recursos estão todos garantidos e nós vamos acelerar a obra o máximo que a gente puder. É o problema em um lote que vai ser resolvido.

REPÓRTER: Candidato, só voltando um pouquinho à área de saúde, queria que o senhor só resumisse um pouquinho melhor, um pouco mais, essa questão da tendência das PPPs para hospitais, na área da saúde.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, eu queria destacar hoje aqui, o nosso compromisso com a saúde da população, gratuita de qualidade. Saúde não pode ser mais ou menos. Então, o que nós trabalharemos aí para o futuro? Ampliar dos AMEs, porque o ame ajuda a resolutividade das Unidades Básicas de Saúde e desafoga os hospitais, diminui filas. Passa de 52 para 100 AMEs e o chamado AME Mais, o que é o AME Mais? É aquele AME que terá também o Hospital Dia e fará cirurgias de média complexidade, que precisa da presença do anestesista. Então o nosso compromisso de quase que dobrar o número de AMEs, que ele desafoga o hospital e ele dá mais resolutividade aos programas de Saúde da Família, os especialistas e equipamentos e agora o AME Mais que fará cirurgias de média complexidade e o Hospital Dia, aquela cirurgia que a pessoa pode sair no mesmo dia.

REPÓRTER: Governador, passado agora, faltando à reta final para a eleição, o senhor consegue consolidar uma liderança. Queria que você avalia-se as pesquisas, acredita que está indo bem, vitória no primeiro turno ou não "canta vitória"?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, humildade e trabalho! Humildade e trabalho. Trabalho, acordar cedo, trabalhar bastante. Confiar na população, à população precisa ter todas as informações. E este é o nosso dever. Tá bom?

REPÓRTER: Por que saiu tão mal em nível nacional?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Como?

REPÓRTER: O PSDB, por que está indo tão mal em nível nacional?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, eleição é uma coisa dinâmica, né? Você tem sobe, desce, enfim, eu acho que o nosso candidato que é o Aécio ainda tem um mês de campanha. Um mês, tem todas as condições para poder crescer. Tá bom? Um abração. Região de Sorocaba