Coletiva - Autorização para Início das Obras de Duplicação do Trecho Planalto da SP 099 - Rodovia dos Tamoios - 20122404

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Autorização para Início das Obras de Duplicação do Trecho Planalto da SP 099 - Rodovia dos Tamoios

Local: Capital - Data: 24/04/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: ...Comandante Geral da Polícia Militar e o secretário de Transporte, presidente da Dersa ele detalham melhor ai as obras. Deixa eu só dá uma explicação... A Dutra em São José dos Campos, a Rodovia Carvalho Pinto e mais um trecho aqui. Isso aqui está pronto, são 12 km, inclusive, obra de arte importantes. Praticamente, 49 km é o que está sendo assinado contrato hoje. Então, 49 km. Assina contrato hoje. São 20 meses de obra. Duplica ao do lado da pista, a Kennedy aqui em Jambeiro, São José dos Campos, Jacareí e Paraibuna, e vem até o Alto da Serra.


REPÓRTER: Governador, e a pista aqui, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Aqui dá para ter uma ideia da pista. Essa é a pista C, nós termos aqui mais três metros de acostamento, mais faixas de segurança, mais o [ininteligível], a separação da pista, faixa de segurança, e a nova pista. Duas faixas de tráfego e mais três metros de acostamento. E em Paraibuna, ainda uma ciclovia, também incluída aqui no projeto de Paraibuna uma ciclovia. Simultaneamente até o final do ano, nós concluímos o trabalho de licenciamento ambiental, estudo, licenciamento, toda parte ambiental do contorno. Contorno sul que vem para São Sebastião. Veja que não é só tirar aqui do centro, ele vai até dentro do porto. Ele vai até dentro do porto. E contorno norte que vem para Ubatuba, e a nova Tamoios na Serra. A nova Tamoios na Serra que não pode ser feita do lado, então é uma nova autoestrada na Serra do Mar. Queria destacar duas coisas aqui: uma, essa é a maior intervenção nos últimos 40 anos. Porque na década de 50, no governo Jânio Quadros, em 1957 foi feito o que se chamava “virado à Paulista”. Era tudo de terra, na chuva ninguém passava porque atolava e muita poeira. Então Jânio Quadros em 57 faz o chamado “virado à paulista”. Ele fez lá um mixplace, não é? Ele fez lá uma mistura. Em 67, na década 60, houve o desmoronamento da serra, aquele grande acidente da Serra do Mar em Caraguatatuba. Então, ai foi feito o trecho da serra novamente. E na década de 70, nós tivemos uma melhora na saída de São José e lá em Paraibuna, até em razão da represa, do alagamento e da mudança da estrada que passava dentro de Paraibuna. Quem não se lembra que tinha uma para na estrada em frente ao cemitério que era ali o ‘leite da vaca preta’, e na porta do cemitério aquela “Nós que aqui estamos por vós esperamos” . A estrada passava bem dentro da cidade ai desviou e passou a passar fora da cidade. Nós estamos falando da década de 70. Então há 40 anos depois nós vamos ter uma grande intervenção. Que eu diria que depois da nova Imigrantes, que ligou o Planalto de Piratininga, São Paulo com a Baixada Santista, vai ser a grande intervenção do estado, ligando o Vale do Paraíba com o Litoral Norte. Sobre o ponto de vista estratégico, ligando a sétima maior cidade do estado, que é São José dos Campos, com a capital do pré-sal na área do gás que é Caraguatatuba, e com grande porto caldo, profundo que é São Sebastião. São José dos Campos com Aeroporto, com ferrovia, com as duas autoestradas, gasoduto, será um grande centro logístico. E com o ferro anel norte, nós vamos fazer uma ligação importante da zona oeste do Brasil e de São Paulo- Campinas- São José dos Campos-Porto de São Sebastião. Então, uma grande logística intermodal, de todos os modais em São José dos Campos. A duplicação, então é uma obra estratégica sobre o ponto de vista do desenvolvimento de São Paulo para atrair novas empresas para a indústria do pré-sal, para o turismo, para indústria do Vale do Paraíba e de todo o estado de São Paulo. E a outra boa notícia foi à economia. Nós tivemos uma economia de R$ 264 milhões. Estamos assinando um contrato com 32% abaixo do preço. Contrato é assinado. Já começa a se procurar terreno para instalar o canteiro de obras. A sinalização já começa já amanhã. Vamos esperar passar o feriado para iniciar. Mas é maio, máquinas lá na pista já trabalhando. Queria agradecer aqui o secretário Dr. Saulo de Castro Abreu Filho fazendo um excelente trabalho na secretária dos Transportes. Dr Laurence, presidente da Dersa. As equipes deles ai que trabalharam esse tempo todo. Destacar aqui a presença do prefeito de São José dos Campos, do Rubens Curi que é um grande parceiro nesse trabalho. E dizer que agora máquina na pista e mãos a obra.


REPÓRTER: Quando fica pronto, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: 20 meses.


REPÓRTER: Uma dúvida. O senhor comentou do trecho ‘serra’, que é uma das demandas principalmente do litoral. Vocês estão muitos preocupados em duplicar primeiro o Planalto e ter uma demanda maior de carros, e agente ter algum problema ali na chegada ao Litoral Norte. O senhor falou que até o final do ano as licenças devem está pronto. Existe algum cronograma mais concreto de quando as obras do trecho ‘serra’ devem começar? Vai ser feita alguma coisa paralela?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O Saulo pode detalhar mais para vocês. Mas o que nós queremos é ganhar tempo. Nós só estamos começando já o trecho de ‘serra’, porque senão estaríamos todos parados esperando o licenciamento ambiental que não existia dos contornos e da serra. Então, por isso para ganhar tempo nós já vamos conversando. Porque tem o tráfico também regional, Jambeiro, Paraibuna...


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: 16 mil veículos no planalto.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós temos um trânsito...