Coletiva - Balanço das ações do Estado contra a dengue e arboviroses 20162005

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Balanço das ações do Estado contra a dengue e arboviroses

Local: [[]] - Data:Maio 20/05/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Bom dia. Bom dia a todas e a todos. Cumprimentar o professor Davi Uip, secretário de estado da Saúde; coronel José Roberto, secretário-chefe da Casa Militar e o coordenador da Defesa Civil; professor, Dr. Jorge Kalil, diretor do Instituto Butantan; Dr. André Franco Montoro Filho, presidente da Fundação Butantan; Dra. Regiane de Paula, diretora do Centro de Vigilância Epidemiológico; Dr. Dalton Pereira da Fonseca, superintendente da Sucen. E primeiro um balanço importante. Nós tivemos aí uma epidemia de Dengue extremamente grave. Em 2015 tivemos 920 mil casos notificados de Dengue, confirmados 653.465, e 455 óbitos de janeiro a maio, que é sempre o período mais crítico, não é, os cinco meses que pega, especialmente o verão. Em 2016 nós passamos de 920 mil para 295 mil, praticamente reduziu a um terço. O número de casos confirmados de 653 mil para 114 mil, reduziu praticamente a um sexto. E óbitos de 455 para 48 praticamente é um décimo. Sempre comparando janeiro a maio. Nós temos no Estado de São Paulo 16 milhões de imóveis, 16 milhões 328 mil 957. Foram visitados 24 milhões, ou seja, 150%, porque foram mais de uma vez alguns imóveis foram vistoriados. E fizemos também uma coisa importante que foi contratar os agentes de saúde todo sábado. Então, todo sábado nós passamos a ter março, abril, vai agora até maio, chegamos a ter 30 mil agentes de saúde. E o combate ao mosquito do Aedes aegypti que era feito em um quarto dos municípios, passamos a ter no estado inteiro e a presença dos agentes em 90% dos municípios do Estado de São Paulo aderiram a esse trabalho que é voluntário, mas é pago, é remunerado. Investimos já 25 milhões de reais, chegaremos a 50 milhões de reais. E a tarefa, ela continua, não é porque agora estamos no outono e vem o inverno, onde deve cair mais a Dengue em razão do frio, que nós vamos esmorecer. Então, quero anunciar que nós vamos, a partir de setembro começa já, nós vamos de novo fazer a contratação dos agentes de saúde todo sábado. Então, mais três meses, 30 mil agentes de saúde todo sábado fazendo mutirão, fazendo o combate ao mosquito Aedes aegypti, visitando as casas para a gente poder, embora agora seja um período menor, mas não parar esse trabalho. Então, nós teremos 30 mil voluntários e começaremos a partir de agosto, aliás. Então, será agosto... aliás, setembro, outubro e novembro. Nós vamos preparar agora esse trabalho para depois ter mais durante três meses esse reforço aí junto a todos os municípios. E a boa notícia, a queda de 90% no número de mortos pela Dengue. Em 2015, dando a número exato agora, no primeiro quadrimestre. Em 2015, 403 óbitos, permitam-me a correção. Em 2015, 403 óbitos. Em 2016, 44. Queda de 90%. Então, em 2015, 403, em 2016, 44. Queda de 90%. A vacina da Dengue, todo o trabalho está sendo feito, não é, com todo o rigor científico com auditoria até e acompanhamento internacional em toda a parte ética, será feita em 12 centros no país inteiro. Está tudo preparado para agora no mês de junho se fazer aí a última fase, há uma expectativa de se ter uma vacina tetravalente contra os quatro tipos de sorotipos de tipos vírus da Dengue, que será uma vacina aí de repercussão mundial feita aqui no Instituto Butantan. Aliás, pode ser um fato raro no mundo, o Sul de mundo estar levando tecnologia para o Norte do hemisfério. Geralmente o Norte vende tecnologia para nós, não é? Hoje nós estamos fazendo tecnologia, pesquisa e ciência aqui graças ao trabalho da equipe toda do Instituto Butantan. Então, esta é a boa notícia.

REPÓRTER: Governador, mudando um pouco de assunto. Com uma semana de governo Temer, eu queria saber se o senhor já conversou com o Presidente. O que São Paulo pode esperar a partir da agora que a Casa recomeçou com os anúncios, agora o que é que o Estado de São Paulo pode esperar?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, não conversei pessoalmente, só por ocasião do convite que ele fez para o Alexandre de Morais, pedindo eu o liberasse para assumir o Ministério da Justiça. O nosso trabalho é toda cooperação. O Brasil passa um período muito difícil. Nós estamos com um desemprego recorde, não é, infelizmente, quase 12 milhões de pessoas desempregadas. Os jovens, inclusive, chegando a mais de 20%, 24%, um momento extremamente grave. E todo o apoio para ajudar a recuperar aí a economia e a retomada aí do crescimento. Outra notícia importante, é o seguinte, a vacina da gripe, ela é uma vacina tríplice, então também feita no Instituto Butantan para o Brasil inteiro, foram 54 milhões de doses para o Brasil, H1N1, H3N2 e o Influenza B. Então, essa vacina, aqui em São Paulo a meta era vacinar 12,8 milhões de pessoas, aquelas previstas no protocolo: crianças de seis meses a cinco anos, acima de 60, gestantes, doentes crônicos, imunodeprimidos e profissionais de saúde. Já passamos dos 100%, mas como um teve um número de crônicos maior, então o estado já está distribuindo hoje mais 1 milhão de doses de vacina. Então, alguns postos de saúde, algumas regiões que ainda falta, nós teremos mais 1 milhão a mais. Aliás, quero destacar aqui que o estado e o Butantan é que estão colocando esse recurso, não é do Ministério da Saúde. Então, quase 20 milhões a mais que está sendo colocado para que toda a população prev ista, a população objeto desse trabalho seja atendida.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Governador o senhor citou que não é Ministério da Saúde, é comprada com recurso próprio, de onde é que é vem essa vacina, por favor?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Do Butantan tão então é Instituto Butantan é que está nos fornecendo a vacina. Doutor Davi Uip vai explicitar melhor, o prazo termina hoje, não é isso? Nós vamos prorrogar até 31 de maio, então, quem teve ainda oportunidade, inclusive, amanhã, sábado esta população será vacinada.

REPÓRTER: Em todos os postos do capital haverá vacina?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: O Davi vai explicar. Todos os que estão previstos no protocolo devem ser vacinados, a vacina tem uma eficácia de mais de 80%, e naquele que pega gripe ela tem uma carga viral menor, então tem uma gripe mais branda, nós queremos que todos sejam vacinados, governador será o último, eu tenho 63, então estou na faixa de risco, mas não fui ainda vacinado, a hora que todo mundo tiver vacinado eu vou ser, está bom?

REPÓRTER: Governador o que o senhor achou da decisão do STF [ininteligível]?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, existe uma lei federal que ela permite quando você tem um doente grave, o médico faz o pedido e o doente assume a responsabilidade que possa ter acesso ao medicamento, então, existe uma legislação, agora, quem tem que aplicá-la é o Ministério da Saúde, chama, tem até um nome, a lei, uso compassivo, uso compassivo. Bom, o que o Congresso fez foi diferente, o Congresso simplesmente liberou o uso do medicamento. Claro que não é o ideal, o ideal é nós cumprirmos todas as etapas e o rigor científico, quanto à eficácia do medicamento da substância química e de outro lado que não haja efeito negativo, efeito colateral grave para população. Agora, por que ess as coisas também ocorrem? Pela morosidade, morosidade, então, não é possível, casos de câncer, casos graves você ter um rito tão longo para aprovação de novos medicamentos, substância virar medicamento, é preciso as agências, elas agirem com maior rapidez. O que nós estamos fazendo? Nós estamos fazendo corretamente, a pílula, ela foi encaminhada para a Furp, nós precisamos da especificação, em todos os, por exemplo, você vai encapsular, qual é a pressão? Como é que compõe? [interrupção áudio]. Há um compromisso de até quarta-feira isso ser entregue, sendo entregue ela será encapsulada, isso é questão de dias, então, começa a fase três no instituto do câncer, então vamos cumprir rigorosamente todo o rigor aí científico, agora o ideal é não fazê-la por lei, é realmente fazer todo o cumprimento aí do rigor científico, agora é preciso também ter mais rapidez nas agências em relação às substâncias virarem... Categoria 20 de maio de 2016 [[]]