Coletiva - Cúpula de Líderes Regionais - 20121204

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Cúpula de Líderes Regionais

Local: Capital - Data: 12/04/2012

REPÓRTER: Bom dia, governador. Em relação à Copa de 2014, aqui tem uma delegação da África do Sul, que tipo de convênio foi fechado com essa delegação? E que propostas podem ajudar o Brasil a realizar a Copa, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos aqui, representada a região de um país que sediou a Copa do Mundo, que é a África do Sul, e temos aqui regiões de países também com grande expertise na questão da Copa do Mundo; e São Paulo também está disputando os centros de treinamento, quem escolhe as cidades que vão perceber as equipes da Copa do Mundo são as seleções, as seleções é que escolhem, mas São Paulo tem um grande número de cidades com aeroportos, rede hoteleira e equipamentos esportivos para poder receber as seleções que virão para a Copa do Mundo de 2014.


REPÓRTER: Governador, eu queria que o senhor explicasse mais detalhadamente sobre essa parceria que vai ter com algumas províncias, eu acho que Cidade do Cabo com relação à Copa, foi um termo que foi assinado hoje, e eu queria que o senhor falasse se é somente esse termo ou se também tem outra parceria que foi firmada, que o senhor detalhasse um pouquinho mais. E o senhor falou sobre investimento, é isso? Em setor hoteleiro para a copa, eu queria que o senhor explicasse mais um pouquinho como é que vai ter essa troca de informações, enfim?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós assinamos e assinaremos no período da tarde, várias parcerias, vários convênios com as regiões aqui presentes, na área da pesquisa, institutos de pesquisa, a FAPESP aqui de São Paulo e os institutos de pesquisas de outras regiões já temos uma tradição com a Bavária, uma tradição de parceria na questão da energia na área educacional do ensino técnico e tecnológico, e agora também na área de pesquisa através da fundação da amparo a pesquisa do estado. No caso a província do Cabo Ocidental, a Cidade de Cabo recebeu oito jogos da Copa de 2010 e nós teremos aqui uma parceria no sentido dessa expertise, quer dizer, eles já sediaram jogos importantíssimos da Copa do Mundo, então intercâmbio entre as nossas regiões em área específicas que vão ser definida pelo comitê da Copa.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Por favor, alguém quer fazer mais alguma pergunta?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A nossa imprensa aqui... Nós vamos ter este ano eleições municipais no Brasil, inclusive aqui na capital, São Paulo, então a energia hoje que a imprensa está mais concentrada é a energia eleitoral, energia da campanha que se a avizinha ai. Mas quero aqui agradecer a todos e convidar para um café, muito obrigado.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: E, como álcool, tem imposto menor. E carro, acaba sendo carro a álcool. Aumento da energia eólica, energia solar, pequenas hidroelétricas e biomassa, através do bagaço de cana. Nós poderemos ter quase uma Itaipu, que é a maior hidroelétrica brasileira – Brasil e Paraguai – através de biomassa.


REPÓRTER: Segunda pergunta. Baviera uma das regiões, nesse caso, a Alemanha, que é parceira oficialmente há 15 anos com o estado de São Paulo, com várias parcerias. Qual é, hoje, a importância dessa relação com a Baviera, que é ainda uma das mais fortes centros econômicos da Europa.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, destacar, primeiro, a grande parceria entre o Brasil e a Alemanha. Nós temos uma grande comunidade alemã no estado de São Paulo, o maior parque industrial fora da Alemanha aqui em São Paulo. E uma grande parceria com a Baviera, com a Bavária; na área da pesquisa, através dos nossos institutos de pesquisa, temos uma parceria importante na área do ensino técnico e tecnológico, na área da educação também. Na área dos resíduos sólidos, do destino final do lixo. Na área das energias, das várias energias. Então, temos uma parceria que tem trazido bons resultados. E é importante esta rede, não apenas governo, mas uma rede entre as regiões, uma rede que inclua institutos de pesquisa, universidades, clusters industriais, setor produtivo, empresários nesse trabalho.


REPÓRTER: E só para concluir, você falou da rede, mas a rede está feita pelas pessoas, pelos seres humanos. E como tem já um tempo essa relação entre a Baviera e São Paulo, como é que estão as semelhanças e as diferenças entre bávaros e paulistas?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Cada vez a distância é menor. Cada vez mais próximos. Parceiros. A Bavária e São Paulo têm uma tradição de parceria, que fortalece esta sinergia econômica entre a Alemanha e o Brasil. Só vamos disputar fortemente é na Copa do Mundo, aí sim nós deveremos estar lá na final, torcendo pelo Brasil.


REPÓRTER: Em todos os trabalhos referentes à Copa do Mundo, ou seja, toda a concepção de infraestrutura, serviços, etc.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu entendo que sim. É muito importante que as regiões, os estados subnacionais participem dos grandes eventos pela sua importância social, pela sua importância econômica. E, no caso do Brasil, a Copa do Mundo é no Brasil, a abertura será em São Paulo. E as seleções dos países escolhem as cidades onde elas vão ficar, vão ter o seu centro de treinamento. E São Paulo oferece boas condições, cidades com aeroportos, rede hoteleira e centros de equipamentos esportivos.


REPÓRTER: E as regiões parceiras poderão trabalhar em conjunto com essas cidades?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Eu acho que, hoje, a integração, ela não deve ser feita apenas pelo governo nacional, os estados subnacionais podem efetivar muitas parcerias na área da educação, investimentos, parceria público-privadas, oportunidade de comércio, de negócios. E, ao mesmo tempo, políticas públicas bem sucedidas.


REPÓRTER: Muito obrigada, governador.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia!


REPÓRTER: Bom dia, governador! Tem como a gente educada, governador? Tem que valorizar também...


REPÓRTER: Essa meta da energia renovável, governador, até 2020, para o estado isso é um ganho, não é?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Veja que o mundo, os dados da agência internacional mostram que o mundo só tem 12% de energia renovável na sua matriz energética. São Paulo já tem 57% da matriz energética, energia renovável.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: E nós vamos passar para... A nossa meta é 69% até 2020, então é um ganho extremamente importante. Como aumentar a energia renovada? Aumentando a energia eólica, energia solar, biomassa, bagaço de cana... Isso é um potencial de quase uma Itaipu, de 15 gigawatts. Energia hidrelétrica; nós não temos mais como fazer grandes hidrelétricas, por que o rio Tietê, o Grande, o Paranapanema, o Paraná já estão todos já represados, mas pequenas hidrelétricas têm um potencial importante. Então, pequenas hidrelétricas, energia eólica, energia solar, biomassa... Então, tem um potencial importante para crescer ainda mais e nós chegarmos a quase 70% de energia renovável na matriz energética de São Paulo.


REPÓRTER: Mas governador, como é que o senhor pretende chegar a esse número a energia eólica, energia solar... Isso é investimento um pouco pesado. Como é que vai ser essa parceria? Vai ser Parceria Público‑Privada, como é que o senhor pretende implementar isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós estamos terminando. Nós vamos lançar daqui poucos meses, o plano estadual de energia, e a Secretaria de Energia tá terminando o Mapa Eólico. Então, apresentado o Mapa Eólico, o setor privado vai investir. Aliás, é interessante, se você for verificar nos últimos leilões ocorridos, a energia eólica venceu, teve uma competitividade importante.


REPÓRTER: Mas serão leilões do governo, é isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É. Você faz o Mapa Eólico, o setor privado conhecendo o Mapa Eólico, você apresenta suas propostas.


REPÓRTER: Entendi. Vai ser um leilão que nem o governo fez no ano passado, mais ou menos assim?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente.


REPÓRTER: Eu queria que o senhor falasse um pouquinho sobre a questão do investimento nas escolas estaduais. Tem uma reportagem que foi divulgada falando que o repasse, na verdade, não chegou até as escolas, deveria ter chego acho que em janeiro ou fevereiro. E algumas escolas, segundo a reportagem, reclamaram de alguns problemas na verba de reparo, tiveram dificuldade ali. Eu queria saber com o senhor, o que aconteceu, se isso realmente confere e o que senhor vai fazer com relação a isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós já repassamos em janeiro o recurso para as APMs, para as escolas houve uma mudança de sistemática. Ao invés de fazer três repasses, nós vamos fazer dois repasses. Hoje está depositado o dinheiro e houve um aumento importante. Por exemplo, o repasse é por aluno. Então era de R$ 10,50, passa para R$ 12, um aumento de 15% comparado este ano com o ano passado. E nas escolas de tempo integral, dobra o repasse. Que era de R$ 12 por aluno, para R$ 24 por aluno. Então, o dinheiro estará depositado hoje e um aumento importante na mão das escolas, de forma descentralizada para elas poderem trabalhar. De 15% na rede toda, e de 100% nas escolas que passarão para tempo integral.


REPÓRTER: Você sobe quanto que é esse repasse total aí? Tem esses dados?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu posso depois passar para você...


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: R$ 27 milhões.


REPÓRTER: Quanto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Quanto?


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: R$27 milhões.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: R$27 milhões, é o que vai ser depositado hoje.


REPÓRTER: Tá. E porque não foi repassado... Eu não sei se tem um período determinado, acho que no começo do ano, não é, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Foi repassado o dinheiro das APMs, então toda a escola APM já tá com o dinheiro. Os das escolas, hoje, estará depositado e é um aumento significativo, bem superior à inflação e no caso das escolas tempo integral, ainda mais expressivo.


REPÓRTER: Obrigado.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, tem um dado que é interessante aqui, esse problema de álcool. Nós fizemos uma comparação da operação Direção Segura, condutores abordados no primeiro trimestre. Nós estamos comparando o primeiro trimestre deste ano com o primeiro trimestre do ano passado. No ano passado condutores abordados, 117 mil condutores, motoristas; esse trimestre agora desse ano, 233 mil. Dobrou. Dobrou o número de motoristas abordados. Condutores submetidos ao teste do etilômetro, é o popular bafômetro. 20 mil, o ano passado, no primeiro trimestre; este ano no primeiro trimestre, 97 mil, 383% a mais. Flagrantes de alcoolemia, a pessoa tá alcoolizada. 311 o ano passado, 1.052 esse ano. Aumento de 238%. Veículos fiscalizados, carros e motocicletas, 107 mil, o ano passado, o primeiro trimestre; esse ano, 182 mil, 42% a mais. Veículos autuados, 18 mil, o ano passado; 46 mil, esse ano, no primeiro trimestre, aumento de 157%. Então, aumentou o número de motoristas abordados, de condutores submetidos ao bafômetro, de flagrantes de alcoolismo, de veículos fiscalizados e de veículos autuados.


REPÓRTER: Como o senhor faz a leitura desses números? Assusta um pouquinho a quantidade de pessoas que infringem a legislação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, eu vejo dois caminhos. Primeiro, o caminho da conscientização, não é: bebeu, não dirija; e, segundo, punição. A impunidade estimula o ato delituoso, pondo em risco a vida da população.


REPÓRTER: Obrigada, governador.