Coletiva - Cerimônia de posse de 135 novos delegados de polícia 20121212

De Infogov São Paulo
Revisão de 11h34min de 13 de dezembro de 2012 por Marcelorocha (discussão | contribs) (Criou página com ''''Coletiva - Cerimônia de posse de 135 novos delegados de polícia ''' '''Local: Capital - Data: [http://infogov.imprensaoficial.com.br/index.php?title=2012#Dezembro 12/1…')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Cerimônia de posse de 135 novos delegados de polícia

Local: Capital - Data: 12/12/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha hoje, nós tivemos a posse de 134 novos Delegados de Polícia foi um concurso bastante concorrido, 22 mil inscritos do país todo. Nós já tínhamos nomeado 185, e agora mais 134, os 185 já estão trabalhando, e os 134 começam agora a Acadepol, a Academia de Polícia 90 dias, também já estarão nos distritos policiais trabalhando. Então um grande reforço para Polícia Civil, teremos também concurso de investigador, de escrivão, enfim as várias carreiras policiais fortalecendo a Polícia Investigativa, e Polícia Judiciária quem vai ganhar com isso é a população com esclarecimento rápido dos crimes e prisão dos criminosos.

REPÓRTER: Eles devem ficar aqui na capital ou vão para o interior, o senhor já sabe, governador?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, aí é uma decisão da Delegacia-Geral, do Secretário da Segurança, onde for necessário, onde for mais importante, e mais necessário.

REPÓRTER: Governador vai ser importante esse efetivo novo para agilizar o andamento dos inquéritos, que hoje está é gargalo?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O Delegado-Geral e o Secretário da Segurança verificam quais os setores que precisam ter um esforço maior e vai concentrar esse trabalho, onde houver mais necessidade. E uma boa notícia também, foi o entendimento que fizemos com o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, e o corregedor do CNJ para o mutirão de processos, para agilizar todos os processos de crime contra a vida. Então um mutirão que vai dar celeridade aos julgamentos, mas o Dr. Grella pode detalhar melhor pra vocês.

REPÓRTER: E sobre as prisões dos PMs aí, desses últimos dias?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, A polícia está trabalhando rápido, trabalhando absolutamente rápido, presos, corregedoria, investigação, se comprovar ilícito, se comprovar a ação ilegal, os policiais são agentes da lei, portanto tem que dar exemplo do cumprimento da lei. A punição...

REPÓRTER: Essa rapidez já é resultado, de alguma mudança...

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Como?

REPÓRTER 4: Essa rapidez das prisões, já é resultado de alguma mudança...

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós sempre tivemos uma corregedoria importante, porque a polícia é muito grande, nós temos mais de 130 mil policiais no estado de São Paulo. Então, se você tiver meio por cento que apresente algum... Que hajam de forma irregular são 800, 700, o número de policiais é muito grande. Mas eu queria destacar é o lado positivo, quer dizer, o empenho da polícia de um lado em esclarecer crimes, de um lado em proteger a população, do outro lado de não tolerar desvio de conduta.

REPÓRTER: Agora governador, de uma eventual expulsão. Pode acontecer até antes do final da investigação?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Aí o secretário e os comandantes das policiais falam. Está bom?

REPÓRTER: Governador, nesta madrugada nós chegamos ao centésimo número de policiais mortos. Quais são as novas medidas para combater?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eles vão falar.

REPÓRTER: Em relação à Casa Civil, vai haver divisão mesmo?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vai. Vai haver divisão. Nós teremos, na segunda-feira, o Sidney Beraldo fez um bom trabalho, foi bom parlamentar, bom secretário de estado, o Tribunal de Contas do Estado ganhou, aliás, três ótimos conselheiros: A Dra. Cristina, que é uma auditora de carreira; o Dimas Ramalho, que é um promotor de justiça e o Sidney Beraldo, que é uma pessoa corretíssima. Para o lugar do Beraldo, nós convidamos o deputado federal Edson Aparecido, que é secretário de desenvolvimento metropolitano, também deputado estadual, deputado federal, tem grande liderança. Não será candidato, porque isso acaba tendo de deixar, enfim, não vai ser candidato, vai se dedicar à tarefa da Casa Civil. E nós vamos, provavelmente, fazer o modelo da época do Mário Covas, que é Casa Civil cuidando mais da articulação com a sociedade civil, Assembleia Legislativa, parte do governo e a secretaria de governo cuidando de gestão, dedicada exclusivamente a questão de gestão, projetos, celeridade, enfim, a parte de ganho de eficiência de gestão do governo.

REPÓRTER: E quem será esse secretário de governo?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esse ainda não está escolhido. Primeiro nós teremos a posse do Edson, segunda-feira, terça-feira o Beraldo assume o Tribunal de Contas, depois é que serão as últimas mudanças.

REPÓRTER: Governador, uma última pergunta...

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eles vão dar uma...


Coletiva 2

[Trecho inaudível] GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha hoje nós tivemos a posse de 134 nossos delegados de polícia. Foi um concurso bastante concorrido, 22 mil inscritos do país todo, nós já tínhamos nomeado 185 e agora mais 134. Os 185 já estão trabalhando e os 134 começam agora na ACADEPOL, academia de polícia, 90 dias também já estarão nos distritos policiais trabalhando. Então um grande reforço para a Polícia Civil, teremos também concurso de investigadores, escrivão, enfim, as várias carreiras policiais, fortalecendo a polícia investigativa e polícia judiciária. Quem vai ganhar com isso é a população, com esclarecimento rápido dos crimes e prisão dos criminosos.

REPÓRTER: Eles devem ficar aqui na capital, vão para o interior? O senhor já sabe governador?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Aí é uma decisão da delegacia geral, do secretário da segurança, onde for necessário. Onde for mais importante e mais necessário.