Coletiva - Comemoração do Dia do Idoso - 20120110

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na do Dia do Idoso

Local: Capital - Data: 01/10/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Primeiro uma boa notícia. Acabamos de ter aqui os dados da Fundação CEAD, que mostram que a expectativa de vida média no Brasil em São Paulo, estão subindo, em São Paulo até mais que o Brasil. Nós tínhamos no ano 2000, no estado de São Paulo, 71 anos de expectativa de vida média, 71,5, passamos para 75 anos de expectativa de vida média. Então, passamos de 10 anos, de 71 para 75 anos, crescemos quatro anos. O Brasil passou de 70 para 73, aumentou três anos a expectativa de vida média, nós aumentamos quatro anos a expectativa de vida média. Claro que quem passa dos 30 anos, isso vai para mais de 80, porque sai da vulnerabilidade juvenil. Então, estamos vivendo mais em São Paulo, mais no Brasil, e aumentando a expectativa de vida. As mulheres, no caso de São Paulo, 78, 5, é uma expectativa de vida três anos e meio maior, porque há muita morte de rapazes, de jovens, nos finais de semana, não por doença, mas por causa externa: motocicleta, carro, problema de morte violenta. Então essa é a primeira boa notícia. A outra é “São Paulo, Amigo do Idoso”, então nós estamos assinando hoje a lei que cria o fundo estadual para os idosos, colocar recursos lá dos três níveis de governo, e pode ter também recurso de imposto de renda, 1% de pessoa jurídica e 6% de pessoa física, e as políticas para os idosos. Estamos aqui no Mandacri, que é o CRI da zona norte, um espetáculo de centro de referência, aqui tem assistência médica, ambulatório, odontológica, prótese, salão de beleza, salão de baile, leitura, informática, um conjunto de políticas públicas. Vamos criar mais cinco CRIs, Centro de Referência dos Idosos: Ribeirão Preto, Campinas, Santo André, Santos e São Paulo; 120 centros de convivência dos idosos, aí todos os 645 municípios do estado terão centro dos idosos; um centro dia, que é mais sofisticado, com apoio maior para as pessoas passarem o dia, serão mais 100 centros/dias, e nos municípios acima de 50 mil habitantes, cuidadores de idosos, um programa que vai desde formação rápida até enfermagem de alto padrão; o turismo para os idosos, programas de viagens, lazer. Estamos trabalhando a próxima licitação de ônibus interestadual para o ônibus que vai de uma cidade para outra, para as pessoas poderem viajar, terem duas poltronas reservadas gratuitamente para os idosos, e o programa “Cartão atividade física”, melhor idade ativa, que é o cartão para famílias com menos de três salários mínimos poderem ter acesso às academias para fazer ginástica. Enfim, um trabalho multidisciplinar, estabelecendo políticas públicas para os idosos. O Brasil que há 100 anos era um país jovem, há 50 anos, hoje é um país maduro, e caminha para ser um país idoso, isso é ótimo, é muito bom, as pessoas podem ter boa qualidade de vida e é o que todos os países desenvolvidos estão fazendo.


REPÓRTER: É impossível arrecadar [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Imagine o seguinte, você pessoa física tem mil reais para pagar de imposto de renda, 6% disso ao invés de você pagar na receita, você deposita no Fundo. Pessoas jurídicas, essas grandes empresas, até estatais, elas pagam imposto de renda, então 1% você deposita no fundo, SABESP, SESP, e mesmo empresas privadas, vamos correr atrás aí do recurso. E este dinheiro do fundo você vai aplicar em saúde, educação, turismo, lazer, centros de convivência; “São Paulo, estado amigo do idoso”.


REPÓRTER: Governador, hoje a Folha de São Paulo traz números do PCC, números que até então eram desconhecidos, e que são informações da própria polícia. Diante desses números o que o governo pretende fazer? O reconhecimento de uma facção tem crescido, ou tem diminuído de atuação no estado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o secretário da Segurança Pública, já respondeu inclusive, que há muita lenda nessas coisas. É crime organizado, desorganizado, ele é enfrentado, todo dia polícia vai para cima de bandido, todo dia os criminosos são presos. Aliás, hoje acabamos de ter aqui o anúncio, 700kg de maconha foram apreendidos em Santo André, 700kg de maconha, então São Paulo, polícia na rua, aumentamos 12 mil presos em nove meses. Nós tínhamos no dia primeiro de janeiro, 180 mil presos, hoje temos 192 mil presos. Aqui nós não damos espaço para ninguém criar nome em São Paulo, veja que o Fernandinho Beira Mar, que ninguém conseguia segurar em lugar nenhum, veio para cá, sumiu, ficou dois anos, nós temos três penitenciárias de segurança máxima para lideranças do crime organizado. Aliás, o Fernandinho Beira Mar só saiu daqui porque a Justiça determinou. Então São Paulo tem um sistema penitenciário forte, polícia trabalhando, é o estado que mais prende, tira criminoso da rua, essa é uma tarefa que tem que fazer todo dia, essa é uma guerra que você tem que vencer batalha todo dia.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, já foi solicitado a Justiça do Trabalho, esperamos uma manifestação da Justiça do Trabalho ainda hoje, não tem o menor sentido essa greve. A data base do metrô é maio, nós estamos em outubro, não tem o menor sentido essa greve, espero que o bom senso prevaleça e a decisão da Justiça do Trabalho, que deve sair ainda hoje.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É, muito estranho, novamente.



REPÓRTER: ... Centro de Idoso para São Paulo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, muito importante porque nós estamos, a população está tendo uma vida maior, o que é muito bom. Em são Paulo era 71 anos de idade a expectativa de vida, hoje é 75,5, já aumentou cinco anos em dez anos, então o Brasil que era um país jovem hoje já é maduro e vai ser um país idoso, nós precisamos ter políticas públicas: local de encontro, de baile, de festa, de lazer, de assistência médica, odontológica, apoio aos idosos... Então um conjunto de políticas públicas nos 645 municípios. Hospitais de retaguarda para casos que a pessoa não tem como se manter, vão ter seis hospitais retaguarda, então um conjunto de políticas públicas.


REPÓRTER: O idoso então vai estar bem mais assistido agora?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O idoso bem mais assistido. E a pessoa pode ter mais idade e ter uma vida alegre, normal, quer dizer, a idade traz algumas limitações, mas não é doença, a pessoa pode ser jovem e estar doente e ela pode ter mais idade e ter uma vida extremamente saudável. E é muito importante à convivência e ter recursos humanos preparados, não é, políticas públicas, queremos São Paulo estado amigo do idoso.