Coletiva - Descerramento de Placa das Obras de Duplicação da SP 079 - 20123007

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva no Descerramento de Placa das Obras de Duplicação da SP 079

Local: Salto - Data: 30/07/2012

REPÓRTER: Governador, bom dia! Faça um resumo das quatro obras que estão realizadas em Salto.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós estamos, hoje, autorizando a construção de uma grande ponte, uma nova ponte sobre o Rio Tietê, ligando Salto a Itu. Será uma Ponte Estaiada, uma ponte muito bonita. Também a duplicação da ligação da ponte com a rotatória da rodovia que vai para Itu. Depois, uma nova ponte sobre o Rio Jundiaí. E a duplicação da rodovia ligando as duas pontes. Então, são quatro obras: a nova ponte sobre o Rio Tietê, uma Ponte Estaiada, bonita; a sua duplicação até a rotatória; a nova ponte sobre o Rio Jundiaí; e a duplicação entre as duas pontes. E mais o elevador panorâmico, uma obra de 34m de altura, aí com recurso do DADE, porque Salto é uma estância turística. Então, todo esse complexo de pontes, rodovias para dar mais segurança para Salto e também vai beneficiar a região, em torno de R$ 23 milhões. Estamos entregando, hoje, a duplicação de Salto até Itu, e estamos homologando a duplicação de Itu até Sorocaba. Uma obra grande e uma obra necessária, inclusive com ciclovia também. Uma obra importante. Então, eu diria que nós vamos ter aqui a região bem atendida sob o ponto de vista de segurança de rodovias, ciclovias, evitar atropelamentos e trazer mais segurança para a região.


REPÓRTER: Prazo médio de término das obras de Salto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, Salto até Itu está pronta. De Itu até Sorocaba, homologamos hoje, eu acho que nós podemos iniciar as obras em 30 dias. Um ano e meio de obra. A ponte, nós vamos licitar, também 30 dias. Aí, tem que... noventa dias, nós vamos iniciar ainda esse ano, todo esse complexo de obras aqui em Salto.


REPÓRTER: Geraldo, por favor. Ao mesmo tempo que a gente inaugura uma obra ligando Itu a Salto, a gente está com problema no trevo da rodovia SP-75, há quase dois anos parados. Qual é a situação atual hoje e qual é a previsão de resolução desse problema?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Houve um problema de desapropriação, do DUP, desapropriação com a [ininteligível] se eu não me engano, que ali é a proprietária da área, que me diz aqui o Geraldo, prefeito, que deve resolver em 15 dias. Resolvido isso, em quatro meses a obra estará concluída, a ponte. Nem é feita pelo Governo, ela é feita pela concessionária Colinas. Eu queria trazer também uma palavra importante sobre o Rio Tietê: primeiro, a recuperação do rio, sua oxigenação, viscosidade, recuperar, limpar o rio. O grande problema é São Paulo, a região metropolitana de São Paulo, com 20 milhões de pessoas, mas nós estamos avançando bastante no tratamento de esgoto. Coleta e tratamento na região metropolitana, então vai limpar aqui o Rio Tietê. E a outra é hidrovia, a hidrovia está parada em Anhembi e nós faremos um primeiro prolongamento de 50km até Piracicaba e, depois, um segundo prolongamento, de 200km, até Salto.


REPÓRTER: Governador, só mais uma pergunta, por gentileza. Com relação a Itu-Salto existia uma preocupação com relação à iluminação dessa nova rodovia. Como que está essa situação? Por ser considerada uma avenida até pela própria deputada, como que fica essa situação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Você tem trecho urbano e tem trecho que não é urbano. Então, a sugestão aqui é que os dois prefeitos, de Salto e de Itu, sentem com o DER e a gente busca uma solução em comum aqui.


REPÓRTER: Tem alguma previsão?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O mais rápido possível, equacionado à questão financeira.


REPÓRTER: Governador, queria que o senhor comentasse um pouco o protesto dos caminhoneiros, se isso poderia atrapalhar de alguma forma a economia paulista.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu espero que não. O transporte rodoviário, ele é muito importante sobre o ponto de vista de logística, de abastecimento. São Paulo está procurando fazer um grande esforço para ter as melhores rodovias do país, o que dá mais segurança, diminui acidente e reduz custo. Para a questão de praça de pedágio muito próximo de cidades, caso aqui, exemplo típico em Indaiatuba. Nós estamos implantando o Ponto a Ponto. E o Ponto a Ponto sem custo e voluntário, ninguém é obrigado a aderir. Teve uma receptividade muito boa. Procurando melhorar também segurança nas rodovias, Polícia Rodoviária, equipamento. Espero que se chegue a bom termo aí essa questão, que é uma tratativa com o Governo Federal, que é uma questão nacional. E a outra, nós temos que reduzir custos, então uma boa alternativa é a Hidrovia Tietê-Paraná. Quer dizer, a Hidrovia Tietê-Paraná nós temos 2.400km de hidrovia. Ela transporta sete milhões de toneladas/ano. E a nossa proposta é triplicar, passar para 21 milhões de toneladas/ano. Como? Pontes. Nós estamos implodindo meio das pontes e alargando, passa de 40m para 120m, então a barcaça não bate nos pilares. Então a passagem que leva hoje quase 01h30, passa direto, porque não precisa separar as barcaças. E de outro lado o aprofundamento do leito do rio, melhorias das eclusagens e o prolongamento para chegar em Piracicaba e integrar com a ferrovia. E chegar também em Salto integrando com a ferrovia.


REPÓRTER: Governador, o Governo Federal anunciou algumas medidas assim que podem ajudar a diminuir o custo das contas de energia elétrica. E o ministro ele disse assim que caberia cada Governo de Estado determinasse se não iria cobrar o ICMS na conta ou não. O Governo já tem alguma discussão em torno disso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nos já temos uma tarifa reduzida para a área industrial e comercial, ela é menor, e para os consumidores de baixa renda, já é mais baixa. Então as famílias de baixa renda... Posso até lhe dar uma escala, mas nós temos uma...tem uma escala tributária. Então quando se diz que o ICMS da energia elétrica é 25%, na realidade as famílias de menor renda isso é bem baixinha a tarifa. Eu vou lhe passar direitinho os valores. Está bom?


REPÓRTER: Só mais uma pergunta, governador. Na semana passada a Secretaria de Segurança Pública divulgou alguns dados assim sobre a criminalidade. E a gente notou que em todos os casos aqui no interior do estado subiu, principalmente Sorocaba. Queria saber como que o senhor vê essa parte assim da criminalidade no interior?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu acho que nós vamos reverter esses índices. Nós tivemos um mês de junho ruim, o mês de julho também, mas tudo indica que vai ser revertido. Mandamos aqui para a região 82 investigadores e escrivães de polícia. Agora mais 20 soldados para a Polícia Militar, mais de 100 novos policiais para a região. Vamos ter a nomeação de 200 delegados, aliás, já nomeei na sexta-feira. Eles tomam posse aí questão de 15 dias e devem assumir os seus postos em 90 dias, porque tem um curso de três meses. Então teremos mais 200 delegados de polícia, mais 900 investigadores e escrivães, um novo concurso e quase 1.000 PM. Tudo até o fim do ano. Então um bom reforço na questão policial. Polícia trabalhando empenhada e eu tenho confiança de que vai reverter esses últimos dois meses.


REPÓRTER: Governador, agora com a melhoria das estradas e também com a possível chegada da hidrovia; e o possível melhoramento das ferrovias, Salto se encontra agora em uma situação estratégica no ponto economicamente e da logística do Estado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não há dúvida, você ter uma integração de modais. As melhores rodovias do Brasil, está aqui rodovia do açúcar, as SP todas, as melhores rodovias do país, duplicadas, ferrovia e hidrovia. Então essa integração de modais faz toda a diferença. Está bom?