Coletiva - Entrega da Escola Estadual Jardim Santa Terezinha 20162002

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Entrega da Escola Estadual Jardim Santa Terezinha

Local: [[]] - Data:Fevereiro 20/02/2016

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O que nós devemos fazer que pedagogicamente é o mais recomendado? É separar os alunos pela idade e por ciclo, e ter escolas menores. Essas escolas com dois mil alunos, muito grandes, não tem o mesmo nível de aprendizado das escolas menores. Então a gente deve separar. A outra é idade, não deve misturar criança de seis anos com adolescente de dezesseis anos. Então sempre procurar separar. O que o Dr. Nalini, o nosso secretário de educação, vai fazer esse ano? Ele vai conversar. Porque os maiores interessados são os alunos e os pais dos alunos, e os professores. Como nós temos espaço bastante, temos uma rede bem maior do que o número de alunos, você tem possibilidade de ir separando. Aqui, por exemplo, já está quase separado, porque não tem o Ciclo um, que é de primeiro ao quinto ano. Só tem as séries finais e o ensino médio. Nós já temos hoje 1.500 escolas de ciclo único, o que a gente quer é, na medida do possível, ir ampliando, que com isso a gente melhora o Saresp, você melhora as notas para os alunos e para a escola pública de São Paulo.

REPÓRTER >> Apeoesp, A Maria Isabel Noronha, Diz que o senhor já está fazendo, de forma silenciosa, essa reorganização que o senhor parou ano passado. Está acontecendo já essa reorganização?

>> [GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN] Não, não. O que existe é o seguinte: Nós temos uma rede pra cinco milhões de alunos, e hoje temos 3,8 milhões de alunos. Se pegar o ano passado para esse ano, reduziu 118 mil. O ano que vem vai reduzir de novo, mais de 100 mil, por quê? Porque há uma mudança demográfica no Brasil. A tendência do mundo inteiro, que era um país jovem, ser um país maduro e caminhar para ser um país idoso. As mamães hoje têm menos filhos, ainda tem filho não com 15 anos de idade, 16, mas mais velha. Então é natural. E também o primeiro ciclo, ele é hoje da prefeitura, ele é municipalizado, então você tem espaço, né? Quer dizer, o que a gente está procurando fazer? Aproveitá-lo da melhor maneira possível, ampliando escola de tempo integral, ampliando escola técnica. Mas dar os parabéns para Bocaina, a escola é muito bonita, mais moderna que tem, preparada para o desenvolvimento da cidade, atendendo aqui a região aqui de Santana, 5,9 milhões de investimento, é um belo projeto.

REPÓRTER: Fechamento de escola está descartado governador?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Totalmente descartado. Não é fechamento de escola, escola não fecha. Você tem é prédio, que às vezes você tem um prédio que cabe 20 salas e estão funcionando 4, porque não tem aluno. Então precisa dar um destino melhor pra essas salas ociosas.

REPÓRTER: Questão da merenda, saiu esse escândalo. Eu sei que o senhor já pode até ter falado para a grande imprensa, mas pra nós aqui ainda não. Como é que está isso?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós que apuramos, foi a polícia de São Paulo que apurou. Existe uma lei federal que diz que 30% do recurso federal para a merenda, você é obrigado a comprar de agricultura familiar, Quilombolas ou pequenos agricultores. Então você tem que fazer chamada só para esses pequenos. Então cumprindo a lei, nós fizemos pouquíssimas chamadas, mas fizemos. Ganhou uma cooperativa, que estava habilitada. Acontece que essa cooperativa fraudou documentos, porque à rigor esse produto que ela vendia não era de pequenos agricultores, ela estava fazendo uma fraude. Isso foi descoberto pela própria polícia. E qual a nossa determinação? Apuração rigorosa. Quem tiver culpa é condenado, quem não tem é absolvido. Qualquer que seja o partido político.

REPÓRTER: Governador essa crise ainda, continua afetando essas parcerias governo do estado com os municípios? Por exemplo, o senhor anunciou ano passado em Boraceia a recuperação da SP 268 Pederneiras e Bauru o senhor pode até passar pelo local e sentiu o solavanco da mesma forma que na ambulância aquela vez. Está represado esse investimento também ou não?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós contingenciamos parte do orçamento para ir acompanhando a evolução. Eu estou mais otimista, eu acho que a partir do meio do ano a economia pode reagir um pouco, né? E com isso nós vamos descontingenciando e entregando as obras. Nós não temos nenhuma obra parada, estamos entregando. À medida que a gente vai entregando as obras, abre espaço fiscal para você começar as novas. Então São Paulo está mantendo nível de investimento. O que eu acho que pode melhorar a partir do segundo semestre? Porque as exportações devem crescer com o dólar, agricultura está indo bem, inflação deve cair, porque o câmbio já absorveu foi ano passado, não há razão para aumentar mais o câmbio. E preço administrado foi energia elétrica, se chover vai cair o preço da energia. Não é que vá melhorar, mas vai parar.

REPÓRTER: Vai piorar menos.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vai piorar menos. Você definiu bem, vai piorar menos. Então se você pegar os economistas, eles dizem que o PIB vai cair esse ano 4%. O ano passado caiu 4,08%. Se cair de novo 4% esse ano é um caos, vai ser um desemprego jamais visto, só na década de...Começo da década de 30. Então eu não acredito nisso, e vamos trabalhar para que isso não se realize. Que vai ser negativo de novo, o PIB vai ser, mas não tanto quanto. E São Paulo vai fazer a diferença. Que nós estamos investindo, investindo, e obra, construção civil gera bastante emprego.

REPÓRTER: A concessão de estrada. O senhor tinha (ininteligível 00:06:30)Jaú/ Barra Bonita, chegou ao senhor e o senhor fez até projeto disso, ia duplicar pelo estado. Então diante da crise, a solução encontrada foi a concessão de mais 2.200 planos de estrada incluindo essa SP 255, no caso de Araraquara até Barra Bonita, São Manuel?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós fizemos um programa e R$ 12,4 bilhões de investimento, R$ 12,4 bilhões. Isso inclui quatro lotes de concessão rodoviária, inclui cinco aeroportos de aviação executiva, duas linhas de metrô e cinco áreas de ônibus intermunicipal no estado. Esse conjunto todo, nós estamos falando aí de mais de 30 mil empregos, estamos falando de R$ 12,4 bilhões em investimento. O primeiro lote de concessão que nós estamos mais adiantado é no litoral, é a rodovia que sai lá do Vale do Ribeira, lá em Cariri e vai até Praia Grande, pra fazer uma ligação melhor com o porto de Santos, essa é a primeira. Aqui eu não sei se é a terceira ou a quarta, mas é um belo projeto. Nós teremos aí mais de 100 quilômetros de duplicação.

REPÓRTER: Então isso aqui vai resolver a questão da Jaubara, a concessão, né?


>> [GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN] Com certeza. Categoria 20 de fevereiro de 2016 [[]]