Coletiva - Entrega da escola estadual “Coronel Ernesto Schmidt” 20161712

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Entrega da escola estadual “Coronel Ernesto Schmidt”

Local: Suzanápolis - Data:Dezembro 17/12/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, boas notícias aqui para a região, nós estamos entregando uma nova escola, uma beleza de escola com essa quadra coberta, entregando também cozinha piloto, terminal rodoviário, obras importantes aqui em Suzanápolis. Em Rubineia outra escola também vai ser entregue, terminal rodoviário, centro de convivência do idoso. Em Santana de Ponte Pensa nos vamos entregar uma ponte, assinar convênio de R$180 mil para fazer asfalto. E em Guarani do Oeste também convênio com a prefeitura para compra de veículos e também nós vamos visitar a escola da beleza e padaria artesanal, são projetos sociais importantes. Nomeamos 11.900 professores, e les já tomam posse imediatamente e iniciam as aulas já no dia primeiro de fevereiro. Na região de Araçatuba, cento e cinquenta e nove professores, na região de São José do Rio Preto, duzentos e oitenta e seis professores a mais. Então um grande reforço aí para a educação em São Paulo.

REPÓRTER: Só pra gente aproveitar a presença do senhor então, falando de outros assuntos. Uma questão que preocupa muito a nossa região aqui é a dengue, agora para o período chuvoso, muitos rios, a gente queria saber qual é o plano do Governo para poder combater isso aí.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, enquanto não fica pronta a vacina, nós já estamos através do Instituto Butantã trabalhando a última fase, que é a fase clínica, aliás estarei quarta feira em Brasília, para instalar o décimo segundo centro de pesquisa da vacina nova contra o vírus da dengue, é uma vacina, com uma dose só, tetravalente, contra os quatro tipos de dengue, tipo um, dois, três e quatro. Então nós temos centros de pesquisa desde Roraima, Boa Vista, até Porto Alegre no Rio Grande do Sul. Mas ainda pode levar um ano para termos a vacina. Só tem um caminho hoje, que é combater o mosquito. O mesmo mosquito, o Aedes Aegypti, ele transmite a dengue, o zica vírus, chikungunya e febre amarela urbana, e o mosquito é água parada. Agora tem que redobrar o trabalho, porque volta a chuva, chuva e calor, que é tudo que o mosquito quer, chuva, calor e água parada. Então é combater os focos de mosquito, nós estamos retomando o mutirão. A gente paga cento e vinte reais por pessoa no sábado, agentes comunitários, agentes de saúde das prefeituras municipais, deveremos ter quarenta mil trabalhando no Estado de São Paulo. Então além de segunda a sexta feira, todo sábado também nós teremos os mutirões. E as pessoas ajudam em casa, porque oitenta por cento do foco é dentro da casa. Então é ver o telhado né, a calha, ver se não está entupida, atrás da geladeira, tem aquele recipiente atrás da geladeira, pode para água, vasos, quintal, latinha, pneus, enfim. É atenção a não ter água parada, porque geralmente o foco está perto de casa. E quando for um terreno vizinho, abandonado, alguma coisa, é avisar a Prefeitura Municipal.

REPÓRTER: Bom governador, e enquanto aos remédios de auto custo? Nós temos ouvido de muitos moradores aqui da região que eles tem tido dificuldade em conseguir alguns remédios, que eles estariam em falta nas farmácias. Como isso pode ser resolvido governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Eu tenho aqui uma informação, deixa eu achar aqui. Olha, nós investimos em medicamentos, por ano, 2,4 bilhões de reais, que o governo investe só em medicamentos. Alguns medicamentos a gente recebe do Ministério da Saúde, nós não compramos o medicamento, o Ministério que manda. Então existem catorze medicamentos em atraso pelo Ministério da Saúde, mas vai chegar, nós estamos cobrando lá para ser entregue. Dezesseis aguardando entrega pelo fornecedor, mas ainda está dentro do prazo, e sete sim com atraso pelo fornecedor, já foi comprado mas houve o atraso, nós vamos multar a empresa, mas é questão de dias deve estar resolvido.