Coletiva - Entrega de 110 unidades da CDHU - 20121710

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Entrega de 110 unidades da CDHU

Local: Emilianópolis - Data: 17/10/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia! Olha! Mais 110 casas entregues aqui, em Emilianópolis, 304 [ininteligível] e mais 54 agora, ao todo em comunicação, então são mais de... São 468 casas entregues hoje, são casas da melhor qualidade, pé-direito mais alto, esquadrilho de alumínio, forro, azulejos, ladrilho, com infraestrutura no bairro: asfalto, calçada, muro divisório e autorizamos hoje, o aquecedor solar que vai reduzir bastante à conta de energia das famílias, e a gente fica feliz. Porque 98% das famílias aqui ganham até três salários mínimos, e conseguiram realizar o sonho da casa própria, sai do aluguel, então um programa socialmente importante, porque ajuda a melhorar a vida da população que mais precisa! E economicamente importante, porque é muito emprego, cada casa três empregos. Então nós temos hoje 3.800 casas em obra, e vamos começar mais cinco mil unidades só aqui na região, no estado de São Paulo nós temos mais de 40 mil unidades em construção. Entregamos também uma ponte sobre o Rio Santo Antônio que é uma ponte grande, a Delegacia de Polícia aqui do município e piscina em convênio com a prefeitura municipal.



REPÓRTER: Governador, em Álvares Machado, o senhor entregou novas casas, mas recentemente no Bairro Panorama várias casas tiveram deslizamentos de terra, porque estavam sem muro de arrimo, [ininteligível] tem, e em outras casas não sei se, nas próximas terão também esses problemas que geralmente acontecem com a CDHU, rachaduras nas casas que a população sempre reclama. O que pode ser feito para contribuir com isso?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha! As casas que nós entregamos são as melhoras do país, se você verificar todos os programas habitacionais, é difícil você vê casas todas com dois ou até três dormitórios, todas com aquecedor solar, todas com pé-direito mais alto, todas com esquadrilhas de alumínio, com forro, com azulejo, com ladrilho. Os conjuntos são entregues com asfalto, com calçada, com muro divisório, com iluminação pública, com água e esgoto, então são os melhores conjuntos. A entrega, a empresa construtora, ela é responsável pela obra, então se uma casa apresenta um problema, a empresa é chamada e a obra não é... Ela tem garantia, então sem nenhum custo para o mutuário e nem para o governo, casos excepcionais eles são corrigidos, mas eles são poucos casos. Nós já entregamos 300.000 unidades habitacionais em todo o estado de São Paulo, eu diria que é um programa habitacional socialmente importante, porque gente rica não precisa se preocupar em comprar casa, nós precisamos fazer casa para quem ganha um salário, dois e três salários que é a população que precisa mais.



REPÓRTER: Mas como que é o acesso mais fácil a CDHU, porque muitos moradores reclamam dessa dificuldade de chegar à CDHU para passarem a informação?




GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Como é que... Como é que funciona o trabalho! As prefeituras municipais compram o terreno, geralmente um alqueire de terra da para fazer umas 70 casas?



ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Umas 60 casas.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Umas 60 casas, então se a prefeitura comprar um alqueire de terra, a gente faz 60 casas, se comprar dois alqueires 120 casas. Então a prefeitura doa o terreno e a CDHU constrói, licita a obra e constrói. Então, nós temos feito o Nosso Programa, temos feito também Carta de crédito, imagine funcionário público: professor, policial, área de saúde, todos os funcionários, nós damos uma Carta de Crédito para ele, para ele se já tiver o terreno construir a casa, se não tem o terreno poder também comprar uma casa ou construir, então nós fazemos conjuntos e nós damos Carta de Crédito nos casos de funcionários públicos do estado. Aí é que feito num município como esse, 110 casas? Você abre inscrição só para quem não tem casa, e limita dez salários, mas a prioridade é até cinco salários! Um, dois, três salários, se tiver mais inscritos do que casa, aí sorteia, não tem pedido político, não tem... Ninguém passa na frente, aí faz sorteio. E estamos também apoiando Minha Casa, Minha Vida federal, nós estamos colocando R$ 20 mil nos programas da Minha Casa, Minha Vida em muitos lugares, porque em São Paulo a casa é mais cara: mão de obra, terreno, então você não... Teria dificuldade em fazer nas cidades maiores, nas regiões metropolitanas, então nós colocamos R$ 20 mil á fundo perdido para apoiar.




REPORTER: Governador, o senhor, como homem, como pai, como o senhor se sente vendo tantas pessoas felizes, tanta família que está saindo do aluguel e vindo para a casa própria?




GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu diria que, em termos de vida pública, é o que nos dá mais alegria, você poder... A gente, na vida, vive de sonho. Quando é criança, sonha com brinquedo; depois, jovem, sonha com o namorado, a namorada, sonha com os filhos, sonha com os netos. Eu que tenho gêmeos, netos gêmeos. E o sonho da família é poder ter um teto, ter mais segurança, sair do aluguel, ter o seu teto, da família. Então é uma alegria poder liderar esse trabalho e poder, junto com a população, entregar uma obra tão importante. E a indústria da construção gera muito emprego. É emprego na veia. Cada casa ou apartamento são três empregos que são gerados. Trabalha motorista, secretária, pedreiro, servente, eletricista, encanador, marceneiro, engenheiro... O comércio, os serviços... Você movimenta a economia.




REPÓRTER: E a estrada? Vai ser liberados recursos, governador?




GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós vamos recuperar... Eu estava dizendo aqui para o Chico Bresser... Nós vamos recuperar todas as SPs, todas, todas as SPs. Depois que nós recuperarmos todas as SPs, aí nós... Vamos simultaneamente recuperar as vicinais, para ter manutenção, e aí vamos verificar aquelas de terra, que a gente possa ajudar para asfaltar. Essa é uma prioridade, está bom?



REPÓRTER: Governador, só por último, aqui. O senhor havia anunciado, salvo engano, na penúltima vez que o senhor veio, o Bom Prato para Presidente Prudente, que é alimentação barata, mas, até agora, não foi feito nada.




GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A gente tem feito sempre uma parceria com a prefeitura. Então, vamos, sim, conversar com a prefeitura. A gente tem feito uma parceria, a prefeitura nos dá o prédio, ou alugado, ou cedido, e a gente acaba instalando o Bom Prato. Esse é um bom programa social, porque não há remédio melhor do que alimentação saudável, de qualidade, e a um real. Então, você permite à população uma alimentação balanceada, equilibrada, com controle nutricional.




REPÓRTER: Governador, sobre as casas populares... Só para encerrar. Caso apresente algum defeito, qual a orientação para a população?




GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Orientação geral. Se alguma casa apresentar algum problema, procure a CDHU em Presidente Prudente. É o Vila Nova. Pode procurar, fazer a reclamação, a empresa é obrigada a fazer a correção que seja necessária. As casas têm garantia, e o governo não vai gastar nada e nem a pessoa também. Mas eu quero explicitar que nós estamos falando de 300 mil apartamentos e casas. Então, aqui nós entregamos 110. As que eu vi aqui... Olha, a qualidade da casa é realmente excepcional perto dos programas habitacionais do Brasil todo.