Coletiva - Entrega de 178 u.h´s no Conjunto Habitacional Boituva “F” 20140711

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Entrega de 178 u.h´s no Conjunto Habitacional Boituva “F”

Local: Região de Sorocaba - Data:Novembro 07/11/2014

REPÓRTER: A gente sabe que o senhor veio fazer a entrega de algumas casas, mas também a gente tem algumas reinvindicações do pessoal da região. Lá em Itapetininga, até tinha um anúncio de uma nova verba para recuperação da pista. Recentemente a Raposo Tavares, ali em Itapetininga, de Itapetininga a Ourinhos, até agora não foi feito. Tem alguma previsão, alguma coisa assim, governador, para essa... Itapetininga a Ourinhos, Raposo Tavares.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Essa vai ser uma das grandes obras do Estado, nós já temos a duplicação desde a barranca do Rio Paraná lá em Presidente Epitácio até Ourinhos duplicada, vai estar faltando só o pedacinho de Presidente Prudente até Presidente Epitácio que fica pronto ainda esse ano, e o mês.

REPÓRTER: [Ininteligível 00:00:52].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: É, eu sei. Então, nós teremos totalmente duplicada a Presidente Epitácio até Ourinhos, depois temos a duplicação de Itapetininga até Sorocaba, já entregamos também. Está faltando o trecho que não é concessionado, não tem pedágio, vai ser feito pelo governo, pelo DER, no trecho de Ourinhos até Itapetininga, da SP270, são 204,8 quilômetros. O projeto deve ser concluído até o final desse ano, e nós vamos licitar a obra no começo do ano que vem. É uma grande obra, nós teremos trechos de duplicação, trechos de terceira faixa, acostamentos, viadutos, pas sarelas, obras de arte, então é “macuco no borná”, está garantido.

REPÓRTER: E o pedágio?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, sem pedágio porque não é feito pela concessionária, é feito pelo governo. A outra boa notícia regional é o hospital, além de estarmos ajudando as Santas Casas de Misericórdia e hospitais filantrópicos de toda a região complementando a tabela do SUS, além disso e além de expandir os AMEs, acabamos de inaugurar mais um AME em Sorocaba e trazer para a região a rede Lucy Montoro, nós vamos fazer um novo hospital. Então fizemos uma PPP, Parceria Público Privada, onde o setor privado, ele constrói, ele equipa e ele opera chamada a bata cinza que é a parte não médica: lim peza, segurança, alimentação e a parte de saúde é o governo que opera. 100% SUS, tudo de graça e um hospital de alta complexidade, com dez salas de cirurgia, 96 leitos de UTI, então os casos mais simples são resolvidos nos hospitais locais e os casos de mais alta complexidade terão toda a infraestrutura em Sorocaba. E hoje... Como?

REPÓRTER: Inauguração prevista?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Hoje foi passado o terreno, aliás, está nos jornais de Sorocaba hoje no Cruzeiro do Sul. Então hoje foi passada a escritura, nós já fizemos a licitação, iniciaremos a obra já, não é licitação, é obra no começo do ano. Iniciado, 24 meses, é o prazo. E a outra é a entrega aqui em Boituva desse grande conjunto, são 178 apartamentos para famílias que não têm casa, CDHU, o governo de São Paulo é o único estado do Brasil que põe 1% do ICMS para fazer moradia, em nenhum estado brasileiro. Completamos 500 mil casas e apartamentos e é muito bonito aqui o conjunto de Boituva, a prefeitura também, Marcucci caprichou, tem uma piscina aqui do lado, asfalto, água, luz, energia, está muito bonito. E eu tenho dito que o grande eixo hoje de desenvolvimento do estado de São Paulo é a Castelo Branco, esse binário Castelo-Raposo. Impressionante o número de empresas que estão vindo aqui para a região, é só o Brasil retomar aí o crescimento, esse ano infelizmente tivemos o PIB pequenininho, é só tomar o crescimento, a região vai ter um grande, como já está tendo um grande desenvolvimento.

REPÓRTER: Outros investimentos, como cervejaria? GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós temos muitas indústrias vindo para cá, automobilística, motores, metal mecânica, informática, foxcom, setor de tecnologia de informação e comunicação, química, é muito diversificado o parque industrial.

REPÓRTER: Governador, a crise hídrica já passou e há risco de que volta em 2015? O que vai ser feito para evitar?

REPÓRTER: Complementando sobre a situação de Itu aqui sobre a água?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Itu não é serviço estadual, ela é municipal e privatizada. Mas nós ajudamos, liberamos dois milhões de reais para a contratação de carros pipa, liberamos também caminhões pipa e através de Cesário Lange, a Sabesp vende a água para a empresa concessionada lá de Itu. Então socorremos com água, com dinheiro, com caminhão&n bsp;pipa. Em relação à questão da seca, foi a maior seca dos últimos 84 anos, não acabou, mas ela já passou a fase pior porque nós já estamos no meio da primavera e nos aproximando do verão. Ela foi muito localizada na região oeste do estado, então pegou muito o caso de São Paulo e Cantareira, mas nós estamos menos dependentes de Cantareira. Cantareira representava metade do abastecimento da região metropolitana, hoje é um quarto, menos de 30%.

REPÓRTER: Serviu como alerta? Tem alguma coisa a ser feita a não ser só esperar pela chuva?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, o que nós estamos fazendo são: primeiro obras, estão esse mês de novembro entra mais um metro cúbico por segundo do Guarapiranga, nós tirávamos do Cantareira 33 metros cúbicos por segundo de água, reduzimos para 32, 30, 28, 26, 24, 22, 20, 19, com mais esse um metro cúbico por segundo do Guarapiranga, nós vamos reduzir para 18. Nós estamos interligando todos os sistemas, depois um novo sistema que é o São Lourenço, então a gente pega água do Rio Lourenço e leva para São Paulo, pega em Juquitiba, 80 quilômetros de distância, está tudo em obra. E a outra &ea cute; a água de reuso, se você, no caso de São Paulo, consome 70 metros cúbicos por segundo, esses 70 metros cúbicos podem voltar para as represas. Você trata o efluente, depois faz um outro tratamento com membranas e poro pela qual a água passa na membrana é de 0,035 micra. O micron que é o singular de micra - os mais jovens não tiveram o latim - mícron é o singular, o plural é micra; é um milésimo do milímetro. Então é um trabalho extremamente importante.

REPÓRTER: Existe algum projeto do governo para ajudar nessa reutilização, investimento?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, nós vamos fazer. Nós já estamos preparando a primeira obra, pega a zona sul de São Paulo. O emissário, ele vai para Barueri, a estação de tratamento de esgoto é em Barueri, intercepta esse emissário em frente ao Hotel Transamérica, o esgoto volta, tem uma estação de produção de água de reuso qu e vai ser construída, chamada EPAR; e aí trata, a água sai limpinha e você devolve para a represa do Guarapiranga. Prazo 14 meses. Então, nós vamos ter obra esse mês, entregando, vamos ter em janeiro, vamos ter em março, vamos ter em dezembro do ano que vem e vamos ter um novo sistema São Lourenço que abastece uma região de 2 e meio milhões de pessoas. REPÓRTER: Governador, corre uma petição pública na internet contra a extinção da Secretaria da Agricultura, existe algum plano?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, não existe. Eu nem sei de onde vem esses boatos, não tem nenhuma hipótese de fechar a Secretaria da Agricultura, imagina, a Secretaria da Agricultura é uma das mais antigas, das mais importantes. São Paulo é a terra do agronegócio, então não há a menor possibilidade. Nós temos 25 secretarias, estamos fazendo o esforço para tentar reduzir aí uma ou outra, mas não a Agricultura, isso não. Estamos avaliando com cautela, sempre na linha de reduzir gastos na atividade meio para aumentar investimento. Está bom? Região de Sorocaba