Coletiva - Entrega de 51 Unidades Habitacionais da CDHU - 20121307

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Entrega de 51 Unidades Habitacionais da CDHU

Local: São Simão - Data: 13/07/2012

REPÓRTER: Governador, gostaria que o senhor repetisse as duplicações, as mudanças nas estradas, os projetos do Estado para a região.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, primeiro destacar aqui a entrega das moradias. Nós entregamos 117, e 351 apartamentos em Jaboticabal e agora 51 casas em São Simão. Apartamentos e casas de dois dormitórios, três dormitórios. E mesmo aqui onde é casa de dois dormitórios, a fundação já está pronta para fazer o terceiro dormitório. Casas também com acessibilidade para famílias que tem cadeirante, pessoa com deficiente, já vem com as barras, porta mais larga, banheiro maior, totalmente adaptada. Com toda a infraestrutura, asfalto, água, esgoto, iluminação, inclusive aquecedor solar. Porque é ambientalmente mais correto e de outro lado reduz a conta de luz das famílias. E é um programa que prioriza de um a três salários. Nós atendemos famílias com quatro, cinco, seis salários. Mas a maioria, 80% é até três salários. Quem ganha um salário mínimo tem acesso à casa própria. Tem forte subsídio do Governo do Estado. São Paulo é o único estado do Brasil que investe 1% na moradia popular, porque gera muito emprego na Construção Civil e porque proporciona moradia para famílias de menor renda. Em relação aqui a região, eu me referi aqui a Rodovia 253, Cunha Bueno, que aqui tem outros nomes também. Lá Jaboticabal já estamos iniciando as obras agora em agosto, Jaboticabal até Guariba. É recapeamento, acostamento e terceira faixa. Aqui de São Simão até o município de Luís Antônio, já está em obra. E até Santa Rita de Viterbo, vamos licitar agora no segundo semestre. Temos a SP-326 que terá 6 km de duplicação e depois teremos terceira faixa, recapeamento, acostamentos em toda ela. A obra começou agora praticamente e nós teremos um ano aí de obra também importante e mais a região de Barretos. Mas também uma obra muito necessária que é a Faria Lima.


REPÓRTER: Com relação a essa ampliação, essa duplicação da faria Lima. Uma associação lá da cidade disse que 6 km não seria suficiente e que outros 36 ficariam sem duplicação. Existe alguma mudança nesse projeto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, qual que é o critério para gente ampliar as rodovias? É sempre o VDM, Veículo Dia Médio. Então quando a rodovia passar a ter um movimento maior ela passa a ter acostamentos dos dois lados. Aumentou mais o movimento, passa além dos acostamentos até a terceira faixa. Aumentou mais ainda, duplica. Então os estudos mostraram que o trecho prioritário para duplicar são os 6 km mais perto de Barretos, que é geralmente onde tem mais acidente, que é perto da cidade maiores e perto de bairros. Tem trânsito urbano, depois diminui o movimento. Ela será integralmente recapeada, integralmente com acostamentos, integralmente com terceira faixa e nesse trecho de Barretos totalmente duplicado.


REPÓRTER: Governador, gostaria que o senhor falasse sobre as mortes que teve nessa madrugada em São Paulo, confronto com a Polícia Militar.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o que nós tivemos em Osasco, não é? Nós tivemos lá pessoas mortas, o DHPP já está trabalhando para identificar quem são os assassinos. Nós já prendemos 36 pessoas nessas últimas semanas. Neste caso a polícia está investigando, algumas mortas foram em ponto de droga, então uma suspeita em relação ao tráfico de droga. Mas isso vai ser esclarecido aí rapidamente. A polícia está agindo firmemente no combate ao tráfico de droga, inclusive nas pontas, nas chamadas biqueiras, não é? Sufocando aí o tráfico de droga e há uma reação. Isso mexe com o dinheiro do crime. Então o pessoal acaba tendo aí ações para desviar a atenção da polícia. A polícia não vai retroagir um milímetro, está trabalhando firmemente para esclarecer e prender os criminosos, aliás, já tem 36 presos.


REPÓRTER: Governador, aqui em Ribeirão Preto recentemente a Secretaria Estadual da Saúde anunciou que em todo o estado, melhor dizendo, iria duplicar o número de vagas para dependentes químicos e psiquiátricos também. Em alguns casos aqui na cidade alguns pacientes esperam 10 dias para uma vaga no Santa Tereza. Existe uma previsão para que isso aconteça?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos na região 138 vagas para a saúde mental dos quais praticamente 30 são para ‘drogadição’. Sempre o enfoque, eu sou médico, deve ser sempre ambulatorial. A internação deve ser para casos mais graves e de curta duração. Nós não devemos ter uma hospitalização exagerada, isso vai contra até aos princípios de saúde mental, mas há necessidade. Por isso nós temos 138 leitos e temos muito mais leitos de retaguarda. Hoje o secretário da Saúde até em Ituverava, quando nós inauguramos o AME, ele falou sobre isso. Nós não temos falta de vagas, só entrar no sistema que a gente atende em outros locais mais próximos da região. E havendo a necessidade a gente amplia o número de leitos para a saúde mental. Mas sempre a prioridade é o atendimento ambulatorial [ininteligível] atender com equipes multiprofissionais e atendimento ambulatorial. Casos que demandem internação serão sim internados, para isso tem 138 vagas. Se houve necessidade de mais vagas a central de vagas encaminha esses pacientes.


REPÓRTER: Obrigada!