Coletiva - Entrega de casa própria para 300 famílias de Osasco 20162608

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Entrega de casa própria para 300 famílias de Osasco

Local: [[]] - Data:Agosto 26/08/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, primeiro destacar aqui a importância desse conjunto. O residencial Espanha, são 300 famílias sem moradia que foram desalojadas e estavam em situação... Sem auxilio aluguel também, e que passaram a ter o sonho e o direito da casa própria realizado. Nós colocamos no Casa Paulista, no caso aqui, R$ 20 mil por unidade. São 300 unidades, em número redondo, R$ 6 milhões. Isso possibilitou viabilizar o empreendimento, que o terreno é mais caro na grande São Paulo, e melhorar a qualidade do apartamento. E a nossa parte não precisa pagar, não é financiamento, é a fundo perdido. Então, todo programa do Minha Casa Minha Vida, ele é complementado pelo Casa Paulista, pra ajudar a viabilizar o empreendimento na região metropolitana de São Paulo, onde o terreno é mais caro, e pra melhorar qualidade do apartamento. Então, esse é um ponto importante, a gente fica feliz. Aqui em Osasco nós já tínhamos entregue 300 aqui do lado, e agora mais 300, são 600 do Casa Paulista junto com o governo federal, Minha Casa Minha Vida. E 960 do CDHU, que entregamos há alguns anos atrás. Então, vai dar aqui perto de 1.500, e mais 23 cartas de crédito para funcionários públicos. Nós temos um programa, não é privatização, que privatização é quando você vende um bem do governo, é concessão. Então, estamos estudando ainda, não tem nenhuma ainda definição, estamos estudando, a possibilidade de concessão. A concessão traz ganho de eficiência. Então, o setor privado, ele tem mais agilidade. Então você traz ganho de eficiência, de qualidade e isso beneficia o usuário do sistema. Então, o que está em estudo é a linha oito e a linha nove. Agora, as novas concessões, essas todas já estão sendo operadas pelo setor privado. Por exemplo, a linha quatro do metrô, que é a mais moderna, você tem um trem a cada 90 segundos praticamente, essa que não tem nem operador o trem, ela é todinha operada por sistema, essa já é da concessionária, do setor privado. A futura linha cinco também será concessionada ao setor privado, ele que vai operar. Aquela que vai de Santo Amaro até Chácara Klabin. A linha 17, que é a linha do aeroporto de Congonhas, ela também será operada por iniciativa privada, e terá investimentos, isso é importante. Setor privado vai investir mais em modernização, um conjunto de medidas. E a linha 15, que vai para zona Leste de São Paulo também. Então, na CPTM, são duas que vão ser estudadas, linha nove e linha nove. Não é a privatização porque continua do governo, é uma concessão por tempo determinado. E o objetivo da concessão é mais investimento e melhor qualidade do serviço prestado ao usuário.

REPÓRTER: Mas algum motivo especial por essas duas linhas, a oito e a nove?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, não, nada especial. Porque a linha sete, que é aquela que vai pra Jundiaí, você pode ter uma interface no futuro com o chamado trem intercidades, que vai pra Campinas. Então, não tem nada em especial, tá bom?

REPÓRTER: Obrigado, governador. Categoria 26 de agosto de 2016 [[]]