Coletiva - Entrega do Terminal Vila Galvão da EMTU 20141212

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Entrega do Terminal Vila Galvão da EMTU

Local: Região Metropolitana de São Paulo - Data:Dezembro 12/12/2014

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Tudo bem? Olha, nós estamos entregando hoje aqui o terminal de Vila Galvão, Guarulhos é a maior cidade depois da capital, no estado de São Paulo, um milhão e trezentos mil habitantes, a região metropolitana de São Paulo é a terceira maior do mundo, 22 milhões de habitantes e toda a prioridade é a mobilidade urbana, transporte coletivo de alta capacidade e de qualidade. Pneu, trem e metrô. Então aqui para Guarulhos a Linha 2 do metrô já foi contratada, estamos na fase já de desapropriação para começar a obra, sai de Vila Prudente e vem até o Shopping Internacional aqui em Guarulhos. Trem, a nova Linha 13 do trem, nós teremos duas estações em Guarulhos, estação Cecap e a estação Aeroporto, então o aeroporto de Cumbica será atendido pela Linha 13 do trem. E o corredor de ônibus, EMTU, entregamos o Terminal Taboão, Terminal Cecap, e hoje, o Terminal Vila Galvão e até abril vamos entregar 16 quilômetros de corredor. O terminal tem bicicletário, acessibilidade, sanitários, muito bonito, ventilado, muito bom. E a meta é chegarmos até o Metrô Tucuruvi, são mais cinco quilômetros, então aí nós vamos integrar Guarulhos com o metrô lá em Tucuruvi, na Zona Norte de São Paulo e integrando o corredor de ônibus com modal metroviário.

REPÓRTER: Governador, sobre a questão da Linha 13, já foi acertado com o governo Federal quando que vai haver o repasse para a sinalização e energia da linha?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Nós temos três convênios assinados com o governo Federal que ainda dependemos do contrato com a Caixa Econômica Federal, um foi resolvido, foi a Linha 9 que vai de Grajaú até Varginha, nós já assinamos e está resolvido o contrato. As outras duas eu acho que deve ficar para janeiro, que é a Linha 13 a que tem recurso federal, são...

JURANDIR FERNANDES, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: 250.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: 250 milhões, e o outro convênio são as reformas de estações da CPTM...

JURANDIR FERNANDES, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: 18 estações.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: 18 estações. Então eu acho que será em janeiro, mas nós vamos tocando a obra e independente disso.

REPÓRTER: Governador, e a questão da ciclovia. É uma ação que o governo Municipal envolve de colocar junto, né, com a forma de transporte, mobilidade, como é que está a questão da ciclovia durante o trecho do corredor?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, nós vamos ter bicicletários, né? Em todos os terminais. Temos também ciclovia no Parque Várzeas do Tietê, todo ele o Parque Várzeas do Tietê com ciclovia, aí o Jurandir pode detalhar melhor para vocês.

JURANDIR FERNANDES, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: Você fala em Guarulhos? Em Guarulhos tem.

REPÓRTER: Governador, alguma previsão de tarifa em janeiro, aumento de reajuste na tarifa da CPTM, metrô?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não, não tem nada definido ainda não.

REPÓRTER: Desabamento de um túnel aqui Do Rodoanel, das obras. Isso deve atrasar em quanto às obras do Rodoanel?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, nós ainda não temos ainda detalhadamente a informação. Houve um problema lá de movimentação de terra geológico, que está sendo analisado pelo IPT, nós esperamos que não atrase e se atrasar o mínimo possível, o governo não vai gastar um centavo a mais porque tudo isso é de responsabilidade do consórcio. Eu acho que mais em questão de dias a gente terá detalhes da conclusão.

REPÓRTER: Mas elas estão pardas ali no momento, naquele trecho específico elas estão...

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Só naquele pedaço, aliás, nem o túnel do lado foi abalado, teve problema. Só naquele.

REPÓRTER: Governo sobre a questão da crise hídrica, o prefeito Sebastião Almeida falou sobre possibilidade de tratar a água do rio Baquirivu aqui em Guarulhos. Eu queria saber como o estado vê essa possibilidade, se pode dar andamento?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha eu acho positivo, todos os investimentos para melhorar a segurança hídrica eles são importantes nós enfrentamos a maior seca dos últimos 84 anos. Para você ter uma ideia a maior seca tinha sido em 1953. Este ano choveu a metade do que choveu em 1953 e foi, estudos internacionais, o ano mais quente da história. Então, uma seca muito dura, e conseguimos atravessar o período seco, agora já chegamos já estamos na primavera, daqui a pouco vem o verão período das águas. Todo o investimento no sentido de aumentar a segurança hídrica é importante.

REPÓRTER: Essa outorga tem que passar pelo governo do estado também do estado para fazer o tratamento do rio Baquirivu?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não só outorga que é o DAEE, a estação de tratamento não.

REPÓRTER: Governo sobre a crise hídrica ainda. Essa questão da multa, de se aplicar uma multa.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não há uma decisão. O que nós fizemos e fizemos em fevereiro do ano passado, faz dez meses, foi o bônus, e o bônus foi muito bem recebido pela população e ela faz economia. Então hoje nós estamos economizando 4100 litros por segundo, por segundo através do bônus.

REPÓRTER: E o ônus não vai chegar governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: O ônus é um estudo. O que quê está acontecendo: 80% da população reduziu o consumo, 20% ainda não, nós não podemos perder o apoio de ninguém, todo mundo precisa ajudar, se todo mundo ajudar a gente supera. Então nós queremos que todos participem. Campanha, bônus, estímulo. O ônus é uma hipótese, aliás, ontem nós indicamos o novo secretário de Recursos Hídricos, o professor Benedito Braga, que é o presidente do Conselho Mundial das Águas, uma das maiores autoridades do mundo no setor e ele vai estudar essa questão, está bom?

REPÓRTER: Governador, só uma última dúvida sobre o esquema de transportes aqui. No ano que vem, estão previstas menos inaugurações do que o originalmente proposto, né? Como que o senhor enxerga essa demora na entrega de estações de metrô, da CPTM?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, nós temos em Guarulhos um investimento recorde, porque é um investimento em pneu, corredor metropolitano, aliás vamos entregar o ano que vem o corredor, os treze e meio quilômetros, entre Cecap até aqui Vila Galvão, está em obras, vamos entregar o ano que vem. Então investimentos importantes, depois o trem, está em pleno andamento a obra.

REPÓRTER: Mas não só em Guarulhos, em São Paulo, a região metropolitana, eu digo a região metropolitana inteira.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Ah, toda a região metropolitana?

REPÓRTER: É.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Nós vamos entregar, claro! Nós vamos entregar a Estação Oscar Freire, Estação Higienópolis, nós vamos entregar muitas estações, tem muita obra.

REPÓRTER: Mas é menos do que o previsto inicialmente no ano que vem.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, obras de metrô, obras enterradas né, obras caríssimas e complexas, você não faz em 24 horas. O importante é o canteiro, nós temos um canteiro de 103 quilômetros, para colher precisa plantar, então foram feitos estudos, licenciamento ambiental, projeto funcional, projeto executivo, licitação, financiamentos internacionais, desapropriações, agora está tudo em obra. Então vai ter obra que nós vamos entregar no começo do ano, no meio do ano, no fim do ano, 2016, 2017, 2018 e até para frente, tá bom?

REPÓRTER: Governador, sobre essa questão [Ininteligível 00:01:40] vocês pretendem liberar o [Ininteligível 00:01:42] para que seja...

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, eu não vejo nenhuma razão para não liberar. O DAEE é quem faz, é uma questão técnica né? Não vejo nenhum problema, está bom?

REPÓRTER: Obrigado. Região Metropolitana de São Paulo