Coletiva - Estado de SP anuncia ampliação da dose adicional para os maiores de 18 anos 20211711

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Estado de SP anuncia ampliação da dose adicional para os maiores de 18 anos 20211711

Local: Capital – Data: Novembro 17/11/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olá, boa tarde. Muito obrigado a presença de todos. Vamos dar início a mais uma coletiva de imprensa, aqui direto da sede do governo do estado de São Paulo, Palácio dos Bandeirantes, hoje, quarta-feira, 17 de novembro. E vamos abrir, como sempre, falando sobre saúde, e com boas notícias, queda de indicadores, 56% dos hospitais estaduais do estado de São Paulo já não tem mais nenhum paciente de COVID-19. A redução superior a 90% dos índices de internações e óbitos, um total de 37 hospitais estaduais em São Paulo já não tem, felizmente, nenhum paciente de Coronavírus. Dos 66 hospitais estaduais utilizados como referência no auge da pandemia, temos apenas 29 hospitais com algum paciente com COVID-19. Houve uma redução de 56%, uma excelente notícia para todos nós. A melhoria dos índices da pandemia é fruto daquilo que nós sempre defendemos, vacina, vacinação. São Paulo já imunizou 92% da população adulta, e 73% da população total, índices superiores a países como a Grã-Bretanha, Alemanha, Itália e a qualquer estado da América do Norte. Sobre esse assunto, falará o secretário da Saúde do estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn. Ainda no tema da saúde, segunda informação, o governo do estado de São Paulo anuncia a ampliação da dose adicional para maiores de 18 anos, e a redução do intervalo entre a primeira e a segunda dose. A partir desta quinta-feira, portanto, amanhã, 18 de novembro, toda a população adulta que já tenha recebido a segunda dose da vacina, há, pelo menos, cinco meses, poderá receber a dose adicional de vacina aqui no estado de São Paulo. Antes a dose adicional era recomendada somente para pessoas com mais de 60 anos, e para profissionais de saúde, com intervalo de seis meses. Essa ampliação do público-alvo e a redução do intervalo de aplicação segue as diretrizes do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde. Com a mudança, 710 mil pessoas em todo o estado de São Paulo, vão poder tomar a dose adicional da vacina contra a COVID-19. E sendo justo, quero aqui parabenizar o Ministério da Saúde por essa medida acertada, o que aumenta a proteção à população, seja em São Paulo, seja em todo o país. Sobre esse assunto, falará a nossa coordenadora do PEI - Programa Estadual de Imunização, doutor Regiane de Paula. Que também vai atualizar o mapa de vacinação em São Paulo, o estado que mais vacina no Brasil. Terceira informação da coletiva de hoje, trata do sucesso do êxito do Grande Prêmio São Paulo de Fórmula 1, público recorde, maior impacto econômico e geração de empregos da história de todos os Grandes Prêmios realizados aqui em São Paulo, de acordo com estudo finalizado pela Fundação Getúlio Vargas em São Paulo. Recorde de público, 182 mil pessoas de sexta a domingo, no Autódromo de Interlagos em São Paulo, e a consolidação do Grande Prêmio de Fórmula 1 de São Paulo, como maior evento esportivo do país. De acordo com esse estudo da Fundação Getúlio Vargas, que foi encaminhado ao governo de São Paulo, o impacto financeiro, impacto positivo no estado de São Paulo foi de R$ 966 milhões, e a geração de 9.600 mil postos de trabalho, é o melhor resultado da história de todas as corridas de Fórmula 1 realizadas em São Paulo, ou no Brasil. Sobre este assunto falará com mais detalhes o secretário de Turismo do estado de São Paulo, Vinicius Lummertz. E eu quero aproveitar para cumprimentar todos os que estiveram envolvidos na organização, na segurança, na operação da Fórmula 1 em São Paulo. Além de um belíssimo Grande Prêmio vencido pelo brilhante Luiz Hamilton, nós tivemos um Grande Prêmio absolutamente especial e emocionante, sem nenhuma ocorrência, sem nenhum fato que pudesse desabonar a realização desse belíssimo evento que foi o Grande Prêmio São Paulo de Fórmula 1 no último domingo. E o quarto anúncio é um novo programa, o governo do estado de São Paulo anuncia o Programa Game São Paulo, com investimento de R$ 20 milhões para o setor de jogos digitais. É uma iniciativa inédita no estado de São Paulo e também no Brasil, onde as Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Secretaria de Esportes e Secretaria de Cultura, se uniram para criar um programa de incentivo e fomento a games digitais, um setor que movimenta R$ 12 bilhões por ano aqui no Brasil, e cresce a cada ano dois dígitos, é um setor que impressiona pela sua capacidade de multiplicação de usuários, de empresas, de startups, e dos recursos que são envolvidos nessa atividade. O objetivo desse Programa Games São Paulo é oferecer pela primeira vez uma política pública específica para o desenvolvimento deste setor, com a realização de eventos e campeonatos. Talvez as pessoas com um pouco mais de idade não tenham ainda percebido a dimensão do que isso significa, os mais jovens não só já perceberam, como se tornaram usuários frequentes de games, e a indústria de games já superou a indústria de entretenimento. Portanto, é algo consistente que gera empregos, gera impostos, gera oportunidade e gera também, evidentemente, a emoção do esporte e o entretenimento de milhões de jovens no Brasil, que utilizam os games. O aporte financeiro do governo do estado de São Paulo nessa primeira etapa do Games São Paulo foi de R$ 20 milhões para incentivar o empreendedorismo e a qualificação dos jovens que queiram atuar nesta área, gerando empregos e gerando novas empresas aqui no estado de São Paulo. Sobre este tema falará a Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do estado de São Paulo. Agora vamos ao primeiro tema, que é o tema da saúde, com Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde do estado de São Paulo. Jean.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE: Boa tarde, governador. Boa tarde, a todos. Continuamos com números bastante melhorados, isso fruto direto do nosso programa de vacinação, do PEI - Programa Estadual de Imunização, que garantiu que nós tenhamos 92% da população adulta vacinada de forma plena, assim como os 72% de todas as faixas etárias plenamente vacinados. Nós temos hoje internados nas Unidades de Terapia Intensiva, 1.200 mil pessoas. Lembrando que no pico da primeira onda nós estávamos com 13.150 mil pessoas. Portanto, 11 mil pessoas a menos, mas quando nós avaliamos o número total de internações, internações que somavam Unidades de Terapia Intensiva e enfermaria, logo no pico da segunda onda estávamos com 31 mil pessoas internadas, e hoje temos 2.700 mil pessoas internadas, somando Unidade de Terapia Intensiva e enfermaria. Portanto, isso é um sucesso, é um avanço com queda do número de internações por 22 semanas consecutivas. Próximo, por favor. Aqui nós temos as médias diárias da última semana epidemiológica em relação à anterior, que mostrava exatamente o número de internações, a queda consecutiva, lembrando que essas internações é que mostram sim a dinâmica da pandemia e o controle da pandemia no nosso meio, com queda de 4,6%, 0% dos óbitos, assim em termos de alteração em relação à última semana epidemiológica, e o número de casos frente ao acúmulo no próprio sistema, apresentou incremento de 46% em relação à semana epidemiológica anterior. Próximo, por favor. Temos hoje frente à essa redução dos 92% das internações, isso fez com que pudéssemos iniciar o acolhimento, o atendimento de outras doenças que estão represadas, 56% dos nossos hospitais, dos nossos 66 hospitais que acolhiam e atendiam COVID-19, 56% deles não tem sequer um paciente internado, seja nas enfermarias, seja na UTI, e podendo dessa maneira, como disse, acolherem outras doenças que estavam sendo represadas, fruto da própria pandemia. E hoje ainda temos 29 hospitais de referência em todo o nosso estado, que mantém o atendimento da COVID-19, mas em números, como nós podemos ver, bastante reduzidos, o que faz com que toda a nossa dinâmica seja voltada a exames, às consultas, às internações e cirurgias para doenças outras, possam ser acolhidas de forma plena e célere. Muito obrigado, governador.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, secretário Jean Gorinchteyn. Agora vamos ao segundo tema, à boa notícia, que é a ampliação da dose adicional para os brasileiros aqui de São Paulo, com mais de 18 anos, com a doutora Regiane de Paula, que é a coordenadora do PEI - Programa Estadual de Imunização, Regiane.

REGIANE DE PAULA, COORDENADORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Boa tarde, governador. Boa tarde, a todos e todas. Então, a partir de amanhã, dia 18, estão elegíveis 710 mil pessoas que podem retornar à Unidade Básica de Saúde, e fazer a sua terceira dose, a dose adicional. Quem são? Que público é esse que pode buscar a Unidade Básica de Saúde amanhã? São aqueles que já completaram seu esquema vacinal há cinco meses, e que tenham 18 anos ou mais. Então neste momento, 710 mil pessoas são elegíveis, mas quando eu olho desde o início da campanha, de terceira dose, 6 milhões já poderiam ter retornado para tomar a sua terceira dose, e no momento a gente tem 3,6 milhões de pessoas que o fizeram. Então a gente solicita que voltem à unidade, completem a sua terceira dose. E mais, principalmente os adolescentes, que não foram à Unidade Básica de Saúde para tomar a segunda dose e completar o seu esquema vacinal, o façam, esse é o público que ainda precisa. Lembrando que nos últimos dias, 400 mil pessoas buscaram a segunda dose, houve uma redução de 7,5% no número de faltosos. Mas o nosso movimento é constante, para lembrar a cada um que é necessário completar o seu esquema vacinal. Quando a gente olha para o vacinômetro, ontem nós viramos 75 milhões de doses aplicadas, nesse momento a gente tem 75.160.170 milhões de doses aplicadas, sendo que da população adulta com 18 anos ou mais, com pelo menos, uma dose, 100,77%, e dá população adulta com esquema vacinal completo, 91,66%. Quando a gente olha para essa população total, 84,26% da população do estado de São Paulo, com pelo menos, uma dose, e aqui, da população com segunda dose, esquema vacinal completo, 72,85%, é com essa população que a gente conversa, pedindo que eles retornem para tomar a sua segunda dose. Lembrando aqui que nós temos de primeira dose, 37.831.440 milhões de doses, de segunda dose, 32.549.438 milhões, e a dose única, que é da Janssen, 1.172.983 milhão. E como eu falei, a dose adicional, 6 milhões já poderiam ter retornado, mas nesse momento a gente tem 3.606.305 milhões. Então estamos muito próximos, governador, de chegar a melhores índices, trabalhamos para isso, contamos com todos os 645 municípios e com cada cidadão que volte e se vacine. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Regiane. E é sempre bom lembrar que há pessoas que não tomaram ainda a sua segunda dose da vacina, por favor, tome a sua segunda dose, é isso que vai dar a sua imunidade plena, é assim que você terá o seu processo vacinal completo. Portanto, se você não tomou a sua segunda dose da vacina, tome, se você tem algum amigo, parente próximo, que sabe que tomou uma dose e não a segunda, estimule para que ele vá a um Posto de Saúde em qualquer dos 645 municípios do estado de São Paulo, para tomar a sua segunda dose. Antes de prosseguirmos queria agradecer a transmissão ao vivo nesse momento, da coletiva que estamos fazendo aqui, pela TV Cultura, pela TV Band News, pela TV Record News, também pelos portais do Jornal Estado de São Paulo, portal Terra, e o Cidade ON, obrigado a todos que estão transmitindo, repito, ao vivo, esta coletiva de imprensa. Vamos agora com o Vinicius Lummertz, secretário de Turismo do governo do estado de São Paulo, com os bons resultados econômicos na geração de receita, ingressos para a cidade, para o estado de São Paulo, e também na geração de empregos. Vinícius.

VINICIUS LUMMERTZ, SECRETÁRIO DE TURISMO: Obrigado, governador. O Grande Prêmio, essa edição foi a edição que recebeu o nome de Grande Prêmio São Paulo, uma novidade que acompanha Dubai e Monte Carlo/Mônaco. Também foi a novidade esse ano em São Paulo a realização da Sprint Race, uma corrida que antecipou em emoção o que seria a grande corrida do ano, na Fórmula 1, no domingo. A Sprint Race ocorreu em Silverstone/Inglaterra, e em Monza/Itália, o que demonstra o bom entendimento da Fórmula 1 sobre a importância estratégica de Interlagos no contexto da Fórmula 1 mundial. Podemos seguir. Nós aumentamos o número de pessoas que vieram em 15%, de 2019 para 2021. Seguimos. O impacto econômico, como adiantou o governador, ultrapassou R$ 960 milhões, sendo que desses, de forma direta, R$ 577 milhões, e de forma indireta, R$ 383 milhões. Esse estudo foi feito pela FGV Projetos, professor Luiz Gustavo Barbosa, que se encontra aqui presente, que poderá também depois prestar mais informações e detalhes sobre isso que se segue. Que o impacto econômico no turismo é extremamente democratizante, e atinge muitos segmentos da economia. Na área pública nós tivemos o que é público, o retorno de R$ 550 milhões no turismo, sendo que 35% foram de residentes, de impacto de residentes. De visitantes de fora, 65% sendo que o gasto esse ano ultrapassou R$ 4.550 mil por pessoa, contra R$ 3 mil em 2019. É uma pequena correção ainda inflacionária para se fazer, mas mesmo assim a diferença é muito grande. E mais de um terço, 35% dos que vieram a São Paulo também ficaram um dia a mais. Os gastos da organização foram R$ 220 milhões, de patrocinadores e ativação de marcas, R$ 127 milhões, transmissão e mídia, R$ 65 milhões. Esse é o impacto na cidade, no entanto, quando se fala de transmissão e mídia nós ainda não temos os números finalizados, mas medido pela Fórmula 1 em 2019, o impacto da mídia mundial com 100 milhões de pessoas assistindo em 180 países, teve uma equivalência medida pela um, de R$ 1,7 bilhão. Claro que corrigido isso com a inflação do período. Nós teremos uma medição, possivelmente, pelo crescimento da Fórmula 1, pela jovialização da Fórmula 1, pela ampliação nas redes sociais, o que foi muito bem explicado aqui pelo CEO da Fórmula 1, Alan Adler, é possível, nós vamos comprovar isso à frente, nós esperamos que nós possamos ter ultrapassado o equivalente a 2 bilhões de retorno. Fora aqui o que falou o governador aqui, do intangível, que, muitas vezes, acontece no turismo, a excepcionalidade da prova dita pelo Luís Hamilton, o piloto vencedor, talvez a maior da sua carreira. Também aí na questão de postos de trabalho, foram 8.500 mil postos de trabalho em 2019, e evidentemente com esse crescimento geral, e a projeção de maior crescimento no ano que vem, já projetado pela Fórmula 1, foram 9.600 mil empregos, sendo que a maior parte diretos e também indiretos. No quesito tributos, em seguida, no quesito impacto econômico global, ali se tiver maior interesse, essa informação está à disposição de todos. Isso aqui é muito interessante para compreender o turismo, veja que compras pessoais teve um valor relevante, então há um espalhamento desse gasto, transmissão e mídia já havia falado, mas quando se pega ativação da marca e hospede, R$ 127 milhões, fornecedores, R$ 219 milhões, a capilaridade do benefício do turismo, transporte aéreo, R$ 54 milhões, transporte local, R$ 68 milhões. Aqui está o UBER, aqui está o Taxi, aqui está o dinheiro se espalhando pela economia, não está empossando, ele está espalhando, a alimentação, R$ 146 milhões, os restaurantes ficaram cheios. Os meios de hospedagens ficaram com uma taxa de ocupação nos maiores hotéis de 100%, e ao todo, na média de 93%. Cultura, lazer, ingressos e passeios, ou seja, as pessoas usaram a chamada economia criativa, e foram a outros lugares, deixaram R$ 157 milhões de compras. E finalmente impostos, R$ 144 milhões, também um crescimento nominal de R$ 34 milhões, sobre 2019. Então foi efetivamente um sucesso econômico, mas, sobretudo, um sucesso de imagem. Muito importante, governador, a sua liderança ter mantido o Grande Prêmio em São Paulo, na sua tradição, e a imagem do Brasil que foi para o mundo foi uma imagem daquele Brasil que é o eterno sonho dos brasileiros, do sonho de vitória, também já historicamente representado em uma emulação de sucesso do Brasil, que foi o Ayrton Senna, e que esteve, governador, na bandeira levantada pelo Luís Hamilton na pista, e depois abraçado na bandeira ao seu lado, esse é o Brasil com qual nós sonhamos. Muito obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito obrigado, Vinícius, foi realmente um sucesso, foi emocionante desde a era Ayrton Senna, foi o mais emocionante GP de Fórmula 1 realizado aqui no Brasil. Vamos agora concluindo com o novo Programa dos Games aqui em São Paulo, com você, Patrícia Ellen.

PATRÍCIA ELLEN, SECRETÁRIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: Muito obrigada, governador. Muito emocionante estar aqui hoje também com notícias tão boas, não somente no investimento e na tecnologia, mas no combate às desigualdades. Ontem o governador lançou aqui o Conecta São Paulo, um programa para acelerar a implementação do 5G, enviou o Projeto de Lei à Assembleia Legislativa, acabei de ver que ele está publicado, acabou de ser publicado na Assembleia, esperamos que ele seja votado rapidamente para acelerar essa implantação. E apoiar os municípios evitando desigualdades regionais. A mesma coisa nós estamos fazendo hoje com o Game SP, nós sabemos que durante a pandemia o setor de tecnologia foi um dos que mais cresceu em São Paulo, no Brasil e no mundo, e jogos digitais é uma vertente muito importante, todos que tem filhos, filhas, sobrinhos sabem, e mesmo os adultos, porque a gente viu que a penetração de jogos digitais agora é enorme em todas as classes sociais, e em todas as faixas etárias. Hoje no Brasil estima-se que nós tenhamos 67 milhões de pessoas jogando algum jogo digital. Mas nós podemos jogar com consciência e sem consciência, e o trabalho do Game SP é exatamente dar a chance para os nossos jovens e adultos poderem também participar dessa realidade não somente como jogadores amadores, mas também com oportunidades de emprego e renda. É por isso que nós juntamos aqui três secretarias, a Secretaria de Cultura, a Secretaria de Esportes, e pedido do governador João Doria, junto com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, e parceiros do setor privado. Nós temos aqui o Gustavo Steinberg, presidente da BIG Fast ValGames. A Eliana Russi, diretora executiva da AbraGames. A Chaine, fundador da Kim Chip, que também é uma startup que fez sucesso em Dubai, sendo contratada para fazer um grande jogo nos Emirados Árabes. Então nós temos aqui todos juntos para apoiar principalmente nesse programa os jovens, para que eles possam, de fato, entrar nessa indústria com oportunidades, com consciência também. Então na apresentação nós mostramos esse investimento, na próxima página, nós iniciamos o investimento agora com R$ 20 milhões, destinados às iniciativas voltadas ao desenvolvimento do setor de jogos digitais em todas as suas áreas, em todo o estado de São Paulo. Na próxima página, esse programa ele é organizado em quatro iniciativas, o fomento de E-Sports, então a gente pode jogar como amador, mas é uma área que está se profissionalizando cada vez mais. E nós temos aqui o secretário Aildo lançando uma competição oficial do estado de São Paulo. Nós temos também mais R$ 3 milhões para fortalecer a indústria de games, uma iniciativa liderada pelo secretário Sérgio Sá Leitão. E além disso, mais R$ 13 milhões no incentivo ao empreendedorismo, qualificação e renda, na indústria de games, e R$ 1 milhão em mobilização em eventos de games e programação. Nós todos estávamos juntos, e com o secretário Rossieli, representando o governador e o vice-governador, na abertura e no encerramento da Campus Party, que aconteceu nesse final de semana, e fizemos um pré-lançamento e um debate neste evento, como forma ali inclusive de reconhecimento dos jovens, programadores que participaram. Na próxima página os R$ 13 milhões que são aplicados em empreendedorismo e qualificação, nós também teremos R$ 10 milhões desse valor, em linhas de crédito para os microempreendedores, foi um pedido para que eles possam entrar nessa indústria, comprar melhores equipamentos e se profissionalizarem. Estamos também além de ter hoje o curso de jogos digitais, no Novotec, em parceria com o secretário Rossieli, é o nosso curso mais procurado, todos os jovens do ensino médio já têm acesso a isso, e nós estamos também criando uma Etec vocacionada para o setor de games, em parceria com a professora Laura Laganá. Na próxima página, eventos de mobilização exatamente para mostrar o tamanho dessa indústria, que hoje como o governador já mencionou, passa o total da indústria de entretenimento, é uma indústria que tem crescido muito no estado de São Paulo e no mundo inteiro, até 2025 a expectativa é que esse segmento movimente mais de US$ 200 bilhões em todo o mundo. E no mercado brasileiro já movimentou na pandemia R$ 12,5 bilhões. Na próxima página, para fortalecer essa indústria concretamente aqui, o secretário Sérgio Sá Leitão lançou um ProAC específico para games, e nós temos aqui o edital sendo lançado, o próximo edital em março, o valor de R$ 3 milhões, com projetos sendo beneficiados com R$ 75 mil a R$ 150 mil. Conteúdo de realidade aumentada, realidade virtual, e desenvolvimento de games. Na próxima página, o lançamento aqui do campeonato de E-Sports, vai ter quatro modalidades, esse aqui é voltado para os jovens que estejam matriculados em escolas públicas, municipais e estaduais, também aqui começa em fevereiro, final é em maio, e são quatro modalidades, Free Fire, FIFA, SkyDome e Just Dance. Então todos os jovens poderão participar desse campeonato, e nós estamos agora oficializando e enviaremos também esse projeto para a Assembleia Legislativa, e teremos um decreto específico já sendo publicado nos próximos dias, com a criação oficial da semana estadual de jogos digitais, que será sempre no mês de outubro. Finalizo agradecendo, governador, novamente como mãe, tenho irmãos também adolescentes, nós vimos como todos estão jogando, a gente ir até esse mundo para dar a chance para os jovens de entenderem que eles podem se profissionalizar, fazer um uso mais consciente, e ter a chance inclusive de emprego e renda, é realmente muito inspirador, São Paulo dando esse passo eu espero que ele seja replicando no Brasil inteiro, porque nós temos agora uma população inteira participando do mundo dos jogos, que isso seja feito com mais consciência e também com mais oportunidades. Muito obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Patrícia Ellen. E agora vamos dar início às perguntas da coletiva, nós temos inscritos aqui a Rádio e TV Bandeirantes e Band News, a Agência Reuters, o Portal Metrópoles, a TV Record News, a TV Cultura, e finalizando a TV Globo, Globo News. Começamos então com a Maira Djaimo, da Rádio e TV Bandeirantes, TV, rádio e todos os seus portais. Maira, boa tarde. Bem-vinda, sua pergunta, por favor.

MAIRA DJAIMO, REPÓRTER: Boa tarde, governador. Boa tarde, a todos. Bom, eu queria entender um pouquinho melhor, então amanhã, 710 mil pessoas já vão estar aptas para esse reforço, só que a cada dia mais pessoas vão completando cinco meses da segunda dose. E aí elas estão liberadas para tomar, vai ter dose suficiente? Até porque, bem em breve a gente deve ter aprovação da Pfizer para crianças de cinco a 11 anos, então vai aumentar aí a demanda. Também saber se a vacina vai ser a Pfizer, ou vai ser como foi até agora a dose que estiver disponível? E última coisa sobre o novo ciclo de vacinação, com essa terceira dose, para quando que a gente pode esperar realmente um novo ciclo da vacinação? Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Maira. As perguntas contribuem para elucidar ainda mais esse tema tão importante, especialmente aos que podem nos acompanhar agora aqui ao vivo, incluindo pela TV Band News. Regiane.

REGIANE DE PAULA, COORDENADORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Maira, nós temos sim vacinas, e o Ministério da Saúde ontem fez um anúncio que se compromete a enviar não só ao estado de São Paulo, mas para todos os estados, as vacinas para que a gente possa fazer então para mais de 18 anos, um público-alvo acima de 18 anos, e nos cinco meses de intervalo. Lembrando que hoje novamente, 6 milhões de pessoas já poderiam ter tomado a sua dose de reforço, mas só 3,6 milhões de pessoas o fizeram. Então é muito importante que isso aconteça. O imunizante é aquele que estiver na Unidade Básica de Saúde para você tomar, pode ser a Pfizer, pode ser a Coronavac, e até mesmo a AstraZeneca, porque nesse momento a gente tem um quantitativo pequeno de AstraZeneca. Então a terceira dose, a dose de reforço, ela é feita com a dose que estiver disponível no momento em que você for tomar a vacina. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado. Regiane de Paula é a nossa coordenadora do Programa Estadual de Imunização Maira di Giaimo, muito obrigado pelas perguntas. Alguma dúvida? Ah, do novo ciclo de vacinação, tem razão.

REGIANE DE PAULA, COORDENADORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Essa foi uma discussão, Maira, que nós também estamos tendo junto com o Conass e Conasems. Nós precisamos entender esse novo ciclo, por quê? Porque com a dose de reforço, nós iremos até fevereiro pra contemplar todo esse público de 18 anos ou mais pra tomar a sua dose de reforço. Então a gente acredita, olhando para o Plano Nacional de Imunização e para o nosso Plano Estadual de Imunização, que entre março... mas provavelmente em abril nós devemos recomeçar um novo ciclo. Mas as diretrizes do Ministério da Saúde ainda também não foram 'startadas'. A gente aguarda essas diretrizes, para que a gente possa trabalhar como Plano Estadual de Imunização, aqui no Governo do Estado de São Paulo. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dra. Regiane. Maira, mais uma vez, obrigado. Vamos agora online com o Eduardo Simões, que é o correspondente no Brasil da Agência Reuters. Boa tarde, Eduardo, você já está em tela, sua pergunta, por favor.

EDUARDO SIMÕES, REPÓRTER: Boa tarde, governador, boa tarde a todos e a todas. Eu gostaria de saber em que pé estão os estudos sobre a flexibilização do uso de máscaras em locais abertos, diante desses dados que foram anunciados agora há pouco pelo secretário e pelo governador de melhora dos indicadores da pandemia. Como é que estão os estudos do Comitê Científico nesse sentido? Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Eduardo. Vou pedir exatamente aos dois coordenadores do Comitê Científico, a que você se referiu, para que possam responder à sua pergunta, começando pelo Dr. Paulo Menezes, que é o coordenador geral deste Comitê, e na sequência João Gabbardo, que é o coordenador executivo do Comitê de Saúde do Estado de São Paulo. Dr. Paulo Menezes.

PAULO MENEZES, COORDENADOR DO COMITÊ CIENTÍFICO: Muito obrigado, governador, boa tarde, Eduardo. Nós estamos acompanhando de forma intensa, como sempre fizemos, a evolução dos indicadores, e a nossa projeção é de que em breve nós vamos atingir uma situação que vai permitir essa liberação do uso obrigatório de máscaras nos espaços públicos. Ainda precisamos caminhar mais um pouco. Nós estamos reduzindo, como foi apresentado, os indicadores de internações, casos e óbitos, e é provável que nos próximos 10 a 20 dias a gente tenha uma situação que permita essa liberação. Então, com o avanço da vacinação que nós estamos observando, São Paulo realmente fazendo um trabalho espetacular, de referência internacional. Nós já temos 73% da população adulta com cobertura completa, o que nos coloca numa situação muito distinguida internacionalmente, inclusive. Quando a gente olha outros países, principalmente quando a gente olha para a Europa, o que está acontecendo, a gente vê uma relação direta de recrudescimento da pandemia e baixas coberturas vacinais. Então, nós estamos bastante seguros de que em breve nós chegaremos a esse momento. Obrigado, governador.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dr. Paulo Menezes. Dr. João Gabbardo.

JOÃO GABBARDO, COORDENADOR EXECUTIVO DO COMITÊ CIENTÍFICO: Boa tarde, governador, boa tarde a todos. Não tem muito pra completar, após a fala do Dr. Paulo. Nós continuamos com a perspectiva de que até o final do mês de novembro nós possamos cumprir, atender aí os quatro requisitos estabelecidos pelo Comitê Científico, que se referem à vacinação, que se referem à transmissibilidade da doença e também ao número de casos graves. A gente acredita que esses quatro indicadores serão atingidos ainda no mês de novembro, provavelmente na última semana de novembro. Obviamente que tudo isso ocorrerá se nós continuarmos com as tendências dos números que vêm se apresentando nas últimas semanas.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ok. Então, aí estão as respostas, Eduardo Simões, muito obrigado pela sua participação. Continue nos acompanhando aqui ao vivo na coletiva de imprensa. Vamos agora a Indara Freitas, do Portal Metrópoles. Indara, boa tarde, prazer ter você aqui novamente. Sua pergunta, por favor.

INDARA FREITAS, REPÓRTER: Boa tarde a todos. Considerando que o Ministério da Saúde não firmou um novo contrato com o Butantan para a compra de Coronavac, existe a possibilidade de o estado comprar mais doses de Coronavac para essas doses de reforço? E eu só queria... uma outra pergunta também relacionada à saúde: Os indicadores de óbito na semana passada tiveram aumento, na semana retrasada estavam estagnados, essa semana está estagnado de novo, não houve redução nem aumento. De alguma forma isso preocupa, essa não redução de óbitos? Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Indara, vou pedir ao Dr. Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde do Estado de São Paulo, que possa responder a sua segunda pergunta. Também comentar sobre a primeira, juntamente com o Dr. Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan, aqui presente nesta coletiva. Jean.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DE SAÚDE: O que nós tivemos na 45a semana, portanto a semana anterior, semana passada, em relação à 44a, foi uma estabilização do número de óbitos em 77 pessoas, que perderam, infelizmente, a sua vida, em decorrência da Covid. Esses números estão estabilizados, não houve incremento. Nós, claro que usamos esses números com atenção, pra ver se eles possam ser aportados em algum momento. Porque, assim como nós tivemos um incremento por acúmulo de número de casos, poderemos, sim, ter um incremento do número de óbitos, que possam ter sido represados. Mas volto a dizer: Nós temos um número que é objetivo, que reporta às últimas 24 horas, que é o número de internações. E como disse, estamos com 22 semanas consecutivas do número de internações em queda e, dessa forma, mostrando o controle da pandemia, o controle de doença grave e consequentemente de morte, que é o maior efeito que uma vacina pode fazer para uma determinada doença e, no caso, a proteção à Covid se faz dessa maneira.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Jean Gorinchteyn. Então vamos agora, na complementação da pergunta feita pela Indara Freitas, com Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan. Dimas.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Indara, em relação a novas aquisições por parte do Ministério da Saúde, não. Eu estive semana passada reunido com o secretário executivo do Ministério, exatamente ofertando a ele mais vacinas, porque nós temos um quantitativo de 15 milhões de doses nesse momento disponível. E ele nos disse que no momento não, e que eventualmente ele reavaliaria essa posição, ocorrendo aprovação para crianças e adolescentes. Como isso não ocorreu, então até esse momento não temos nenhuma sinalização por parte do Ministério. Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dimas Covas. Indara, mais uma vez, muito obrigado. Vamos agora, seguindo, online com a Renata Caetano da Record News. Renata, você já está aqui em tela, boa tarde, sua pergunta, por favor.

RENATA CAETANO, REPÓRTER: Boa tarde, governador, boa tarde a todos. É o seguinte: Em alguns países da Europa, como Alemanha, Holanda, [ininteligível], há um aumento de casos de Covid, mesmo após uma queda anterior do número de infectados. Eu queria saber qual é a previsão para os próximos meses em relação ao número de infectados no Estado de São Paulo, após essa queda aí de 56% nos hospitais estaduais, que vocês mesmos acabaram de dizer.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Renata, vou solicitar ao Jean Gorinchteyn mais uma vez, nosso secretário de Saúde, para que possa proceder a pergunta, com comentário ou do Dr. Paulo Menezes ou do Dr. João Gabbardo.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DE SAÚDE: Nós temos uma situação no Estado de São Paulo bastante peculiar, que é duas estratégias bastante claras para o controle e combate à pandemia. Uma delas, a vacinação. Como foi apresentado, estamos com 73% de toda a nossa população com condição vacinal plena, portanto as duas doses. E 92% da população acima de 18 anos com seu esquema vacinal completo. Por outro lado, nós temos a utilização, a obrigatoriedade do uso de máscara, que ainda se faz presente, por decreto governamental. Nós temos que entender que vacinamos muito mais que vários países da Europa. O Reino Unido tem 67% da sua população vacinada de forma plena, os Estados Unidos, 57% da sua população vacinada de forma plena, e nós não paramos só na segunda dose, nós já estamos com a terceira dose, terceira dose essa que já se iniciou no mês de setembro e está sendo estendida para outras faixas etárias. Isso promove o que nós chamamos um reforço, um buster vacinal, que melhora ainda mais a sua imunidade. E foi isso que frustrou as expectativas, inclusive dos especialistas, de que nós teríamos no mês de setembro uma terceira onda, um repique do número de casos, que felizmente isso não aconteceu. Portanto, essa responsabilidade do Governo do Estado de São Paulo, no controle e no combate à pandemia se faz através de medidas muito sensatas e criteriosas.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito obrigado, Jean Gorinchteyn. Vamos agora com você, João Gabbardo.

JOÃO GABBARDO, COORDENADOR EXECUTIVO DO COMITÊ CIENTÍFICO: Renata, nós entendemos que o que está acontecendo na Europa não deve se reproduzir no Brasil, por esses aspectos que o secretário Jean colocou, porque nós temos uma cobertura vacinal maior, porque nós continuamos usando as máscaras, que foi flexibilizado nesses países da Europa. Mas também que a pandemia tem nos ensinado algumas coisas. Uma delas é que a imunidade, mesmo a imunidade ocasionada, provocada pelas vacinas, ela depois de seis meses, ela tem uma tendência de queda, em qualquer vacina, com todas as vacinas. As pessoas no Brasil foram vacinadas um pouco depois do que nesses países da Europa. Portanto, não estão ainda nessa fase de perder a imunidade depois de seis meses. Além disso, no Brasil nós, pelo menos as pessoas com mais de 60 anos, já fizeram uma dose de reforço, e com essa medida acertada do Ministério da Saúde, de nós ampliarmos a cobertura de terceira dose para a população acima de 18 anos, deve ter um efeito muito positivo em relação à evolução da pandemia no Brasil. E além de um aspecto que nós consideramos muito importante, é que esses movimentos antivacinas no Brasil têm um efeito muito menor do que nos países da Europa. Felizmente, o percentual de pessoas que não estão vacinadas ou que não foram vacinar é quase insignificante. Aqui em São Paulo nós temos mais de 100% da população acima de 18 anos já vacinada com a primeira dose.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem. Muito obrigado, João Gabbardo, Jean Gorinchteyn, muito obrigado a você, Renata, pela sua participação aqui na nossa coletiva. Continue acompanhando pela Record News, que aliás transmite ao vivo aqui do Palácio dos Bandeirantes a coletiva de imprensa neste momento. Vamos agora à Vaneza Lorenzoni, da TV Cultura. Vanessa, muito obrigado por estar aqui também conosco. Boa tarde, sua pergunta, por favor.

VANEZA LORENZONI, REPÓRTER: Boa tarde, governador. Ontem, o Ministério da Saúde anunciou uma diretriz para que as pessoas que tomaram a dose única da Janssen tomassem a segunda dose. O secretário Jean Gorinchteyn já anunciou que não há doses disponíveis pra fazer isso aqui no estado. O que a gente pode falar para essas pessoas? A gente viu agora que há mais de 1 milhão de pessoas aqui no estado que estão nessa situação. Então, elas não podem tomar a terceira dose, não vão tomar a segunda também? Uma outra pergunta por favor, falando dos atrasados. Já tinha um número grande de segunda dose, hoje vocês anunciaram o número dos faltantes da terceira dose também. Há alguma possibilidade de vocês estruturarem algum plano ou reforçar a busca ativa porta a porta que muitas prefeituras têm feito? Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Vanessa. Vamos com a primeira pergunta, Jean Gorinchteyn fará a resposta. Segunda, Dra. Regiane, mas já antecipando que sim, faremos uma ação, mas ela dará mais detalhes a você. Jean Gorinchteyn.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DE SAÚDE: Para que nós possamos realizar essa segunda dose, e a gente não usa pra Janssen uma dose de reforço, porque o próprio fabricante colocou que, para a Covid, especialmente para as variantes do vírus, eu preciso ter duas doses intervaladas em dois meses, entre a primeira e a segunda, nós precisamos ter esse quantitativo de doses a ser ofertada pelo Ministério. Nós estamos aguardando, sim, para os próximos dias, para que nós possamos, de forma adequada e responsável, poder proceder à proteção, à imunização para essas pessoas.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dr. Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde do Estado de São Paulo. Agora, complementando a resposta à pergunta da Vanessa Lorenzini, da TV Cultura, Dra. Regiane de Paula.

REGIANE DE PAULA, COORDENADORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Obrigada, governador. Nós vamos, sim, lançar uma nova campanha. Estamos estruturando esse novo movimento, mas a gente vai apresentar na próxima coletiva. Em relação aos 645 municípios, é muito importante que eles continuem fazendo as suas estratégias: o casa a casa, o telefonema, procurando essas pessoas e sensibilizando, principalmente, adolescentes, os responsáveis por esses adolescentes, que eles retornem para fazer a segunda dose. Lembrando que em poucos dias nós conseguimos vacinar 400 mil pessoas com a segunda dose, que foi o dado que eu falei no começo. Então, isso é muito importante. E só pra complementar, governador, a fala do Dr. Jean. A Janssen é uma dose única. O Ministério ontem fez uma fala dizendo que, em oito semanas, deve ser aplicada a segunda dose e, após cinco meses da segunda dose, a dose adicional. Mas o Estado de São Paulo não tem, realmente, o imunizante, como o Dr. Jean acabou de falar. Nós aguardamos inclusive uma nota técnica do Ministério da Saúde, dizendo de que forma vamos proceder em relação à vacina da Janssen, porque a gente acredita que, frente à fala de ontem, a população está ansiosa por respostas, mas essas respostas têm que vir do Ministério da Saúde e, assim que chegarem, a gente repassa a todos vocês. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dra. Regiane. Vanessa, muito obrigado pelas duas perguntas. Agora, concluindo a coletiva de hoje com a Dani Gemniani, da TV Globo, GloboNews. Dani, boa tarde, bem-vinda, sua pergunta, por favor.

DANIELA GEMNIANI, REPÓRTER: Boa tarde, governador, boa tarde a todos. Eu começo perguntando ainda sobre a questão da vacina, porque a orientação do Ministério da Saúde também foi que as pessoas que tomassem uma fabricante na primeira e na segunda dose tomassem uma outra fabricante na terceira dose, por conta da intercambialidade, do benefício diante disso. Com o Estado dizendo que toma a que tiver no posto, como fica essa situação? As pessoas devem procurar postos que tenham uma fabricante diferente? Como fica a orientação para as pessoas em relação a isso? Também queria entender o incremento no número de casos, de 46,8%, se de alguma maneira isso pode preocupar, a que se deve esse aumento. E não é uma terceira pergunta, é só um rescaldo da pergunta que foi feita anteriormente, se, diante da negativa do Ministério da Saúde de comprar a Coronavac, se o estado tem interesse em comprar. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado. Dani, vamos aqui... respondo até a última colocação que você fez, como você chamou, o rescaldo de outra pergunta. O Estado de São Paulo não medirá esforços nem recursos para comprar todas as vacinas que forem necessárias para completar o ciclo vacinal deste ano e também iniciar o ciclo vacinal do ano que vem. Já fizemos isso ao longo do ano, não há razão para não prosseguir fazendo isso sempre que necessário. O que nós não vamos fazer é deixar a população de São Paulo sem vacina. Então, na primeira e segunda pergunta, Regiane de Paula e na sequência, Jean Gorinchteyn.

REGIANE DE PAULA, COORDENADORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Daniela, em relação à intercambialidade, o Estado de São Paulo, o Programa Estadual de Imunização, ele não mudou a sua diretriz. Desde o início da dose de reforço, da terceira dose, da dose adicional, nós deixamos claro que a dose que estiver disponível será aplicada. Então, se eu chegar numa unidade e tiver a vacina da Pfizer, será ela que eu vou tomar, ou a vacina do Butantan, ou a vacina da Fiocruz. Então, isso não é problema nenhum, e nunca foi para o Estado de São Paulo. Nós sempre trabalhamos com essas diretrizes. Em relação à Janssen, aqui se criou um momento de dúvida, porque a FDA, ela diz: Recomendo a segunda dose. Mas o mundo inteiro ainda não está fazendo isso, então a gente ainda está aguardando uma nota do Ministério da Saúde, e nós sabemos que, até o dia de hoje, não há, não chegou no território nacional da vacina da Janssen. Então, nós precisamos saber se, para a Janssen, que, a princípio, era uma dose única, agora passou para uma segunda dose e também para uma dose de reforço, como o Ministério encaminhará isso. Aguardamos, para que a gente possa trabalhar, inclusive porque precisaremos de mais imunizantes. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dra. Regiane. Vamos agora ouvir o Dr. Jean Gorinchteyn, e eu vou pedir também depois, Dani, um comentário do Dr. Dimas Covas. Jean.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DE SAÚDE: O que nós temos em relação a esse número de casos é que, apesar de ter havido incremento, esse incremento é muito semelhante àquilo que nós vimos de uma semana pra outra, em relação à 42a semana e a 43a. Então, dessa maneira, nós percebemos que é normal ter um aporte, que, eventualmente, tenha sido residual. E ele está exatamente igual a três semanas, em termos de número de casos. Então, um incremento discreto, um incremento que não trouxe uma preocupação, do ponto de vista epidemiológico, de risco. Estamos, de forma milimétrica, avaliando esses resultados, isso de forma diária e não apenas semanal, pra garantir que nenhuma atitude seja tomada sem se basear nestes números, que sempre respaldaram tanto o Plano São Paulo quanto agora as nossas medidas de proteção à população.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Jean. E agora, pra concluir, Dimas Covas.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Daniela, eu esses dias inclusive apontei que a não incorporação da Coronavac como terceira dose é um erro do Ministério, e continua sendo um erro. E quando o Ministério justifica por que não incluiu, ele diz que precisaria ser de plataformas vacinais diferentes. Então, pra população acima de 60 anos, a maior parte deles, eles foram vacinados com Coronavac. Então, a plataforma diferente seria as vacinas baseadas em proteína S. Agora, a situação é completamente diferente. A população de 18 a 60 anos recebeu majoritariamente as vacinas com base em proteína S. Então, há muito pouco acréscimo, do ponto de vista de estímulo imunológico, você simplesmente mudar o fabricante, se o princípio vacinal é o mesmo. Então, haveria necessidade de usar um princípio vacinal que, além da proteína S, contenha também as outras proteínas do vírus, e a única vacina que tem isso é a Coronavac. Então, reputo mais uma vez: o Ministério continua errando do ponto de vista da sua estratégia vacinal. Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dimas Covas. Dani, obrigado pelas perguntas. Com isso, nós estamos concluindo a coletiva de hoje. São 13h38, virou agora. Obrigado a todos que nos sintonizaram ao vivo pela TV Cultura, pela Record News, SBT News, BandNews, também pelos portais que aqui transmitiram. Agradecer meus colegas jornalistas que vieram aqui pessoalmente, cinegrafistas, fotógrafos, técnicos, nossos convidados especiais que também hoje participaram aqui, acompanhando ao vivo a nossa coletiva. Todo o nosso time aqui do Governo, Comitê de Saúde, a todos uma boa tarde. Por favor, continuem se protegendo, usem máscaras, ainda é obrigatório. Estamos caminhando bem, talvez na semana que vem tenhamos boas e melhores notícias. E estejam bem, estejam em paz. Muito obrigado, boa tarde a todos.