Coletiva - Expansão do Programa de Ensino Integral em 2 mil escolas terá mais de 1 milhão de vagas 20210810

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Expansão do Programa de Ensino Integral em 2 mil escolas terá mais de 1 milhão de vagas 20210810

Local: Capital – Data: Outubro 08/10/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, pessoal, a coletiva não é longa, ela é curtinha. Razão que nos motivar estarmos aqui hoje é o aumento do programa de ensino integral, escolas de tempo integral, nós já tínhamos 1.879 mil escolas de tempo integral, agora temos 2.029 mil escolas de tempo integral em São Paulo, hoje atendendo 1,026 milhão de alunos, eram 6 mil alunos, em janeiro de 2019, agora temos 1,029 milhão de alunos já no mês de outubro de 2021. E vamos seguir crescendo, aliás, a meta para o Rossieli Soares, nosso secretário da Educação, é chegarmos a 3 mil escolas de tempo integral até dezembro de 2022. É o maior número de escolas de tempo integral em todo o Brasil, respeito pela educação, respeito pelo futuro de crianças e jovens que no ensino em São Paulo hoje podem ter escolas de tempo integral com qualidade na educação, a educação digital, três refeições/dia, o que garante segurança alimentar para esses alunos. Melhorando a remuneração de professores, e de todos que atuam nas escolas públicas estaduais. Oferecendo também o ensino do inglês, durante todo o curso, para permitir que os jovens, ao saírem do ensino fundamental, saiam falando, pelo menos, o básico do inglês, e isso melhora a sua oportunidade de emprego, e também o seu estímulo para se tornarem microempreendedores aqui em São Paulo. Isso traz enorme alegria para todos. Eu queria registrar aqui ao Rossieli Soares e toda a sua equipe, o nosso agradecimento por ter cumprido a meta, antes do prazo, inclusive, e ter realizado de uma maneira tão digna e oferecendo agora, 2.029 mil escolas de tempo integral. Vamos às perguntas, eu vou compartilhar com o Rossieli as respostas, vamos começar exatamente com você, Vitória Abel, da Rádio CBN. Obrigado, Vitória, por você estar aqui.

VITÓRIA ABEL, REPÓRTER: Obrigada, governador. Boa tarde, governador. Boa tarde, secretário. Primeiro eu queria entender qual é o prazo de criação dessa totalidade de vagas, acho que são mais de 90 mil no ano que vem, queria entender quantos meses vão demorar para essa criação de vagas. E se tem algumas regiões do estado que vão ser priorizadas para essas novas escolas? Eu queria aproveitar, e saber se o estado tem alguma previsão para volta da obrigatoriedade para as aulas, porque hoje o aluno ainda tem essa opção de voltar às aulas, se isso vai acontecer ainda nesse ano? Ou se vai ficar para o ano que vem? E uma última questão só, queria saber se a secretaria tem um balanço atualizado de crianças e professores que se contaminaram com o COVID-19 recentemente nos últimos meses? Obrigada.

ROSSIELI SOARES, SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO: Bom, vamos lá. Obrigado, Vitória. Vamos começar, nós estamos dentro do processo, as comunidades fizeram todo o processo de adesão, por isso estamos anunciando quais foram aquelas que foram autorizadas então, agora todo o processo de organização, imediatamente a gente revisa todos os contratos, organiza a própria matrícula da escola, das famílias e tudo mais, e precisa ser confirmado. E no início da virada do ano, então eles já vão fazer a matrícula agora neste momento, para a escola de tempo integral, e todo o início do ano letivo é com todas essas crianças já no tempo integral. Em relação à obrigatoriedade, nós não ainda fechamos, nós vamos ter ainda algumas reuniões com a Comissão de Saúde da educação, e com o centro de contingência, o comitê científico, desculpa, e nos próximos dias a gente deve ter alguma novidade, e também vamos divulgar em breve os dados da... De todos os dados, na verdade, em relação à educação. Inclusive o nosso BIAI vai ficar pronto para segunda-feira, dia 18 de outubro, então vocês vão poder olhar diariamente como quiserem, todas as informações, e todo os dados das nossas escolas automaticamente. Enfim, isso fica pronto para a partir de 18 de outubro. Esperamos aí, talvez na próxima semana, já ter algumas novidades a mais. Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Rossieli. Vitória, obrigado. Nós temos agora uma pergunta online, da Carla Dunga, do Portal R7, mas a Daniela Salerno, que aqui está, fará a leitura da pergunta da Carla, que está nos acompanhando aqui ao vivo. Daniela.

DANIELA SALERNO, REPÓRTER: Pergunta da Carla Dunga é: "Muitos estudantes do ensino médio precisam trabalhar durante o dia e estudar à noite, o que dificulta a participação desses alunos no PEI. Existe alguma proposta do governo do estado em oferecer bolsas de estudos, ou auxílio, para que esses jovens possam estudar em tempo integral?".

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Carla, obrigado pela pergunta. Responde, Rossieli Soares.

ROSSIELI SOARES, SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO: Bom, obrigado, Carla, pela pergunta. Na verdade, o estado tem duas iniciativas importantes para esse público, um que primeiro as escolas de tempo integral passaram a ter a opção especialmente para o sexto ao nono ano com o ensino médio, escolas que tem essas duas etapas, em ter o ensino integral de sete horas. Portanto, um turno vai até metade da tarde, e o outro vai de metade da tarde até à noite. Isso possibilitou que muitas escolas rurais pudessem, porque ser escola de tempo integral, porque os jovens, muitas vezes, trabalham na lavoura, trabalham com os pais pela manhã cedo, e não poderiam ir para uma escola de tempo integral, e acabavam somente estudando à noite. E com isso, por exemplo, é uma mudança importante, e isso serve para a zona rural, como deu exemplo, mas serve também para o jovem, que especialmente na lei de aprendizagem pode realizar atividades, por exemplo, em algum dos turnos, dependendo da escola. E a outra é que nós lançamos o Bolsa do Povo Estudante, o governo do estado é o único governo do Brasil que está pagando sim uma bolsa para que o estudante permaneça na escola, para que o estudante não se evada, são R$ 1 mil por ano. Mas é um incentivo importante, que também atende aos alunos do tempo integral. Então para qualquer um dos estudantes, seja do tempo integral, seja das escolas regulares, observadas das regras do programa, essa bolsa também tem atendido, nós já estamos começando a pagar aí 85 mil bolsas imediatamente, e ainda estamos organizando para que mais alunos possam participar, chegando até aos 300 mil estudantes, até o final do ano participando do programa. Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO SÃO PAULO: Obrigado, Rossieli. Carla Dunga, então, do R7, está nos acompanhando aqui remotamente, obrigado pela sua pergunta. Vamos agora ao Mateus Meireles, da CNN Brasil. Obrigado por você estar aqui conosco, sua pergunta, por favor.

MATEUS MEIRELES, REPÓRTER: Boa tarde, governador. Bom dia, ao secretário, e a todos que acompanham. Primeiro ao secretário, eu gostaria de perguntar se essa expansão ela também vem em conjunto, por exemplo, com contratações de professores e outros profissionais, ou se as equipes dessas escolas de tempo integral elas já são autossuficientes para manter esse estudo, manter essas atividades? E se isso também vem em conjunto com obras, se para atingir essa meta de 3 mil escolas de tempo integral em 2022, se essas escolas também terão que passar por obras de infraestrutura para manter essas atividades? E uma última pergunta para o governador, desculpa fugir um pouco do tema, mas sobre vacina preciso fazer essa pergunta, governador, caso o Ministério da Saúde defina, de fato, mantenha esse posicionamento de excluir a Coronavac do Programa Nacional de Imunizações, o estado de São Paulo pretende continuar utilizando essa vacina? Existe algum imbróglio nesse sentido? E que espaço sobra para a Butanvac, que está em desenvolvimento e em fabricação no estado de São Paulo? Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Mateus. Vou começar então pelo tema da saúde, e na sequência o Rossieli entra no tema principal, que é o tema da educação. O Ministério da Saúde não excluiu, ele apenas disse que não comprará mais doses da vacina Coronavac. Portanto, ela não está excluída, e São Paulo, se necessário, adquirirá, produzirá e imunizará com a vacina do Butantan, que é a Coronavac. Como, aliás, já fizemos a venda de 4 milhões de doses da vacina, para outros estados, é o caso do Ceará, é o caso do Espírito Santo, é o caso do Pará, entre outros estados que já adquiriram doses adicionais, o Espírito Santo também, doses adicionais, para complementarem os seus programas de vacinação. A Coronavac é a vacina mais aplicada no mundo, mais de 1,250 bilhão de doses desta vacina foram aplicadas no mundo. Ela foi muito mais utilizada do que a AstraZeneca, do que a Pfizer, que também são duas outras boas vacinas. Portanto, não há nenhuma razão para estigmatizar a Coronavac, exceto a razão política. E lamento que o ministro da Saúde, se dê à essa tarefa de ser um robô de uma gestão negacionista, do Presidente Jair Bolsonaro, e um robô também de práticas negacionistas, que atacaram a vacina Coronavac desde o início, e dificultaram, inclusive, que ela pudesse ter chegado ao braço dos brasileiros antes mesmo do dia 17 de janeiro, quando São Paulo iniciou a vacinação. E eu lamento, e aí concluo, Mateus, essa parte de resposta à sua pergunta, lamento muito que diante de uma pandemia, ainda hoje tenhamos que fazer enfrentamento com o Ministério da Saúde, que deveria estar ao lado das vacinas, ao lado da proteção da população, ao lado do respeito ao uso de máscara, ao lado do respeito ao que a ciência e a medicina orientam no procedimento correto. Então agora, Rossieli.

ROSSIELI SOARES, SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO: Obrigado, governador. Mateus, vamos lá, para chegar nas 2.029 mil já tiveram várias escolas que tiveram vários investimentos, lembrando que nós nos últimos menos um ano e oito meses, colocamos R$ 2,7 bilhões com o Programa Dinheiro Direto na Escola, na mão do direito para fazer melhorias, inclusive melhorias na parte de ciências, de laboratórios e tudo mais. Nós temos hoje mais de 600 obras em andamento, já, no FDE, muitas delas relacionadas a isso. E para chegarmos às 3 mil, especialmente, nós temos sim um pacote de obras que a gente deve lançar no mês de novembro, muito focado, não só focado nisso, mas muito focado nas ampliações, muitas vezes, a escola para se tornar tempo integral, daqui para adiante, especialmente, a gente precisa fazer uma sala a mais, duas a mais, às vezes, cinco, seis salas a mais, preparar o laboratório, porque a escola precisa ter esse aspecto. Então vai haver um investimento bastante relevante, para que a gente possa chegar nas 3 mil escolas aqui, como anunciou nosso governador. E uma coisa importante, eu só queria voltar, governador, porque eu não respondi uma parte da pergunta da Vitória, que ela perguntou sobre a regionalização. Nós buscamos incentivar todas as regiões do estado, tanto nessa segunda parte da inscrição, quanto lá no início do ano, com as 952 deste ano, e cada vez mais tentando abarcar o maior número de municípios, tanto que a gente saiu de cento e pouquinhos, para 457 municípios hoje atendidos. Mas a gente tem um olhar muito especial para as regiões que mais precisam. Então a gente busca apoiar, e especialmente nessas ampliações agora, que a gente vai precisar fazer Vale do Paraíba, Vale do Ribeira, Paranapanema. Enfim, vai ter algumas regiões que a gente quer incentivar. E também dentro dos grandes centros, nas regiões que mais precisam, como Paraisópolis, Heliópolis, Campinas Oeste. Então a gente está olhando para especialmente aonde a gente quer mais acelerar, aonde estão as pessoas que mais precisam, é a nossa prioridade, e isso é fundamental aqui na nossa gestão direcionada pelo nosso governador João Doria. Ah, sobre os professores, desculpa, vamos lá. A gente tem aqui investimento de entorno de R$ 150 milhões para essas escolas, a maior parte dos profissionais são os próprios profissionais da escola, que passam a ter, em algumas precisa contratar um pouco mais, mas obviamente já dentro do universo, que a gente já tinha uma previsão de mais 10 mil professores para o ano que vem, isso aqui para 10.400 mil, 10.500 mil profissionais. Então não mexe tanto nesse momento, pelo perfil das escolas que já estão se transformando. Então tem ajustes, mas não é algo tão significativo, nós temos outros processos importantes, como a reorganização da alimentação, do transporte, que aí na soma de todos é um investimento de mais R$ 150 milhões para que essas escolas se tornem em tempo integral.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Rossieli. Obrigado, Mateus. Agradecer ao Mateus, ao Portal R7, à CBN, obrigado à TV Globo, Globo News também, com a sua jornalista que aqui está. Obrigado, Maria, da nossa TV Cultura. E aos demais que aqui puderam comparecer, a todos, bom final de semana, estejam bem, estejam protegidos, semana que vem tem mais. Obrigado, aos meus colegas cinegrafistas também, fotógrafos, obrigado por terem vindo também. Boa tarde. Bom final de semana para vocês. Obrigado, pessoal.