Coletiva - Fórum "Ideias em Movimento" - 20121106

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva no Fórum "Ideias em Movimento"

Local: Capital - Data: 11/06/2012


REPÓRTER: Governador, o tema hoje do encontro é “Um País sem privilégio”. O senhor acredita nisso? Como combater os privilégios, principalmente no setor político?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, acredito sim, ninguém deve estar acima da lei, à margem da lei. A lei é para todos, não é? Aliás, quanto maior a responsabilidade, maior deve ser o exemplo que as pessoas devem dar. E acho que nós devemos resolver os nossos desafios começando pela reforma política. Nós precisamos agir não no efeito, mas na causa dos problemas. O modelo nosso de eleição parlamentar não existe no mundo. Primeiro, essa quantidade de partidos, mais de trinta partidos. Depois, voto proporcional para deputado, a pessoa poder ser votada em 645 cidades. Então, nós defendemos o voto distrital ou voto distrital misto, defendemos um número menor de partidos, proibindo coligação proporcional. E as grandes reformas que o Brasil precisa, reforma tributária, buscar eficiência, melhorar competitividade. Eficiência no gasto público, reduzir a carga tributária. Para o país crescer mais. O Brasil não é vocacionado para crescer 2,5%; 2,7%; 2,8%. Aí você anda de lado. O Brasil é vocacionado para crescer 5%, 6%. O Brasil cresceu da década de 30 a década de 80, durante meio século, cresceu, em média, mais de 5% ao ano. Foi um dos países que mais cresceu no mundo. Na década de 70, quando eu me formei na faculdade, o Brasil crescia 12% ao ano, o crescimento do PIB brasileiro. Você era disputado na faculdade, tinha três, quatro empregos. Então, o Brasil tem tudo para ter um crescimento mais forte, com distribuição de renda, melhorando a vida da nossa população. Mas o Governo precisa criar condições para que os empreendedores possam crescer.


REPÓRTER: Que tipo de condições?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Condições macroeconômicas. Qual o nosso problema? Crônico. Imposto alto, juros alto e câmbio, moeda sobrevalorizada. Como é o modelo asiático, o modelo chinês? Juros baixo, imposto baixo e moeda desvalorizada. Para você competir no mercado globalizado. Então, nós já estamos reduzindo os juros, que é uma medida boa, agora precisa reduzir imposto, para poder o país crescer mais que os 2,5%, 3%, como cresceu o ano passado.


REPÓRTER: Obrigada.