Coletiva - Formatura de 971 soldados da PM - 20123011

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Formatura de 971 soldados da PM

Local: Capital - Data: 30/11/2012

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Hoje, nós tivemos mais uma formatura 971 Policiais Militares, novos soldados, 132 mulheres soldados femininas. Concurso muito disputado, 89.000 inscritos para 2.000 vagas, já tivemos mais de 1.000 na formatura anterior e agora encerrando o ano 971 novos soldados. Isso vai reforçar o policiamento de rua, policiamento ostensivo, preventivo, repressivo, fortalecer muito aqui a região metropolitana e as regiões do interior que necessitem. Na semana que vem, nós teremos mais uma formatura, aí da Polícia Civil já serão mais 185 novos delegados que também já tomam posse, já vão para a rua também, para os distritos policiais fazer o seu trabalho. Então 971 soldados que já começam a trabalhar a partir de hoje, fizeram 1 ano de escola superior de soldados, e na semana quem vem 185 delegados que também saem da Academia de Polícia, da Acadepol que também já assumem os distritos policiais para o seu trabalho. Então um reforço importante na segurança de São Paulo, energia nova, pessoa super preparado, 1 ano de estudos para o policiamento de rua.


REPÓRTER: Governador, eu queria saber do senhor em cima disso, duas questões que eu queria que o senhor avalia-se: a primeira delas, as saídas temporárias e a segunda, a polícia prende e a justiça solta. A justiça, não precisa mudar isso, para ajudar um pouco mais os governos a combaterem a criminalidade efetivamente?


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha, primeiro em relação à saída temporária, muita gente acha que essa é uma deliberação do estado, não é, isso é uma lei federal que estabelece datas: Dia das Mães, Dia dos Pais, Natal estabelece um série de datas, é uma legislação federal, não é do estado e quem permite ou não que o preso saía é a justiça, então, o governo não tem, ele nem tem o controle sobre a lei que é federal, e ele apenas cumpre uma determinação judicial. O que o Secretário da Administração Penitenciária está sugerindo e isso foi levado ao Poder Judiciário; que saída não se faça de uma vez só, que ela faça de forma... A faça de forma escalonada, mas isso é legislação que vale para o Brasil todo, não é lei do Estado de São Paulo. Em relação à questão do nosso Código Penal, e principalmente da Lei de Execuções penais, você tem toda razão há sim necessidade, são legislações antigas, que precisam ser revistas e nós defendemos esse debate, o estado também não legisla sobre Código Penal e Execução Penal, mas é um debate que precisa ser feito. E queria também anunciar, que nós estamos encaminhando para Assembleia Legislativa em regime de urgência, o novo piso do salário mínimo regional, então o piso, a primeira faixa que era de R$ 690,00 vai pra R$ 755,00; a segunda faixa que era de R$ de 700,00 vai para R$ 765,00 e a terceira faixa que era R$ 710,00 vai para R$ 775,00. Isso é a soma da inflação, mais o crescimento do PIB de São Paulo, e todo mês retroage... Todo ano retroage 30 dias, então o ano passado... Este ano passou a vigorar a partir de 1º de março, no ano que vem passa a vigorar a partir de 1º de fevereiro e no outro ano será 1º de janeiro que é o entendimento que fizemos com as centrais sindicais. Então as faixas serão em São Paulo, a partir de 1º de fevereiro: primeira faixa R$ 755,00, segunda faixa R$ 765,00 e a terceira faixa R$ 775,00. A faixa mais alta é o que o governo do estado usa para os servidores públicos estaduais, então ninguém em São Paulo poderá ganhar menos no serviço público estadual de R$ 775,00 vale para aposentados, para pensionistas e pessoal da ativa.


REPÓRTER: Em segurança ainda. Nós tivemos um crime muito grave na Avenida dos Bandeirantes, ontem a noite, a morte de um casal. Já se sabe o que ocorreu? Se foi latrocínio mesmo e já há uma pista dos bandidos?


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha, o secretário da segurança, o delegado geral, o comandante podem explicitar melhor aí essas questões específicas, para explicar qual é a linha de investigação; se é tentativa de roubo, se é homicídio, latrocínio, enfim. Eles podem detalhar melhor.


REPÓRTER: Governador, com relação em relação à saída temporária, quer dizer, nesse atual momento da segurança pública, mais 20 mil criminosos na rua nessa época de final de ano é algo que preocupa o Governo do Estado?


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Preocupa, tanto preocupa que nós estamos fazendo um esforço para que ela se faça não de uma fez só, mas ela se faça de maneira parcela. Agora é importante deixar claro que isso não é deliberação do estado, isso vale para o país todo.


REPÓRTER: Qual é a importância simbólica desse evento aqui hoje?


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha, muito importante, a gente vê a alegria dos jovens que estão ingressando numa carreira muito importante que é a Polícia Militar de São Paulo com 181 anos de história, de serviço prestado a população, concurso difícil, a gente vê o orgulho das famílias, dos pais, das esposas, maridos, namorados. Uma carreira que é um grande desafio e uma grande honra e o nosso compromisso, valorização do policial, da sua carreira, das suas condições de trabalho, apoio técnico, tecnológico e força policial. São Paulo contra ao crime, já estamos chegando entre policiais militares, civis e cientifica a 125 mil policiais como força de segurança no Estado de São Paulo, a maior força de segurança do país.