Coletiva - Formatura de novos soldados da Polícia Militar e entrega de motocicletas da Rocam 20161711

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Formatura de novos soldados da Polícia Militar e entrega de motocicletas da Rocam

Local: [[]] - Data:Novembro 17/11/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, hoje um grande dia para a Segurança Pública de São Paulo, a formatura de 2.193 soldados. Passaram em um concurso dificílimo o ano passado, foram 44 mil inscritos, então fruto do mérito de cada um, fizeram um ano de estudos, de preparação na Escola Superior de Soldados, e hoje foi a formatura e já vão imediatamente para o trabalho. Então, uma grande notícia para São Paulo, mais 2.193, mulheres e homens, para reforçar a segurança pública do estado. E entregamos também, 314 motocicletas 0Km para a Rocam, trabalho difícil que o policial tem que pilotar a moto e policiar, ma s extremamente eficaz nas grandes cidades onde o trânsito é muito ruim. Então, o policiamento com moto é muito eficiente.

REPÓRTER: Quando esse pessoal todo vai para as ruas, governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Já vai imediatamente, eles irão para a Operação Verão, então eles vão para o litoral de São Paulo, que agora vem Natal, férias, então uma grande parte vai para a Operação Verão, e da Operação Verão depois redistribui para o estado todo.

REPÓRTER: Governador, o estado do Rio de Janeiro está vivendo uma série de problemas com o funcionalismo público. São Paulo não vive, mas está fazendo investimentos, recontratando pessoas. Não há qualquer risco de São Paulo sofrer um problema que o Rio de Janeiro está sofrendo com grande tensão social, inclusive?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, nós estamos rigorosamente em dia com os pagamentos, com fornecedores, mantendo alto nível de investimento. Agora, claro que um momento muito difícil, é preciso recuperar a economia o mais rápido possível, não é? Nós estamos com mais de 12 milhões de desempregados, e outros 12 milhões subempregados. Então, o foco tem que ser emprego, emprego, renda, renda, e aí eu destacaria infraestrutura, porque infraestrutura gera muito emprego: aeroportos, portos, rodovia, ferrovia. Por isso fui ao Estados Unidos fazer um ‘road show’ para investidores americanos, e visitei os principais [inintelig&ia cute;vel] de investimentos para o nosso programa de concessão, de rodovias, o edital já está publicado, o outro será publicado agora em dezembro, o primeiro até maio a gente espera já ter o contrato assinado, são R$9 bilhões de investimentos no estado. Duas linhas de metrô, a Linha 5 e a Linha 17, e cinco aeroportos regionais.

REPÓRTER: Como o senhor vê as prisões de dois ex-governadores?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, ninguém se alegra, não é, com prisão. Agora, é importante a justiça ser feita, não é, a investigação prosseguir. Acho que isso prova amadurecimento, não é, no processo democrático.

REPÓRTER: Governador, nós tivemos um incidente ontem do congresso com um grupo pedindo intervenção militar. O que o senhor pode dizer a respeito disso?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, eu acho que é um grande erro de mérito e de forma. De mérito porque ninguém quer volta de ditadura. Os países mais desenvolvidos do mundo são todos democráticos. E segundo, de forma, isso é vandalismo, não é, depredar patrimônio, invadir meio de uma sessão legislativa, não é possível isso.

REPÓRTER: Governador, o senhor falou em investimento e infraestrutura. Ontem o jornal Estado de São Paulo trouxe uma denúncia sobre uma grande obra de infraestrutura que foi colocada na capital, a marginal do rio Tietê. Sei que não foi na gestão do senhor, mas envolve o Governo do Estado também. Como é que o senhor reage às revelações?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, a Dersa, o que ela explicitou, é que ela não fez nenhum pagamento para as pessoas envolvidas. Agora, sempre nós defendemos investigação, então vai ser investigado, vai ser verificado, vai ser apurado.

REPÓRTER: Como que o governo vai proceder em relação à denúncia de acobertamento da investigação sobre a cratera do metrô em 2007?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, você tem duas questões aí distintas, uma é o processo criminal, a outra é o processo civil. O processo civil que é indenizatório, ele caminha, e grande parte até já foi indenizada. O processo criminal tem que aguardar agora a decisão do Tribunal de Justiça. Em relação a denúncia contra o procurador, o Ministério Público vai investigar.

REPÓRTER: O governo vai tomar alguma atitude?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O governo tratou de apoiar todas as famílias na questão da indenização civil que grande parte foi feita. O Ministério Público é extremamente competente para poder investigar o próprio membro do MP. Está bom?

REPÓRTER: Obrigado. Categoria 17 de novembro de 2016 [[]]