Coletiva - Governo de São Paulo entrega viaduto de acesso a Hortolândia 20202909

De Infogov São Paulo
Revisão de 18h24min de 27 de outubro de 2020 por Fincatibianca (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de São Paulo entrega viaduto de acesso a Hortolândia 20202909

Local: Campinas - Data: Setembro 29/09/2020

Soundcloud

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Espera aí, governador, só um minuto.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Tá bom, vai tranquilo. Nós estamos aqui, aqui é VTV, SBT. Aqui?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Band, band.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Band. Aqui?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: EPTV, EPTV.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: EPTV, TV Globo...

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: CBN...

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: CBN está aqui embaixo.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: CBN... Aqui também CBN? E aqui, quem é?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: [ininteligível]

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Aqui a nossa equipe... Record, pronto.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: CBN junto...

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Governador, governador...

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Então nós vamos combinar... Espera aí, espera aí. Nós vamos combinar cinco perguntas, você coordena? Ou a Letícia?

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Sim.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ok. Então vamos por partes. Eu vou pedir sempre, só pra organizar um pouquinho, o nome do veículo, o nome do repórter e a pergunta.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: CBN, EPTV...

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Então você coordena, são cinco, e você coordena. Ok. Então quem começa? Se não coordenar eu vou coordenar. Quem começa?

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: CBN aqui, João...

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Tá bom, CBN.

REPÓRTER: Governador, eu sou Flávio Botelho, da Rádio CBN aqui de Campinas. A pergunta é sobre a operação que está sendo realizada pela Polícia hoje no Estado de São Paulo, inclusive na capital paulista, sobre o desvio de verba na saúde, que já são R$ 2 bilhões até agora.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A medida, determinada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, com o apoio da Polícia Civil do Estado de São Paulo, tem o apoio integral do Governo do Estado de São Paulo, seja no âmbito municipal, seja no âmbito estadual, seja no âmbito federal. Toda investigação deve ser feita, especialmente em relação às chamadas organizações sociais, aquelas que especificamente há indícios de 'malservação' do dinheiro público. Determinei inclusive ao nosso secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde, que não só apoiasse esta iniciativa, empreendida pelo MP, pelo Ministério Público e a Polícia Civil de São Paulo, como também ampliasse a fiscalização e a checagem de todas as OSs que prestam serviços à Saúde no Estado de São Paulo, não apenas essa especificamente, que está sendo investigada. Próximo.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Eduardo, EPTV.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eduardo, vamos aqui.

REPÓRTER: Bom dia, governador, Eduardo Rodrigues, da EPTV. Queria aproveitar pra perguntar sobre o avanço das fases na região de Campinas, quando Campinas passa para a próxima fase, no caso a verde, e sobre o retorno das cirurgias eletivas no Hospital de Clínicas da Unicamp e Hospital Estadual de Sumaré, visto a redução na pressão dos leitos [ininteligível] pandemia.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ok. Antes de responder, vou sugerir só pra termos um segundo microfone, fica mais fácil para poder manusear com os jornalistas. Eduardo, a primeira pergunta eu mesmo respondo, a segunda, com a participação do nosso secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. Em relação às fases, nós anunciamos há duas semanas que faríamos, a partir deste mês de setembro, as avaliações mensais e não mais quinzenais. A próxima será no dia 9 de outubro, no dia 9 de outubro vamos anunciar a nova fase da quarentena, denominada Plano São Paulo, que neste momento concede a faixa verde para todo o Estado de São Paulo, indistintamente, inclusive a região metropolitana de Campinas. Então, ainda temos mais alguns dias para que essa avaliação seja feita pelo Comitê de Saúde, pelo Centro de Contingência do Covid-19, para verificar se esta região e outras regiões do estado poderão ou manter-se nessa faixa amarela ou, eventualmente, seguir para a faixa verde, que é a penúltima faixa. Volto a repetir, nós temos a faixa vermelha, a faixa laranja, a faixa verde, a faixa... Repetindo: a faixa vermelha, a faixa laranja, a faixa amarela, a faixa verde e a faixa azul, e finalmente, depois da vacina, a faixa branca, que essa é a definitiva, embora ela não seja objeto do Plano São Paulo, porque ela já não terá mais a quarentena. Mas tudo está correndo bem, até aqui nós estamos com uma situação sob controle na região metropolitana de Campinas, 39,5% de ocupação dos leitos de UTI, é o índice mais baixo desde o início da pandemia, aqui na região metropolitana de Campinas. Esse é um indicador muito importante. Uma redução também no número de óbitos e uma redução também no número de infectados. O que é muito importante é que todos os prefeitos, alguns estão aqui conosco, inclusive, mantenham um rigoroso controle na Vigilância Sanitária, para evitar aglomerações, evitar que as pessoas tirem as máscaras, todos devem usar a máscara, isso é obrigatório e é lei, e há penalidade, há multa inclusive para aqueles que, eventualmente, não estiverem portando, usando máscara ao saírem das suas casas ou dos seus ambientes de trabalho. Tomando este cuidado, toda essa região poderá, sim, ser beneficiada com uma nova etapa, seguindo para o campo verde, a faixa verde do Plano São Paulo. E sobre o tema dos hospitais, responde o nosso secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. Vou pegar um microfone para o Vinholi. Aqui, aqui. Do Eduardo, que está aqui.

MARCO VINHOLI, SECRETÁRIO ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde, Eduardo. Registrar duas questões fundamentais. Primeira, o empenho dos prefeitos da região metropolitana ao longo desse processo, foi uma das regiões com maior coesão nas ações. O Conselho se reunía e tomava as atitudes em conjunto, sempre respeitando o Plano São Paulo. Por isso que nós estamos agora em mais um acerto do Plano São Paulo, de prever quando os leitos estiverem disponíveis, como é o caso da região de Campinas, que teve a maior redução do índice de internações, nessa última atualização do Plano São Paulo, 30%, chegando agora em 43.7% na sua ocupação de leitos de UTI, a possibilidade de retomar cirurgias eletivas. Então, o HC irá retomar essas cirurgias, a Secretaria de Saúde vai passar essa programação ao longo do fim da semana.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem. Obrigado, secretário Vinholi. Eduardo Rodrigues, da EPTV, obrigado pela sua pergunta. Temos a próxima, é?

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Rádio Digital Pop, José Aparecido.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Rádio Digital Pop, Aparecido.

REPÓRTER: Bom dia.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia.

REPÓRTER: Bom dia. Primeiramente, agradecer a sua presença aqui no nosso município. Eu tenho duas perguntas em uma, governador. A primeira: Como o senhor vê, é sabido, o prefeito aqui municipal [ininteligível] de um partido, o senhor é do outro, e mesmo assim isso não impediu o diálogo para trazer benefício para a nossa população. Qual é a importância que você vê de dialogar com outros prefeitos e de partidos diferentes do seu? E a segunda pergunta é sobre pandemia. Você levantou [ininteligível] de salvar vidas, o seu discurso era sempre salvar vidas, e tomou algumas medidas que São Paulo saiu na frente, e foi muito criticado duramente pelo Governo Federal, e mais, alguns comerciantes se sentiram prejudicados diante das suas ações. Como você vê essas reclamações, as pessoas opositoras das suas decisões? Você se vê que... Se fosse [ininteligível] medidas diferentes ou continuaria com a sua visão do plano do combate do Corona Vírus no nosso estado?

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: José Aparecido, muito obrigado pelas perguntas. Primeiro, São Paulo tem uma gestão apartidária, a gestão do Governo de São Paulo é feita para todos, todos os brasileiros que vivem no Estado de São Paulo, todos os prefeitos e prefeitas do Estado de São Paulo. Nós aqui não avaliamos se o prefeito é ou não do nosso partido, e nem discriminamos prefeitos que estão em partidos que, circunstancialmente, possam fazer oposição na Assembleia Legislativa ou no Congresso Nacional ao nosso governo. Não é a nossa forma de gestão. O exemplo é aqui, em Hortolândia, onde o prefeito é do PT, Partido dos Trabalhadores, é--

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Veio para o PSD, foi do PT.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: PS...

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: D, de dado. Foi do PT.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: PSD, foi do PT. Desculpe, atualizando então, do PSD. Mas seja qual for o partido, isso é o menos importante, o que vale é a atitude, o gesto e a condição absolutamente apartidária, republicana da ação do Governo de São Paulo. Tem sido feito aqui, em Hortolândia, já não é a primeira vez... Estamos falando aqui apenas da parte rodoviária, fora outras, no campo da Saúde, da Educação e da Segurança Pública, que temos feito aqui na região. Então, seguiremos assim, o Governo de São Paulo não faz nenhuma discriminação, atua com todos pelo benefício de todos. Em relação à quarentena e as ações pela saúde, não só manteríamos tudo que fizemos como temos orgulho do que fizemos. Aqui em São Paulo, nós protegemos vidas, não protegemos interesses políticos, ideológicos e partidários. Aqui, nós estamos ao lado da ciência e da vida.

[Aplausos]

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Aqui, nós não recomendamos a cloroquina, nem pra ema nem pra população, recomendamos que as pessoas façam distanciamento social, usem a máscara, usem álcool gel e obedeçam a orientação da saúde e da medicina. Assim como orientamos a todos com a chegada da vacina que está próxima, que todos sejam vacinado, exceto se houver alguma recomendação médica, específica pra que isso não aconteça. A nosso ver, a vacinação deve ser obrigatória sim, não faz sentido imunizar alguns e não outros. enquanto outros estiverem sem imunização, eles continuarão tento o risco do contágio e de serem agentes de contágio. Essa é a orientação correta da Organização Mundial da Saúde e é essa orientação que vamos seguir também aqui em São Paulo. O Plano São Paulo, a chamada quarentena inteligente, foi elogiada internacionalmente, primeiro recebeu uma referência elogiosa do diretor geral da Organização Mundial de Saúde, há três semanas, em Genebra na Suíça, e tem recebido referências também elogiosas de alguns veículos de comunicação que analisam a pandemia aqui no Brasil e diferenciam o tratamento que damos aqui em São Paulo daquele que erradicamente, infelizmente, é oferecido pelo presidente Jair Bolsonaro. Mas eu não quero entrar aqui nessa... neste contraponto apenas para dizer que aqui estamos fazendo o que é certo. E não me preocupa também se esse ou aquele setor pode estar com algum inconformismo, todos vão saber que só há economia se você tem vida. Não há economia que possa ser salvada se você não tem vida, se você não tem existência. E o que está acontecendo? A recuperação da economia em São Paulo. Vale, José Aparecido, mencionar isso, nos meses de junho, julho e agosto, São Paulo teve um crescimento médio de 3,4% no seu PIB, no seu Produto Interno Bruto e de forma segura, sem sacrificar os brasileiros, sem levar à morte aqueles que por falta de máscara, por falta de distanciamento social ou não terem cumprido o isolamento lá atrás, ou não estarem usando álcool em gel e lavando as suas mãos infectados, que poderiam nesse momento não estar aqui em vida. Estamos preservando vidas e recuperando a economia. Próximo.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Rogério, jornal [ininteligível] Americana.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Penúltima. Rogério.

ROGÉRIO, REPÓRTER: Bom dia, governador.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia.

ROGÉRIO, REPÓRTER: Governador, eu queria que o senhor detalhasse melhor essa reunião com o ministério pra tratar de trem intercidades. A gente viveu aqui na região... esse que é um assunto obrigatório em todas as cidades. Esse trem chega a Americana, não chega a Americana? Porque tinha aquela questão de... eram necessários investimentos na duplicação da linha, falaram que iam aproveitar a malha viária lá da linha Ribeira, CTPM e tal, até Jundiaí, que até Americana não seria viável. Como está isso? O trem chega a Americana? E o que é que vai ser debatido essa semana?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Rogério, importante a sua pergunta pra esclarecer não só a população de Americana, mas de toda a região metropolitana de Campinas. Eu sou um governador que descentraliza a gestão. Aprendi a fazer isso no setor privado e fui bem-sucedido por isso, sempre fui delegador, sempre evitei a concentração de poder e de mando. E faço o mesmo no Governo do estado de São Paulo. Trouxe um dos maiores especialistas em transporte e logística do Brasil. João Octaviano para cuidar desta área de logística no transporte rodoviário, ferroviário aqui no estado de São Paulo. Hidroviário também e aeroviário também, são várias áreas sob atuação. Então, vai responder a sua pergunta exatamente quem conhece e quem está tratando com o Tarcísio Gomes de Freitas, além do tratamento que eu mesmo tenho conduzido ao lado do ministro. Que, aliás, registro, tem sido um ministro correto com São Paulo. João Octaviano.

JOÃO OCTAVIANO NETO, SECRETÁRIO DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: Governador, obrigado. Rogério, o projeto está já pronto, já tem o termo de entendimento entre o ministério e o Governo do estado de São Paulo, e é isso mesmo, é o prolongamento da linha da CPTM e você vai chegar até Campinas, num primeiro momento, depois até Americana. Qual era o ponto mais divergente nisso? Era aquela questão dos trilhos dedicados à carga sem segregação pra passageiros. Isso o governador conduziu uma negociação com o ministério e conseguimos que na renovação do contrato da MRS, parte da outorga virá pra acertar essa questão dos trilhos. Então haverá a colocação de novas estruturas de trilhos pra que você possa ter a segregação entre carga e passageiro, com isso você resolve o [ininteligível] desde Americana até Jundiaí, e faz a conexão com a linha da CPTM. Aí você também resolve a questão da passagem dos trens de carga em São Paulo que compartilhavam essa mesma linha. Então está ajustado, isso faz parte agora desta... dessa conversa com o ministro, e estamos no aguardo na decisão do TCU quanto à renovação antecipada da MRS. Mas no entendimento que foi feito já está claro, isso já está sacramentado, agora é a questão da aprovação no TCU da renovação do MRS.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pois não. Fala aqui. Aí, pronto. Pronto.

REPÓRTER: O [ininteligível] falou sobre o interesse... pontos internacionais, tal. Do que depende? Isso vai ser aberto pra concorrência? Quando vai ser... quando vai acontecer isso?

JOÃO OCTAVIANO NETO, SECRETÁRIO DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: Claro. O governador tem que fazer várias visitas internacionais com grandes fundos de investimento, e todos estão interessados, um projeto da maior magnitude. O que está dependendo agora é justamente essa agenda do TCU na liberação da renovação antecipada da MRS. A partir daí ele entra no programa de São Paulo de concessões e parcerias, será feito edital então aberto como foi feito no caso da PIPA, um leilão desse trecho. E isso daí deve acontecer tão logo a gente tenha as liberações formais por parte lá do TCU. E posso lhe garantir, há diversos fundos internacionais que têm muito interesse em investir nesse... nesse trem intercidades que será pioneiro e que vai ser uma grande marca aqui com o esforço que o governador João Doria fez e apresentar isso a esses fatos.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, João Octaviano. Rogério, obrigado. Foi bom... boa a sua pergunta para esclarecer. E eu só enfatizo, não faltarão investidores pra esse projeto intercidades, tanto pra região metropolitana de Campinas, quanto para o projeto do trem intercidades para o Vale do Paraíba. Teremos disputa, inclusive, o que vai melhorar, inclusive, o valor da outorga para o governo de São Paulo. vamos então à última pergunta.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Gustavo, da TV BEM.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Gustavo.

GUSTAVO, REPÓRTER: Gustavo, da TV BEM.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Aqui.

GUSTAVO, REPÓRTER: Esta câmera? Isso.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Essa aqui? Essa. Ok. Ótimo.

GUSTAVO, REPÓRTER: Governador, a gente viu aí como o senhor bem disse, a construção da ponte muito importante agora com esse dispositivo, mas o problema pra quem mora em Hortolândia, muitos moram por aqui, devem saber bem, inclusive, essa situação do acesso a Campinas. Chega ali no final da SP, ali bem na Anhanguera, né, porque a gente chama de balão da morte, o trânsito é terrível todos os dias, principalmente de manhã, e pelo que eu entendi não vai mudar a princípio, né? Tem algum projeto pra aliviar o trânsito para os moradores de Hortolândia, Monte Mor etc.?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Gustavo, vou também pedir a ajuda e a resposta do nosso secretário João Octaviano. Mas eu tenho que te dizer um problema de cada vez. Nós resolvemos passo a passo, obviamente que o ideal é poder resolver todos os problemas ao mesmo tempo, mas não há recurso pra isso. Mas resolvendo, eu estou aqui na região metropolitana de Campinas, eu como governador é a sexta vez que estou aqui. Isso com pandemia e tudo, inaugurando obras viárias, então estamos fazendo. mas especificamente sobre essa dúvida ali da Bosh, responde João Octaviano.

JOÃO OCTAVIANO NETO, SECRETÁRIO DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pois é, é um ponto central, a gente estava conversando até, aí tem uma outra concessionária, a questão da Autoban que tem investimento ali, são várias obras que estão em andamento aí por aprovação da Artesp pra você retomar um conjunto de investimentos que conecta essas rodovias com a questão de mobilidade urbana, porque elas vão interferir muito com o trânsito local. Esse trevo da Bosh você sabe que tem um grande... a grande questão ali é mais de mobilidade urbana do que propriamente da rodovia. Então está em andamento, a Artesp está estudando isso, é um conjunto de investimentos aí pra que a gente possa resolver todas essas questões. Envolve duas concessionárias, e eu tenho impressão aí que em breve nós vamos trazer uma boa notícia desses novos projetos na região.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem, João Octaviano. O prefeito de Monte Mor me disse aqui, aliás, grato pela lembrança, também investimentos muito pesados do Governo do estado de São Paulo estão sendo feitos na região metropolitana de Campinas. Ou melhor, na região urbana de Campinas na cidade com o prefeito Jonas Donizette. São investimentos pesados que estamos fazendo ali, isso também contribui e ajuda. Bem, feita essas perguntas e as respostas, eu queria mais uma vez agradecer a presença de todos vocês, obrigado a jornalistas, aos jornalistas, cinegrafistas, fotógrafos e técnicos. Agradecer também a presença das autoridades que aqui estão, nossos amigos e amigas, muito obrigado. Sigam em paz, sigam protegidos e tenham uma boa semana. Muito obrigado a todos. Obrigado.

[aplausos]