Coletiva - Governo de São Paulo libera R$ 1 bilhão para beneficiar escolas 20200901

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de São Paulo libera R$ 1 bilhão para beneficiar escolas

Local: Capital - Data: Janeiro 09/01/2020

Soundcloud

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Não, não. Vou sair. Muito obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mais algum?

[FALAS SOBREPOSTAS]

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Primeiro, mais uma vez bom dia. Obrigado pela presença. Prazer em te rever. Estava de férias?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: No Rio de Janeiro.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Outra vez? Bom, pessoal, de novo, obrigado pela presença de vocês. Bom dia. Estou com muita alegria fazendo a visitar a essa escola pública estadual, ao lado do Rossieli, nosso secretário de educação. Fundamentalmente por duas razões. Uma para apresentar um novo kit escolar e o fato de que, depois de muitos anos, o kit escolar está sendo entregue antes do início do período letivo, como deve ser, aliás. Deveria ser uma e uma obrigação, mas não era assim que ocorria e eu orientei o secretário para que isso fosse mandatório. Ou seja, para que nós pudéssemos ter os kits entregues dentro do prazo, com antecedência, para que a rede estadual de ensino possa distribuir as aos pais dos alunos dentro do tempo e com a devida antecedência. Isso é o primeiro fato. Segundo, anunciar a reforma das escolas públicas estaduais, que já iniciamos no ano passado, demos continuidade nesse ano de 2020, faremos também em 2021 e 2022. A nossa meta, nosso objetivo é que todas as escolas que precisam de reforma possam estar devidamente reformadas até dezembro de 2022. Um bom ambiente de trabalho para professores e gestores, um bom ambiente nas classes de aula, nas áreas de laboratório, nas áreas de ensino, assim como nas áreas de esporte e lazer. Melhora a qualidade de vida dos alunos, professores e, obviamente, a qualidade do ensino também. E os investimentos que o secretário já anunciou em tecnologia e inovação. Nós queremos que as escolas públicas estaduais sejam tecnológicas e, gradualmente, possam oferecer desde lousas eletrônicas até equipamentos de tecnologia, softwares e, obviamente, Wi-Fi, para que professores e alunos possam estar a ensinando e aprendendo dentro do mundo digital e preparando a nova geração de jovens para os desafios de um mundo globalizado e de um mundo digitalizado. Então, quero agradecer o fato dos jornalistas também terem vindo aqui até a Vila Maria para acompanhar essa iniciativa. Vou passar a palavra ao Rossieli para dar mais algumas informações responder as perguntas de vocês.

ROSSIELI SOARES DA SILVA, SECRETÁRIO ESTADUAL DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, novamente, bom dia a todos. Nós começaremos as aulas no dia três de fevereiro com uma série de avanços de medidas importantes, desde que o cunho pedagógico, que a nossa prioridade, com programas como o Inova começando, com um novo calendário escolar, incluindo o tempo de planejamento, com uma melhoria de infraestrutura, em muitas escolas já iniciadas, em muitas ainda serão iniciadas durante o ano, governador. Temos muitas licitações acontecendo com o material, tanto pedagógico sendo revisitados, sendo revisado, com uma nova a estrutura pedagógica, como, por exemplo, vamos começar o ano com a avaliação diagnóstica, para que com o planejamento dos professores, possam aí entender como é que a escola deve se comportar melhor durante o ano com os seus estudantes. Isso faz uma diferença brutal, gigantesca. Os kits escolares que são e fundamentais para as nossas crianças, e já estão entregues em grande parte já na capital, estamos terminando de entregar em todo o Estado. Então começaremos o ano feito. E já temos o empenho feito, estamos fechando contrato dos materiais de 2021, governador. Só para se lembrar, nesta data nós estávamos assinando o contrato da entrega do kit deste ano e nós terminamos entregar muito tardiamente porque nem contrato assinado nós tínhamos. Então nós estamos entrando num círculo virtuoso de organização da nossa educação do Estado de São Paulo, neste quesito. Com uma nova modelagem, mais desburocratizado, e acreditando muito na gestão das escolas com PDDE, um repasse altíssimo para as nossas escolas. E vamos ter ainda muitas novidades. No aspecto tecnológico, como o governador salientou, estamos fazendo todas as licitações de notebooks para as escolas, para uso com os nossos estudantes. Vai ter uma nova metodologia e durante o ano nós vamos estar avançando muito isso. Equipamento imobiliário, que é sempre uma demanda muito alta, que vai desde a cozinha a material na sala de aula, materiais de suportes para os nossos professores, são mais 200 milhões de reais de investimento, somente para o início do ano letivo, que já estão chegando. Essa escola já recebeu uma parte vai receber ainda mais coisas, além da própria reforma que já foi iniciada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem. Vamos considerar quatro perguntas, não sei se houve alguma inscrição, mas fique à vontade.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Governador, quando o senhor disse que os kits do ano passado não foram entregues a tempo, a gente está falando da gestão anterior, do Márcio França, mas antes o senhor disse que isso aconteceu também, quando era gestão do Geraldo Alckmin, gestão do PSDB. A sua crítica se estende também a essas gestões passadas?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu prefiro nem abordar críticas ao passado. Aliás, nós investimos nosso tempo no presente e no futuro. Não perdemos tempo aqui na análise do passado, apenas registramos que, para nossa surpresa, a aquisição de kits não estava feita no ano passado e nós temos que correr muito para poder diminuir o atraso, foi entregue com atraso no ano passado. Este ano a orientação é que isso em hipótese nenhuma ocorresse. E de fato não está ocorrendo. Então, não há crítica ao passado nem a Márcio França, nem ao Geraldo. Há sempre o sentimento do aprendizado para que isso não mais ocorra. O importante para os alunos não é quem entregou os kits, é que os kits sejam entregues.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Governador, queria entender um pouco melhor como é que vai ser o repasse, as escolas precisam se inscrever, relatar os problemas, aí vai fazer um estudo para decidir quanto vai se passado?

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Posso só complementar essa pergunta? Em relação aos 630 milhões de reais são só para essas reformas e manutenções e em que mais eles serão empenhados?

ROSSIELI SOARES DA SILVA, SECRETÁRIO ESTADUAL DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Os 360 milhões de reais do PDDE eles podem ser utilizados na infraestrutura da escola, para além dessas reformas que a gente falou, mas eles podem ser utilizados na infraestrutura, mas também ações pedagógicas. Então, por exemplo, nós pela primeira vez teremos uma semana de planejamento pedagógico antes de iniciar as aulas. Os professores, junto com a equipe de coordenação pedagógica, com a direção da escola, ouvindo também a comunidade, farão um planejamento do uso desse recurso para as prioridades da própria escola tem que, logicamente, sempre será complementar as próprias políticas da Secretaria de Educação. O que é que eu quero dizer com isso? Se nós compramos o caderno a escola não precisa usar o seu dinheiro para comprar o caderno. Se nós reformamos a cozinha desta escola, a escola não precisará usar o seu recurso para reformar essa escola, esta cozinha. Então, é sempre complementar com autonomia para a escola e, logicamente, ela vai apresentar um plano de trabalho sempre, vai prestar contas e será muito transparente com a comunidade. Assinamos um acordo com o Banco do Brasil, governador, onde vai trazer muita transparência no acompanhamento do uso do recurso. É uma nova modelagem de gestão que nós estamos buscando e vamos aprender durante o ano. E transparência é fundamental para que isso funcione.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Mas a escola que tem que provocar o governo...

ROSSIELI SOARES DA SILVA, SECRETÁRIO ESTADUAL DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não. O recurso já está, não vai provocar. Existe um manual de uso e dentro das regras do manual do PDDE a escola poderá já utilizar recursos. Tem escolas que já estão iniciando todas as suas programações de organização do ano letivo. Esse recurso, ele é para ser usado durante o ano todo. Logicamente que a escola vai se planejar, ela poderá fazer, de novo, atividades pedagógicas, ser preparados momentos específicos, inclusive, por exemplo, para a formação ou para reforma, para o ano de 2020.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Então, vai ser um recurso igual para todas as escolas?

ROSSIELI SOARES DA SILVA, SECRETÁRIO ESTADUAL DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não é um recurso igual, ele é proporcional sempre o tamanho da escola, com número de alunos, a localização da escola também influencia. Por exemplo, essa escola recebeu 150 mil reais. Temos escolas que são muito pequenas, que vão receber, que é o mínimo que estamos repassando, de 16800. E temos escolas que estão... Uma escola que recebeu, por exemplo, 470 mil reais, porque ela tem mais de 3000 alunos. Então é sempre é proporcional ao tamanho da escola.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mais alguma pergunta?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: No ano passado nós tivemos alguns incidentes nas escolas estaduais com pessoal acima de 15 anos. O presidente tinha citado, o Bolsonaro tinha citado em uma implantação de EAD. Vocês pensam em alguma coisa para essa turma que vem causando problema nas escolas estaduais?

ROSSIELI SOARES DA SILVA, SECRETÁRIO ESTADUAL DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, primeiro, eu não posso comentar o projeto eventual que exista no Governo Federal, porque desconheço. Segundo, nós podemos e usamos o EAD para complementar a aprendizagem dos nossos alunos. Nós acreditamos que o aluno na escola é fundamental sempre. Isso nós não abrimos mão. Agora, a tecnologia tem que vir para ajudar a complementar a aprendizagem dos nossos estudantes também. A gente também não vai abrir mão de ter mais oportunidades para os nossos jovens dentro e fora da escola. Nós estamos olhando muito para o uso de tecnologia em como a gente apoia o aluno, mesmo ele estando fora da escola.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Última pergunta.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Uma pergunta até fora desse tema, mas muito importante por causa das chuvas dos últimos dias que tem atrapalhado muito a vida do paulistano. Como que o governo tem trabalhado ou se pretende trabalhar junto da gestão do Bruno Covas para poder minimizar esses impactos desses temporais que tem assolado a cidade?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: As chuvas são intensas em todo o Brasil, especialmente na região sul do país e sudeste, não é só o tema da capital de São Paulo ou do Estado de São Paulo. Outros Estados também estão sofrendo com altíssimo volume de chuvas e precipitações neste início de ano. A Prefeitura de São Paulo, assim como os outros 644 municípios, tem o apoio do Estado, seja através da Secretaria de Infraestrutura, seja através da Defesa Civil, seja através da Secretaria de Segurança Pública, incluindo os bombeiros para apoiar nas necessidades circunstanciais adiante da ação do tempo. Agora, o volume de chuva muito grande, surpreendeu, repito, não só aqui na capital, vi outras cidades brasileiras também sofrendo, um volume enorme, em alguns casos mais de 70% de precipitação daquilo que chove em um todo o mês, choveu em dois dias. Então, nós precisamos estar atentos e, obviamente, apoiar os municípios, independentemente ser a capital de São Paulo, o maior município, mas os demais também. Pessoal...

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Uma última pergunta: o prefeito Bruno Covas anunciou que vai concorrer a reeleição este ano. Ele é o seu candidato? É o candidato do PSDB?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Quero reafirmar: é o meu candidato, é o candidato do PSDB, Bruno Covas. E não há alternativa, exceto a alternativa Bruno Covas. Obrigado pessoal. Um bom dia para vocês. Até amanhã.

[FALAS SOBREPOSTAS]