Coletiva - Governo de SP anuncia investimentos de R$ 39,6 milhões em Botucatu e região 20211806

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de SP anuncia investimentos de R$ 39,6 milhões em Botucatu e região 20211806

Local: Sorocaba – Data: Junho 18/06/2021

Soundcloud

REPÓRTER: Governador, bom dia. Bem-vindo a Botucatu, 14 News falando ao vivo aqui. Gostaria que a senhora falasse a respeito dessa audiência pública. Como o governo do estado enxerga a criação da microrregião de Botucatu.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Hoje aqui em Botucatu, representando o governo de São Paulo, governador Doria, nós estamos fazendo uma importante agenda. Primeiro, visita às obras da barragem, que vai dar segurança hídrica à cidade de Botucatu em relação às eventuais estiagens, dando segurança que a população terá água quando precisa. A barragem do Rio Pardo é uma obra de mais de 50 milhões de reais e nós temos feito essa obra pela Sabesp, iniciou em 2019 com a previsão de entrega no ano de 2023. A segunda agenda foi a visita a uma creche-escola, entregue agora à cidade de Botucatu para atender às crianças do município. E agora a audiências pública da nova regionalização do estado de São Paulo. Nós estamos fazendo uma nova regionalização com o estado e Botucatu é sede de uma microrregião importante pela atratividade do seu comércio, da sua indústria, pela forma econômica também aqui na cidade. Então, três agendas importantes nessa manhã de sexta-feira discutindo presente e o futuro do nosso estado aqui em Botucatu.

REPÓRTER: A criação da regimental de saúde está incluída nessa pauta?

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Sem dúvida, Botucatu tem um centro de excelência no atendimento à saúde da região, suportado pelo Hospital das Clínicas, pela Unesp. Discutimos, inclusive, a importância de nós mantermos todos os equipamentos funcionando nesse momento da pandemia para que a população que precisa ser atendida tenha atendimento à saúde, mas também discutindo o futuro, Botucatu cada vez mais terá um papel importante na assistência à saúde de toda a região e estamos já discutindo novos e ampliação de equipamentos dentro do complexo da Unesp.

REPÓRTER: A respeito da barragem, senhor gostou do que viu? As obras estão em andamento? Está atrasada? Como está o panorama?

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DE SÃO PAULO: As obras estão no cronograma, nossa vamos procurar agora em 22 adiantar essas obras para que a gente conclua ela o ano que vem e do ano de 2023 fazemos o enchimento dessa barragem e a licenças para a operação. Isso vai dar total segurança hídrica à região de Botucatu e o governo de São Paulo fica feliz de pode proporcionar, depois de tantas décadas de demanda, né, essa importante obra da barragem do Rio Pardo.

REPÓRTER: A gente tem aqui um hospital de campanha que foi feito pelo governo do estado lá no AME. Tiveram vários problemas, primeiro vocês anunciaram a inauguração dizendo que tinha uma quantidade de leitos de UTI, se eu não me engano, 11 leitos de UTI e 16 de enfermeira, mas, na verdade, quando a gente foi ver eram dois leitos de enfermaria só que estavam funcionando e ao longo do tempo vocês disseram que iam habilitando esses leitos. Recebemos reclamações de funcionários com salários atrasados. Você disse que os equipamentos têm que funcionar. Então, como esse equipamento pode funcionar? Por que não ele não está atendendo como deveria atender? Inclusive, o número de leitos de UTI nem consta no boletim oficial da prefeitura.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha não há por que ter salários atrasados. O governo tem pagado em dia as suas prestadoras de serviço, inclusive, com antecipação de recurso para que o sistema de saúde suporte, principalmente esse momento tão agudo da pandemia. É natural que nós temos um grande desafio pela frente que é atender quem precisa, seja em leitos de UTI, seja em leitos de enfermaria. O governo de São Paulo praticamente triplicou os leitos de UTI em todo o estado, prejudicando atender quem mais precisa e o demando desafio nosso é mantermos, depois da pandemia o atendimento à saúde para a doenças que não foram atendidas nesse período de pandemia. Nó sabemos que muitas cirurgias eletivas estão atrasadas e nós queremos, num pós-pandemia, virar a chave do sistema de saúde de São Paulo para atender essa população que deixou de ser atendida. Eu vou verificar esses dados que você está me colocando, mas todo a apoio aqui à saúde de Botucatu, inclusive, prorrogando complemento do hospital aqui da cidade, lá no complexo da Unesp para que a gente tenha a tranquilidade de que o que está funcionando continuará funcionando nesse momento mais agudo da pandemia.

REPÓRTER: Governador, nessa nova dinâmica da regionalização, como ficaria Botucatu e os municípios do entorno?

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, Botucatu vai ser a sede, né da denominada nova região aqui de Botucatu. Pelo estatuto das cidades, a nova região é denominada microrregião, mas ela é grande e ela vai ao encontro do que diz a lei federal sobre a regionalização. Depois de 40 anos nosso governo tem discutido a regionalização do estado de São Paulo de acordo da nova realidade. E a nova regionalização vai permitir também o governo se organizar. A área de saúde ter compatibilidade com a da educação, com a área de segurança pública, com área da habitação. Muitas vezes hoje as instituições sofrem com uma regional que define algumas cidades na área de educação, que é diferente da área de saúde. Então, tudo isso vai ser reorganizado para facilitar a vida de quem demanda serviços públicos do estado.

REPÓRTER: Qual seria, assim, a contrapartida do estado para ajudar? Com melhoraria de estrada? Né, ajudar nesse projeto aí para alavancar a economia?

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DE SÃO PAULO: A nova regionalização vai permitir nós termos um Conselho Regional que vai definir as prioridades de investimentos de obras que são regionais, através desse conselho, o fundo que o estado vai criar com aporte de recursos públicos, vai direcionar os recursos para exatamente aquilo que o coube definir como prioridade da região. Então, é uma forma moderna de governança, que já existe em muitas regiões do estado. Botucatu, por exemplo, já tem feito discussões regionais e levado demandas regionais. A área da é o principal exemplo que nós temos. Mas a nossa regionalização vai permitir que isso seja feito de maneira organizada, inclusive, em outras áreas de ação, como segurança, como infraestrutura, para que a gente priorize a utilidade do dinheiro público. É a sociedade e a prefeituras cada vez mais participando das decisões do governo de São Paulo.

REPÓRTER: Há previsão de novos investimentos, governador, com a criação da microrregião?

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Sem dúvida. A nova região de Botucatu vai ter acesso a fundos de investimentos que o estado mesmo vai colocar orçamento público e esses fundos vão ter acesso a recursos internacionais. Nós tivemos uma boa experiência de planejamento regional feito ali na baixada santista, justamente porque a baixada santista já é uma região metropolitana e ela acessou recursos para o seu planejamento. E a ideia é que a gente possa proporcionar isso também a Botucatu e a toda região.