Coletiva - Governo de SP apresenta projeto do BRT ligando região do ABC à capital 20210705

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de SP apresenta projeto do BRT ligando região do ABC à capital 20210705

Local: Capital – Data: Maio 07/05/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós estamos muito felizes nesta manhã, aqui no Palácio dos Bandeirantes, de assinarmos o projeto do BRT do ABC. Esse é o primeiro BRT aqui no Estado de São Paulo, e é um investimento privado, são R$ 860 milhões de investimento privado. O secretário Alexandre Baldy, secretário de Transportes Metropolitanos, dará mais detalhes, mas que vai permitir a ligação de áreas importantes do Grande ABC, especialmente de São Bernardo e São Caetano, que não eram conectados com o sistema metroviário, e também com o sistema dos trilhos da CPTM, e que, com a implantação desse BRT, eles serão conectados. Isso significa facilidade, agilidade, no tempo de acesso ao trabalho, o retorno às casas, dos moradores de toda a região do Grande ABC, especialmente São Bernardo e São Caetano. Uma iniciativa que exigiu estudos, planejamento, análises, para permitir que, com esta alternativa, com este modal, oferecêssemos o menor tempo possível, ao menor investimento viável e, principalmente, num tempo reduzido de implantação. Nós temos que ter pressa pra poder atender àqueles que precisam de transporte coletivo de qualidade e no uso desse transporte, para chegarem ao trabalho, chegarem ao lazer, retornarem às suas casas. Esse é um projeto que, em 2023, ele já estará concluído e em operação. E mais detalhes vocês terão agora, com o Alexandre Baldy, nosso secretário de Transportes Metropolitanos. Baldy.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: Bom dia, governador, bom dia a todos. O projeto BRT ABC, que nesse momento o Estado de São Paulo anuncia, realmente visa levar de modo eficiente e absolutamente coerente com a demanda, uma demanda estimada em 115 mil passageiros, com estudos de origem e destino que foram realizados agora, já nesta nossa gestão. Investimentos da ordem de R$ 860 milhões, que serão integralmente realizados pelo consórcio, que será concretizado pela Metra, o Grupo Metra, e que ligará então toda essa região, como disse o governador João Doria, da região do Grande ABC até os terminais Tamanduateí e Sacomã, integrando com o sistema de transporte metroviário e também rodoviário, aos terminais municipais da Prefeitura de São Paulo. Portanto, esse investimento, desde as desapropriações até toda a sua implementação, será de responsabilidade integral por parte do consórcio privado, sendo que serão fiscalizados e acompanhados por nós, Governo do Estado. Nosso objetivo é que, ainda em 2022, tenhamos, sim, mesmo que de forma seccionada, a implementação e a operação, onde serão mais de 20 pontos de paradas, todas as estações com cobranças desembarcadas, conforme o BRT, que ainda nós não temos em operação aqui, principalmente, possa exigir, na sua normatização, para que tenha agilidade, fundamentalmente, para os passageiros. Todas essas estações de embarque e desembarque serão climatizadas, contarão com wifi, com uma moderna e um moderno sistema de iluminação. Todas com acessibilidade absoluta, todos os ônibus, todos os veículos serão produzidos integralmente em solo brasileiro, todos eles sustentáveis, elétricos. Quer dizer, aquele que foi o sonho e o desenho do trólebus, lá no período anterior, do corredor ABD, neste momento, o Governo do Estado implementa, para que ele possa se concretizar. Ônibus elétricos, sustentáveis, na sua totalidade. Portanto, um corredor expresso, que levará de modo eficiente, de modo seguro, de modo qualitativo e inovador, pelo BRT ABC, com este investimento que o consórcio Metra realiza. E também, governador, os investimentos que serão realizados no corredor ABD, para que nós consigamos, da mesma forma, torná-lo ainda melhor. É o melhor corredor em avaliação do Brasil nesse momento, sobretudo de São Paulo, onde nosso índice de qualificação, por parte dos usuários, que é o nosso objetivo, aquilo que nós nos dedicamos e a sua orientação diretiva integral, onde eles avaliam diretamente, para que possa ainda ser melhor e que aqueles que utilizam no dia a dia cheguem da sua origem, da sua casa, ao destino, sobretudo na estação Jabaquara, integrando com o metrô e com o transporte rodoviário aqui da Prefeitura de São Paulo, ainda melhor e mais rápido.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, secretário Alexandre Baldy. Eu pedi ao prefeito Orlando Morando, que pudesse representar os prefeitos que aqui estão, os prefeitos dos municípios do Grande ABC, que serão diretamente beneficiados por este programa, do BRT do ABC. Repito: É o primeiro BRT aqui no Estado de São Paulo, e que segue os padrões internacionais de BRT, e com tecnologia embarcada de última geração. Então, vou pedir ao Orlando Morando que faça aqui uma breve, um breve testemunho, e vou pedir para ser breve, em respeito também ao horário dos jornalistas, para o benefício que isso vai gerar, e no tempo mais curto possível para a população de todo o ABC.

ORLANDO MORANDO, PREFEITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO: Governador João Doria, vou reafirmar aqui o que eu acabei de falar na mesa, onde nós estávamos, na grande vitória que é a chegada do BRT ABC. É um projeto que se discute há pelo menos uma década. Infelizmente, perdeu-se muito tempo, mas de maneira muito rápida, em dois anos, o seu governo conseguiu viabilizar um novo modal de transporte público, rápido, eficiente, inovador, além de um ganho importante, que é o do corredor ABD, já existente hoje, que são as linhas da Metra, que vai ganhar um retrofit total. Então, são dois grandes investimentos: o BRT, o principal, o retrofit da Metra, que dará oportunidade em especial de São Bernardo ter a sua primeira conexão direta, através de transporte público, ao Metrô, ao sistema metroviário, o que é extremamente importante para todos nós, do Grande ABC, mas também para a nossa cidade de São Bernardo. Somados ao anúncio feito pelo senhor ontem, do Piscinão Jaboticabal. Eu até falei ao governador, falei: Caso o senhor não tivesse anunciado, a imprensa ia te perguntar como ficaria o BRT num dia de chuva. Então, as duas obras iniciam concomitantes, começa o Piscinão Jaboticabal agora em junho, e junto começa o BRT. Então, duplo ganho de infraestrutura para todo o nosso Grande ABC, a quem devemos aí ao Governo de São Paulo, através da sua gestão. Muito obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Orlando Morando. Eu vou pedir à... Onde está a Carol Góes? Não está aqui. Não, só pra lembrar, nós vamos fazer aqui a coletiva e depois Baldy e eu saímos por um minuto, pra fazer o vídeo, mas depois o Baldy retorna aqui. Será um minuto, não mais do que isso, e o Baldy retorna para prosseguir com vocês, se houverem, evidentemente, perguntas, nesse sentido. Nós temos três jornalistas para essa breve coletiva: do Jornal ABCD, a Gislaine Jacinto, do Diário do Transporte, William Moreira, e do Diário do Grande ABC, o Fábio Martins. Começamos então com você, Gislaine, do Jornal ABCD. Pode dar o microfone pra ela? Pronto, obrigado.

REPÓRTER: Eu gostaria de saber o que diferencia esse projeto de um corredor comum, e se o senhor tem um projeto a longo prazo para beneficiar as demais cidades do ABC, as outras quatro.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu vou pedir ao Alexandre Baldy, nosso secretário de Transportes Metropolitanos, para apresentar a resposta e há diferenças bastante expressivas. E nós até exibimos um vídeo, cuja cópia estamos encaminhando a vocês na sequência, para que vocês possam utilizar nos sites, e os que têm canais de televisão, utilizarem também, para que as pessoas possam conhecer detalhadamente o que é o BRT do ABC. E a diferença vai ser explicada agora pelo Alexandre Baldy.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: O corredor de ônibus comum, ele tem a sua preferência por parte do trânsito dos demais veículos individuais. Um sistema BRT, ele tem sua normatização, foi feito pioneiramente em Curitiba, depois levado para o Reino Unido e transformado num sistema que, aparentemente, nem é brasileiro, mas sim, foi criado aqui, de forma pioneira, no Brasil. Portanto, ele tem cobrança desembarcada, acessibilidade absoluta, ele tem toda a preferencial exclusiva semafórica, para que não haja interrupção ou paralisação do veículo, do ônibus, em qualquer um dos trechos. Então, quer dizer, a integralidade de toda a via, nos dois sentidos, deverá ser a preferência do veículo, do ônibus. Portanto, ele tem a sua norma integralmente seguida, para que ele possa ser um BRT, conforme toda a padronização nacional e internacional, para que a gente possa denominá-lo. Como disse o governador João Doria, nós ainda não temos um BRT aqui hoje em operação. Portanto, será o primeiro, e serão, com todas as suas regras e normas, repetindo, respeitadas, para que a gente possa então tê-lo em operação no corredor BRT ABC. E quanto aos investimentos, nós temos feito uma projeção de investimentos em todas as cidades da região do Grande ABC. Nós aqui, quando anunciamos, em 2019, uma reformulação dos trens da linha 10, turquesa, todos eles já foram entregues, sendo que essa semana ainda nós até melhoramos. Nós criamos um serviço chamado 710, integrando a linha 7 da CPTM com a linha 10 da CPTM, diminuindo o tempo de parada, aumentando a performance e a eficiência das viagens e, sobretudo, o passageiro que vem de toda a região do ABC, ele não pode ou não precisa mais somente parar no Brás. Ele segue até a Luz, segue à Barra Funda. Portanto, ele segue a todas as demais estações de embarque ou desembarque. Os elogios têm sido muito grandes, governador, e a performance tem sido bastante admirada e também elogiada por parte dos usuários. Portanto, são estações ainda que estarão recebendo melhorias, projetos também como o da linha 20. Nós demos o seu início, investimentos que foram realizados... Quero agradecer aos deputados, [ininteligível] até destinou uma emenda individual, para que a gente pudesse iniciar esse projeto, que futuramente será a linha prioritária, por parte de execução do Metrô, seja público ou seja privado, com investimento, e outros demais que, quando for a oportunidade, nós anunciaremos.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Baldy. Gislaine, muito obrigado. Vamos agora com você, William, Diário do Transporte.

REPÓRTER: Bom dia a todos. Bom, a minha pergunta é relativa à questão do BRT em si. Mas, por exemplo, como o Governo do Estado vê as contestações na Justiça ao fato de todas as linhas da MTU na região passarem a ser operadas pela Metra, em um curto prazo? Legalmente falando, em que se baseia essa transferência das linhas? E aproveitando a pergunta da colega, relativa às enchentes, além do Piscinão, haverão outras obras para mitigar problemas de enchente na região? Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, William. Do ponto de vista de saneamento, eu respondo. A parte de transporte, o secretário Baldy. O Piscinão Jaboticabal é o maior investimento de saneamento em obra de piscinão do Estado de São Paulo. São quase R$ 700 milhões de investimentos, as obras começam agora em junho e estão previstas para serem realizadas no prazo máximo limite de 24 meses. Mas nós já solicitamos que, se possível, haja o encurtamento nesse período de implantação deste piscinão. Lamentamos apenas o fato de que o Governo Federal literalmente enrolou o Governo do Estado de São Paulo durante 18 meses, não tendo oferecido os recursos que havia prometido para implantação desse piscinão, o que foi feito nominalmente por dois ministros de estado do atual governo. Isso nos fez perder 18 meses. Mas agora, de forma acelerada e com investimento integral do Governo de São Paulo, faremos a implantação do Piscinão Jaboticabal. Outras medidas já foram adotadas, não é que precisam ser adotadas. Elas já foram adotadas, e a nossa expectativa é de que elas suprem e atendem à necessidade para evitar enchentes de outras dimensões, menores do que aquelas que, infelizmente, afetaram especialmente os municípios de São Bernardo do Campo e de São Caetano. Mas que, com o Piscinão do Jaboticabal, nós teremos aí a solução definitiva. E no transporte, Alexandre Baldy.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: William, bom dia. Os investimentos que serão realizados pelo consórcio, eles compreendem uma reformulação integral na região. Nós, você e todos nós, sabemos do nível de qualificação de aceitação por parte dos usuários, de acordo com... desde 2006, a busca pela reformulação da área e, contudo, a troca e a renovação da frota, para atender, com foco nos cidadãos, nos usuários, que todos os dias utilizam os ônibus metropolitanos da MTU. Portanto, neste mês de maio, já serão entregues 60 ônibus 0 Km, por parte do consórcio na reformulação de aproximadamente 420 automóveis que atendem à região atualmente, e que, nesta reformulação desse estudo, entre origem e destino, que a gente buscará focar no tempo que a pessoa utiliza da sua casa ao seu trabalho, para que seja o menor possível, racionalizando, olhando pelo cidadão, e não pelo empresário, e nem por parte do governo, mas para que a gente tenha como foco a qualidade e a eficiência, sentida na pele por parte daquele que utiliza o transporte público. Portanto, esse é o nosso objetivo e todas elas atenderam, dentro da Procuradoria-Geral do Estado de São Paulo, às normas, às leis, sejam federais, conforme já foi realizada, só pelo Governo Federal e pelo Governo de São Paulo, aqui mencionamos isso, nessa modelagem, que foi concretizada e anunciada aqui hoje, dentro da Lei Federal, Lei Estadual e com certeza respeitando todas as padronizações de órgão de controle.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Baldy. William, muito obrigado. Vamos à última pergunta, é sua, Fábio Martins, Diário do Grande ABC.

REPÓRTER: Bom dia, governador, bom dia a todos. Gostaria de saber se tem uma data específica de início de obras, de ordem de serviço, nesse sentido. Também, como que vai ser dar o processo de desapropriação. O secretário já comentou que vai ficar a cargo da iniciativa privada, mas as prefeituras também entram, arcam com alguma questão de financiamento nesse sentido, de algumas obras no trajeto? E, para finalizar, foi comentado pelo prefeito Orlando Morando com relação ao tempo de espera, que se esperava por essa obra de transporte, para ligar ao sistema metroviário. O governador comentou sobre a questão da viabilidade financeira e o tempo de execução. Como convencer o morador do Grande ABC que essa foi a opção melhor, depois da substituição da linha 18? Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Fábio. Eu começo respondendo pela última parte da sua pergunta: Com a implantação do projeto. Projeto implantado, e operando, os usuários, moradores, ou servidores, perceberão rapidamente o grau de eficiência, modernidade, conforto e funcionalidade do sistema, e ele será aprovado pelos usuários. Portanto, nós temos que concentrar toda a nossa ação no processo de implantação, apoiando o setor privado, que é o maior investidor, e apoiando as prefeituras também, cujos prefeitos, vice-prefeitos, estão aqui e que vão colaborar também. É importante que essa ação seja transversal dos municípios, do Governo do Estado e da livre-iniciativa. Baldy?

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: Fábio, primeiramente, não houve substituição de nenhum projeto. O projeto mencionado, ele foi determinado por várias instâncias administrativas de dentro do governo, que não é só a Secretaria de Transportes Metropolitanos, mas é o CDPED, CG, [ininteligível], Secretaria de Planejamento, Secretaria de Governo e a Procuradoria-Geral do Estado, que não era viável. Nós ali tínhamos desapropriações e, sobretudo, recursos do Governo Federal que eram aguardados. Lembra que a rubrica esse ano para a mobilidade urbana, do Ministério do Desenvolvimento Regional, no Governo Federal, é zero. 2021, zero recurso orçamentário para as obras de mobilidade, como nós temos hoje na CPTM, na linha 9, estação Mendes e estação Varginha. Portanto, como se aguardava recursos para uma obra de implantação, cujos valores estavam subestimados, cujo processo de fabricação de sistema de trens estava falida, e, conforme nós passamos pela linha 17, ouro, uma realidade que ninguém do ABC e de qualquer parte do Brasil teria o desejo de passar novamente. Portanto, todas essas colocações foram motivadas para que essas instâncias administrativas decretassem a inviabilidade do projeto, no termo da norma, respeitando a transparência e, com certeza, a lei sobretudo. Quanto à possibilidade dessa continuidade, o governo decidiu que, dados os estudos de origem e destino, o BRT atenderia com qualidade e eficiência, dentro de todos os padrões e normatizações brasileiras e internacionais, conforme já falamos. Portanto, essa decisão é transparente, é absolutamente coerente com aquilo que é a origem e destino de 115 mil passageiros, com a real e necessária demanda, conforme já mencionei sobre os estudos, para que os investimentos, integralmente, sejam realizados pelo privado, as desapropriações absolutamente estão incluídas nesses recursos, que não será necessário nenhum centavo por parte de nenhuma prefeitura e nem por parte do Governo do Estado, que se acarreta de decretar as DUPs, que são os Decretos de Utilidade Pública, para que o privado possa realizar o investimento, implementar a obra, e o nosso objetivo: iniciar o mais rápido possível, mas, sobretudo, especialmente, termos a operação iniciada já em 2022. Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Fábio... A data do início.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: É o que eu lhe disse, Fábio: iniciar o mais rápido possível, porque o nosso objetivo é operação em 2022.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Fala que é junho, Baldy, senão a gente fala que não tem data...

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO ESTADUAL DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: Quem coloca data pra começar não pensa em terminar. O nosso objetivo é começar o mais rápido e terminar o mais rápido. Temos feito, em todas as nossas obras o mesmo objetivo. Não temos nenhuma obra parada hoje na nossa área de mobilidade, portanto, eu creio que a gente, nesse momento, mereça esse crédito de aguardar, para que a gente tenha este projeto implementado e a operação em 2022.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós vamos ter, Fábio, nós vamos deixar você e os demais jornalistas, meus colegas aqui, com os prefeitos, com a Beatriz. Portanto, o consórcio que vai ter o investimento de R$ 860 milhões, também os seus diretores estão aqui, vocês poderão, evidentemente, perguntar livremente, como cabe, evidentemente, a um processo de liberdade de coleta de informações. Eu vou me ausentar, junto com o Baldy. O Baldy retorna aqui para cumprimentar os prefeitos, principalmente, os parlamentares também aqui. Eu agradeço a presença de vocês, os que puderem ficar para a coletiva, nos veremos daqui a pouquinho. Quero deixar um abraço aqui aos prefeitos, obrigado pela presença, perdão por não cumprimentá-los um a um, para não desfazer aqui a boa roda, para que possam continuar a conversar com a imprensa. Beatriz muito obrigado a você a à sua família também. Obrigado aos parlamentares, Tiago, Carla, e obrigado a todos os meus colegas, sejam fotógrafos, cinegrafistas e jornalistas também, aqui presentes.