Coletiva - Governo de SP autoriza início das obras de ampliação da Linha 2-Verde até Penha 20201701

De Infogov São Paulo
Revisão de 10h04min de 20 de janeiro de 2020 por Alinemourasilva (discussão | contribs) (Criou página com ''''Coletiva - Governo de SP autoriza início das obras de ampliação da Linha 2-Verde até Penha''' '''Local: Capital - Data: [http://infogov.imprensaoficial.com.br/index.p…')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de SP autoriza início das obras de ampliação da Linha 2-Verde até Penha

Local: Capital - Data: Janeiro 17/01/2020

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pessoal, bom dia, e boa tarde, ao mesmo tempo. Muito obrigado à presença dos jornalistas que aqui estão, também das equipes de vídeo, cientistas e fotógrafos que aqui comparecem à essa coletiva de imprensa. Registrar que aqui à mesa ao meu lado estão secretário de governo e vice-governador do estado de São Paulo, Rodrigo Garcia; Henrique Meirelles, secretário da Fazenda e Planejamento; Aildo Ferreira, secretário de Esportes; Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia; Alexandre Baldy, secretário de Transportes Metropolitanos; Júlio Serson, secretário de Relações Internacionais. Também aqui à frente estarão à disposição para perguntas se necessário, o secretário de Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo, General Campos; a secretária de Desenvolvimento Social, Célia Parnes; procuradora geral do estado de São Paulo, Lia Porto Corona; secretário executivo da Polícia Militar, Coronel Camilo; presidente do metrô de São Paulo, Silvani Pereira; e gerente geral da Linha 2 do metrô, Eduardo Maggi; e também os secretários municipais, eu estou sem a lista aqui, mas me lembro do Caram, que está aqui conosco, do Jair de Sousa, presidente da CET, do Eduardo de Castro, que é o nosso secretário do Verde e Meio Ambiente, e o Coronel José Roberto, secretário de Segurança Urbana do município de São Paulo, a quem em seu nome agradeço a presença de todos os secretários da administração, Bruno Covas, que também nos honram aqui com a presença, estavam participando da nossa reunião de secretariado. Nós temos hoje três temas, o primeiro tema é de esporte e saúde, que é a Corrida da Mulher. O segundo tema, o transporte metropolitano, o início das obras da Linha 2 do metrô. E o terceiro tema, desenvolvimento econômico, que é Davos, Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Nós vamos começar com a Corrida da Mulher, que será realizada no dia 8 de março aqui na capital de São Paulo, é um evento dedicado em homenagem às mulheres, é o Dia Internacional da Mulher, dia 8 de março, essa será a maior corrida feminina do país, a nossa expectativa é para 15 mil mulheres participando, diretamente, inscritas, numeradas e participando desta corrida, cujos os detalhes serão expostos pelo secretário de Esportes, Aildo Ferreira. E também um conjunto de ações para as mulheres. Nesse dia nós teremos toda a estrutura de saúde do município da cidade de São Paulo, e do estado de São Paulo, para o atendimento à mulher, primeiro com os exames de mama, com as carretas Mulheres de Peito, exames oftalmológicos, outros exames preventivos também, teremos uma grande tenda de 200 metros quadrados, para atendimento exclusivo às mulheres, nas diferentes faixas etárias, que ali receberão atendimento preventivo das duas Secretarias de Saúde, do município e do estado de São Paulo. Também na área de segurança, uma outra tenda, para o atendimento, inclusive com uma DDM, uma Delegacia da Mulher operando para registros e denúncias de feminicídio, e ali as mulheres receberão também o aplicativo da mulher. Todas as mulheres que necessitarem de proteção, medida protetiva, já pela deliberação de um delegado da Polícia Civil, nesta tenda de segurança, já imediatamente em menos de 30 segundos estarão já conectadas no aplicativo da mulher, no seu respectivo celular. E programas também de orientação e defesa da mulher, no âmbito da justiça, no âmbito da defensoria, e também no âmbito da saúde, inclusive programas que receberão convidados especiais para palestras logo após a Corrida da Mulher. A Corrida da Mulher começa às 7h da manhã, as três etapas deverão terminar até às 10h da manhã, no Parque do Ibirapuera, já tem uma tradição e uma referência como o local para estes circuitos. E na sequência teremos o programa de orientação, de interatividade, e um programa de shows, que abre com a Fafá de Belém, e termina com a Cláudia Leite. Mais detalhes a esse respeito, serão apresentados agora pelo secretário de Esportes, Aildo Ferreira. É uma ação transversal de governo, são várias secretarias que estão envolvidas no âmbito do estado, e no âmbito do município de São Paulo. Uma ação em parceria, conjunta, como nós gostamos de fazer. Aildo.

AILDO FERREIRA, SECRETÁRIO DE ESPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: Perfeitamente, boa tarde, a todos. Como o governador disse, é o maior evento voltado para a saúde e a segurança da mulher, iniciando com a corrida às 7h da manhã, serão três largadas, a primeira largada às 7h, às 7h30min começa a segunda onda, culminando com as 8h a largada das pessoas com deficiência. Nós teremos durante todo o dia várias ações, finalizando por volta de 18h30min, 19h da noite, com o show da Cláudia Leite, entre vários outros shows que acontecerão a partir de 12h, com as ações que nós teremos ali com palestras e outros temas. Haverá uma cobrança de uma taxa simbólica de R$ 30, que será convertida em cestas básicas, em itens de higiene pessoal, e itens de limpeza, que serão administrados pela Defesa Civil e pelo Corpo de Bombeiro. Cem por cento patrocinado pela iniciativa privada, sem nenhum centavo de resultado público, nós vamos fazer este que é o maior evento voltado para a saúde e segurança da mulher no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A relação das empresas patrocinadoras aqui, para exibir? Se pudermos nominar, até para agradecer, são as empresas que... A começar pela Unimed, eu me lembro que é a patrocinadora master da Corrida da Mulher, a Avon, que patrocinadora. Quais são os demais? Para nós agradecermos. É um evento 100% financiado pelo setor privado, dois meses antes da sua realização. Temos aí a relação para poder...? E registrar também o apoio da Rede Record, da TV Record, Record News e R7, são os três veículos do Grupo Record. Além da Unimed, volto a repetir, que é patrocinadora master, também no patrocínio a Avon, a Sabesp e o Banco Santander, e igualmente no apoio, a Cosan, aqui, de calçados, e a [Ininteligível], com os produtos Ôla e Vit. E também a Rádio Brasil FM, e a Rádio Jovem Pan, que são media partners ao lado da TV Record, Record News e o Portal R7. À essas empresas os nossos agradecimentos, mais um evento que é realizado na área do esporte, assim como na cultura, e 100% com o financiamento privado. E agradecer muito toda a equipe da Prefeitura de São Paulo, ontem o Bruno Covas esteve aqui almoçando conosco, já agradecer a ele, mas o comprometimento. E como é bom poder fazer política para o público, para as pessoas, em conjunto, em harmonia, no entendimento de que fazendo juntos fazemos melhor. Então neste primeiro tema da Corrida da Mulher... Temos algum vídeo para exibir? Então podemos ganhar tempo, como temos três temas, vou agradecer ao secretário Ailton, e no tema da Corrida da Mulher, nós temos três veículos de comunicação que farão perguntas neste momento. Lembrando que nós temos três temas na coletiva de hoje. Então, o primeiro veículo é exatamente a Rede Record, a TV Record, jornalista Maurílio Golvner, da TV Record. Sua pergunta, por gentileza.

MAURÍLIO GOLVNER, REPÓRTER: Eu queria saber do âmbito de turismo, se existe essa expectativa? Porque a cidade de São Paulo tem uma grande procura já de corredores, esportistas que vem para cá naturalmente em fins de semana. E se esse também é um objetivo já na primeira corrida, ou se isso é para trabalhar nas próximas, e se existe a possibilidade de levar essa corrida também para outras cidades do estado?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ótima pergunta, Maurílio. Sim, temos o objetivo de incrementar o turismo na cidade de São Paulo, neste final de semana, dos dias 6, 7 e 8, é uma ação conjunta também com o setor de turismo, com a Secretaria de Turismo do município de São Paulo, a Secretaria de Turismo do estado de São Paulo, e o Programa São Paulo Para Todos. Inclusive com tarifas diferenciadas nos hotéis, de cinco, quatro e três estrelas aqui de São Paulo, para receberem as pessoas neste final de semana, celebrando o Dia Internacional da Mulher, que é o dia 8, não apenas a Corrida da Mulher, como um conjunto de eventos que ocorrerão na capital de São Paulo. Esse será o maior evento, evidentemente, a expectativa é de reunir um total de 45 mil mulheres no Ibirapuera, as 15 mil que participam da corrida, inscritas, e outras 30 mil que acompanharão por parentesco, por amizade, por relação de grupo, com as mulheres participando, e aquelas que também vão assistir ao lado de seus familiares, inclusive de homens, jovens e outras pessoas, em frente ao Auditório Ibirapuera. A parte externa será utilizada exatamente para o show das mulheres, que terá entre outros artistas, eu mencionei a Fafá de Belém na abertura, e a Cláudia Leite no encerramento, mas destaque também à Roberta Sá, Luiza Posse, Elba Ramalho, Ana Vitória, Bebé Salvego, e a orquestra Jazz Sinfônica, que pertence ao estado de São Paulo, e que é um espetáculo, e que estará lá também se apresentando. Entre outros grupos, mas estes, e são só mulheres, com execução da Orquestra Jazz Sinfônica, onde há mulheres e homens, estarão ali se apresentando. O objetivo é tornar a corrida uma tradição, a ser realizada todo Dia Internacional da Mulher, a partir desta iniciativa deste ano do governo do estado, junto com a Prefeitura de São Paulo, para que se torne uma referência, e todo ano nós tenhamos essa ação, como um grande guarda-chuva para o Dia Internacional da Mulher no âmbito da saúde, no âmbito da proteção da mulher e no âmbito também das atividades esportivas e culturais. Vamos agora a próxima pergunta. O Andrei Spinassé ou Spinassé, do site Esportividade. Andrei, onde você está?

ANDREI SPINASSÉ, REPÓRTER: Aqui.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado. Pronunciei corretamente? Spinassé.

ANDREI SPINASSÉ, REPÓRTER: Pode ser.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mas como é? Só pra eu--

ANDREI SPINASSÉ, REPÓRTER: Spinassé.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Spinassé. Perfeito.

ANDREI SPINASSÉ, REPÓRTER: Pergunta pro senhor, governador, Sr. Secretário. Sobre, primeiro, quando começam as inscrições? E a segunda pergunta: como se deu o processo de construção dessa coisa da mulher? Se a ideia surgiu da iniciativa privada ou surgiu internamente no Governo Estadual ou talvez na Prefeitura, como se deu isso?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Andrei, eu vou dividir a resposta com o secretário de esportes do estado de São Paulo, o Aildo que aqui está. A ideia nasceu aqui no Governo do estado de São Paulo, nós temos um grupo que se reúne todas as sextas-feiras e são os secretários e os dirigentes de estatais e de autarquias, nós temos um amplo programa de proteção à mulher, temos inclusive aqui a secretária Célia Parnes que é a secretária de desenvolvimento social que está bem aqui na sua frente, embora esteja de costas para você, mas está aqui na linha. E nós tínhamos o objetivo de ampliar o programa de proteção à mulher. Fizemos junto com a Prefeitura a Casa da Mulher Brasileira, junto com o Governo Federal também, eu preciso registrar, uma ação tripartite e que inauguramos o ano passado, em outubro se eu não estou enganado, é isso? Em outubro. E nós tínhamos intenção de criar um evento que pudesse reunir um número expressivo de mulheres para a agregação nas informações de proteção da mulher, para os exames preventivos, tanto é que teremos três carretas de mamografia, chama-se Mulheres de Peito, já era um programa que o Governo do estado de São Paulo desde Geraldo Alckmin já vinha realizando, foi ampliado na nossa gestão, hoje nós temos dez carretas operando no estado. E mais os exames preventivos pra outros temas de saúde. E também o programa de proteção da mulher com o aplicativo que nós lançamos, o SOS Mulher. E ter ali presente uma DDM, uma Delegacia da Mulher para as mulheres que desejarem ali fazerem registros de ocorrência ou terem medidas protetivas. E aí a ideia da corrida surgiu como uma forma agregadora, e a data obviamente foi o Dia Internacional da Mulher. E aí houve a sugestão para que a organização fosse feita por uma empresa privada, evidentemente, especializada no tema de corridas, não é função do Governo organizar eventos, mas criar, emular, estimular sim, e por isso que nós fomos buscar recursos privados também para o patrocínio integral do evento e felizmente conseguimos. Sobre as inscrições, responde Aildo Ferreira.

AILDO FERREIRA, SECRETÁRIO DE ESPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: As inscrições estarão disponíveis a partir do dia 4 de fevereiro, assim como entrará no ar toda a plataforma para que as pessoas possam acessar e fazer a inscrição on-line.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E, Andrei, também os veículos de comunicação, a Jovem Pan, a Rádio Brasil FM, a Record, TV Record, Record News e o R7, começam também no dia 4 de... aliás, no dia 3 de fevereiro, segunda-feira a veiculação para estimular a inscrição. E os R$ 30,00 serão administrados pelo Corpo de Bombeiros diretamente para aquisição dos kits na utilização de ocorrências com atendimento do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e do Fundo Social de solidariedade do estado de São Paulo. E, obviamente, todas as mulheres inscritas receberão uma camiseta, um número e um kit também de produtos quase correspondentes ou talvez até um pouco mais do que o próprio valor da inscrição. O terceiro veículo inscrito nessa manhã no tema da Corrida da Mulher, é a TV Cultura, Adriana. Onde você está? Adriana [...]. Eu vou pedir a quem escreve, eu não tenho nada contra a caligrafia, mas uma caligrafia de ler fica difícil pra eu pronunciar. É Simino? Ok. Então peço... eu não sei quem seja. Eu não estou criticando, mas se puder fazer uma letra legível é melhor. Adriana, sua pergunta, por favor.

ADRIANA, REPÓRTER: Boa tarde, governador. Boa tarde a todos. Não sei se eu perdi em algum momento da coletiva, mas eu queria saber qual que é a distância dessa corrida. Vocês falaram de três largadas, né, se tem alguma diferença. E também se essas ações voltadas pra segurança e pra saúde da mulher vão ser feitas também em outros dias ao longo do mês de março ou se elas vão ser só concentradas no dia da corrida.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boas perguntas, Adriana. Divido também a resposta com o secretário. Primeiro, são três etapas, nós vamos exibir um vídeo na sequência aqui pra vocês, logo ao término dessa... das respostas das suas perguntas, mas são três etapas, temos de cinco e dez quilômetros. Três etapas, primeiro saem aqueles que já têm experiência, vivência, e até aqueles que são esportistas, de esportistas amadores, semiprofissionais ou até profissionais. Depois aqueles que são completamente amadores e que farão cinco quilômetros e não dez. E o terceiro, as pessoas com deficiência e que sob orientação de um time de profissionais, inclusive o Comitê Paralímpico Brasileiro fará a sua parte na corrida também. Então são três momentos, a sua pergunta é boa principalmente pra ilustrar pra quem gosta de fazer corrida. Quem é mais profissional e está habituado, corre dez quilômetros e gosta de correr com quem corre. Os que são amadores e fazem corridas pelo prazer e pelo lazer, correm nos cinco quilômetros, também gostam de estar dentro, mais ou menos, no mesmo ritmo. E mesmo aqueles que são, que utilizam cadeiras de roda ou que possuem alguma deficiência, correm também sob orientação específica. E a segunda parte da pergunta o Aildo vai responder a você, Adriana.

AILDO FERREIRA, SECRETÁRIO DE ESPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: Exatamente isso, são feitas em três etapas as largadas, até mesmo para dispersar as pessoas que estarão aglomeradas ali no mesmo tempo, então serão três ondas: a primeira, a largada de dez quilômetros, a segunda onda a largada das pessoas que vão correr cinco quilômetros, e por último, e isso nós temos um período aí de uma hora pra ir dispersando aquelas pessoas que estarão aglomeradas ali ao mesmo tempo que é a última largada, as pessoas com deficiência.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ok. As inscrições poderão ser feitas, vou pedir a você só pra renovar a informação, a partir do dia 4 de fevereiro. De que forma e aonde? Se forem fisicamente--

AILDO FERREIRA, SECRETÁRIO DE ESPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: No site: www.corridadamulhersp.com.br. Inscrições [ininteligível].

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E se for presencialmente?

AILDO FERREIRA, SECRETÁRIO DE ESPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós temos todo o staff de atendimento lá no ginásio do Ibirapuera para atender as pessoas interessadas e orientá-las para fazer a inscrição.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Das 9h às 18h diariamente, até a véspera do evento que é o dia 7 de março, presencialmente. Bem, vamos agora exibir o vídeo. Nós temos aqui para poder colocar o vídeo? Nós acompanhamos na tela de lá, vocês acompanham aqui.

[Exibição de vídeo].

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Governo de São Paulo, estado de respeito.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem. Vamos agora... Obrigado, Aildo. Peço que todos permaneçam aonde estão. Vamos para o segundo tema, são três. Agora vamos falar de transporte metropolitano. O Governo do estado de São Paulo, neste momento autoriza o ministro das obras da ampliação da Linha 2-Verde do metrô até a Penha, é uma retomada, mas é o início da ampliação dessa linha, a ordem de serviço foi emitida hoje, a ampliação dessa Linha 2-Verde do metrô até a Penha será explicitada a vocês pelo secretário Alexandre Baudy. Nós vamos ter 8.3 quilômetros de trilhos, novas estações, cruzando toda a zona leste da capital e beneficiando mais de 300 mil passageiros por dia. Detalhes serão apresentados agora pelo secretário Alexandre Baudy.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO DE TRANSPORTES DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia, governador João Doria, vice-governador Rodrigo Garcia, secretários, senhoras e senhores. O governador do estado de São Paulo, João Doria me autoriza neste dia, nesta data, através da empresa Metrô Metropolitano para que nós possamos retomar o projeto da Linha 2-Verde. A extensão entre as estações Vila Prudente e Penha. Essa extensão ela denota mais 8.3 quilômetros de via, oito novas estações serão construídas, hoje nós estamos aqui autorizando a ordem de serviço para os lotes um, três e quatro que compreendem o trecho um da construção da extensão da Linha 2-Verde. Esse investimento, governador, senhores e senhoras, representam na totalidade R$ 6 bilhões, representam para a Linha 2-Verde a integração com a Linha 3-Vermelha que é absolutamente qualificada para a população da zona leste, quer dizer, vamos ainda melhorar o transporte pra toda a população, a construção das estações neste trecho que autoriza neste momento o governador, Orfanato, Água Rasa, Anália Franco e Vila Formosa, e logo em seguida as estações Guilherme Giorgi, Nova Manchester, Aricanduva e Penha. Essa integração, como eu falei, permitirá ela transportar mais 300 mil passageiros diariamente, quer dizer, a Linha 2-Verde será a mais extensa linha metroviária da cidade de São Paulo, e também passará a transportar mais de 1,100 milhão passageiros diariamente. Além de que, de todos que vem da zona Leste da Linha 11-Coral da CPTM, e da Linha 13-Vermelha do metrô, poderão para acessar, seja a região da Avenida Paulista, ou seja, para a zona Sul da cidade de São Paulo, poderão sim acessar a Linha 2-Verde na estação Feira, para que possa sim melhor integrar ao sistema de mobilidade urbana. Essa é uma obra que está projetada para seis anos, o investimento do lote 1 que representam as empresas Galvão Engenheira, Saxir Construção e a ECA Paulista, ele representa R$ 1,9 bilhão que construirá a Estação Vila Formosa, complexo Rapadura, 7,7 quilômetros de túneis, e cinco postos de ventilação e saídas de emergência para o lote 1. O lote 3 será construído pelas empresas Mendes Júnior e Power China. Reiterando, governador, que essa integração do consórcio para o lote 3 e 4, é fruto da sua viagem à China, ao qual nós participamos. Então quão a importância é do governo de São Paulo, do governador de São Paulo, João Doria, poder viajar pelos países e apresentar os projetos que o estado de São Paulo hoje coloca à iniciativa privada. Visitamos a PowerChina em nossa missão, daquela viagem aqui, e tem representantes, para apresentar esse projeto da extensão da Linha 2-Verde, com esses investimentos, para que pudesse assim, como assinamos há poucos dias essa integração deste consórcio, a entrada da PowerChina e os investimentos necessários que permitissem que chegássemos a esse momento. Então a autorização para o início da obra do lote 3 e lote 4, que é o consórcio Mendes Júnior e PowerChina, que compreende as Estações Orfanato, Água Rasa, e a Estação Anália Franco, com aproximadamente 770 metros de túneis, serão escavados pelo sistema NATN, e também dois poços de ventilação e saída de emergência. Esse momento é importante, senhoras e senhores, governador João Doria, por quê? Essa autorização ela logo no início do ano permitirá que as empresas que os consórcios possam então organizarem os canteiros entre 60 e 90 dias, e também a programação com o Child, que aqui muitos conhecem como Tatuzão, que esses equipamentos ficam pelo mundo afora, então que possam planejar, possam buscar para que esteja aqui na cidade de São Paulo dentro de um planejamento. E o cronograma que o metrô, aqui na pessoa do presidente, o Silvani, Eduardo Maggi, que é o gerente da Linha 2-Verde, possa então de forma responsável, quando nós aqui, governador, autorizamos a retomada e a execução do projeto executivo em junho de 2019, para que chegássemos também com projetos executivos avançados, para que ao iniciar a obra, esse cronograma, e também o planejamento esteja assertivo. Então quer dizer, aqui estamos autorizando o início das obras com projetos executivos bem avançados, quer dizer, de um modo planejado, organizado, e com a previsão orçamentária para o ano de 2020, também planejada, o vice-governador Rodrigo Garcia também com o secretário Henrique Meirelles, de modo também planejado, para que nós possamos iniciar essa obra, e com certeza gerar empregos, dinamizar a economia, e acima de tudo, ao fim, entregar mais de 23 quilômetros do sistema metrô, com 22 novas estações, interligando linhas importantíssimas, como a Linha 15-Prata, 2-Verde, 3-Vermelha e 11-Coral, serão fruto de aquisição 22 novos trens para essa operação, e que ao fim com certeza o sistema terá sim mais qualidade, mais conforto a todos os nossos usuários.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, secretário Baldy. Vamos fazer a assinatura eletrônica do autorizo, vocês vão acompanhar agora ao vivo, assinado e deliberado, e será publicado amanhã no Diário Oficial do estado de São Paulo, que também é eletrônico. Vamos às perguntas, sobre a Linha 2, Linha Verde do metrô, a zona Leste da cidade de São Paulo. O primeiro jornalista é a da Super Rádio, jornalista Júnior Berilo. Muito obrigado pela sua presença, bem-vindo mais uma vez. Sua pergunta, por gentileza.

JÚNIOR BERILO, REPÓRTER: Boa tarde, governador. São duas perguntas. A primeira é sobre essa Linha 2-Verde. A Linha 2-Verde, desde julho do ano passado ela vem tendo algumas melhorias, uma delas foi o início da colocação das portas automáticas nas plataformas lá da Estação Vila Madalena. E eu notei que também foi feita a recolocação da sinalização de embarque e desembarque. E agora o anúncio da expansão. Essas ações além da questão de melhorar o conforto do usuário, tem também a questão de futuramente essa linha ser concedida para a iniciativa privada, vocês estão preparando essa linha para ela se tornar mais atrativa, tornar mais interessante para quem queira operar essa linha? E a segunda pergunta para o secretário Baldy, é se os três da série 2.500, da CPTM, que já estão em Presidente Altino, que estão em testes lá, se já tem algum trem desse operando na Linha 13-Jade, se há uma previsão desses trens serem incorporados à frota?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Júnior, vou dividir a resposta com o secretário de governo, e o vice-governador, Rodrigo Garcia, responsável pelos programas de concessões, PPPs e privatizações no estado de São Paulo, juntamente com o ex-ministro secretário Henrique Meirelles, e a segunda parte o Alexandre Baldy, nosso secretário de Transportes Metropolitanos, fará a resposta. Sobre as portas automáticas, sinalização, esse é um programa que será estendido à todas as estações do metrô, sem exceção todas elas terão portas automatizadas, serão sinalização para facilitar o escoamento, a logística de passageiros, e obviamente ampliar a segurança dos passageiros. E com isso melhorando também a funcionalidade e evitando atrasos em embarques e desembarques, e funcionalidades obedientes aos horários em todas as linhas do metrô. E sobre concessão, fala no programa de expansão o secretário de governo e vice-governador, Rodrigo Garcia.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, nós estabelecemos logo no início do governo, 21 projetos que o governador considerou prioritário para efeito de concessão. Nesses projetos estão a retomada da Linha 6, estamos em fase final de negociação, e devemos ter um anúncio em breve, e as Linhas 8 e 9 da CPTM, esses dois projetos um já estava no [Ininteligível] do governo, e nós estamos retomando. E o outro foi incluído como projeto prioritário para esse primeiro biênio. Então nós não temos a curto prazo a previsão da questão da Linha 2 do metrô, até porque, nós temos uma estatal com funcionários de alta qualificação, que tem boa eficiência, e nós estamos anunciando uma ampliação de uma linha que é operada pelo metrô. Então enquanto não houver a conclusão dessa obra, enquanto não houver, enfim, a finalização desses trabalhos, é difícil você pensar em uma concessão de uma linha que está em ampliação. E aliás, ampliação que vai depois na sequência até Guarulhos, não é, Governador? Quando encerrar essa primeira fase até Penha. Então a princípio, isso não está no [Ininteligível] de concessão no curto prazo do governo.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Rodrigo. Vamos então à complementação à resposta à pergunta do jornalista Júnior Berilo, da Super Rádio, pelo secretário Alexandre Baldy. Baldy.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO DE TRANSPORTES METROPOLITANOS DO ESTADO DE SÃO PAULO: Só para complementar a pergunta, governador, as melhorias que quando nós assumimos, o governador João Doria nos determinou em todo o sistema do metrô, CPTM, MTU, estrada de ferro, Campos do Jordão, que são atribuições da Secretaria dos Transportes Metropolitanos, especificamente na Linha 2-Verde, temos debruçado e investido sobre todos os aspectos. Então, quer dizer, esse investimento que hoje o governador autorizou representa também novos sistemas, aonde nós com os investimentos que foram feitos ano passado, a implementação definitiva do CTBC, que é o sistema de sinalização, estamos diminuindo o intervalo entre os trens para números muito menores. Isso considera o quê? Uma capacidade ampliada do transporte de passageiros, um planejamento de ingestão de trens entre trechos que há maior demanda especialmente em determinados horários, a implementação de portas de plataforma, como o governador disse, em todas as estações, e quando chegar em certas estações aonde há uma demanda que isso gera segurança, e até mesmo a possibilidade de também aumentar o número de trens, isso gera mais conforto, e é claro, mais qualidade, para que nós consigamos. E até mesmo a alteração simples, governador, das esteiras do túnel entre a paulista e a consolação. É um túnel que diariamente são centenas de milhares de pessoas que passam por lá, no metrô aqui na pessoa do Silvanir, nós determinamos que fizesse as alterações, porque ela não era uma esteira que não estava colada na parede, então ela tomava ali um certo espaço entre a parede e a esteira, e não tinha passagem de pessoas. Essa alteração gera aí em torno de 70 a 90 centímetros, salvo engano, que permite que pelo menos, uma nova pessoa naquele sentido possa passar. Quer dizer, mais qualidade e conforto, com simples atos que foram feitos em toda essa operação. Sobre a Linha 3, sobre os trens chineses, que vieram da CRRC, eles chegaram, estão chegando, esse trem que era para ter sido já colocado em operação em dezembro, mas está em testes, a própria empresa com a CPTM sobre o sistema de sinalização que é hoje objeto do trem, preferiu ampliar os testes, ampliar especialmente com o que hoje a Linha 13-Jade detém. Então por decisão exclusiva da empresa, por segurança dos passageiros, a decisão foi de que nós pudéssemos postergar o início da operação dos trens da empresa chinesa, da série 2.500 para a Linha 13-Jade. Acreditamos que em no máximo 30 dias, este trem especificamente esteja em operação, e assim, os demais que chegaram, que estão sendo desembaraçados, que estão sendo já testados também possam iniciar a operação.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, secretário. Júnior, obrigado pelas perguntas. Vamos agora ao segundo veículo de comunicação que é a TV Globo. Jornalista Bernardo Bertolotto. Bernardo, onde você está? Bernardo, prazer em encontrá-lo.

BERNARDO BERTOLOTTO, REPÓRTER: Tudo bem, governador?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde. Sua pergunta, por favor.

BERNARDO BERTOLOTTO, REPÓRTER: Boa tarde. Então, essa obra ela foi anunciada, essa ampliação, em 2013, Alckmin, o governador, na época, ele disse que começaria em 2013 no segundo semestre, e de lá pra cá o projeto também sofreu umas alterações. O que é que eu queria entender, por que é que demorou tanto pra essa obra ser reiniciada, o que é que aconteceu? E por que é que inicialmente ela previu uma conexão a cidade de Guarulhos e agora não existe mais essa conexão, ela vai até a Penha. O que é que aconteceu nesse caminho que é a retomada de projeto, levou tanto tempo e com essa alteração?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, Bernardo, primeiro eu não respondo pelo passado, respondo pelo presente e pelo futuro da minha gestão. Vou dividir a resposta com o secretário de Governo, Rodrigo Garcia, sobretudo, no tema referente a extensão a Guarulhos. Rodrigo.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: No fundo, o que aconteceu em janeiro do não passado quando o governador João Doria assumiu foi que nós observamos todas aquelas grandes obras que estavam paradas, e fizemos um mutirão, muitas vezes, mais jurídico do que de engenharia junto a essas obras paradas e o governador espera que até o meio desse ano todas elas estarão retomadas. Ao lado disso, grandes projetos que estavam na companhia, por exemplo, do metrô que é o caso que nós estamos falando, nós temos outros, ok, que poderiam no nosso período de governo também serem retomados, foi o caso da Linha 2. É um projeto já conhecido, que já tinha sido licitado, o seu projeto executivo já tinha sido licitado as obras, mas não tinha dado a ordem de serviço. Quando em julho do ano passado o secretário Baldy trouxe a oportunidade dentro do seu orçamento nós começarmos os projetos executivos da obra, e isso foi feito no ano passado, e agora no início desse ano a oportunidade de iniciar as ordens de serviço para a execução dessas obras. Como ele disse, hoje pra você contratar um shield para que ele possa entrar em operação é de oito a 12 meses. Então o início do ano é justamente o momento que a gente tem de planejamento orçamentário e também de calendarização das nossas ações. Então essa foi a decisão em relação à Linha 2. O porquê dela não ter sido iniciada no passado, enfim, é difícil de nós respondermos. O que nós queremos deixar claro é que de janeiro do ano passado pra cá foi um dos grandes projetos que estavam arquivados dentro da companhia, nós desarquivamos, demos ordem de serviço pra projeto executivo pra que a gente retome agora as obras com os projetos executivos feitos. Sobre a extensão até Guarulhos ela tá programada, nós vamos chegar até a Penha, né, que são como o secretário Baldy colocou, três grandes lotes, é isso, né, Baldy? E nós estamos dando ordem de serviço lote a lote. O primeiro passo para o metrô chegar até Guarulhos é dentro do planejamento orçamentário do secretário Baldy, contratar um projeto funcional, na sequência o projeto básico, na sequência o projeto executivo. E quando as obras desses primeiros trechos estiverem já em pleno funcionamento, 2021 até 2022, iniciar os projetos concretamente até Guarulhos. Então o anúncio de hoje dá certeza de que Guarulhos terá metrô, a extensão da Linha 2 pós-Penha na sequência do planejamento do estado e da companhia. Olha, essa obra de hoje ela leva seis anos, então nós estamos falando de uma obra que vai ser concluída em 2024, 2025. Óbvio que antes disso nós temos que ter contratado a obra da extensão até Guarulhos. O secretário Baldy, temos ainda tempo, né, ele vai concluir o planejamento desse ano e no momento certo anuncia qual vai ser o momento adequado da contratação do projeto até Guarulhos.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bernardo, eu vou complementar e pedir também ao secretário Baldy que complemente, dada a importância da pergunta que você formulou. Mas sobre a Linha 2, ainda sobre Guarulhos, ela será ampliada, nós teremos 5.9 quilômetros, praticamente seis quilômetros de extensão e cinco estações no trecho da Penha até a Dutra, onde está a cidade de Guarulhos. E as desapropriações e projetos executivos já estão no [ininteligível], já fazem parte do projeto, portanto, essa extensão está garantida pelo Governo do estado de São Paulo. E eu quero ressaltar aqui uma informação dada pelo ex-governador que até julho deste ano nós não teremos... salvo sob alguma medida judicial que nos impeça de prosseguir, fazer o que estamos planejando. Nenhuma obra parada no estado de São Paulo, nem mesmo o Rodoanel. Alexandre Baldy.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO DE TRANSPORTES METROPOLITANOS DO ESTADO DE SÃO PAULO: Só pra complementar, governador, vice-governador, o trecho que hoje estamos autorizando o início das obras estão com todas as desapropriações realizadas. O projeto executivo de uma nova linha metroviária ele necessita que as desapropriações estejam realizadas. Por quê? A companhia com todos os contratados precisa entrar nessas áreas, precisam fazer sondagens, perfurações, enfim, todos os atos que são necessários para o projeto executivo. Portanto, esta é uma ordem de serviço que é dada com um projeto executivo precedente. O trecho entre Penha e Guarulhos, com razão que não foi dada a ordem de serviço. As desapropriações estavam em menos de 20% realizadas. Portanto, quando o governador João Doria e o vice-governador Rodrigo Garcia nos autorizou retomar o projeto da Linha 2, ela nunca foi uma obra paralisada porque ela não se iniciou como bem perguntado. Nós aqui, através do metrô, fizemos a seguinte análise: este trecho entre Vila Prudente e Penha, todas as desapropriações realizadas, podemos iniciar o projeto executivo. O trecho entre Penha e Dutra que é a futura implementação até a cidade de Guarulhos, nós continuamos desde junho do ano passado a prosseguir com as desapropriações e posteriormente quando for conclusa a fazer o projeto executivo para que então a obra possa começar.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Baldy, obrigado. Bernardo, obrigado pelas perguntas. Obrigado por ter nos permitido esclarecer ainda mais. A terceira e última, neste tema, da Rádio Bandeirantes e Band News, com o Lucas [ininteligível]. Lucas, boa tarde. Prazer ter você mais uma vez aqui conosco. Sua pergunta, por favor.

LUCAS, REPÓRTER: Boa tarde, governador. Boa tarde a todos. Só complementando a pergunta do colega sobre os prazos, pra gente deixar claro então, a ideia, pelo menos o planejamento de começar as obras, de retomar, seis meses. E o prazo final pelo menos dessa etapa um, até 2026, o prazo até a Penha. E depois de Guarulhos qual seria o prazo? Só pra deixar claro esses três pontos.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Lucas, o secretário Alexandre Baldy responderá.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO DE TRANSPORTES METRPOLITANOS DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, Lucas, o governador João Doria tem nos determinado o planejamento de responsabilidade. Neste trecho, estamos aqui autorizando a ordem de serviço para o início das obras. Temos planejamento e temos data colocada para iniciar e para terminar. No trecho entre Penha e Guarulhos nós estamos realizando desapropriações, são decisões que cabem, inclusive, medidas judiciais, protelatórias e que não nos permite aqui afirmar quando ela pode começar e quando ela pode principalmente terminar. Portanto essa obra aqui é importantíssima para chegar a zona leste da cidade de São Paulo, com a integração da mobilidade da zona leste de São Paulo o planejamento está colocado. Iniciar imediatamente e terminar até 2026.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E as inaugurações, Lucas, serão parciais, como já faz parte de um histórico do próprio metrô. À medida que tivermos licitações prontas e as linhas em condição de funcionamento elas serão colocadas em operação imediatamente. Obrigado pela pergunta. Vamos agora a um outro tema que é o tema do Fórum Econômico Mundial Davos, este será o fórum de número 50 em Davos, na Suíça. Eu fui convidado pelo terceiro ano consecutivo, fui como prefeito da capital de São Paulo, fui como governador eleito em janeiro do ano passado, e agora mais uma vez convidado para participar como palestrante. Palestrei em 2018, 2019 e agora como em 2019. E registro com muita honra que sou o único representante do executivo no Brasil que foi convidado três vezes sucessivas pelo Fórum Econômico Mundial a ser palestrante nesse que é o mais importante encontro de líderes mundiais no âmbito privado e público que acontece em Davos na Suíça. E será o de número 50, é uma celebração, inclusive especial do professor Klaus Schwab que é o fundador e o CEO do Fórum Econômico Mundial. São apenas três pessoas, Júlio Serson, Patrícia e eu que iremos ao Fórum Econômico Mundial, nós temos 32 encontros bilaterais programados, e o Júlio Serson e a Patrícia Ellen vão falar um pouco mais sobre isso. Os encontros bilaterais são de extrema importância, estratégica importância, o ano passado foram 24, esse ano 32, temos oito encontros a mais do que no ano passado, são quatro dias, dias 20, 21, 22 e 23, se eu não estou enganado. É isso? Exatamente, 20, 21, 22 e 23, vai de segunda até quinta-feira, em Davos, sendo que ainda na sexta-feira teremos em Zurich alguns encontros e também entrevistas com jornalistas do Brasil e do mercado internacional. Davos é o mais representativo encontro mundial, todos os grandes líderes dos bancos de investimentos, dos fundos soberanos, das grandes indústrias, das grandes empresas, serviços, comércio, tecnologia, ciência, estão em Davos. Só vão a Davos os que são convidados a participar, não é uma opção, ah, eu vou a Davos. Você não tem, tem muitas barreiras na base da montanha para impedir o acesso, exceto aqueles que são efetivamente credenciados, inclusive jornalistas. Então é um evento que é o ápice no âmbito do desenvolvimento econômico mundial. O presidente Bolsonaro não irá esse ano, mas Paulo Guedes estará lá, tem palestras também como eu. Me parece que o ministro Paulo Guedes também tem duas palestras que ele fará lá. O ano passado ele teve um bom desempenho, ele representou bem o Brasil na sua participação. Nós temos duas palestras também, além de 32 encontros bilaterais. Nosso objetivo é atração de investimentos, em dois sentidos, duas vertentes, primeiro a motivação de grupos investidores para os programas de desestatização sobre a coordenação do secretário Rodrigo Garcia e do secretário Henrique Meirelles. Já fizemos isso o ano passado, deu certo, principalmente com os investidores chineses e europeus, notadamente alemães, espanhóis e italianos e os chineses que foram o grande destaque, e os japoneses também, embora numa posição um pouco mais tímida em relação ao volume de investimentos. Então, há uma boa expectativa, o PIB de São Paulo, o secretário Meirelles está à disposição para responder, avaliado pela Fundação Seade, foi quase três vezes o PIB do Brasil, o ano passado, 2.6 foi o número de São Paulo da Fundação Seade apurado, divulgado pela Fundação Seade, o Brasil teve 1% de crescimento e 341 mil novos empregos foram gerados em São Paulo. Muito se deve, exatamente, a essa política de internacionalização e das buscas de investidores internacionais. E aí, complementa essa informação Júlio Serson e Patrícia Ellen. Júlio.

JÚLIO SERSON, SECRETÁRIO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DO GOVERNO DE SÃO PAULO: Governador, boa tarde a todos e a todas, nós estamos, realmente, preparadíssimos para essa viagem, para essa missão internacional agora em Davos, como disse o governador, sempre com um objetivo. Nós estamos, como disse o governador, 32 encontros bilaterais, dentro eles, eu comentava aqui com o secretário Baldy, com a própria [ininteligível] que tem interesses no Metrô de São Paulo. Temos algumas agendas relativas à saúde, à Secretaria de Saúde, como grupo MST, como a Novartis, uma empresa multinacional na área de saúde, um laboratório dos mais conhecidos, estaremos com Nestlé, estaremos com PepsiCo, com a Procter &Gamble, com o Unibanco, com a RGE que é uma empresa ligada a... que comanda a Bracell que já fez, fruto da visita do governador, da nossa visita o ano passado, um investimento fabuloso aqui no interior do estado de São Paulo e esperamos conseguir mais investimentos concretamente. A secretário Patrícia vai falar depois sobre o Centro para 4ª Revolução Industrial, que é algo que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, dirigida por ela, batalhou muito para conseguir aqui para São Paulo. O governador participará de palestras, terá dois eventos em destaque, uma o [ininteligível] Meeting, que é um encontro, inclusive, na área de [ininteligível], na área imobiliária, quando eu digo área imobiliária, de novos investimentos. E importante citar aqui, ele estará junto com o ex-vice-presidente americano Al Gore, que hoje é um defensor das causas ambientais, é alguém ligado ao desenvolvimento americano, mas, sem dúvida nenhuma, também à preservação do meio ambiente, e sabe da importância, que o governo do estado de São Paulo dá a essas questões ambientais. O governador vai participar do evento também [ininteligível], a infraestrutura para as cidades, onde ele também fará uma apresentação. Eu destaco que isso não é fácil, não existem outras pessoas do porte do governador a nível de Brasil sendo convidadas para essas apresentações, isso último muito importante. E nós, e eu até digo que nós da Secretaria de Relações Internacionais, aliás, da nossa equipe, temos hoje até fila de espera, quase, para conversar com o governador, empresas, países, governantes, enfim, vários que querem conversar com o governador. Finalizo dizendo da importância também da participação do estado de São Paulo na área cultural, o coro da Osesp, da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, autorizados pelo governador e pelo secretário de Cultura Sérgio Sá Leitão, farão duas apresentações, uma delas muito importante junto com a Orquestra Jovem do Mercado Comum Europeu, inclusive na abertura desse encontro com diversos chefes de estado, diversos dignatários internacionais. Mas esperamos, no retorno, dentro de alguns dias e lá mesmo, podermos divulgar para vocês várias notícias positivas. Finalizando, com geração de empregos, geração de oportunidades e novos investimentos no estado de São Paulo. Obrigado governador.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado Júlio. Vamos ouvir a nossa secretária Patrícia Ellen. Na sequência nós vamos exibir um vídeo de três minutos que será apresentado em Davos e já, a partir de hoje, será viralizado aos participantes. O fórum é um fórum muito digital, a utilização da ferramenta [ininteligível] é muito comum no fórum, então, este vídeo que vocês vão assistir daqui a pouco estará já nos celulares dos participantes do fórum de Davos até a próximo segunda-feira, dia 20. Começa a ser distribuído a partir de hoje. Patrícia.

PATRÍCIA ELLEN DA SILVA, SECRETÁRIA DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, aproveitando que o Júlio destacou e descreveu também as empresas, as reuniões bilaterais que nós teremos, eu vou destacar o aspecto programático do fórum e por que é que ele é tão importante para [ininteligível] nesse momento. O governador já esteve duas vezes, no ano passado foi um foco muito grande de apresentar São Paulo para o mundo e que foi a primeira das sete missões internacionais que nós fizemos no ano passado, com altíssimo retorno para o estado de São Paulo e para o Brasil. Nós fechamos o ano de 2019 com o crescimento econômico de 2.6%, que foi um dos maiores crescimentos que nós tivemos recentemente e um maior descolamento histórico em relação ao crescimento do Brasil. Mas o que está por traz disso é que nós tivemos o segundo maior número de atração de investimentos medidos nos últimos 20 anos. Somente nos primeiros seis meses do ano foram 67,7 bilhões. E uma única reunião do fórum, foi com a Bracell, nós tivemos um maior anúncio de investimentos o ano passado que foi o investimento de R$ 8 bilhões, também o investimento que mais gerou empregos. Então, a expectativa para esse ano é continuar atraindo investimentos e também empregos para o nosso estado, mas mais importante, São Paulo traz uma nova mensagem da importância de nos mantermos conectados ao mundo, como a única forma de crescimento econômico é uma forma de conectividade para que nós tenhamos um desenvolvimento inclusivo e sustentável. O tema do fórum é: atores chaves para um mundo coeso e sustentável embasado em quatro pilares. O primeiro pilar é o pilar sobre o crime e meio ambiente, o segundo é crescimento econômico inclusivo, o terceiro é como nós aplicamos novas tecnologias para melhorar as oportunidades para a população e mitigar os riscos e o quarto é exatamente como a gente repensa empreendedorismo, educação e geração de empregos. Esses são os focos de São Paulo, por isso que estamos muito alinhados e com muita expectativa. Com isso a gente está levando três pautas, a primeira são nossos programas de parcerias público privadas capitaneados aqui pelo vice-governador Rodrigo Garcia junto com o secretário Meirelles. Temos um novo material que vai ser levado, está disponível também [ininteligível], para que a gente possa falar com os investidores. Nós estamos levando, apresentando os polos de desenvolvimento que nos geraram retorno no primeiro ano e a gente está aqui com o novo material também, vai mostrar quais são as próximas etapas e a gente vai distribuir para vocês, acabou de ser impresso aqui e vamos levar conosco. E o terceiro é exatamente colocar São Paulo na discussão global de governança digital, de governança de novas tecnologias com o lançamento do Centro da 4ª Revolução Industrial em parceria com o governo federal e com o Fórum Econômico, mas esse centro vai ser aqui, vai ser no City, dentro do IPT e o foco dele é elaborar políticas públicas e governança na implementação em escala de novas tecnologias. Vai ser o oitavo centro dessa natureza no mundo e nos coloca, de uma forma inédita, na discussão global de como vamos implementar novas tecnologias. E para finalizar, a gente vai apresentar o vídeo agora, que é o nosso vídeo, em janeiro a gente apresentou o vídeo apresentando São Paulo, a gente apresenta esse hoje, não somente reapresentando São Paulo, mas com essa mensagem de conexão, conectando, então, São Paulo conectando o Brasil ao mundo. Essa é a mensagem. A gente precisa abrir as portas, precisa se conectar o que vai muito de encontro, de novo, com o tema do fórum que é atores chaves para um mundo coeso e sustentável.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Obrigado Patrícia. Vamos ao vídeo.

[Apresentação do vídeo]

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, vou pedir à Letícia e à equipe, com a Márcia, para disponibilizar este vídeo aos jornalistas que estão aqui participando da nossa coletiva. Apenas para complementar a observação feita pelo Júlio e também pela Patrícia Ellen, por que há um interesse tão grande no diálogo com o governo de São Paulo? Exatamente pelos programas de privatização, de desestatização, isso tem grande interesse para os fundos soberanos, fundos de investimentos, bancos de investimentos, que são advisors, são orientadores de investimentos e programas de desestatização, e também de governos, como é o caso do governo da China, que tem um claro programa de dar suporte às suas empresas de construção civil e de operação de rodovias, ferrovias, metrôs, portos e aeroportos em outros países, e notadamente no Brasil, e São Paulo é o grande destaque nesse sentido. Por isso uma demanda tão grande de encontros conosco em Davos. E também destacar que São Paulo estabeleceu claramente o seu programa de governança, um governo liberal, pró-mercado. Isso influi muito quando os investidores identificam, não tem investidor bobinho e desinformado, eles estudam, analisam previamente, buscam o histórico da região, do estado, no caso específico de São Paulo, de quem governa, por quanto tempo se governa, quais são os marcos jurídicos... Eles fazem com muita precisão, são bilhões de dólares de investimento, não há nada feito na precipitação ou com nenhum intuito político. O objetivo é técnico e econômico. E também registrar o que disse a Patrícia, muito importante que vocês possam ter essa consciência, de São Paulo, uma governança digital, mundial. Será o oitavo centro no mundo para este programa de governança digital. E por último, lembrando que em maio desse ano nós teremos o World Economic Forum aqui em São Paulo, pelo segundo ano consecutivo e, conforme eu havia anunciado no ano em que deixei a prefeitura de São Paulo, em janeiro de 2017, a cada dois anos o World Economic Forum on Latin American será em São Paulo, fruto do entendimento feito com o professor Klaus Schwab, um programa que era itinerante, realizado em várias capitais latino-americanas, desde 2017, ele é realizado... Perdão, desde 2018, ele é realizado apenas em São Paulo, e assim continuará. Então, em maio deste ano nós teremos aqui alguns líderes mundiais, no âmbito econômico, e também, imagino, alguns líderes políticos da América Latina. Dito isto, e lembrando que vocês vão receber também na saída esse pocket guide, com informações sobre São Paulo, e o QRCode, que é a forma mais prática de você colocar no seu celular. Está aqui no verso. Vamos então às perguntas, são dois veículos de comunicação, dado inclusive ao adiantado da hora. Adriana [ininteligível], você, dose dupla hoje, TV Cultura, sua pergunta, por favor.

ADRIANA, REPÓRTER: Governador, o senhor falou que uma das prioridades na participação de vocês no Fórum Econômico Mundial é com relação às privatizações. Eu queria saber se existem já definidos órgãos, equipamentos ou áreas, hoje administradas pelo governo, para serem apresentadas lá como possíveis órgãos que vão ser passados à iniciativa privada.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A resposta é sim, Adriana, temos 21 projetos de desestatização, levantados, planejados e ordenados pelo grupo de desestatização, que tem no comando os secretários Rodrigo Garcia e Henrique Meirelles. Então, tem 21 projetos de... É, um já foi, foi a Pipa, que foi a maior concessão rodoviária da história do Brasil, que foi feita em Bolsa. Vocês estavam lá e acompanharam, então o Rodrigo me corrige aqui, corretamente, aliás, que tínhamos 21, um já foi. R$ 15 bilhões de investimento, R$ 1,1 bilhão de ágio, 7.209% de ágio, o maior ágio já pago em leilões de desestatização no Brasil, e agora mais 20 projetos. Basicamente, em rodovias, ferrovias, metrô, aeroportos, o Porto de São Sebastião, em conjunto com o Governo Federal, e a Hidrovia Tietê Paraná, e também outros programas, eu destacaria aqui um deles, os outros, o Ginásio do Ibirapuera, que em breve será anunciado, para um novo complexo que não será apenas de esporte, será de esporte e entretenimento. Além dos parques, todos os parques de São Paulo serão desestatizados, serão concessionados para o setor privado, incluindo o Jardim Botânico e o Parque do Zoológico. Vamos agora à última, intervenção, é do Lucas Jozino, também dose dupla para você, Lucas, Rádio Bandeirantes, BandNews, sua pergunta, por favor.

LUCAS, REPÓRTER: Governador, o assunto do dia hoje é o vídeo do Roberto Alvim parafraseando o ministro da propaganda do Hitler. O senhor, como representante máximo do Estado de São Paulo em Davos, o quanto isso arranha ainda mais a imagem do Brasil no exterior?

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Lucas, eu não vi o vídeo. Eu fiquei em reunião do secretariado desde as 8h da manhã, daí cheguei 7h45, saí da reunião, vim direto para cá. Então, não tive acesso ao vídeo. Mas eu confesso a você que a nossa preocupação é com São Paulo, é mostrar as oportunidades de negócios em São Paulo, a governança que São Paulo tem, os valores de São Paulo. São Paulo é uma nação dentro da nação, quase 46 milhões de habitantes e mais de um terço da economia brasileira. Então, o nosso foco é mostrar a boa gestão de São Paulo, mostrar que São Paulo é um destino seguro para investimentos internacionais. O melhor exemplo, que foi na Bolsa de Valores na semana passada, onde um leilão colocou R$ 15 bilhões de investimentos e um ágio de R$ 1,1 bilhão. Então, essa é a confiança em São Paulo. Então, vamos nos ater àquilo que nos cabe, à nossa governança é em São Paulo, São Paulo vai bem, obrigado, e continuará indo muito bem, e vamos ter, eu acredito, com bom otimismo, mas com realismo, um bom resultado na nossa missão em Davos, que começa na próxima segunda-feira. Bem, muito obrigado a todos, queria apenas recomendar aos que falaram aqui que nós vamos gravar agora para as redes sociais, numa outra sala aqui ao lado. Agradecer ao...