Coletiva - Governo de SP entrega mais de R$ 57 milhões em investimentos no Vale do Ribeira 20200912

De Infogov São Paulo
Revisão de 20h05min de 30 de dezembro de 2020 por Fincatibianca (discussão | contribs) (Criou página com ''''Coletiva- Governo de SP entrega mais de R$ 57 milhões em investimentos no Vale do Ribeira 20200912''' '''Local: Registro - Data: [http://infogov.imprensaoficial.com.b...')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva- Governo de SP entrega mais de R$ 57 milhões em investimentos no Vale do Ribeira 20200912

Local: Registro - Data: Dezembro 09/12/2020

Soundcloud

REPÓRTER: Governador, vamos falar primeiramente dessa inauguração de hoje, a importância dessa unidade prisional para a região. Também passar uma sensação de segurança para o morador do Vale, que ainda tinha muitas questões, dúvidas a respeito da região receber uma unidade prisional.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Essa nova penitenciária em Registro vai poder abrigar até 823 detentos, e ao contrário do que alguns pensam, ela aumenta a segurança não só de Registro, como de toda a região. Estudos do sistema penitenciário diz que onde você coloca uma penitenciária você aumenta toda a segurança do sistema, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiro, e também o sistema de saúde. Além de implementar a economia, há um impacto na economia da cidade, e da região bastante grande. Aqui inicialmente será de R$ 0,5 milhão por mês, R$ 6 milhões por ano. E gradualmente tende a crescer. Além disso, teremos mais de 170 profissionais trabalhando aqui, residindo aqui, se alimentando, e trabalhando ao lado dos seus familiares, que residirão a partir de agora aqui na região de Registro. Portanto, é bom para Registro, é bom para a região do Vale do Ribeira ter o sistema prisional como esta unidade aqui, aumenta a segurança, exatamente o oposto daquilo que alguns poucos pensam, que diminui a segurança, não, aumenta a segurança de toda a região.

REPÓRTER: Ainda falando da unidade prisional, a gente viu que tem câmeras de monitoramento, também tem todo um sistema onde o pessoal é monitorado, os detentos serão monitorados. É isso mesmo? Só reforçando os equipamentos que tem aqui.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O sistema é de alta tecnologia, desde janeiro de 2019 trabalhamos com tecnologia no sistema prisional, primeiro o menor contato possível, humano, com os detentos, todo o contato é feito de forma virtual, digital, e sob controles rigorosos de tecnologia, câmeras de monitoramento, scanning, ou seja, o escaneamento de imagens, para garantir segurança absoluta. Tanto para o sistema, como até para os próprios detentos que aqui estão. E que eles possam cumprir as suas penas trabalhando, estudando, sendo respeitados, mas com o cumprimento da pena, onde deve ser cumprido, no sistema prisional. E temos aqui sala de tele-audiência, que foi um processo iniciado pelo governo do estado de São Paulo, desde janeiro do ano passado, substituindo o transporte de presos para o fórum de São Paulo, pela tele-audiência, onde advogados, juízes, promotores, defensores públicos e os apenados e réus respondem, mas virtualmente, através de teleconferência. Moderno, eficiente, seguro, menor custo, e garantindo o direito de defesa, assim com o direito daqueles que fazem a acusação.

REPÓRTER: Governador, mudando um pouquinho de assunto, vamos falar sobre vacina, que é um assunto, na verdade, de grande interesse, não só dos moradores de São Paulo, mas de todo o país. Os avanços, fase, testagem, o que temos de novidade? Além daqueles que a gente já sabe, o senhor pode reforçar também.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: São Paulo é o estado que mais testa no Brasil, nós já temos mais de 6 milhões de pessoas testadas aqui, seguimos fazendo testagem intensa, mais de 25 mil testes todos os dias são feitos no estado de São Paulo. E continuaremos a fazer, é o momento também de recomendar que as pessoas em todo o estado de São Paulo, sobretudo, neste final de ano, evitem aglomerações, não participem de festas, de eventos. Eu sei que é chato, eu sei que é difícil, eu sei que aborrece as pessoas, mas nós temos que nos proteger, garantir a vida, para celebrar a vida e não a morte, a morte só traz tristeza, ausência de um ente querido, de um parente, um pai, uma mãe, um avô, uma avó. Mesmo um vizinho, mesmo um amigo, entristece o coração, traz um vazio enorme. Se nós nos usarmos máscaras, não fizermos o distanciamento social, não utilizarmos a higiene das mãos com álcool em gel, água e sabão, e não evitarmos aglomerações, teremos mais pessoas infectadas, mais pessoas infectadas, potencial de óbito cresce também. Até a chegada da vacina. É a vacina que vai nos salvar, e é por isso que o governo do estado de São Paulo determinou ao Instituto Butantã meses atrás, que realizasse esse convênio com a Sinovac, com um laboratório privado chinês, com sede em Pequim, para que hoje pudéssemos ter já a materialização da vacina, a vacina do Butantã, a vacina do Brasil, que a partir do dia 25 de janeiro nós iniciaremos a imunização dos brasileiros de São Paulo. É um amplo programa, não é uma operação rápida, imunizar, vacinar não se faz da noite para o dia, mas nós vamos iniciar em janeiro para salvar vidas.

REPÓRTER: Tem até o plano de imunização, que São Paulo já se programou, né? Queria que o senhor falasse um pouquinho de novo sobre esse plano, de alguma novidade aí para o próximo dia 15.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O plano estadual de imunização ele não fere o plano nacional de imunização, São Paulo tem uma tradição de mais de 50 anos de imunização da sua população, com todas as campanhas de vacinação que fora feitas ao longo de cinco décadas. Quem faz isso são os estados não é o Governo Federal, o Governo Federal não tem estrutura nos estados, são os estados que fazem, e São Paulo está bem estruturado. Além disso temos o Butantã, o Butantã é do Brasil, mas é de São Paulo, completa 120 anos no próximo mês de fevereiro. E o Butantã tem uma enorme experiência, porque é o maior produtor de vacinas para o Ministério da Saúde, maior produtor de vacinas da América Latina, maior produtor de vacinas do Hemisfério Sul. Portanto, nós temos quem produz a vacina, temos médicos, temos um sistema público eficiente, e um programa de imunização que já foi testado várias vezes com enorme eficiência. E ele começa no dia 25 de janeiro, o seu programa de imunização para as pessoas acima de 60 anos, inicialmente, com prioridade para os profissionais de saúde, ou seja, médicos e paramédicos, que são aqueles que estão no fronte, são os nossos heróis que defendem, protegem e salvam vidas.

REPÓRTER: Questões com a ANVISA, governador, a gente sabe que existe aí todo um processo. Como é que o senhor vê isso? Expectativa também?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, a nossa expectativa, o nosso desejo é que a ANVISA cumpra o seu papel, uma agência reguladora, autônoma, independente e científica, e não uma agência de regulação de interesse do Governo Federal, do Palácio do Planalto, ou de defesa ideológica. É o último estágio que nós imaginaríamos que uma agência reguladora independente faria. Então nós, e eu como governador, os governadores, e eu em São Paulo, tenho a expectativa de que a ANVISA cumpra o seu papel, aprove a Coronavac, a vacina do Butantã. Todo o protocolo será entregue na terça-feira, dia 15, exatamente conforme o prometido, estipulado com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que se comprometeu no limite de 30 dias, a oferecer o resultado deste protocolo, e ao nosso ver, será positiva, a vacina do Butantã, a Coronavac já demonstrou segurança e eficácia, inclusive em outros países. Nesse momento, a China, a Indonésia, a Tailândia, os Emirados Árabes e a Turquia já estão vacinando com a Coronavac. Portanto, estamos confiantes de que esta, assim como outras vacinas vão ajudar a salvar vidas no Brasil.

REPÓRTER: Muito obrigada, governador. Alguém mais? Obrigada.