Coletiva - Governo de SP inaugura Estação Mendes-Vila Natal da Linha 9-Esmeralda da CPTM 20211008

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de SP inaugura Estação Mendes-Vila Natal da Linha 9-Esmeralda da CPTM |20211008

Local: Capital – Data: Agosto 10/08/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Então nós temos quatro perguntas. Alguém mais tem algum celular para colocar aqui? Vamos abrir um pouquinho só para o pessoal, isso. Ok, para vocês? Ok. Então nós temos quatro perguntas, vou pedir gentilmente aos jornalistas que, por favor, dado o horário também, para evitar a continuidade, um tempo maior aqui de exposição que pudéssemos considerar uma pergunta por cada veículo de comunicação, e eu fico muito grato pela atenção. Vamos começar com a TV Cultura, Adriana Cimino, da TV Cultura. Adriana, obrigado, pela paciência. Desculpe o aperto. Sua pergunta, por favor.

ADRIANA CIMINO, REPÓRTER: Bom dia, a todos. Governador, eu gostaria que o senhor reforçasse quantas pessoas essa estação vai atender diariamente, e qual que é o prazo para inauguração da Estação Varginha?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Essa estação, que agora chama-se Bruno Covas, atende 15 mil pessoas diariamente, a partir de já ela já está operando e atende 15 mil pessoas todos os dias. Ou seja, ao longo de um mês serão 450 mil pessoas atendidas por essa estação. A Estação Varginha está com as obras aceleradas, ela será inaugurada no ano que vem. Cadê o nosso Alexandre Baldy? Que ele está aqui ao lado, ele pode dar para você até com maior precisão o mês em que será feita essa inauguração. Baldy.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: Bom dia. A Estação Varginha, as obras continuam. Portanto, aqui quem acompanha o viaduto ferroviário, a extensão da via, com a estação, o sistema de sinalização que todo ele é lá implementado na Estação Varginha, para que nós possamos entregá-la, no primeiro semestre de 2022.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem. Portanto, até junho, Adriana, do ano que vem, estará sendo entregue a Estação Varginha. Obrigado, Adriana. Vamos agora à Carolina Ianelli, do Jornal O Globo. Carol, obrigado. Desculpe também, o apertamento. Bom dia, sua pergunta, por favor.

CAROLINA IANELLI, REPÓRTER: Doria, três perguntas compactas. Primeiro, nós demos uma volta aqui na estação, e já tem as placas escritas Estação Mendes, Vila Natal, elas serão trocadas para colocar o nome Bruno Covas? Primeira pergunta. Queria que, por favor, comentassem um pouco o histórico assim, cada avanço, cada estação entregue, cada estação entregue é muito festejada, como a gente está vendo, porque é sempre tão árduo, foi anunciado em 2011, teve um percurso longo até aqui. Por que tão árduo? E juro que é a última, sobre a vacinação de adolescentes no estado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ok. Eu vou responder a primeira e a última, e a segunda pergunta será o Alexandre Baldy. Em relação à primeira, nós não vamos retirar nenhuma placa, nós vamos acrescentar a placa com o nome da Estação Bruno Covas, não é preciso tirar, nós vamos acrescentar essa sinalização, vamos ter a aprovação da Assembleia Legislativa, que será rápida, será imediata. O Bruno era muito querido, ele foi deputado estadual também, além de deputado Federal, eu não tenho nenhuma dúvida da aprovação disso. Em relação à última pergunta, os adolescentes começam a ser vacinados na capital de São Paulo e no estado de São Paulo, a partir do próximo dia 18 de agosto. São jovens de 17 e 16 anos, na primeira etapa, depois vamos aos jovens de 15 e 14, depois 13, 12 e 11 anos. Portanto, está mantido o cronograma que já havia sido anunciado anteriormente. Os jovens aqui na capital de São Paulo, repito, começarão a ser vacinados no próximo dia 18 de agosto, os jovens de 17 e 16 anos. E na sequência vamos aos demais. Lembrando que a prioridade, Carol, é para os jovens com morbidade, eles serão vacinados prioritariamente, de qualquer idade, na faixa de 11 a 17. E logo na sequência todos na faixa de 17, 16, 15, 14, 13, 12, até 11 anos. E agora a sua segunda pergunta será respondida pelo Alexandre Baldy, secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo.

ALEXANDRE BALDY, SECRETÁRIO DE TRANSPORTES METROPOLITANOS: Carol, cada obra tem a sua particularidade, essa foi uma obra que havia um convênio Federal, e o orçamento do governo do estado, portanto, quando nós assumimos, essa é uma obra parada, nós retomamos a obra e entregamos no mesmo governo. E para Registro, pela primeira na história, tanto a CPTM, quanto ao metrô, começam uma obra e entregam na mesma gestão. Nós entregaremos a Estação aqui em João Dias, na Linha 9-Esmeralda, no mês de setembro, que nós começamos em 2019, e vamos entregar em 2021. E vamos entregar na Linha 15-Prata, a Estação Jardim Colonial, que é a primeira estação também que será iniciada na gestão do governador João Doria, e entregue na mesma gestão. Portanto, duas obras, pela primeira vez na história da CPTM e do metrô, que as estações começam e terminam no mesmo governo.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Baldy. Carol, obrigado pelas perguntas. Vai pedir música no Fantástico, tá? Vamos para a penúltima pergunta, que é do Vinícius Passareli, da Rádio CBN. Prazer em reencontrar você, desculpa também um pouquinho o apertamento, sua pergunta, por favor.

VINÍCIUS PASSARELI, REPÓRTER: Bom dia, governador, prefeito. Bom dia, a todos. Eu vou fazer uma pergunta para o governador, e uma outra para o prefeito Ricardo Nunes, para o senhor, governador, andando aqui em alguns pontos da estação, a gente nota que parece que essa obra está inacabada em alguns pontos, ainda há resquícios de obra, homens trabalhando, algumas coisas ainda sendo construídas. Houve alguma antecipação da entrega dessa estação? A obra está, de fato, acabada? E para o prefeito Ricardo Nunes, eu gostaria, prefeito, que o senhor comentasse um pouco essa reestruturação na Secretaria de Transportes do município. O senhor chegou a comentar que não trocaria secretários, os secretários que o prefeito Bruno Covas montou, se essa reestruturação, de certa forma, tende à uma acomodação dos partidos da base aliada da prefeitura? Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Vinícius. Começo então respondendo sua primeira pergunta, depois o prefeito Ricardo Nunes vai responder. Vinícius, toda a estação de metrô, talvez você não tenha participado de outras inaugurações, é inaugurado assim, a obra sempre evolui, sempre há acabamentos a serem feitos em uma obra desta dimensão e com esse investimento. E a partir de amanhã começamos a funcionar a partir das 10h da manhã, com a operação assistida, aliás, respondendo à pergunta que você gentilmente me colocou aqui no seu celular. É assim que funciona, todas as inaugurações são feitas assim, mas a estação está pronta em funcionamento. Agora, você tem sempre detalhes de paisagismo, de pintura, de sinalizações complementares que fazem parte de um processo normal, de uma estação de trem ou uma estação de metrô. Vamos agora ao Ricardo Nunes.

RICARDO NUNES, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Vinícius, não muda nada no conceito, é a gestão Bruno Covas, evidentemente você pode fazer alguns ajustes, e é o caso da Secretaria de Transportes, aonde a gente está fazendo um ajuste estritamente técnico, o secretário Levi continua na secretaria, como secretário executivo. Nós só dividimos a parte de trânsito, de transporte. E por quê? Logicamente, resumidamente, o desafio do plano de metas com relação ao transporte, ele é desafiador. Portanto, eu convidei o Ricardo Teixeira, que tem 40 anos de CET para cuidar da parte de transportes. Nós temos que reduzir para 4,5% o número de óbitos por 100 mil habitantes no trânsito. Nós temos que fazer 40 km de corredores. Lembrando que desde o plano diretor não chegou a 15 km feitos até agora. Então eu preciso cumprir essas metas, eu tenho compromisso com a população de cumprir essas metas. Estava muito carregado as nossas metas na área de transporte, nós temos 300 km de ciclovias, temos que fazer a reformulação do sistema semafórico da cidade. Portanto, do nosso ponto de vista nós entendemos que era necessário tecnicamente não deixar tão sobrecarregado o secretário Levi, que ele já não aguentava mais minhas ligações às 5h da manhã, que nem o João Doria ensina a gente a começar cedo. Então é para dividir somente as tarefas, para a gente cumprir. E nós vamos cumprir o plano de metas, que é bastante ousado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Ricardo. Vinícius, só para complementar também a informação, nós estamos na extensão prosseguindo com a obra até à Estação Varginha, então você ainda vai ver, felizmente, muitos funcionários trabalhando, recebendo seu salário, fazendo obras, porque daqui segue a obra até a Estação Varginha, não há como não ter operários e máquinas. Vamos agora à última pergunta, que é do Alfredo Henrique, da Folha de São Paulo. Alfredo, onde você está?

ALFREDO HENRIQUE, REPÓRTER: Aqui, governador. Bom dia, tudo bom?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Aqui, bom dia. Prazer em ter você aqui, Alfredo.

ALFREDO HENRIQUE, REPÓRTER: Igualmente. Governador, o governador Geraldo Alckmin, em 2011, em julho, anunciou essa estação, contando, dão dez anos de atraso para entrega dela, eu queria que o senhor me contasse um histórico de o que atrapalhou nesses dez anos para ele ser reinaugurada. Por que demorou dez anos? E não tem como, mesmo o senhor tendo falado da questão da aglomeração, mencionar ela, se em próximos eventos vai ser feito algum tipo de estratégia para evitar essa aglomeração que está aqui? E para o prefeito Ricardo Nunes, eu também gostaria de fazer uma questão sobre os fuzis que o senhor anunciou que vai comprar para a GCM. Eu levantei com a própria GCM, que 50% dos guardas usam arma no sistema de empréstimo, né? Não seria mais viável comprar armas para ele, do que comprar esse armamento pesado? Pensar depois isso. E até gostaria que o governador mencionasse isso, porque a PM usa esse armamento pesado, é preparada para esse tipo de ação ostensiva. Qual que seria a viabilidade ou não da GCM estar sendo armada com fuzis?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, Alfredo, essa segunda pergunta eu deixo integralmente para o prefeito Ricardo Nunes, que está absolutamente consciente de poder oferecer a resposta. Em relação ao primeiro tema, o nosso governo em janeiro de 2019, tomou a decisão, acertada, de recomeçar todas as obras que estavam paradas em São Paulo. Eu anunciei isso, inclusive, em uma coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, em janeiro de 2019. E é exatamente isso que nós fizemos. Então nós não vamos ficar aqui analisando passado, o passado passou, eu não vou crucificar, nem condenar governadores que já passaram por São Paulo, cada um pode oferecer a sua contribuição, e também enfrentou dificuldades, problemas, ações populares, Ministério Público, Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas, e outras circunstâncias. Então nós aqui não investimos tempo olhando o passado, investimos tempo tratando do presente e realizando obras para o futuro. Ricardo.

RICARDO NUNES, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Alfredo, lembrando que a questão desse equipamento para a Guarda Civil Metropolitana, é uma emenda parlamentar do vereador delegado Palum, é um delegado. E a emenda parlamentar é o parlamentar que indica. Isso é feito uma consulta ao setor técnico da secretaria, que respondeu como favorável com a utilização à IOP, que é uma força exclusiva da nossa Guarda Civil Metropolitana. Só queria fazer uma observação, quando começaram a perguntar bastante sobre esse tema, eu fui lá no Google e coloquei lá, quais são as cidades que a GCM tem esse tipo de armamento, mais de uma dezena de cidades tem esse tipo de armamento, não existe nenhuma novidade com relação a isso. Agora, lembrando que a nossa Guarda Civil Metropolitana ela tem a sua corregedoria específica, ela tem um histórico muito consistente de acompanhar as ações da GCM, sem permitir qualquer tipo de excessos, e o IOP é uma força especial da GCM treinada para as ações especiais. Lembrando que a cidade de São Paulo é uma cidade de 12,5 milhões de habitantes, a gente tem cidades aí com 100 mil, 200 mil habitantes, que tem esse tipo de armamento, e é importante que a gente dê à população a segurança, e com relação a outro tipo de armamento nós vamos adquirir também, nós vamos reforçar e vamos deixar a nossa GCM como ela merece, equipada e com condições de trabalho para atender à população.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Ricardo. Alfredo, obrigado pelas perguntas, Vinícius, Carol, Adriana. Muito obrigado. Obrigado a todos, mesmo os que não formularam perguntas aqui. Aos nossos cinegrafistas, fotógrafos, muito obrigado pela presença de todos. Meu povo, muito obrigado a todos vocês, obrigado por terem vindo. Nós encerramos aqui o nosso encontro, muitíssimo obrigado. Fiquem com Deus, fiquem protegidos. Viva à vida! Viva à zona Sul! Viva a São Paulo! Obrigado, pessoal. Obrigado, até breve. Tchau!