Coletiva - Governo de SP lança prêmio Inspiração 2020 para professores 20201802

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de SP lança prêmio Inspiração 2020 para professores

Local: Capital - Data: Fevereiro 18/02/2020

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pessoal, boa tarde. Mais uma vez, muito obrigado pela presença de vocês. Ao lado, Marc Allen, que é o presidente da Boeing, que está aqui ao nosso lado. A Donna, que é vice-presidente da Boeing, foi embaixadora dos Estados Unidos do Brasil, conhece bem as relações do Brasil com os Estados Unidos, nos ajudou muito nesse acordo. E a Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna. Este acordo vai promover a premiação de professores da rede pública de ensino, dentro do programa Inova, um programa liderado pelo secretário Rossieli Soares, secretário da Educação em São Paulo, e pelo Aroldo Correia, que é o secretário executivo de Educação. Nós acreditamos firmemente que um dos bons caminhos para melhorar a qualidade do ensino em São Paulo é valorizar os professores, os gestores que atuam diretamente nos diferentes níveis de ensino no estado de São Paulo. E ao lançarmos um programa de premiação, e que contempla a homenagem aqueles que atingirem os objetivos do IDEB, os objetivos da Secretaria de Educação, nós estamos incentivando, e ao mesmo tempo motivando toda a rede pública de ensino em São Paulo. O investimento da Boeing é expressivo dentro dessa iniciativa, os prêmios também são prêmios bastante substitutivos, e não são prêmios através de viagens para o lazer, mas para o conhecimento, a evolução científica, e a capacitação ainda mais de professores. E lancei aqui hoje um desafio também à Boeing, para que possam nos ajudar no programa de digitalização, e colocar tecnologia nas escolas públicas do estado de São Paulo. Nós desejamos ao longo dos próximos anos, que todos os alunos da rede pública de ensino possam deixar de aprender com giz e quadro negro, e possam substituir por tablets e computadores. É um sonho do governo de São Paulo, não é uma tarefa fácil, dado ao volume de alunos que nós temos, mas é um objetivo que nós temos que perseguir. E o Marc Allen já me disse que vai tentar fazer um consórcio de empresas, que são fornecedoras da Boeing, para também nos ajudar dentro deste programa de tecnologia para os alunos da rede pública de ensino do estado de São Paulo. Viviane, quer complementar?

VIVIANE SENNA, PRESIDENTE DO INSTITUTO AYRTON SENNA: Sim, essa iniciativa ela inclui o prêmio, ela vai além, a ideia toda é de preparar os nossos alunos para o futuro, e não para o passado, a escola não só no Brasil, mas no mundo inteiro tem esse desafio que é preparar as crianças e jovens para o século 21, e não para o século 20, com Skills, que são importantes no século 20, mas que precisa-se hoje mais do que esses Skills clássicos, vamos saber português, matemática, história e ciência, para você dar certo no século 21, você vai precisar de capacidades que vão para além da fronteira cognitiva, capacidades como criatividade, pensamento crítico, abertura ao novo, colaboração, trabalho em time, que vai ser crucial para que os alunos, atuais alunos, deem certo no século 21 nos trabalhos, nas famílias, no mundo. Então essa parceria da Boeing com o Instituto irá ajudar o estado de São Paulo a desenvolver esta educação para todas as crianças do estado, do ensino fundamental 2, e ensino médio. Cem por cento das crianças do estado de São Paulo serão preparadas para o futuro, com essa educação que vai para além da fronteira cognitiva também. E essa parceria da Boeing com o Instituto vai preparar essa educação com lastro em ciência, nós vamos trazer o melhor da ciência para preparar as nossas crianças. Como a cereja do bolo, haverá uma premiação que reconhecerá os cinco melhores professores que desenvolverem as cinco iniciativas mais inovadoras de desenvolvimento de competências para o século 21 nos seus alunos. Ela será premiada com uma viagem anual, será uma viagem aos Estados Unidos, com a imersão de uma semana, para que esses professores sejam inspirados a melhorar ainda mais a sua capacitação para o desenvolvimento de competências para o século 21. É essa a ideia central, a Boeing será uma parceira do Instituto que trará essa educação para o século 21, para vários lugares, especialmente para o estado de São Paulo, ele será privilegiado nessa parceria da Boeing do Instituto.

REPÓRTER: Posso fazer uma pergunta?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pode, só vou complementar. O governo de São Paulo tem feito um esforço muito grande, junto ao Instituto Ayrton Senna, para atrair o investimento privado para a educação, sem nenhum tipo de contrapartida, ou seja, o investimento puro, solidário, de empresas que compreendem a importância da educação na formação de um povo, na formação de uma nova geração, e é o caso da Boeing. Gostaria de só tomar a liberdade de pedir um depoimento, ou do Marc, ou da Donna, para que vocês possam compreender o porquê a Boeing aceitou participar e fazer esse investimento conosco, e não investimento para um ano, ao longo dos próximos anos. Marc.

MARC ALLEN, PRESIDENTE DA BOEING: [Outro idioma]

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, nós vamos considerar, avançamos um pouquinho no horário, o Aroldo também está aqui, se precisar ele compartilha as respostas, Aroldo Correia, nosso secretário executivo de Educação, ex-secretário da Educação do estado do Espírito Santo. Rossieli Soares não pode estar conosco hoje aqui. Vamos considerar quatro perguntas, se vocês concordarem, quem quiser começar. Apenas vou pedir para identificar o veículo, a quem dirige a pergunta, e a pergunta.

MARIA, REPÓRTER: Maria Manso, TV Cultura. Do ponto de vista de prático, os professores podem inscrever para o prêmio projetos que eles já desenvolvem, ou tem que ser projetos novos?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vivi ou Haroldo?

VIVIANE SENNA, PRESIDENTE DO INSTITUTO AYRTON SENNA: A gente vai ter um edital explicando todo o detalhamento de quem participa e que condições são necessárias para participação. Esse edital vai estar disponível a partir de março, e aí todos esses detalhamentos vocês poderão ter nesse próprio edital.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Quer complementar, Haroldo.

HAROLDO CORRÊA, SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO: A ideia é que os professores não só... Porque quando nós olhamos para a rede, os professores já estão criando, né? Essa é uma realidade. A ideia é trazer isso para ter mais visibilidade. Então valerá sim, projetos que estão em andamento, em desenvolvimento, mas a grande expectativa nossa, não é, Viviane, é que o prêmio estimule o conjunto dos professores a serem também criativos no desenvolvimento das crianças.

VIVIANE SENNA, PRESIDENTE DO INSTITUTO AYRTON SENNA: O objetivo, gente, é desenvolver competências que são necessárias no século 21, como criatividade, pensamento crítico, abertura ao novo, curiosidade investigativa, trabalho em time, colaboração. Porque assim que vai funcionar o mundo daqui para frente. Então você vai precisar desses Skills, dessas capacidades ao lado das cognitivas, para dar certo. O prêmio vai reconhecer os cinco melhores professores, os cinco professores que desenvolverem os itinerários formativos mais inovadores, de maneira a desenvolver essas competências nas crianças. As práticas educativas mais inovadoras para dar um termo mais conhecido.

HAROLDO CORRÊA, SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO: E o prêmio se dirige aos nossos 180 mil professores, de 4 mil escolas, e que atendem 2,2 milhões de estudantes paulistas. Esse é o tamanho do projeto Inova, que lançamos ano passado, e que agora a partir de 3 de fevereiro, virou realidade na sala de aula. E o prêmio, não é, Viviane, o esforço é de que a gente estimule os professores a fazerem cada vez melhor, né? Enfrentando os desafios de ensinar no século 21, e não de ensinar no século 20, que nós estamos olhando para frente. E está no nosso planejamento a ideia de formar as crianças, estudantes, os jovens, para o século 21, os desafios do século 21, que não pode ser mais do ponto de vista da escola, apenas um esforço de desenvolver as chamadas competências cognitivas, mas também esses conjuntos de competências que a Viviane fez referência, especialmente a criatividade humana de cada um dos nossos estudantes.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Próximo. Veículo, seu nome, a quem você dirige a pergunta, e a pergunta.

MARCELA, REPÓRTER: Sou Marcela, da CBN. A minha pergunta é ao senhor. Fugindo um pouquinho do tema, governador.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O tema é educação.

MARCELA, REPÓRTER: Não, mas rapidamente, acho que ficou bastante claro, um projeto muito bacana. Mas fugindo um pouquinho do tema. O senhor é um dos signatários de uma carta direcionada ao Presidente Jair Bolsonaro. Eu queria saber do senhor qual que é o objetivo com essa carta, o que o senhor pretende assinando este termo?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, o objetivo não é meu pessoal, e sim dos governadores do Brasil, os governadores se mobilizaram, nós temos um grupo de Whatsapp, nos falamos constantemente, aliás, falamos diariamente, dentro do Fórum de Governadores. E nós entendemos que o Presidente da República deve dialogar, deve propor o diálogo com os governadores, não fazer ataques, e não fazer manifestações por Whatsapp, nós não compreendemos gestão por Whatsapp, compreendemos gestão na relação, no entendimento, no diálogo, na busca propositiva de um país melhor, pacífico, e em busca de bons resultados para toda a população brasileira. Nós não entendemos governo partidarizado, com ideologias, ou com princípios que não respeitem a democracia como um todo. A carta foi um convite ao Presidente da República, Jair Bolsonaro, a dialogar com os governadores, nós temos o próximo Fórum de Governadores em Foz de Iguaçu, logo após o Carnaval, o Presidente está convidado a participar, ele será bem recebido, de uma maneira republicana, com o respeito que ele merece, ou se ele preferir receber os governadores no Palácio do Planalto, nós lá estaremos também dentro de uma conversa altiva, propositiva e construtiva para o Brasil. Nós só seremos melhores se formarmos um conjunto. Isoladamente, separadamente e com agressões não vamos construir uma boa democracia, não vamos construir políticas públicas no plano social e econômico que vão beneficiar a população brasileira. Próxima.

GIBA BERGAMIM, REPÓRTER: Giba Bergamim, TV Globo. Bom dia a todos. Boa tarde já, né? No fim do ano passado a gente esteve numa escola aí, Cidade Dutra, de ensino integral, e a gente mostrou lá o drama dos pais que passaram a virada do ano à espera de uma matrícula na escola que é a única integral da região em Cidade Dutra. Se tivesse escola em período integral com a mesma qualidade e os bairros próximos a eles, isso com certeza não precisariam pegar essa fila, enfim, ficar ao relento, debaixo de chuva, na virada do ano. O senhor anunciou no final do ano uma promessa de ampliação das escolas de ensino integral, se eu não me engano mil escolas pelo menos até 2023. Como é que está o andamento dessa promessa? É possível, de fato? Já tem mais procura? Vai ser necessário mais demanda, ou seja, mais escolas no ensino integral? Como que o Governo está tratando isso agora? Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós estabelecemos escolas de educação integral, uma prioridade do Governo do Estado de São Paulo, aliás, faz parte do nosso programa de Governo. Preparamos, orientamos esse projeto pra ser lançado no final do ano passado, de 2019, pra que pudesse materializar a partir deste ano de 2020. Essa é uma iniciativa abraçada pelo secretário Haroldo Corrêa que está aqui ao meu lado, e também pelo Rossieli Soares. E estamos dentro da perspectiva, separamos recursos no orçamento pra essa finalidade e preparamos também escolas e professores pra isso. E o secretário Haroldo pode dar mais detalhes a vocês.

HAROLDO CORRÊA ROCHA, SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO: Sim, as filas são evidência da qualidade da escola integral. Nós tínhamos até 2019, 417 escolas, colocamos uma meta de governo de colocar mais mil nesse período de governo. E caminhamos nela. A partir desse ano entraram mais 248 escolas, foram transformadas em escolas integrais e, portanto, hoje nós temos 640 escolas integrais na rede paulista. É a maior rede em quantidade de escolas--

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Do país.

HAROLDO CORREA ROCHA, SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO: Do país, né? Pernambuco é o segundo estado, né, nós usamos uma metodologia desenvolvida a partir de Pernambuco. Então o objetivo deste Governo é chegar a 1.400 escolas. E vamos deixar, aliás, já temos um planejamento para que os Governos que se seguirem possam continuar fazendo essa transformação até chegarmos o dia que a gente possa ter toda a rede atendendo educação integral em tempo integral pra todas as crianças paulistas.

JULIANE: Eu queria acrescentar uma coisa muito importante deste lançamento hoje. Como o país não tem dinheiro pra dar educação em tempo... educação integral em tempo integral, é muito importante que a gente não deixe de lado as crianças que estão no tempo parcial. E exatamente isso que nós estamos celebrando aqui. O Inova ele é uma ação, uma política pública do Governo do Estado de São Paulo pra garantir educação integral, essa que você tem numa escola integral pra criança do tempo parcial. Porque senão nós vamos criar duas categorias de criança, a que tem acesso em tempo integral e a que não tem. O cidadão de primeira classe, segundo... e o outro de segunda classe. Isso não... isso é não criar equidade no sistema público e na política pública de educação. Então o governador de São Paulo juntamente com a equipe da secretaria, Haroldo, Rossieli, está determinado a garantir que todas as crianças tenham essa mesma oportunidade, não só aquelas que estão em tempo integral. Por quê? Nós não temos dinheiro atualmente no estado e nem no país pra dar educação integral pra todas as crianças do país. E quando tiver, o dia que tiver e se tiver o que é que acontece com todas as outras crianças que estiveram no tempo parcial? Elas vão ficar nessa condição que não é de primeira qualidade? Não. Aqui em São Paulo todas terão essa educação de qualidade que é exatamente a proposta do Inova, você preparar os alunos para o século 21 com as competências, uma educação integral em tempo parcial. Isto é possível e é isto que o governador está fazendo em São Paulo e que a Boing está ajudando a realizar através dessa parceria com o instituto. Todo o know how de como fazer isso, o instituto está fornecendo junto... a partir do apoio que a Boing está dando. Isso significa dar educação integral em tempo parcial, garantir que todas, a universalidade das crianças de fundamental II e médio passam a ter acesso, não precisam ficar em fila esperando ter tempo integral não. Ela já pode ter isso na escola de tempo parcial. Todas as crianças merecem isso.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vamos à última pergunta.

HAROLDO CORRÊA ROCHA, SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO: Eu queria só reafirmar, a Juliane traz uma questão central, né, aliás, é o que nos traz aqui. Não dá pra gente, enquanto não temos a educação integral em tempo integral, descansar ou relaxar com as outras crianças. E o Inova é exatamente isso. Como eu disse, 4 mil escolas, 2,2 milhões de crianças do estado de São Paulo, da rede estadual paulista terão também, né, vocês devem se lembrar dos componentes, terão projeto de vida, terão disciplinas eletivas, terão disciplina de tecnologia, e todo um conjunto de metodologias que vão permear todas as disciplinas para que essas crianças também que não têm acesso ao tempo integral tenham acesso à educação integral. Então esse é o sentido maior do que a gente comemore aqui hoje.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Importante essa complementação. Vamos à última pergunta.

ÂNGELA PINHO, REPÓRTER: Ângela Pinho, da Folha. Queria dirigir ao senhor e ao secretário. O senhor hoje reafirmou essa meta de São Paulo liderar o Ideb no ano que vem, mas na última avaliação estadual São Paulo piorou no ensino médio, né? Queria saber como vocês veem essa avaliação e como que a gente vai dar esse salto em um ano, um pouco mais de um ano.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu vou dividir a resposta com o secretário Haroldo. O nosso governo é um governo que faz metas, estabelece metas claras em todas as áreas de atuação. Eu aprendi no setor privado que você tem que ter metas e objetivos pra serem cumpridos. Esse governo não é diferente. As metas são audaciosas, como deve ser um governo ao prestar serviços públicos. Agir e ter a ousadia de encontrar os melhores desempenhos para a educação, para a saúde, para a habitação, pra geração de empregos e desenvolvimento econômico. Não é diferente na área da educação. Eu lancei esse desafio logo que assumi como governador, ao Rossieli Soares, secretário de educação e ao Haroldo, secretário Executivo, que gostaria de ver São Paulo liderando o Ideb até o final de 2021. Liderança que São Paulo já teve e perdeu, por diferentes razões, mas que agora por um conjunto de motivos vai recuperar. E aí eu passo a palavra ao secretário Haroldo Corrêa.

HAROLDO CORRÊA ROCHA, SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO: Olha, de fato, nós continuamos melhorando no quinto ano, no nono ano, e no ensino médio a gente teve uma pequena avaliação negativa, nós estamos obviamente debruçados sobre isso pra entender em profundidade o ocorrido, mas olhando pras séries a gente vê... é normal que haja flutuações pra cima, pra baixo, nesse tipo de avaliação. Nós vamos ter que ver ainda o resultado do Ideb, da prova do ano passado, né, ver se confirma essa tendência ou não. Agora, a nossa estratégia pra chegar, voltar à liderança, melhor dizendo, voltar à liderança do Ideb, a gente está tratando aqui da ampliação das escolas de tempo integral, de educação integral em tempo integral mais aceleradamente. Só pra vocês terem uma ideia, São Paulo tem escolas de tempo integral desde 2012, na média a gente colocou nesse... até 2019, 52 escolas por ano. Agora a gente esticou a perna.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mais de 200 em um ano.

HAROLDO CORRÊA ROCHA, SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO: Duzentos e quarenta e oito escolas com uma meta de mil. Então isso, com certeza, agrega, é importante, mas é muito importante também isso que a gente anuncia aqui hoje, né, já trabalhamos desde o ano passado, nós temos absoluta convicção de que o Inova vai fazer uma grande diferença na aprendizagem dos nossos alunos. Não só no primeiro ciclo do ensino fundamental como no segundo, sobretudo, no ensino médio que é o desafio maior do país, né? Todos os estados têm imensa dificuldade com o ensino médio, né? Eu venho de um estado que conseguiu elevar significativamente, liderar a aprendizagem de matemática e português no ensino médio. Eu sei o quanto é difícil, então nós vamos aqui, governador, né, usar todas as nossas experiências, e todas as boas práticas, e, sobretudo, o apoio do Instituo Ayrton Senna, da Boing pra gente, né, chegar a essa meta, esse objetivo central de voltar a liderar o Ideb. E que São Paulo possa ser, sim, inspiração pro Brasil, pro nosso país superar as dificuldades que temos na educação.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, nós--

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Eu gostaria só de acrescentar ao que o Haroldo disse que, justamente, a ciência nos mostra, evidência científica mostra que competência socioemocionais como determinação, disciplina, persistência, abertura ao novo, são cruciais para aquisição das próprias habilidades cognitivas. A ciência diz que pesa tanto você ser um menino inteligente e você ser um menino disciplinado para a aprendizagem de matemática. Então se a gente quer melhorar o Ideb nós precisamos apoiar a nossa estratégia na ciência. O que ela mostra? Como é que você desenvolve? Como é que o cérebro pensa? Como é que o cérebro aprende? Como é que você desenvolve matemática, história, ciência, numa criança? Você tem um conjunto de conhecimentos já construídos na ciência que nos ajuda a fazer essa tarefa, e parte desse conjunto de conhecimentos nos mostra que habilidades e competências socioemocionais como essas que eu mencionei elas são decisivas pra você como alavancas pra você garantir a aprendizagem de matemática. Ninguém aprende matemática, ciências, sentado assim na cadeira e o negócio cai assim na cabeça. Você precisa de muito esforço, muita disciplina pra entender, por exemplo, matemática. Isso é uma competência socioemocional. Pra uma pessoa dar certo como o governador, ele não ficou sentado na cadeira esperando que tudo acontecesse, ele trabalhou muito, teve muita disciplina, foco, persistência pra chegar a conquistar alguma coisa. Seja aprender uma matéria, seja conquistar alguma coisa na vida, exige competência socioemocionais, a ciência mostra isso. E pra ajudar o Ideb, justamente, a ideia é trazer esse conhecimento, a aplicação disso através do Inova no tempo parcial, não só no tempo integral, terá também no tempo integral, mas também no tempo parcial para que a gente possa mover o Ideb, porque a maior parte das crianças estão no tempo parcial.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pessoal, muito obrigado, boa tarde. Bom almoço pra vocês. Obrigado, pessoal.