Coletiva - Governo de SP lança programa de desenvolvimento Viva o Vale no Vale do Paraíba 20212205

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de SP lança programa de desenvolvimento Viva o Vale no Vale do Paraíba 20212205

Local: São José dos Campos – Data: Maio 22/05/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós vamos começar, nós temos quatro perguntas da Rádio Metropolitana de Lorena, da TV Bandeirantes e BandVale, do Jornal O Vale e Rádio Máxima FM, e da Rádio Guardiã da Notícia. Então, nós vamos ao microfone, começando com a Rafaela Lorenzo, da Rádio Metropolitana de Lorena, e a sua pergunta, por favor. E sempre vou pedir para ser uma única pergunta, para facilitar um pouquinho. Por favor, Rafaela.

RAFAELA, REPÓRTER DA RÁDIO METROPOLITANA DE LORENA: Bom dia...

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia, obrigado pela presença.

RAFAELA, REPÓRTER DA RÁDIO METROPOLITANA DE LORENA: A todas as autoridades. Bom, governador, a expectativa era muito grande, desde a última semana, do anúncio, não só do Viva o Vale, como vocês já puderam explanar sobre todos os investimentos, mas principalmente em relação ao hospital regional. A discussão [ininteligível] da sede que receberia então esta unidade para reforçar aquela onda no Vale Histórico e Vale da Fé. Eu gostaria que o senhor falasse a respeito disso, como foram as tratativas para definição da unidade do hospital regional, tendo em vista projetos como o de Lorena, Guaratinguetá, Cachoeira Paulista e aqui a própria Cruzeiro.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem. Rafaela, importantíssima sua pergunta, é uma das maiores demandas do Vale, é o hospital regional. Mas eu vou pedir, mais uma vez, silencio aos meus amigos, em respeito aos jornalistas que aqui estão. Pessoal, vocês são tão educados, tão simpáticos. Cinco minutos, apenas, isso não vai fazer diferença para vocês, mas para os jornalistas, que estão trabalhando, faz diferença, senão eles não captam o áudio. Sem o áudio, fica difícil de editar, dá muito mais trabalho para eles e os que estão nas redações. Ok, pessoal? Deixem terminar, quando terminar, eu dou aqui o aviso: acabou. São quatro perguntas, a primeira é da Carolina, que nós estamos respondendo. Perdão, Rafaela. E eu vou pedir a você, Jean Gorinchteyn... O Jean é nosso secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do Estado de São Paulo, sobre o hospital regional.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE: Essa é uma das importantes decisões do governo e definidas pelo governador João Doria para essa região. A importância de se fortalecer o tripé de assistência, tanto de Guaratinguetá, de Lorena e também de Cruzeiro, melhorando as unidades hospitalares já existentes, especialmente em Lorena, de média e alta complexidade, mas nós também entendemos que outras regiões, como Cruzeiro, precisam ter um aparelho hospitalar muito maior e melhor na sua qualidade de assistência à população regional, atendendo a outros municípios, que não somente Cruzeiro. Dessa forma, esse estudo que está sendo definido a partir de hoje, o seu início, junto com a nossa querida [ininteligível], responsável pelo DRS, que estará fazendo a implementação de quais são as necessidades da região, quais são os ambulatórios, qual é o número de leitos necessários, e é assim que faremos, em respeito a essa população, assim como São Paulo é um estado de respeito.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado... Pode ficar com o microfone, pode... Certamente haverá mais perguntas sobre saúde. Rafaela, para complementar, e também não só a você, como representante da Rádio Metropolitana, mas também os demais jornalistas, o investimento previsto no hospital regional aqui do Vale, em Cruzeiro, é de R$ 30 milhões, um investimento robusto de R$ 30 milhões.

[Aplausos]

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obviamente, vamos ter sempre a participação, o apoio das prefeituras do Vale, do consórcio, da cidade que vai receber o hospital, mas esse é o investimento que foi alocado, de R$ 30 milhões, para o hospital. Rafaela, obrigado mais uma vez. Agora sim, a Caroline, da TV Bandeirantes, BandVale. Bom dia, bem-vinda. Antes de você fazer a sua pergunta, vou pedir de novo para o pessoal fazer um pouquinho de silêncio, pessoal. Eu sei que vocês estão felizes... Pronto. Caroline.

CAROLINE, REPÓRTER DA BANDVALE: Bom dia, governador, bom dia a todos. Gostaria de aproveitar para fazer duas perguntas, se me permite. Uma delas é a respeito do hospital regional, se vai ser aproveitada a estrutura de algum prédio já existente ou se vai ser construído esse hospital. E a população de Taubaté esperando o AME faz muito tempo. Então, qual a previsão para o AME em Taubaté começar os atendimentos? Obrigada.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado. Caroline, são duas perguntas de saúde. Como o Dr. Jean já respondeu sobre o hospital regional, vou pedir agora ao Marco Vinholi, nosso secretário de Desenvolvimento Regional, que possa responder à primeira pergunta, se é um prédio ou uma nova edificação, dentro do planejamento que está sendo feito. O investimento será esse, seja na reforma, seja na construção e, principalmente, no equipamento do hospital. E da AME, o Jean Gorinchteyn fará a resposta. Temos já um microfone com o Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional. Pessoal que está animado aí atrás, um pouquinho de atenção. A resposta à TV Bandeirantes, a câmera da Caroline está exatamente atrás dela.

MARCO VINHOLI, SECRETÁRIO ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL: Bom, é um trabalho de bastante tempo, a nossa DRS lá vem trabalhando há um bom tempo nesse planejamento. Não identificamos um prédio que pudesse ter essa reforma, para ser estabelecido o novo equipamento. Portanto, é uma construção desse aparelho, que vai significar muito para Cruzeiro e para a região. E como disse o Dr. Jean, também o fortalecimento do que nós estamos chamando de tripé: Lorena fortalecida e Guaratinguetá. Então, esses três municípios vão compreender o tratamento de saúde para a região, com ações complementares. E essa ação aqui de Cruzeiro vai ser fundamental.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Jean.

MARCO VINHOLI, SECRETÁRIO ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL: Dia 30 de junho nós vamos apresentar esse plano [ininteligível].

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Neste momento, tem o mais importante, que é o dinheiro para fazer. Jean Gorinchteyn.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE: O Ambulatório Médico de Especialidade é algo especialmente importante para a região de Taubaté. Nós temos ainda que finalizar e terminar, principalmente, equipamentos locais, para que nós possamos dar uma estrutura [ininteligível], não só em termos de atendimento de consultas, mas de realização de exames diagnósticos, exames radiológicos, tomográficos. E é essa a preocupação do Governo do Estado de São Paulo, para que essa obra possa ser concluída na sua plenitude e ofertada para a sua população. A importância do AME é fundamental, e o próprio Estado de São Paulo, através do governador, está começando a desenvolver... E essa é uma das regiões, que será uma região piloto, para o nosso programa de telemedicina de especialidades, nas urgências e emergências. Muitas vezes, um especialista está distante e não pode acolher aquele paciente naquele momento. A nossa telemedicina tem como importância, prerrogativa, acolher esses pacientes de uma forma rápida, imediata, assim como a telemedicina de especialidades, que vai acontecer dentro das unidades hospitalares, fazendo com que esse paciente, de uma forma muito confortável, não precise se deslocar por quilômetros para passar por um especialista, enquanto internado. Essa é a responsabilidade do Governo de Estado para a população.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Jean. E Caroline, também complementando e atendendo a uma colega sua, da TV Record, que aqui está, a informação que nós temos é que o prazo para entrega do hospital, com o apoio da prefeitura, que vai destinar o terreno, a obra será feita e os equipamentos serão comprados e pagos pelo Governo do Estado de São Paulo, é até o final do ano que vem, até dezembro de 2022, é o prazo previsto para a implantação do hospital.

[Aplausos]

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E depois, ele será gradualmente ocupado. Toda a estrutura hospitalar, ela abre em etapas, seja privada, seja pública, ela cumpre uma etapa. E é exatamente o que nós desejamos. Portanto, já a partir de janeiro de 2023, o início da sua operação, dos seus leitos primários, os seus leitos de atendimento, sua emergência, seu ambulatório e também UTI. Vamos agora ao grande torcedor do Santos Futebol Clube, Xandu Alves, do Jornal O Vale e da Rádio Máxima FM. Xandu, o Xandu é meu amigo, ele é corinthiano de corpo e alma, mas como eu dei para ele uma caneca do Santos Futebol Clube, agora ele divide com o Corinthians a sua alegria no futebol. Xandu.

XANDU ALVES, REPÓRTER DO JORNAL O VALE E DA RÁDIO MÁXIMA FM: Bom dia. Aliás, eu tenho uma foto do Pelé lá [ininteligível], que o Pelé é de todos, não é só do Santos. Bom, a colega já fez a pergunta que eu gostaria de fazer...

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pessoal.

XANDU ALVES, REPÓRTER DO JORNAL O VALE E DA RÁDIO MÁXIMA FM: A colega já fez a pergunta, eu só queria tirar uma dúvida: é no dia 30 de julho que vai ser apresentado o plano [ininteligível]?

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: 30 de junho, junho.

XANDU ALVES, REPÓRTER DO JORNAL O VALE E DA RÁDIO MÁXIMA FM: Junho? Junho.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: No próximo mês...

XANDU ALVES, REPÓRTER DO JORNAL O VALE E DA RÁDIO MÁXIMA FM: [ininteligível]

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Isso, exatamente.

XANDU ALVES, REPÓRTER DO JORNAL O VALE E DA RÁDIO MÁXIMA FM: Eu queria perguntar para o governador se o programa Viva o Vale, ele vai ter uma continuidade, se ele vai continuar ao longo dos anos, vai ser um acompanhamento... Se o senhor me permite com o doutor Jean a questão da pandemia aqui no Vale hoje, né? Guará está com um recorde de mortes, [ininteligível] questão problemática, né? Se vai, se os prefeitos têm realmente que restringir mais ou não. E por último, governador, permita, um comentário do senhor...sobre a foto, não sei se alguém perguntou antes, sobre o Lula cumprimentando o Fernando Henrique Cardoso.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, vamos... Era uma pergunta, já virou três. Como um bom corintiano, né, vai firme... Nós vamos responder as três para você. Eu vou deixar o Jean para fazer a última resposta da pandemia. Em relação à fotografia, eu já mencionei, eu não faço comentários e respeito ao presidente Fernando Henrique Cardoso. No que se refere a continuidade, sim. Todos os planos que o governo lançou, o programa voltado para o Vale do Futuro já há dois anos ele vem sendo implantado no Vale do Ribeira, ele foi feito para 20 anos, não foi feito para quatro anos. O programa também do Pontal 20/30 vai até 2030. E aqui também, aqui nós temos um programa previsto para 20 anos. É programa de governo e um programa de estado, ou seja, não é de uma gestão, não é de uma administração. E compartilhá-lo com prefeitas e prefeitos. Isso é um ponto importante para vocês registrarem, todos esses projetos e principalmente este aqui do Viva o Vale, ele envolve diretamente as prefeituras locais que são os gerenciadores das vontades e das necessidades da população. Nosso governo é um governo municipalista, por isso temos uma Secretaria de Desenvolvimento Regional, a secretaria não existia anteriormente. O que vale a secretaria do interior, mas ela é chamada de desenvolvimento regional com o comando do Marco Vinholi. Porque é o nosso compromisso de um governo municipalista descentralizado. Então, prefeitos e prefeitas são coparticipes desse programa, o que aumenta a sua empregabilidade e a certeza da sua execução. Por quê? Porque a população vive nas cidades e cobra os prefeitos e as prefeitas. E eles cobram o governo. E essa interação é que permite a continuidade dessa programação. E agora sobre a Covid-19, especialmente nos municípios referidos pelo [ininteligível] do jornal O Vale.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: No estado de São Paulo nós tivemos, assim como também na região uma [ininteligível] importante com o número de ocupações com os leitos das unidades de terapia intensiva, de casos e óbitos. E dessa forma fizemos exatamente esse plano [ininteligível] que fez com que mais pessoas saíssem às ruas. Nós temos que entender que a população é nossa parceira, ela tem que continuar seguindo as normas e ritos sanitários. Tem que evitar as aglomerações, tem que fazer uso das máscaras para que dessa forma nós possamos impedir que haja a elevação do número de casos. Nós estamos num momento muito importante e que é diferente daquilo que nós vivemos em fevereiro. Nós temos mais de 20% da população, em todo o estado, inclusive, da região [ininteligível] que são aquelas pessoas que teriam maior risco de manejo [ininteligível] que são os idosos, os portadores de doenças [ininteligível]. Seguramente, nós estamos numa situação [ininteligível] bem melhor que nós estávamos, mas ainda o número é alto e merece toda a atenção de todos. Todos nós da secretaria quanto também da própria população.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Jean. [ininteligível], obrigado pelas perguntas. Agora vamos a última intervenção que é da Grabriele da Rádio Guardiã da Notícia. Gabriele, prazer em rever você ao lado da sua filhinha, a sua futura jornalista que está aqui.

GABRIELE, REPÓRTER DA RÁDIO GUARDIÃ DA NOTÍCIA: Boa tarde... Bom dia, governador. Bom dia a todos. Governador, eu queria que vocês esclarecessem um pouquinho mais sobre os investimentos em relação à área do turismo. Vocês falaram em cerca de um milhão, é para cada cidade. E eu fiz um levantamento, a cidade... são denominadas como cidades mortas aqui da região [ininteligível], Bananal, Queluz, Areias, São José do Barreiro. São cinco cidades que recebem sempre um valor de investimento muito baixo. E Bananal, por exemplo, possui a Serra da Bocaina que é tido pela Unesco como patrimônio da humanidade e possui recursos para investimento no turismo muito baixo. Eu queria saber se o município vai receber algo relacionado para impulsionar então esses municípios.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa pergunta, Gabriele. Primeiro, cada cidade vai receber, isso já está determinado no orçamento, o valor de um milhão de reais indistintamente. Cada cidade receberá um milhão de reais para obras de infraestrutura voltadas principalmente para o turismo e a sua população. Calçamento, iluminação, serviços de segurança e atendimento aos turistas. Isso é igual para todos. E aquelas cidades com mais vocação para o turismo histórico, turismo de aventura, turismo de esporte e o turismo religioso, entram dentro do programa das secretarias de turismo do estado de São Paulo, e faz parte também do Viva o Vale. E aí terão recursos adicionais para programas específicos. A natureza. [...] da natureza? Pássaros e meio ambiente. Para os programas de aventura, esportes de aventuras em rios e as atividades de balonismo e outras atividades dessa natureza. As atividades esportivas, as atividades religiosas, e as atividades culturais e históricas também. Aí serão outros recursos praticados pela Secretaria de Turismo e recursos que já estão também previstos de acordo com cada cidade e com cada característica. Neste caso, o investimento de até 24 meses, Gabriele. É um investimento que começa agora e vai até o final de 2022, e nós vamos preparar os municípios para o período pós-pandemia. Nossa expectativa é que até o final deste ano nós tenhamos já a vacinação completa, aliás, eu quero aproveitar para dizer que aqui no estado de São Paulo... registrem porque eu quero afirmar aqui. Até o final deste ano de 2021, todos os brasileiros e paulistas de São Paulo serão vacinados.

[aplausos]

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Todos que precisam ser vacinados estarão vacinados até o final deste ano. E se eu estou afirmando e reafirmando é porque eu sei que nós vamos assinar. Então isso já permitirá já no próximo verão que tenhamos com cuidado, com zelo, ainda com o uso de máscara, ainda com medidas de cautela, mas já com a economia ativada a retomada do turismo para todo o vale. Isto não vai nos desobrigar do uso de máscara, as máscaras serão de convivência por um longo período para todos nós, mas teremos uma economia já em janeiro em operação, funcionando, com os devidos cuidados, repito, mas com a segurança da população vacinada. O que mais precisa, São Paulo e o Brasil, é vacina, é a vacina que salva. Nós temos a Coronavc que é a vacina do Butantan, a nova fábrica ela estará pronta agora no final de setembro para a produção dos insumos aqui no Brasil, e a fábrica também da ButanVac que é a outra vacina do Butantan que já está pronta porque é a mesma fábrica que produz a vacina contra H1N1, a vacina contra a influenza, a vacina da gripe. Então isso nos dá certeza e segurança de que teremos insumos e vacinas para vacinar todos os brasileiros, todos os paulistas aqui em São Paulo. Pessoal, eu vou me despedir de vocês, primeiro aos jornalistas que aqui estão, aos cinegrafistas fotógrafos, técnicos, obrigado por terem vindo também. As jornalistas, aos jornalistas, aos jornalistas, aos nossos amigos aqui da população, os prefeitos e prefeitas, vereadoras, vereadores, deputados, todos vocês que tiveram a delicadeza de virem aqui nesta manhã. Eu terei que sair rápido com o Maro Vinholi por conta da missa de sétimo dia do Bruno. Então eu vou pedir muitas desculpas e a compreensão de vocês porque não vou conseguir fazer fotos e nem cumprimentar como gostaria, mas peço que compreendam o apelo e o pedido da família do Bruno, e do cardeal [ininteligível] para que eu chegue no horário, que a missa está marcada ao meio-dia na Catedral da Sé. Me perdoem, mas eu volto aqui, o compromisso é de que eu poderei voltar aqui com vocês e aí o Marco Vinholi faz esse agendamento. Então peço desculpas por sair rapidamente. Agradeço a presença de todos. E mais uma vez, viva o Vale, viva São Paulo, viva a vacina, viva o Brasil. Obrigado, pessoal.