Coletiva - Homenagem ao Centenário de Nascimento do Prof. Dr. Euryclides de Jesus Zerbini - 20121705

De Infogov São Paulo
Revisão de 18h45min de 18 de maio de 2012 por Biacotrim (discussão | contribs) (Criou página com ''''Transcrição da coletiva da Homenagem ao Centenário de Nascimento do Prof. Dr. Euryclides de Jesus Zerbini e Inauguração da Exposição "Zerbini, o Homem, o Cirurgião e o…')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Homenagem ao Centenário de Nascimento do Prof. Dr. Euryclides de Jesus Zerbini e Inauguração da Exposição "Zerbini, o Homem, o Cirurgião e o Cientista"

Local: Capital - Data: 17/05/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós estamos comemorando cem anos da Faculdade de Medicina da USP, cem anos de nascimento do professor Zerbini, o grande criador do Incor, que é o marco na medicina e na cardiologia no Brasil, de toda a América Latina e do mundo. E a melhor homenagem que podemos fazer ao professor Zerbini é avançando com o Incor, então nós estamos liberando R$ 69 milhões. Professor Fábio Jatene detalhou aqui os investimentos, na parte de emergência vamos dobrar praticamente toda a parte de emergência, centros de pesquisa, reforma do sétimo e oitavo andar e modernização desses andares do bloco dois e vamos praticamente dobrar o bloco três, uma grande ampliação do prédio, e modernização dos equipamentos, porque a medicina é muito rápida, então surgem novos equipamentos, com mais sofisticação e tecnologia, enfim, nós vamos ter aqui o Incor, na ponta da cardiologia, da tecnologia, mantendo essa grande tradição de formação de médicos, de profissionais de enfermagem, de pesquisa de vanguarda na ciência brasileira.


REPÓRTER: Governador, o Governo Federal também vai mandar verba para ampliação e também para reforma ou só dinheiro do governo estadual é suficiente para resolver todos os problemas aqui do Incor?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não, todos os recursos são bem-vindos, são importantes, mas esses R$ 69 milhões são exclusivamente do Governo do Estado de São Paulo. E todos os recursos ajudam, são importantes, nós estamos falando do principal centro de formação de profissionais de pesquisa, de avanço, e de atendimento na área de cardiologia da América Latina.


REPÓRTER: Governador, com relação ao metrô, além dos investimentos que são sendo feitos pelo Rstado para expansão da rede de metrô aqui na capital paulista, o que senhor pode dizer para população que vem enfrentado esses problemas, essas panes quase que diárias, o que vem sendo feito para manter o que já existe?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, está sendo investigado o problema, foi um problema técnico de uma placa na ferrovia, não foi nem no trem, mas foi no sistema ferroviário. Está sendo checado o porquê disso, enfim, o que pode ter levado a esse problema. Nossa total solidariedade às pessoas que ficaram feridas, que passaram por esse acidente. O metrô transporta, por dia, quase cinco milhões de pessoas, mais de um bilhão. Ano passado nós transportamos R$1,8 bilhão e toda a nossa prioridade é o transporte sobre trilhos de alta capacidade e de qualidade, que é metrô e trem. Então, no PPA nós vamos ter R$45 bilhões entre financiamentos, orçamento do estado, PPPs, recursos privados. É um investimento recorde e simultaneamente em novos trens, no sistema de energia, porque todo trem, metrô é elétrico, nos sistemas de segurança. O metrô está sendo totalmente modernizado. A linha-4 que é a última linha entregue, que é a uma das mais modernas do mundo, e hoje com quatro linhas simultâneas, em obras, e todo cuidado com a questão de segurança. Nós transportamos nos últimos dez anos, onze bilhões de pessoas, onze bilhões, é uma média de um bilhão de passageiros/ano. Só o metrô, fora o trem.


REPÓRTER: Governador, se não houvesse um operador dentro do trem de ontem, com certeza o acidente teria sido muito pior. Na linha-4 não há operadores com os trens modernos. E a gente tem notícia que ainda há dificuldade de parar o trem na plataforma. Quando ele não consegue parar certinho na Plataforma, ele tem que seguir para a próxima estação. Como é que vai ser isso? E outra coisa, os metroviários estão ameaçando entrar em greve por causa de reajuste. Quer dizer, cai tudo em cima de vocês numa época em que metrô e CPTM está cheio de problemas.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, primeiro em relação à questão técnica. Hoje, os metrôs mais modernos do mundo operam com um sistema. Por quê? Porque com um sistema você permite uma aproximação maior. Como é que nós podemos transformar mais passageiros? Com mais trens, especialmente na hora de pico, na hora do rush. Então, o que é que nós queremos? Diminuir de cinco minutos para três minutos o intervalo entre trens, CPTM. Isso já está em pleno andamento, já estamos em torno de quatro minutos. E diminuir de 125 segundos para 85 segundos a diferença entre um trem e outro no caso do metrô. Você tem muito mais segurança com sistemas, que é o caso da linha-4. O mundo inteiro age dessa forma. Para casos excepcionais, você tem sistemas de segurança, você tem pessoas de plantão, você tem outras formas de trabalho de emergência. Essa é uma questão técnica e o secretário de transporte metropolitano pode detalhar para você.


ORADOR NÃO INDENTIFICADO: Com a relação a possibilidade de greve [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a greve, a greve... Olha, a greve, primeiro espero que não tenha greve, porque o Governo está em diálogo permanente com as entidades, sindicatos, trabalhadores. O diálogo é permanente. Só faz greve quando não tem diálogo. Então, uma greve só prejudica a população. E nós temos toda disposição para o diálogo, mas também não vamos aceitar nenhum tipo de chantagem.


ORADOR NÃO INDENTIFICADO: O senhor falou [ininteligível] de passageiros transportados ao dia pelo metrô. E aí...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Só o metrô...


ORADOR NÃO INDENTIFICADO: Isso. Eu tinha perguntado para o senhor com relação...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Fora, fora a CPTM.


ORADOR NÃO INDENTIFICADO: Com relação a esses problemas. Então, o metrô está saturado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. O metrô cresce, aliás, todo o sistema de trilho de São Paulo. Se você somar metrô e trem, vai dar aí 4,7, 4,8 milhões de passageiros dia/metrô e 2,7 milhões de passageiros dia/trem. Então, nós estamos falando de 7,5 milhões de passageiros/dia. Isso representa dois terços do Brasil. Quer dizer, se somar o Brasil inteiro, Porto Alegre, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, tudo, dá um terço. Só São Paulo dois terços. Ou seja, o sistema metroferroviário brasileiro está aqui em São Paulo. Aqui que é a grande liderança. E nós estamos expandindo. Para que é que nós estamos expandindo? Porque quanto mais você expande as linhas de metrô, mas você traz conforto para a população. Por que é que algumas linhas tão saturadas? Porque o metrô ainda é pequeno, são 72km de metrô. Na medida que você vai tendo novas linhas, novas estações, você vai tendo uma sinergia melhor, você distribui melhor a população. Agora, por que é que as pessoas vão para o metrô e trem? Porque ele é mais eficiente, não tem congestionamento. Você chega em tempo.


ORADOR NÃO INDENTIFICADO: Governador, usuário ficou receoso [ininteligível]


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, todas as nossas..., no caso do metrô, você teve um acidente. Não é uma coisa normal, não foi falha humana, foi uma falha técnica que vai ser verificada. Qual é a origem, qual é o problema, e imediatamente corrigido.


REPÓRTER: Agora, os usuários ficaram receosos. Como passar tranquilidade para o usuário do metrô?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o fato é que nós transportamos 1,8 bilhão de passageiros por ano, o metrô tem um sistema mais do que testado e comprovado, e problemas que ocorrem, primeiro: todo esforço para evitá-los; e segundo: investigar e corrigir.


REPÓRTER: Ontem por volta das 9 da manhã, o operador já tinha comunicado ao metrô que havia um problema técnico, cerca de uma hora antes do acidente. Isso foi apurado, vai ser apurado [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós vamos verificar quem é que apontou uma hora antes o quê que foi apontado.


REPÓRTER: Governador, objetivamente então a explicação para a população é que a rede de trens aqui em São Paulo está saturada e por isso esses problemas vêm acontecendo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, é óbvio que há uma demanda enorme, o crescimento de passageiros foi muito grande. Porque o sistema sobre trilhos, ele é mais eficiente, então a população migrou do sistema de pneu para o sistema de trilho. É só verificar o salto que deu. A CPTM transportava 700 mil passageiros e 14 anos depois transporta 2,7 milhões, a mesma coisa o metrô. O quê que nós estamos fazendo para atender melhor? Investindo, é o maior investimento do Governo. Segurança, manutenção, trens novos, estações novas e ampliação da rede. No caso da CPTM a rede é grande, são 260 quilômetros de ferrovia. Então, é investir mais em estação, números de trens, e algumas expansões. Como o Expresso Guarulhos para Cumbica, o Expresso que vai para Varginha, na Zona Sul, em Itapevi até Amador Bueno. É o que nós estamos fazendo. Vai para o ABC. Mas o forte não é expansão, porque já tem 260 quilômetros de ferrovia. No metrô é ao contrário, é expandir, porque a rede é pequena para o tamanho de São Paulo. Então nós estamos fazendo quatro linhas simultâneas de expansão, e o Governo sozinho, praticamente. 98% do dinheiro é só do Governo do Estado de São Paulo.


REPÓRTER: [Ininteligível] falou que a sua administração é um fracasso retumbante na área dos transportes...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu não vou transformar acidente em briga política, nessa questão eleitoreira, é muita baixeza isso.


REPÓRTER: O usuário do metrô pode ficar tranquilo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pode. O metrô é um sistema seguro, eficiente, está sendo investido para melhorar ainda mais.


REPÓRTER:...[ininteligível] Militantes de esquerda, ou só o regime militar, os responsáveis do regime militar?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a Comissão da Verdade é para restabelecer fatos, para levar ao conhecimento o que ocorreu, para ter transparência. Eu acho que conhecer a verdade, preservar a história, ela educa para o futuro, ela é fundamental, ela não deve ter esse sentido de ódio, esse sentido de litigiosidade, mas da busca da verdade, do esclarecimento dos fatos, até para orientar o futuro e o país poder consolidar o regime democrático.


REPÓRTER: Mas os dois lados dos fatos, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O objetivo é sempre esclarecer as ações de Estado, que são mais graves.


REPÓRTER: O dinheiro que o Governo do Estado disponibilizou para Incor hoje já está garantido, não tem perigo de atraso nos órgãos?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, já está garantido, são R$ 69 milhões, professor Jatene pode esclarecer, nós temos uma licitação que está com recurso judicial, que esperamos se resolva em quinze dias, e o recurso está totalmente disponibilizado.


REPÓRTER: Obrigada, governador.