Coletiva - Homenagem aos PMs que atuaram nas manifestações 20162103

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Homenagem aos PMs que atuaram nas manifestações

Local: [[]] - Data:Março 21/03/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, fiz questão de hoje comparecer aqui com o secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, ao encontro, à reunião do Conselho Superior da Polícia Militar do Estado de São Paulo, para publicamente agradecer o elogiar a atuação da polícia, do comandante Gambaroni e de toda a Polícia Militar. Não tivemos praticamente incidentes, eventos que foram os maiores da história do país, com mais de milhão de pessoas na Avenida Paulista, a polícia e a Secretaria de Segurança Pública agiram de forma preventiva, estabelecendo critérios, a atuação foi republicana, apartidária, garantindo direito de manifestação de todos, a liberdade de expressão e garantindo a segurança. Acho que São Paulo está dando um exemplo de democracia, de instituições que são preservadas, de cumprimento da ordem constitucional e de garantia de livre manifestação. Então, fiz questão de trazer aqui publicamente um agradecimento e um elogio à atuação da Polícia Militar do estado.

REPÓRTER: Governador, o senhor menciona que as manifestações foram apartidárias, mas em um discurso agora a pouco o senhor afirma que no início até teve que retirar uma maioria que representa o sentimento do país em detrimento a uma minoria barulhenta que havia reservado o local com antecedência. Isso não enseja uma mobilização da polícia de acordo com quem está manifestando?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não. Não. A polícia age sempre de forma republicana, aliás, a polícia até teve que agir para poder retirar os grupos, as pessoas que lá estavam para garantir o direito de manifestação...

REPÓRTER: Depois de 36 horas, não é, governador.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Não. A polícia age sempre com razoabilidade. O que é que não era possível? Era você ter dois eventos contraditórios no mesmo local e no mesmo horário. E foi possível, não é, com muito diálogo que as entidades responsáveis solicitassem que no estado inteiro naquele dia não houvesse manifestação e aquele pequeno grupo que ficou a polícia agiu de maneira com que eles saíssem e nós tivemos a outra manifestação absolutamente tranquila, com toda a liberdade de expressão.

REPÓRTER: Governador, o senhor pode explicar como que vai funcionar a questão do bônus para policiais militares?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Nós estamos pagando o bônus do terceiro trimestre do ano passado, ele é baseado sempre, acho que chegaremos a 55 mil policiais, são 40 mil praticamente da Polícia Militar, 12 mil da Polícia Civil e 3 mil da polícia científica. Os critérios, é o resultado, o bônus é meritocracia, é o resultado dos principais indicadores de segurança. Então, homicídio, roubo e furto de veículo, roubo e furto, roubos em geral. Então, esse é o indicador. Roubo de veículo, roubos em geral e crime contra a vida.

REPÓRTER: Governador, só uma pergunta, nós entramos no período seco agora. Eu queria que o senhor só detalhasse de que maneira São Paulo está entrando nesse período, choveu bastante, ainda bem nesse sentido, mas vem o inverno, como diz no ‘Game of Thrones’: “Winter is coming”, não é, governador, o inverno está chegando, e geralmente é seco. Como é que o estado se prepara?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: É natural, não é? É de Olavo Bilac: “Se for em março, ao findar das chuvas, logo a entrada do outono”.

REPÓRTER: Olha a diferença, o senhor citando Olavo Bilac e eu citando ‘Game of Thrones’.

[risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Meu pai dizia, meu pai era veterinário, nós morávamos na rural, que chove mês com ‘R’. Então, acaba em abril e volta em setembro. Isso é natural, nós estamos preparados para isso. E vamos entrar no período seco, a partir de abril, muito mais preparados. Primeiro agradecer à população porque a cultura mudou, o uso racional da água hoje faz parte da vida das pessoas, ninguém deixa a torneira aberta enquanto está fazendo a barba, torneira aberta enquanto está escovando os dentes. Então, mudou a cultura. Tanto é que mesmo com um calor muito grande nesse período o consumo de água é mais baixo no Estado de São Paulo. Nós estamos mais preparados, por quê? Porque os sete sistemas de abastecimento estão integrados. Então, nós temos alguns sistemas com 100%, se pegar o Guarapiranga, ele tem 85%, na realidade é 100% porque quando chega a 85% você tem que soltar, tem que abrir o vertedouro por causa das ondas, então não pode passar mais de 85% por segurança de barragem. Então, eles estão lotados. Os que estão com menos água se precisar você substitui. Então, nós estamos mais preparados pela mudança cultural, com menor consumo, que a gente faz um apelo para que todos continuem, pela interligação dos sete sistemas e pelas obras. Então, nós conseguimos ligar o Rio Pequeno ao Rio Grande, e ele ao Alto Tietê, e a reservação que hoje é grande. E os próximos anos? Bom, para os próximos anos nós teremos em 2017, o ano que vem, duas grandes obras, o PPP do São Lourenço, que traz água nova do Rio São Lourenço para São Paulo, mais 6,4 metros cúbicos por segundo a mais de água, cada um metro cúbico por segundo são 300 mil pessoas. Então, mais de 2 milhões de pessoas com água nova e a interligação do Paraíba com o Cantareira através da interligação da represa do Jaguari com a represa do Atibainha, que pode significar também mais de seis metros cúbicos por segundo também. Então, a região metropolitana estará muito mais preparada para essas mudanças climáticas que estão ocorrendo no mundo todo. A resiliência, a capacidade de enfrentar essas mudanças climáticas é muito maior.

REPÓRTER: Sobre as prévias aqui em São Paulo da prefeitura, quais são os próximos passos agora que o João Dória [ininteligível] como candidato, para poder o PSDB lutar em torno do nome dele?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, essa é uma tarefa do partido e do pré-candidato, não é de governo, então cabe a eles trabalharem. Eu entendo que enquanto não tenha convenção e não há candidatura, é ouvir a sociedade, não é? Ouvir, você percorrer os bairros, elaborar propostas de governo, sentir as prioridades, elaborar boas propostas, conversar com os demais partidos para alianças. Enfim, é uma etapa preparatória.

REPÓRTER: Governador, os americanos dizem que a vacina contra a Dengue é eficaz, um estudo que saiu na sexta-feira, o que é que isso representa para o Brasil?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, é um fato de alcance mundial, porque as chamadas arboviroses, não é, Dengue, Zika, febre Chikungunya, febre amarela urbana, são doenças dos trópicos e dos países subtropicais, não é? Isso não dá na Europa, no Japão, no Canadá, países frios, é de país tropical e subtropical. Nós estamos falando de 2,5 bilhões de pessoas no mundo que estão sujeitas a esse tipo de arbovirose. Então, a vacina, e a vacina de São Paulo, do Instituto Butantan é uma vacina tetravalente, ou seja, não adianta você tomar uma vacina contra um tipo de vírus da Dengue, porque você pode pegar o outro, são quatro tipos de vírus. A vacina do Instituto Butantan, que já começou a última fase, que é fase três, ela é tetravalente, uma vacina só, uma dose só, vacina contra os quatro tipos de vírus. Isso é de alcance internacional e de um avanço científico muito grande. Interessante ouvir de um grande cientista americano dizendo: "Normalmente a América do Norte transfere aos países da América do Sul, ao Brasil, faz transferência tecnológica, agora vocês é que vão fazer transferência tecnológica para o América do Norte", quer dizer, inverteu a ordem aí. Então, o Butantan, que tem mais de 100 anos é o maior instituto soroterápico da América Latina, aqui de São Paulo, ele deu um passo muito grande em termos de ciência. E vírus é vacina, porque você não tem remédio para matar vírus, não tem antibiótico. Então como é que acabou com a poliomielite? A vacina Sabin. Sarampo, catapora, caxumba, é tudo vacina. Então, o vírus, o caminho é a vacina, que é muito eficaz.

REPÓRTER: Obrigado, governador. Categoria 21 de março de 2016 [[]]