Coletiva - Implosão da Estrutura de Concreto de Ponte na SP 333 - 20120206

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Implosão da Estrutura de Concreto de Ponte na SP 333

Local: Pongaí - Data: 02/06/2012


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Tá legal aí? [ininteligível]

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: [ininteligível] ampliada, passando de 40 metros de vão para 120 metros de cumprimento. Um método de engenharia novo. Antigamente, para fazer esse trabalho interditava a ponte seis meses. Agora nós vamos fazer em 15 dias, a ponte vai estar liberada ao tráfego. E com 120 metros de vão, é uma ponte para hidrovia, preparada para hidrovia. Hoje a barcaça para e leva uma hora e meia para passar de baixo de uma ponte, porque precisa passar chata por chata. Agora vai passar direto, pela largura que vai ter a ponte. Vamos fazer essas três pontes e outras três vamos fazer pontes novas, vamos melhorar a eclusagem, fazer os atracadouros e o aprofundamento do rio no trajeto da hidrovia, o derrocamento e, com isso, eliminamos os três gargalos da hidrovia: ponte, eclusagem demorada e profundidade do rio. E depois vamos prolonagr Piraciba, mais 55 quilômetros e para Salto mais 200 quilômetros de hidrovia. É uma parceria com o Governo Federal, R$ 1,7 bilhão, R$ 900 milhões do Governo Federal, R$ 800 milhões do Estado. Essa... prolongamento da hidrovia nós vamos ter barragens que vão gerar energia elétrica, que vai ser muito importante. A meta é em dois anos dobrar o transporte na hidrovia, de 6 milhões para 12 milhões de toneladas/ano e até 2018 triplicar, 22 milhões de toneladas/ano. Então isso vai ser importante para o desenvolvimento de São Paulo, interior de São Paulo, da região oeste de São Paulo, os municípios a margem da hidrovia, Centro-Oeste brasileiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e também Minas Gerais. E, hoje, a barcaça não traz nada, ela vem vazia, e ela vai poder também trazer mantimentos, produtos, geladeira, fogão, fertilizante, calcário. Você vai poder utilizar areia, vai poder utilizar a hidrovia com total capacidade. Cada comboio, um comboio, tira 175 carretas das estradas, carreta de 35 toneladas.


REPÓRTER: Governador, ali tem a segunda obra nova, o encaixe da ponte [ininteligível]. Quanto tempo vai levar [ininteligível] porque demora para encaixar essa ponte? O trânsito vai ser parado em 15 dias, mas a ponte funciona nesse esquema [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Dois dias. Em dois dias a ponte está encaixada. Veja, é uma ponte de 120 metros de cumprimento e tem 20 centímetros de espaço. É impressionante a eficiência da engenharia. A ponte foi construída aqui, na margem do rio onde nós estamos, ela está pronta, e ela está na mesma altura da atual, está do lado. A hora que cair a ponte velha, ela encaixa. Impressionante a rapidez da engenharia com novas tecnologias na área de engenharia.


REPÓRTER 2: Governador, porque que uma estrutura que inclusive até para poder levar essa ponte até o local, há algum projeto, de repente, para utilizar esse local até para [ininteligível] nesse sentido.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Aqui tem que ter. Não, o que ele está perguntando é se pode aproveitar alguma coisa. Nós temos uma prainha aqui, não é Marlene? Aqui na... Aqui na frente tem uma prainha, que é o ponto turístico aqui da região, de Pongaí. O que nós vamos fazer para fortalecer o turismo aqui? É recuperar a SP 333. São R$ 98 milhões, incluímos no programa do BID. Ela será recapeada, terá acostamentos também pavimentados, com quase... São 63 quilômetros de rodovia que vai ser recuperada. Como vai ser o ano que vem, então nós vamos fazer um pano, dar uma recapeada no trecho pior aqui.


REPÓRTER: Posso ter mais uma pergunta que não tinha nada a ver com esse evento porque eu aguardei os colegas? No ano passado, em Bauru... Sou de Bauru, Jornal da Cidade, o senhor anunciou um investimento de R$ 44 milhões pra maternidade Santa Isabel e pro Hospital de Base, tanto para reaparelhamento quanto para reformas, agora, a gente teve a definição de que o hospital do Centrinho será um hospital geral. Isso muda os planos em relação aos investimentos? É em torno de R$ 30 milhões que seriam investidos no Hospital de Base?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós temos, em Bauru, até defendemos com muito empenho que Bauru tenha uma faculdade de medicina, porque nós temos lá seis hospitais em Bauru. É difícil uma cidade ter uma assistência nesse nível. Nós temos lá em Bauru o Hospital Regional, grande, que é o...


REPÓRTER: Hospital Estadual mesmo...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: ... Estadual. Temos o Hospital Manoel de Abreu, temos o Centrinho, temos a Maternidade Santa Isabel, temos a Associação Hospitalar... Tá me faltando...


REPÓRTER: Lauro de Souza Lima...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Lauro de Souza Lima. Seis hospitais. A Maternidade Santa Isabel e o HB entrou em crise, é uma administração privada; entrou em dificuldades... O que é que o estado vai fazer? Nós vamos manter o serviço. Então, já passou pra Fundação da Famesp, da Faculdade de Medicina da Unesp, a maternidade; a Famesp já assumiu, e nós vamos mantê-la, e ela vai fazer um bom trabalho. A Associação Hospitalar, nós também vamos assumir, então, nós estamos trabalhando junto à Universidade de São Paulo porque está ficando pronto o novo prédio do Centrinho, e aí a gente ter um Hospital Geral para poder atender toda a população. Então, esse é o modelo que tá sendo estudado; então, nós vamos ter a maternidade, nós já assumimos, que é a Famesp, é a Unesp, Faculdade de Medicina da Unesp...


REPÓRTER: Tem um investimento previsto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: E o HB, talvez seja a USP, o [ininteligível] da USP, e aí já assume o Centrinho e o HB junto, a mesma entidade.


REPÓRTER: Mas esses investimentos, eles continuam existindo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eles poderão até serem maiores, porque nós vamos estudar... O importante é manter o serviço. Já manteve, não é? A maternidade foi mantida. Agora, nós estamos até estudando, de repente, fazer uma maternidade nova, do lado do Hospital Regional, enfim, tem vários estudos sendo feitos.


REPÓRTER: Tá. Esses R$ 30 milhões para o Hospital de Base eles provavelmente, então, eles estão confirmados. Pode-se dizer que eles estão confirmados?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É possível. Nós vamos verificar qual a melhor solução.


REPÓRTER: E a USP deve assumir, então, o Hospital de Base.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É uma hipótese. O que já está definido é a Unesp na maternidade Santa Isabel. O HB e o Centrinho, uma das hipóteses é a USP assumir os dois. Não é a USP, é a Fundação Faculdade de Medicina da USP.


REPÓRTER: Tá certo. Obrigada!