Coletiva - Início das Obras de Duplicação do Trecho Planalto da SP 099 - Rodovia dos Tamoios - 20121505

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva do Início das Obras de Duplicação do Trecho Planalto da SP 099 - Rodovia dos Tamoios

Local: Paraibuna - Data: 15/05/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, hoje as máquinas todas já estão na pista e nós temos 20 meses para entregar os 49 quilômetros duplicados. Pista, pista nova será a pista ascendente, a pista de retorno, pista de subida; 21 obras de artes, viadutos, passarelas, 8 quilômetros de ciclovias, é a primeira obra já que é licitada também com ciclovia perto das cidades, dos bairros; correção de traçado, algumas curvas piores vão ser substituídas; declividade melhorada; trechos de rodovias vão ter rodovia nova; duas pistas, New Jersey, um metro de distância entre as pistas da New Jersey; acostamento de 3 metros e mais a ciclovia. Obra importantíssima para o desenvolvimento da região e do Estado, ligando o eixo Rio-São Paul, a região mais industrializada do Brasil, com o litoral, que é muito turismo, e a indústria do Pré-sal que está aqui no litoral, então obra importantíssima. Simultaneamente nós já estamos antecipamos a licença prévia, LP, e a licença de instalação, deve ficar pronta a licença ambiental em julho do contorno Sul, que é o que vai para São Sebastião, e em setembro o contorno Norte, que vai pra Ubatuba. São mais 38 quilômetros de duplicação, diria até de nova estrada, lá no litoral. E nós estamos estudando não esperar a serra, porque a serra demora, deve ficar pronta a licença ambiental só no início do ano que vem. Então, nós estamos estudando, de repente, já licitar esses 2 trechos, trecho Sul e trecho Norte, para depois fazer serra. Enfim, vamos tocando aí e, todas as frentes e vai ajudar muito a região. Eu estava observando aqui, é um caminhão e um carro atrás do outro né? 16 mil veículos/dia, mesmo fora de temporada, temporada então nem se fala. Uma obra muito necessária. Aqui a grande intervenção foi na década de 50, quando se fez o Virado à Paulista, aquele asfalto para tirar barro, poeira em 1957 no governo Jânio Quadros. Depois em 67, nós tivemos aquela tromba d'água muito triste, correu, escorregou a serra, ela teve que ser refeita, um trecho dela, e depois a retirada da rodovia de Paraibuna. Há 40 anos, praticamente ,não se tem uma intervenção grande. Então, essa será uma das grandes obras do Estado, ela deve ficar em torno do R$800 milhões de obras, desapropriações, compensações ambientais, projetos, gerenciamento e depois os contornos no litoral e a serra.


REPÓRTER: Antes na descida ou não?


GOVERANDOR GERALDO ALCKMIN: O que é que acontece? O licenciamento ambiental dos contornos ele será antes da descida. Porque a descida é uma nova autoestrada, não é do lado. E atravessa o Parque Estadual, então é licenciamento duro. Veja que a Rodovia do Sol que era nova estrada não foi aprovado pelo Consema na década de 90, então é mais demorada. Então, como nós temos muito trânsito lá no litoral de praias regional, se você faz já contorno sul e contorno norte você ajuda muito a melhorar o tráfego, os grandes congestionamentos do litoral. O norte iria até a praia Martim de Sá e o sul até dentro do porto de São Sebastião.


REPÓRTER: E a respeito da segurança, os objetivos da duplicação é reduzir os índices de acidentes. Queria que o senhor comentasse sobre isso.


GOVERANDOR GERALDO ALCKMIN: Olha, hoje é terceira causa de morte, morbimortalidade não é doença, é acidente. A primeira é coração e grandes vasos, a segunda é câncer e a terceira é causa externa. E aí é a grande causa, era tiro, era o homicídio, arma de fogo. Então, isso graças a Deus reduziu de 13 mil para 4 mil homicídios por ano. E hoje quem lidera as mortes de causa externa é acidente rodoviário. É atropelamento, motocicleta, carro, desastre, pessoas atravessando pista.


REPÓRTER: Somando com o excesso de veículo e a falta de educação, não é?


GOVERANDOR GERALDO ALCKMIN: Não há dúvida, não há dúvida. Às vezes não adianta só duplicar uma estrada, é preciso ter educação para o trânsito, não ter bebida alcoólica. Há muito problema de alcoolismo, de imprudência. Mas evidente que uma rodovia duplicada e com New Jersey, com aquela separação, você não tem choque frontal e aí os acidentes são menos graves.


REPÓRTER: A respeito das desapropriações, como é que está esse processo?

GOVERANDOR GERALDO ALCKMIN: Desapropriações o presidente da Dersa, o Dr. Saulo, podem detalhar. Mas é responsabilidade do Estado, responsabilidade da Dersa. E vão ser feitas seguindo todos os critérios que a empresa tem.


REPÓRTER: É a primeira rodovia com ciclovia. As outras do estado também terão isso?


GOVERANDOR GERALDO ALCKMIN: Então, nós estamos estudando a rodovia ligando Sorocaba com Itu, que ela é meio urbana também ser ciclovia. Mas já prevista no edital de contratação essa é a primeira.


REPÓRTER: E os pedágios, governador?


GOVERANDOR GERALDO ALCKMIN: Por enquanto não tem nenhum pedágio. Só vai ser discutido pedágio na hipótese de PPP, de Parceria Público Privado.


REPÓRTER: Existe essa possibilidade, como é que está?


GOVERANDOR GERALDO ALCKMIN: Da PPP? Existe. Essa é uma alternativa, é você fazer uma PPP, onde esse trecho até a Serra, esses 49 km já faria parte da contrapartida do Estado.


REPÓRTER: Se o Estado financiar a obra senão por uma PPP, o Estado pode colocar uma concessionária ou não?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pode ter, pode não ter.


REPÓRTER: Depende. Tenho duas dúvidas, governador, Geraldo. O senhor comentou sobre homicídios. Desde que a SSP começou a divulgar dados de homicídios em 2005, a gente teve aqui na região do Vale o primeiro trimestre mais violento, foram 114 homicídios. Somente em Taubaté...


REPÓRTER:...Como a capital do Vale em questão de violência. Como resolver esse gargalo, a violência crescendo aqui na região na contramão do Estado como o próprio senhor falou governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós estamos mandando pra região, mais 32 policiais civis. São 16 investigadores pra São José dos Campos, 5 para Taubaté, 5 para Cruzeiro, 5 para São Sebastião e Guaratinguetá e estamos terminando ando concurso para mais 200 delegados de polícia, esses investigadores já, agora, no fim do mês terá sua formatura e já estarão trabalhando e os 200 delegados no segundo semestre nós teremos também; essa é uma guerra que tem que vencer batalha todo dia é uma luta permanente. De um lado investigando crime, prendendo criminosos do outro lado a Polícia Militar fazendo um trabalho preventivo, repressivo, protegendo a população.


REPÓRTER: Outra dúvida, governador, a gente vive um momento de indefinição muito grande para a escolha do sucessor do Eduardo Cury aqui em São José. O PSDB inclusive, aliados históricos do PSDB, já anunciaram pré-candidaturas próprias, por conta dessa indefinição, eles são bem claros em dizer: "olha o PSDB não define, a gente vai lançar pré-candidatos”. O senhor está auxiliando nesse processo, a gente tem alguns nomes como o enteado do Emanuel, [ininteligível], que é ex-secretária do governo do Cury, tem algum que eles contam como favorito? O senhor está ajudando nesse processo governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, legalmente o prazo das Convenções é só em junho, de 1º a 30 de junho, então legalmente as convenções só podem ser feitas em junho, as definições podem ser antecipadas, seja por consulta, por prévia, enfim, esse é um tema local, da cidade e um tema do partido não é do governo, é uma decisão partidária, tá bom?


REPÓRTER: Obrigado, governador.